Esportes

Neymar brilha, Barcelona faz 6 e elimina o PSG de forma histórica

Depois perder o jogo de ida por 4 a 0, na França, para o Paris Saint-Germain, a missão do Barcelona, no Camp Nou, nesta quarta-feira, era das mais difícieis. Mas não impossível. Num dos capítulos mais emocionantes da história do clube, o time de Luis Enrique conquistou a vaga às quartas de final, com a goleada por 6 a 1, para delírio do público.
 
- Essa é a melhor partida que eu joguei na minha vida. Pelo que significa, pelo que vivemos e porque estou em um bom momento. Sei que fizemos história, uma equipe como essa pode fazer tudo. Tínhamos o jogo perdido, por isso saímos para jogar com responsabilidade e alegria, fomos com tudo para o gol. E por isso tivemos tanta coragem - festejou Neymar, em entrevista ao "Bein Sports".
 
O brasieliro foi além: - Antes da partida, nós acreditávamos. Logo, quando nos fizeram o gol, ficamos um pouco abalados. Mas, depois, fizemos o quarto e logo o pênalti. Nos concentramos muito, e aí chegou o gol de Sergi. Luis Enrique - que anunciara que vai deixar o clube após a temporada - exaltou a atitude da equipe: - Ninguém deixou de acreditar. O time foi espetacular. Fomos recompensados no final.
 
- Esta é uma conquista histórica que será lembrada para sempre - comemorou o presidente do clube catalão, Josep Maria Bartomeu. Neymar (de pênalti inexistente e de falta), Messi (de pênalti), Suárez e Kurzawa, contra, levaram o time anfitrião aos 5 a 1 (Cavani marcara o gol dos visitantes). Até que Sergi Roberto, aos 50 do segundo tempo, de primeira, fez o gol da histórica classificação catalã.
 
Suárez, logo aos três minutos, abriu o placar para o Barça. Aos 40, Kurzawa fez mais um para os donos da casa, e o time catalão foi para o intervalo com 2 a 0. Àquela altura, mais dois gols levariam o jogo para a prorrogação. Messi, aos 5 da etapa final, em pênalti sofrido por Neymar, fez 3 a 0 para os espanhóis.
 
Doze minutos depois, no entanto, uma ducha de água fria nos anfitriões, com o gol de Cavani. Aos 43, num golaço de falta, Neymar fez o quarto gol, o que ainda não era o suficiente. Três minutos depois, Suárez cavou pênalti, que o brasileiro bateu com categoria. Os 5 a 1 levariam o jogo para a prorrogação. Até que Sergi Roberto, aos 50, fez o que parecia impossível.

Categorias

Futebol




Classificados


Enquete



Mais Lidas