Esportes

Cláudio Prates fala em 'transição tranquila' e nega pensamento em efetivação no Bahia

Com a saída de Guto Ferreira, o auxiliar técnico do Bahia, Cláudio Prates, vai ser o responsável por assumir a equipe no jogo contra o Paraná, nesta próxima quinta-feira (7), pela décima rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O profissional fez agradecimentos para a antiga comissão, mas ressaltou o desafio de seguir com o elenco.

 

"Agradecer ao Guto, comissão, a todos que passaram por aqui e deixaram um legado bacana, principalmente de hombridade, de homens sérios. E tocar o trabalho. É sempre chato porque a gente se coloca no lugar das pessoas. Mas o Bahia tem que continuar, pela grandeza da entidade", disse o técnico interino em entrevista.

 

"A gente exerce isso há um bom tempo no futebol, a última experiência foi no América-MG, fiquei um bom tempo na interinidade. E fazer uma transição tranquila para quem venha assumir ou a gente dar continuidade ao trabalho, a coisa sendo bem feita e com profissionalismo", declarou. Cláudio indicou que o desempenho dos atletas tem o deixado satisfeito, mas reconheceu que e existem falhas a serem corrigidas na sequência da temporada".

 

Ele apontou a necessidade de conseguir um melhor posicionamento na competição nacional. No monento, o Tricolor é o 18º colocado, com oito pontos. "A gente está muito satisfeito com desempenho, entrega dos jogadores. É louvável. A gente não está tendo que cobrar algo a mais para que faça, que se doe os noventa minutos. Obviamente que a gente tem defeitos, coisas a corrigir, e isso estava sendo feito com Guto e vai ser feito comigo ou quem vier".

 

"O base, que a gente cobra é entrega, que está sendo feito. Estamos em três competições. Então, o que a gente sabe e quer muito é buscar a melhor colocação no Brasileiro, que é o que falta hoje para a gente. O resto a gente está satisfeito com o trabalho dos atletas. A gente sabe de alguns defeitos e eles estão sendo corrigidos internamente. Volto a dizer, não é falta de empenho de ninguém: diretoria, comissão que estava, a gente, os atletas. Só isso vai nos levar a uma melhor competição no Brasileiro", pontuou.

 

O futebol brasileiro conta com técnicos que estão com um bom tempo na função de interinos, como Maurício Barbieri no Flamengo e Thiago Larghi no Atlético-MG. Ano passado, no Bahia, Preto Casagrande foi interino e efetivado na sequência. Claudinho, inclusive, agraceceu ao ex-comandante tricolor e deixou claro que ser efetivado não é algo que passa pela sua cabeça.

 

"Relembrar também o meu agradecimento ao Preto. Minha passagem o Bahia se deve ao Preto, porque eu recebi o convite dele. É um cara que tenho carinho e consideração grandes. Não passa pela minha cabeça. Dentro do trabalho de auxiliar fixo, que eu já tenho feito há muito tempo, passa fazer o trabalho de momento: transição tranquila, conhecimento dos jogdores, carinho e respeito dos atletas, e o resto é consequência".

 

"O futebol é muito resultado e muitas vezes não se olha o desempenho da equipe. A gente acabou de ter posse de bola maior que o Grêmio, finalizações. E a gente não teve resultado. A grandeza do Bahia pede que a gente tenha resultado. A minha função é a mesma, vou exercer o papel que existia com Guto e agora no comando. E o futuro a Deus pertence. Espero fazer o melhor trabaho possível para que possa ou continuar ou integrar cargo de maneira tranquila. Essa é a função do auxiliar fixo", explicou. Bahia Notícias


Categorias

Bahia




Classificados


Enquete



Mais Lidas