Entretenimento

Não foi só Remy! Relembre as falsas mortes de novela que enganaram o público

Em "Segundo Sol", o público vai descobrir que Remy (Vladimir Brichta) está vivo e tudo não passou de uma armação de Laureta (Adriana Esteves) para incriminar Luzia (Giovanna Antonelli). O traficante retorna e se alia à cafetina e Karola (Deborah Secco) para destruir a família falcão. O recurso de falsa morte, porém, não é novidade no mundo das novelas.

 

O Purepeople reuniu outros personagens que "ressuscitaram" e surpreenderam os telespectadores. Antecessora de "Segundo Sol", "O Outro Lado do Paraíso" (2017) trouxe a falsa morte de Renan (Marcello Novaes). O empresário foi empurrado acidentalmente por Beth/Duda (Gloria Pires) e acreditou-se que ele estava morto.

 

O ex-amante da estilista retornou no tribunal para impedir que a mãe de Clara (Bianca Bin) fosse condenada por seu assassinato. A trama de Walcyr Carrasco apostou no recurso da falsa morte duas vezes! Mariano (Juliano Cazarré) foi alvo das tesouradas de Sophia (Marieta Severo) e chegou a ser enterrado. Porém, o garimpeiro conseguiu fugir da cova e recebeu ajuda da mãe do quilombo (Zezé Motta) segundo informações do Purepeople.

 

O namorado de Lívia (Grazi Massafera) se recuperou e retornou no julgamento da vilã para desmascará-la na frente de todos. Em "Novo Mundo" (2017), Edward Millman (Ney Latorraca) desapareceu no meio de uma missão secreta para o Brasil. O oficial da marinha inglesa foi dado como morto por quase todo o período que a novela foi ar. Na reta final, o pai de Anna (Isabelle Drummond) reapareceu para mudar o desfecho da novela.

 

Clara (Mariana Ximenes) foi a grande vilã de "Passione" (2010). A mulher de Totó (Tony Ramos) enganou a todos e conseguiu escapar da prisão após tentar matar o marido. Durante a fuga, Clara foi perseguida pela polícia e o carro em que estava caiu de um princípio. A megera, porém, escapou do veículo e, no último capítulo, os telespectadores descobriram que ela estava viva e feliz em uma ilha do Pacífico.

 

Bia Falcão (Fernanda Montenegro) sumiu e foi dada como morta após sofrer um acidente em "Belíssima" (2005). Nos capítulos seguintes, o público soube que a vilã forjou a própria morte para retomar o controle da empresa Belíssima. A ricaça chegou a ser presa, mas conseguiu escapar e terminou a novela em Paris com um garotão vivido por Cauã Reymond.

 

Uma das maiores falsas mortes da dramaturgia é a de Francesca (Tereza Rachel) em "A Próxima Vítima" (1995). O público se chocou ao descobrir que ela estava vivo. No começo da novela, os telespectadores acreditaram que Francesca foi morta pelo assassino misterioso da trama. No último capítulo, a personagem disse que forjou a própria morte e isso foi necessário para revelar o serial killer.

 

Em "O Outro" (1987) Paulo Della Santa e Denizard de Mattos, ambos interpretados por Francisco Cuoco, são idênticos, apesar de não serem parentes. O milionário Paulo foi dado como morto após a explosão de um posto de gasolina. Denizard, sem memória, assume o lugar do ricaço. Porém, no final da novela, descobriu-se que Paulo estava vivo e desapareceu para dar uma reviravolta na própria vida.

 

Uma das falsas mortes mais conhecida é a de Roque (José Wilker) de "Roque Santeiro" (1985). Na trama de Dias Gomes e Aguinaldo Silva se tornou lenda por supostamente morrer ao defender a cidade de Asa Branca de invasores. Roque, porém, nunca morreu, apenas fugiu da cidade e deixou todos surpresos com o seu retorno.

 

Simone (Regina Duarte) fugiu em "Selva de Pedra" (1972) ao desconfiar que Cristiano (Francisco Cuoco) e Miro (Carlos Vereza) planejavam matá-la. Ela fugiu, mas seu carro explodiu ao cair em uma ribanceira. Um corpo foi encontrado carbonizado e todos acreditaram que se tratava de Simone. A artista plástica sobreviveu e retornou sob o nome de Rosana.





Classificados


Enquete



Mais Lidas