Entretenimento

Festa Literária de Cachoeira supera as expectativas e atrai público de 35 mil pessoas

A Festa Literária Internacional do município de Cachoeira (Flica) superou as expectativas e atraiu público recorde de 35 mil pessoas, entre os dias 5 e 8 de outubro, no recôncavo baiano segundo informações do G1. Como parte da festa, a Fliquinha, que completou cinco edições, também reuniu milhares de crianças em Cachoeira.

 

“O que eu senti foi uma vibração de muita afetividade das pessoas durante as mesas no geral. Uma energia de muita harmonia e com destaque para presença feminina. Foi a Flica mais feminina, especialmente para autoras negras", afirma o curador Tom Correia. "É um local de fala que é natural, cujo mérito é do público feminino, é um local legítimo de espaço", completa.

 

A 7ª Flica se destacou pela presença feminina e negra, que foi vista nos debates e também entre o público. De acordo com a organização do evento, a Fliquinha teve capacidade de 220 pessoas por cada atração no Cine Theatro Cachoeirano, enquanto o Claustro do Convento do Carmo, onde aconteceram os debates da Flica, 350 pessoas passaram por lá a cada mesa realizada.

 

Além desses espaços principais, houve programação na Varanda do Sesi, no espaço Livres Livros, Educar para Transformar, Escadaria da Câmara, entre outras manifestações culturais que aconteceram na cidade durante o evento. O G1 acompanhou todas as mesas da Flica durante os quatro dias de festa. Confira:

 

Quinta-feira (5)
Carlos Moore e Cuti refletem sobre processos históricos, racismo e feminismo
Encontro de 'filhos da terra' revive momentos de luta e resistência de Cachoeira: 'Brindamos e comemoramos nossa amada'


Sexta-feira (6)
Votos de liberdade: a escrita sobre a morte de Franklin Carvalho e as trajetórias de vida na narrativa de Maria Valéria Rezende
Ricardo Lísias e Daniela Galdino dialogam sobre o poder da literatura em intervir no contexto político e social brasileiro

Sob declamações e delírios poéticos, Ruy Espinheira Filho afirma: 'literatura é uma arte e a arte não pode ser ensinada'


Sábado (7)
Como em uma roda de contação de histórias, Ricardo Ishmael e Chico José desvendam a 'dupla militância da palavra'
Em meio a gargalhadas e euforia, Jout Jout e Tia Má conversam sobre preconceito, relacionamento abusivo e solidão da mulher negra
Cidinha da Silva, Minna Salami e Denise Carrascosa trilham caminhos da resistência por meio da palavra
O conto, a palavra, o livro e o canto de Paulina Chiziane e Elisa Lucinda


Domingo (8)
A descolonização do pensamento proposta por Daniel Munduruku e Eliane Potiguara: 'Eu não sou índio'


Categorias

Recôncavo




Classificados


Enquete



Mais Lidas