SSP estudará casos antigos para ter estatísticas de feminicídio; corte será de ao menos 4 anos