Notícias

Polícia

Polícia

17 de Jul // | Polícia

A Polícia Federal informou ter cumprido nesta terça-feira (17), 12 dos 25 mandados de prisão expedidos para a Bahia na Operação Transbordo, deflagrada para desarticular um esquema de roubos de carga em seis estados do país. O órgão não divulgou os nomes das pessoas presas e nem em quais locais do estado os mandados foram cumpridos.

 

Do total de presos na Bahia até agora, seis foram alvos de mandados de prisão temporária e outros seis de prisão preventiva. Uma dessas pessoas presas foi localizada em Alagoas, mas a prisão foi contabilizada como sendo da Bahia porque o mandado era para ser cumprido no estado, segundo a Polícia Federal.

 

A Polícia Federal ainda disse que a ação ainda está em andamento para tentar localizar os demais alvos. A Operação Transbordo cumpre, em Alagoas, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Ceará e Pernambuco, 176 mandados judiciais, expedidos pela 17ª Vara Criminal de Maceió. Estima-se que a organização criminosa tenha causado um prejuízo superior a R$ 8,6 milhões, só em relação a roubo de cargas e caminhões segundo o G1.

Polícia

17 de Jul // | Polícia

Ao menos 23 pessoas foram presas nesta terça-feira (17) pela Polícia Federal durante uma operação contra suspeitos de roubos de carga em Alagoas e mais cinco estados. A operação denominada Transbordo cumpre 173 mandados judiciais expedidos pela 17ª Vara Criminal de Maceió.

 

Estima-se que a organização criminosa tenha causado um prejuízo superior a R$ 8,6 milhões, só em relação a roubo de cargas e caminhões. A operação ocorre em Maceió, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Ceará e Pernambuco. Segundo a PF, 2 pessoas foram presas em Alagoas.

 

Em São Paulo, sete pessoas foram presas e armas, veículos e dinheiro foram apreendidos. Ao todo são cumpridos 64 mandados de prisão e 106 de busca e apreensão, a maioria deles em São Paulo. Além disso, a Justiça expediu três mandados de interdição de empresas envolvidas em receptação de mercadorias roubadas, na cidade de São Miguel dos Campos, Litoral Sul de Alagoas.

Polícia

16 de Jul // | Polícia

Duas salas do Ministério do Trabalho, em Brasília, foram invadidas e reviradas entre a sexta (13) e a manhã desta segunda (16). O caso está sendo investigado pela Polícia Federal, que faz perícia no local. A ação foi descoberta por funcionários que chegavam ao prédio para trabalhar. O mais provável é que tenha ocorrido na madrugada desta segunda, já que não foi notada por equipes de segurança.

 

As duas salas atacadas ficam na sobreloja do edifício e guardam documentos referentes à carteira de trabalho e ao Seguro Desemprego. Armários foram arrombados e papéis, jogados no chão. Segundo a assessoria de imprensa da pasta, ainda não há informações sobre se algo foi levado segundo o Folha Press.

 

A PF abriu inquérito e vai apurar se o caso tem alguma relação com operações que investigam corrupção na pasta, como a Registro Espúrio, que mira fraudes na concessão de registros sindicais. O local tem câmeras de segurança, cujas imagens foram entregues aos agentes. Uma das hipóteses é de eventual invasão por moradores de rua ou usuários de drogas. Segundo funcionários da pasta, esse tipo de ocorrência não é raro em prédios da Esplanada dos Ministérios.

Polícia

12 de Jul // | Polícia

O ex-policial militar Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando Curicica, investigado por suposta ligação com o assassinato da vereadora Marielle Franco, foi denunciado nesta última terça-feira (10), como mandante de outro crime. Segundo o Ministério Público do Rio de Janeiro, ele mandou matar Carlos Alexandre Pereira Maria, o Alexandre Cabeça.

 

Alexandre era assessor informal do vereador Marcello Siciliano (PHS). O parlamentar também foi apontado por uma testemunha como envolvido na morte de Marielle. Alexandre Cabeça foi morto na noite de 8 de abril, 25 dias após a morte de Marielle, na Estrada do Curumau, na Taquara, zona oeste do Rio de Janeiro.

 

A denúncia que acusa Curicica pelo crime foi apresentada pela 23ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal da 1ª Central de Inquéritos e é baseada em relato feito pelo acusado Ruy Ribeiro Bastos, que confessou o assassinato de Alexandre e fez acordo de delação premiada. Ele contou que a ordem do assassinato partiu de Curicica, quando ele ainda estava no presídio Bandeira Stampa, em Bangu (zona oeste) segundo o Estadão.

