Esportes

No primeiro jogo da final da Copa do Nordeste, Bahia empata com o Sport

Começou a contagem regressiva a partir de agora até o segundo jogo da final. Bahia e Sport deixaram um gostinho de quero mais aos seus torcedores após um empate em 1x1 de tirar o fôlego na Ilha do Retiro, no Recife, na noite desta quarta-feira (17). O tricolor saiu na frente com Juninho, mas sofreu o empate com um gol de outro Juninho, do time da casa.
 
Resta esperar a próxima quarta-feira (24), quando tudo será definido na Fonte Nova. Em meio a uma Ilha do Retiro pulsante, foi o Bahia que tomou a iniciativa da partida. Com uma marcação bem encaixada, o time de Guto Ferreira dificultava as ações do Sport, que não conseguiu criar nos primeiros minutos. A primeira boa chance foi tricolor.
 
Renê Júnior encontrou Zé Rafael na direita, que passou para Eduardo cruzar rasteiro, mas Magrão se antecipou a Edigar Junio e conseguiu fazer a defesa.  A resposta dos donos da casa foi na bola parada. Aos 12 minutos, Fabrício cobrou falta pelo lado direito, Matheus Ferraz subiu mais que a zaga tricolor e cabeceou na trave. A partir daí o Sport cresceu. Lucas Fonseca saiu jogando errado e entregou nos pés de Diego Souza.
 
O meia levantou com categoria pra Rogério emendar de voleio e obrigar Jean a fazer grande defesa. Eram 26 minutos quando a dupla Diego Souza e Rogério voltou a aparecer. O camisa 87, com uma casquinha, deixou o atacante rubro-negro no mano a mano com Eduardo. Ele puxou para o pé direito e colocou no canto esquerdo de Jean. A bola passou perto, mas saiu pela linha de fundo
 
Pressionado, o Bahia não conseguiu mais trocar passes, tendo em Juninho um dos que mais erravam nesse quesito. O tricolor só voltou a assustar aos 36 minutos, quando Allione tabelou com Edigar Junio, invadiu a área e caiu na disputa com Magrão. O árbitro mandou o lance seguir. 
 
Teve mais polêmica no final do primeiro tempo. Juninho cobrou escanteio, a zaga do Sport afastou mal, Zé Rafael pegou de primeira e mandou para o fundo das redes. No entanto, a arbitragem entendeu que Renê Júnior - que estava em posição irregular - participou do lance e anulou o gol. Detalhe é que Renê nem fez menção de ir pra bola.
 
As equipes voltaram sem mudanças para o segundo tempo, e o Bahia chegou com perigo em jogada de Eduardo, que chutou forte e Magrão espalmou. Em minoria, a torcida tricolor sobrepôs a maioria rubro-negra aos 11 minutos. Matheus Reis tabelou com Zé Rafael e cruzou, Edigar brigou pela bola, que sobrou limpa para Juninho soltar um foguete e abrir o placar: 1x0. 
 
A partir daí só se ouviam o batuque e a festa baiana em meio ao silêncio pernambucano. A zoada só não ficou maior graças a Magrão. O goleiro do Sport impediu de forma milagrosa que Edigar Junio, de cabeça, ampliasse. Antes, ele já tinha defendido um chute colocado de Juninho.
 
A torcida da casa só se manifestava para chamar o técnico Ney Franco de burro. Surpresa na escalação inicial, Matheus Sales acabou substituído por Feijão aos 31 minutos por cansaço. O jogo parecia sob controle do Bahia. A bola parada era o único recurso do Sport e foi justamente através dela que o time conseguiu o empate. Após cobrança de escanteio, Juninho se antecipou, desviou de cabeça e fez 1x1.
 
O gol reacendeu a Ilha, que empurrava o time da casa em busca da virada. Guto Ferreira tentou recolocar o Bahia no jogo com a entrada de Gustavo no lugar de Allione. Mas foi só. Empate nos primeiros 90 minutos e muita emoção guardada para a próxima quarta-feira. 

Categorias

Bahia




Classificados


Enquete



Mais Lidas