Esportes

Vitória recebe o Ferroviário-CE tentando fazer as pazes com triunfos no Barradão

Todo torcedor rubro-negro já está cansado de saber que o Leão viveu no ano passado a sina de vencer pouco em casa, e que ela perdurou no primeiro duelo de 2018, com um empate por 2x2 com a Juazeirense pelo Baianão. Ao mesmo tempo, todos os boleiros que se prezam sabem que a receita para vencer uma partida é muito simples.

 

Basta fazer pelo menos um gol e não sofrer nenhum. Neste último quesito, o Vitória também tem falhado no Barradão. Faz muito tempo que o time não sabe o que é terminar um jogo sem sofrer gol em sua casa. Para ser mais exato, a última vez em que isto ocorreu completa sete meses na sexta-feira (2).

 

Nesta quinta-feira (1º), o Leão tem tudo para evitar que essa marca negativa faça aniversário. Às 21h15, o Vitória recebe no Barradão o Ferroviário, pela 2ª rodada da Copa do Nordeste. Mais do que isso, o rubro-negro entra em campo para manter o bom início invicto no ano. O último jogo sem ter a meta vazada em casa foi o Ba-Vi do primeiro turno do Brasileirão 2017, no dia 2 de julho. Mesmo naquele caso, o rubro-negro também não venceu.

 

O clássico acabou empatado por 0x0. De lá pra cá, foram 14 jogos no Barradão, com 27 gols sofridos, uma média de quase dois por duelo. Foram oito derrotas, quatro empates e apenas dois triunfos. Fernando Miguel foi o goleiro que mais viu a bola passar por ele neste período: 18 vezes em nove jogos. Caíque tem uma média parecida, nove gols sofridos em cinco partidas como titular.

 

A receita
Voltando à receita básica, fica claro que o ataque do Vitória fez e continua fazendo a sua parte. Foram 20 gols em 14 partidas, mais de um por duelo. Em 2018, os homens de frente do rubro-negro têm mantido a produtividade em alta. Foram oito gols em quatro jogos até agora, exatamente dois por partida.

 

É por isso que o lateral-direito Lucas, uma das novidades do rubro-negro em 2018, fala em manter o padrão dos últimos jogos: “Tem que ter calma, fazer o que a gente já vem fazendo. Assim, os gols vão sair e a gente não vai tomar. Aos poucos, vamos retomando o caminho dos bons resultados em casa”.

 

O defensor, que não viveu a sina do ano passado, quer o time leve contra o Ferroviário, sem esse peso sobre os ombros: “É verdade que o Vitória sempre foi muito forte aqui no Barradão, mas tem que manter a tranquilidade. Não podemos trazer esse peso para as nossas costas”.

 

Sem nenhum reforço regularizado e sem Ramon, lesionado, a dupla de zaga continuará formada pelo experiente Kanu e pelo jovem Bruno Bispo. O time deve ser o mesmo que venceu o Atlântico no domingo (28) por 2x1. Bryan e Juninho continuarão fazendo a dobradinha de laterais pelo lado esquerdo rubro-negro. Correio da Bahia


Categorias

Vitória




Classificados


Enquete



Mais Lidas