Polícia

09 de Jul // | Polícia

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, defendeu nesta segunda-feira, 9, a atuação da Polícia Federal no domingo, 8, em meio à confusão de decisões judiciais mandando soltar e manter na prisão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A demora na liberação de Lula após os despachos mandando soltá-lo foram alvo de protestos dos petistas.

 

Questionado se poderia haver algum tipo de responsabilização da Polícia Federal por causa da demora em soltar o ex-presidente, o ministro foi taxativo. “A PF cumpriu estritamente a lei, num momento muito difícil, complicado, de conflito de competências, no Poder Judiciário”, afirmou ele segundo informações do Estadão.

 

O juiz de plantão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região neste fim de semana, Rogério Favreto, concedeu habeas corpus a Lula às 9h14. Às 11h49, o deputado Wadih Damous (PT) protocolou uma petição informando estar na Superintendência da PF com o alvará de soltura. Porém, Lula não foi liberado. Às 12h05 o juiz Sergio Moro disse que Favreto não era competente para tomar tal decisão. Às 12h44, Favreto reiterou a ordem para libertar o ex-presidente.

Polícia

02 de Jul // | Polícia

Um dos integrantes do Baralho do Crime da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, considerado o chefe do tráfico de drogas nos bairros de Itapuã e Mussurunga, foi morto em confronto com a polícia no domingo (1º). A Secretaria afirma que o suspeito reagiu à operação policial e que, durante o confronto, ele acabou sendo baleado.

 

Cláudio chegou a ser socorrido para o Hospital Geral Roberto Santos, mas não resistiu aos ferimentos. De acordo com a SSP, Cláudio Santos Nascimento, conhecido como 'Zinho', foi localizado por equipes das Rondas Especiais (Rondesp/Atlântico) na comunidade do Bate-Facho, que fica no bairro do Imbuí.

 

Foram apreendidos com o suspeito, segundo a Polícia, uma pistola calibre 9mm (uso restrito das Forças Armadas e Polícia Federal), carregador, munições, quatro pedras de crack, uma porção de cocaína, quatro mil embalagens plásticas, duas balanças e R$ 100. Cláudio, que tinha mandado de prisão em aberto, era o Dez de Ouros do Baralho do Crime da SSP. Além do tráfico, ele também era procurado por participações em homicídios e roubos.

Polícia

01 de Jul // | Polícia

Um fugitivo do Presídio Nilton Gonçalves, na cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, foi preso, na sexta-feira (29), no município de Ponta Porã, localizado no Mato Grosso do Sul, que faz fronteira com o Paraguai de acordo com informações da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA).

 

O homem, identificado como Caio Vinícius Fogaça das Neves, é suspeito de, ao menos, oito homicídios na cidade de Guanambi. Os crimes teriam relação com o tráfico de drogas na região. Caio Vinícius havia fugido do presídio no final do ano passado e era procurado pela polícia, que identificou o paradeiro dele no outro estado.

 

Ainda segundo a Secretaria da Segurança, mesmo fora da Bahia, o suspeito chegou a ordenar assassinatos no estado. Conforme a SSP, no momento da prisão, o homem apresentou documentos em nome do irmão para tentar escapar, mas foi descoberto. Além da polícia baiana, policiais do Mato Grosso do Sul também participaram da ação. Caio Vinícius Fogaça das Neves será transferido para a Bahia no próximos dias segundo informações do G1.

Polícia

30 de Jun // | Polícia

Em relatório sobre o inquérito dos Portos enviado ao STF, o delegado da PF Cleyber Malta Lopes afirma que a empresa Argeplan foi utilizada para atender "demandas da vida pública e privada" do presidente Temer. A Argeplan tem entre os sócios João Baptista Lima Filho, o coronel Lima, amigo de longa data do presidente e um dos alvos da investigação.

 

No mesmo documento, o delegado afirma também que o decreto dos Portos, assinado por Temer em maio de 2017, atinge empresas com vínculos financeiros suspeitos com a Argeplan, outras pessoas e empresas que mantêm relação com o grupo político do presidente segundo informações do Estadão.

 

Tanto a Argeplan como o coronel Lima foram alvos da operação Skala. A PF trabalha com a hipótese criminal de que a empresa teria sido utilizada como intermediária de repasses de empresas com negócios no Porto de Santos para o presidente. As afirmações de Malta constam no pedido encaminhado ao ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, no qual o delegado solicitou a prorrogação da investigação por mais 60 dias.

