Esportes

Cláudio Prates justifica três volantes na derrota para o Paraná na última quinta

O Bahia segue sem pontuar fora de casa no Brasileirão. Na quinta (7), o tricolor lamentou a quinta derrota como visitante. Até aqui, não somou ponto nem balançou a rede longe de Salvador. Sob o comando do auxiliar técnico Cláudio Prates, a equipe perdeu por 1x0 para o Paraná, na Vila Capanema, em Curitiba, e agora amarga a vice-lanterna da competição.

 

"Primeiro tempo teve postura boa, jogo de igual para igual. Tivermos chances de sair vitoriosos. Não me agradou o segundo tempo. Deixamos o Paraná crescer, é um time que tem imposição aqui dentro, um gramado que não ajuda. Então, no âmbito geral, saí muito triste pela derrota. Segue a vida", disse o treinador.

 

"Já tivemos uma cobrança grande no vestiário e a partir disso aí temos que ter um pouco mais de garra, de ânimo", afirmou o auxiliar técnico Cláudio Prates, que está à frente do time interinamente desde terça-feira (5).  Treinador do Bahia nos cinco primeiros meses do ano, Guto Ferreira foi demitido no último domingo (3), após derrota para o Grêmio. Cláudio Prates também explicou a escalação com três volantes segundo o Correio da Bahia.

 

Além de Gregore e Elton, ele colocou Flávio como titular diante do Paraná. "(A ideia era) Exatamente liberar os três da frente. A gente estava sem a posição de um 9 por lesão ou problemas administrativos, então dei liberdade a Elton e Flávio para chegarem mais à frente. Andou no primeiro tempo, mas o campo atrapalhou um pouco. Não tínhamos condição de imprimir velocidade com Zé (Rafael) e Élber, mas fiquei satisfeito com o que a gente montou. Se preocupam em três volantes ser defensivo, mas na minha visão não era pra ser", argumentou.

 

O auxiliar técnico também falou sobre o que o levou a não manter o meia Régis entre os titulares. Contra o Paraná, o camisa 20 ficou no banco de reservas e não saiu de lá mesmo após Prates efetuar as três substituições. Entraram em campo Fernandinho, Ítalo, que foram contratados supostamente para o time sub-23, e Allione.

 

"O campo. São coisas que prejudicam o Régis. Ele é de velocidade. Por exemplo, Zé é um jogador de força, mas teve dificuldade, imagine para Régis. Então, a ideia era colocar mais um cara de articulação e dois atacantes. Obviamente eu tinha que me lançar um pouco mais ao ataque. Allione poderia articular por dentro. São três jogadores de velocidade que a gente poderia chegar. Esses atletas tentaram, continuam motivados. Existiu uma cobrança muito boa no vestiário porque ninguém está satisfeito com a atuação".

 

Após dez rodadas, o Bahia tem oito pontos e ocupa o 19º lugar, ultrapassado pelo Paraná. O time volta a entrar em campo no domingo (10), contra o Botafogo, às 16h, na Fonte Nova. Ainda antes da Copa, enfrentará o Corinthians, no dia 13, também em casa. Foto: Geraldo Bubniak/ Paraná Clube


Categorias

Bahia




Classificados


Enquete



Mais Lidas