Entretenimento

Dois Amores lamenta falta de espaço em Salvador: ‘Portas fechadas’

Um dos maiores desafios de um conjunto, surgido no interior, que anseia por novos espaços é se estabelecer no mercado fonográfico da capital do seu estado. Ainda mais se esta for Salvador, considerada um dos maiores expoentes musicais do Brasil. É essa a situação vivida pela banda Dois Amores. Criada há oito anos na cidade de Candeias, berço do arrocha, o grupo tem como líderes, desde a formação, os cantores Jerônimo Medeiros e Thyago Sena.

 

“É complicado, pois quando você tá forte no mercado do interior, é mais fácil invadir a capital, mas quando você não tem um nome, as portas são fechadas. Só se abrem para aqueles que as estrelas já estão brilhando”, iniciou Jerônimo. Inspirados em Pablo, Tayrone, Zezé Di Camargo e Chitãozinho e Xororó, eles acreditam que, apesar das dificuldades, o arrocha é o ritmo certo para se apostar. “Está muito consolidado. É a música do povo. O arrocha já se expandiu para fora do país. Todo mundo ouve, é romântico, é envolvente. Acho que nunca tivemos em um tempo tão bom. Eduardo Costa, Leonardo, Zezé, todos estão gravando o ritmo”. Se por um lado buscam mais espaço nos veículos, por outro celebram as parcerias já realizadas em shows. “Já estivemos com Simone e Simaria, Marília Mendonça, Zezé Di Camargo, Calcinha Preta e Zé Ramalho. A música é universal e a gente vai pegando um pouquinho de cada um para crescer, né?”.

Na busca pela consolidação no mercado, Dois Amores lançou o CD “Me Decidi” em todas as plataformas digitais e celebram a recepção do público. “Menos de dois meses, 1 milhão de visualizações no YouTube e 1 milhão de CDs baixados. A galera está cantando as músicas nos shows... é difícil ver uma banda de arrocha estourar o projeto todo assim”. Contendo 16 faixas, o novo álbum inclui músicas novas e alguns sucessos conhecidos do grande público. As canções inéditas são “Te Esquecer” de Thiago Sena e Roberto Neves, “Desisto de você” de Jerônimo Medeiros, "Labirinto" de Rafa Black e “Me Decidi”, música carro chefe que denominou o nome do novo trabalho, composta por Willis Vieira. Já as regravações ficam por conta dos singles “Eu era”, da dupla Marcus e Belluti, “Só você me chamar”, do grupo Aviões, “K.O” da cantora Pablo Vittar e “Refém” do pagodeiro Dilsinho. “Queríamos canções que estivessem chegando na boca das pessoas e não aquelas estouradas já. Era o que estava para acontecer. A gente procurou pegar um pouquinho de funk, samba e trazer para o arrocha”, reafirmou. Para os próximos passos, a banda planeja gravar o clipe da faixa “Me Decidi”, fazer shows e planejar o Carnaval 2018. Eles, inclusive, puxarão no domingo o bloco “Os Mutantes”, no Campo Grande. Bahia Noticias


Categorias

Música




Classificados


Enquete



Mais Lidas