Doze empresas baianas integram lista suja do trabalho escravo; maioria de fazendas