Polícia

29 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal pediu nesta última quinta-feira (28), ao Supremo Tribunal Federal (STF) mais 60 dias para concluir o inquérito que investiga se o presidente Michel Temer favoreceu empresas do setor de portos em troca de propina. Este é o terceiro pedido de prorrogação apresentado pela Polícia Federal nessa investigação.

 

Em maio deste ano, o ministro Luís Roberto Barroso, relator do inquérito, já havia concedido mais prazo, até início de julho, para o fim das investigações. Mas, com a proximidade do fim do prazo, a Polícia Federal argumenta que ainda não conseguiu concluir a apuração e, por isso, pede a nova prorrogação.

 

O inquérito da Polícia Federal foi aberto no ano passado a partir de depoimentos de executivos do grupo J&F que fecharam acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF). A investigação apura se um decreto editado pelo presidente Michel Temer tinha por objetivo beneficar empresas específicas que atuam no porto de Santos em São Paulo. O presidente Temer nega que o decreto tivesse essa finalidade segundo o G1.

Polícia

28 de Jun // | Polícia

O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi levado para a solitária do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, por ter desacatado um agente penitenciário durante uma revista pessoal. O caso ocorreu na noite da última terça-feira (27) e levou o político baiano a ser separado dos demais nove detentos que dividem a cela com ele.

 

Geddel teria se recusado a cumprir uma ordem do agente para que realizar um procedimento de rotina e chegou a ser encaminhado à 30ª Delegacia de Polícia, em São Sebastião, que registrou a ocorrência segundo informações do G1. O ex-ministro está preso no Presídio da Papuda desde setembro do ano passado.

 

Ele é acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução de investigação. A prisão ocorreu após a descoberta das malas de R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador, que seria utilizado como "bunker" pelo ex-ministro. Ele já cumpria prisão domiciliar desde julho do ano passado acusado de tentar obstruir a Justiça em uma investigação sobre desvios de fundos públicos. O castigo pode durar até dez dias.

Polícia

27 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal (PF) investiga novos indícios de pagamentos de propina ao coronel João Baptista Lima Sobrinho, amigo do presidente Michel Temer, referente a contratos do Porto de Santos. No cofre da Argeplan, empresa do coronel, foi encontrada pela PF uma planilha que indicaria o repasse, para Lima, de 17% de um contrato de R$ 50 milhões.

 

O contrato foi entre uma empresa de coleta e incineração de resíduos e a Codesp, administradora do terminal santista. O contrato foi firmado com um consórcio formado pela Transportadora Júlio Simões e a Coletora Pioneira, em 1998, e vigorou por 15 anos. A planilha trazia a inscrição 17% ao lado do nome da J.P. Tecnolimp.

 

A Tecnolimp pertencente ao grupo Julio Simões e que herdou o contrato assinado com a Companhia Docas do Estado de São Paulo. Ainda em 1998, segundo as investigações, o consórcio fez um acordo de acionistas com a Eliland, braço de uma offshore no Uruguai. Segundo a PF, a Eliland ficaria com cerca de R$ 8,5 milhões a título de dividendos, valor que corresponde justamente aos 17% informados na planilha segundo informações do O Globo.

Polícia

21 de Jun // | Polícia

Entre 0h desta quinta-feira (21) e 23h59 da próxima segunda-feira (25), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), na Bahia, realiza a 'Operação São João 2018', quando intensifica a fiscalização nas rodovias que cortam o estado. O objetivo principal é impedir que a elevação do fluxo de veículos possa contribuir para ocorrências de acidentes graves.

 

Além de implementar as ações de policiamento para repressão à criminalidade. No período junino, a Superintendência Regional da Bahia (SRPRF/BA) receberá o incremento de 30 policiais lotados em outras regionais onde o São João não afeta de maneira tão significativa o trânsito quanto na Bahia.

 

Serão policiais rodoviários de oito estados do país. Eles trabalharão integrados aos 495 policiais da Bahia, em escala de revezamento. De acordo com o órgão, o excesso de velocidade é a infração de trânsito mais cometida nas rodovias federias do estado. Sendo assim, a Polícia Rodoviária Federal operará com 11 radares medidores de velocidade portáteis, dispostos ao longo dos pontos com maior probabilidade de ocorrerem acidentes.

Polícia

20 de Jun // | Polícia

Os dois pastores e o vigilante suspeitos de matar a pastora evangélica e professora da Uneb, Marcilene Oliveira Sampaio, e a prima dela, Ana Cristina Sampaio, em janeiro de 2016, tiveram a prisão redecretada na terça-feira (19), em Vitória da Conquista, sudoeste da Bahia. Segundo informações da Polícia Civil um dos suspeitos não foi encontrado.

 

De acordo com informações da polícia, o suspeito de ser o mandante do crime, Edimar da Silva Brito não foi encontrado e é considerado foragido pela polícia. O pastor Fabio de Jesus Santos e o vigilante Adriano Silva dos Santos foram abordados em casa pela Polícia Militar da cidade e levados ao Presídio Nilton Gonçalves.

 

Todos os suspeitos já foram presos em outras oportunidades. Edimar Santos foi solto em junho de 2017. Posteriormente, Fabio e Adriano também conseguiram o direito de cumprir a pena em liberdade. Os corpos de Marcilene e Ana Cristina foram encontrados às margens de uma estrada que liga Vitória da Conquista ao município de Barra do Choça, em 20 de janeiro de 2016. As duas mulheres foram mortas com golpes de pedra, segundo a polícia.

Polícia

19 de Jun // | Polícia

O ex-diretor-geral da Polícia Federal (PF) Leandro Daiello Coimbra acredita que o material apreendido pela PF durante a sua gestão ainda é suficiente para “mais quatro ou cinco anos” de investigações como a Operação Lava Jato. A declaração foi dada em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo. veiculada na segunda-feira (18).

 

Segundo Daiello, as operações “não vão parar”. “Não tem outro jeito. Você vai na empresa e acha uma sala inteirinha com papéis, aí começa a cruzar e vem a operação”, disse ele. Daiello foi o chefe da Polícia Federal por quase sete anos e estava à frente da corporação no início da Lava Jato, em 2014.

 

Aposentado desde novembro de 2017, o ex-delegado Leandro Daiello Coimbra passou a integrar a equipe do escritório Warde Advogados, especialista em fusão e aquisição de empresas. O ex-chefe da Polícia Federal disse que o foco das operações iniciais era investigar a atuação de doleiros, e a Petrobras acabou aparecendo como consequência. “O doleiro hoje é uma lavanderia. Você paga para receber o dinheiro limpo”, afirmou o ex-diretor.

Polícia

19 de Jun // | Polícia

O delegado da Polícia Federal Cleyber Malta Lopes mandou intimar Onofre Jesus Gimenes Secchi no inquérito que apura o pagamento de uma reforma feita na casa de Maristela Temer, filha do presidente Michel Temer, em 2014. Os investigadores querem saber a origem do dinheiro usado na reforma de acordo com o blog de Andreia Sadi.

 

Em depoimento à PF no fim de maio, o arquiteto Luiz Eduardo Visani apontou Onofre como sendo o funcionário da Argeplan encarregado por Maria Rita Fratezi para "coordenar e administrar" funcionários que ele colocou à disposição para finalizar a segunda fase da obra da casa de Maristela Temer.

 

Maria Rita é mulher do coronel aposentado da polícia militar João Baptista Lima Filho, amigo do presidente Michel Temer. Coronel Lima é dono da Argeplan, empresa de engenharia. Ele chegou a ser preso em março, na Operação Skala da Polícia Federal. Onofre é peça-chave na investigação por ser uma pessoa de confiança do coronel Lima. Ele também tem relações com Arlon Vianna, chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo.

Polícia

18 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal pediu documentos sigilosos à Câmara dos Deputados para avançar em uma investigação que apura se um deputado federal violou o sigilo funcional a favor da Odebrecht em uma CPI sobre a Petrobras. O inquérito mira o deputado João Carlos Bacelar (PR) e cita o vice-presidente jurídico da empreiteira, Maurício Ferro.

 

A investigação partiu de depoimentos de executivos do grupo, que se tornaram públicos em 2017. José Carvalho Filho, ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht em Brasília, disse em delação que procurou Bacelar durante a vigência da CPI, em 2015, para conseguir informações sobre sessões secretas da comissão.

 

Em depoimento a procuradores, ele afirmou que Ferro havia pedido "novidades" sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito da Câmara. Segundo Carvalho Filho, após conversa com Bacelar, o deputado providenciou um material. "Ele [Bacelar] pediu que esperasse e, uma hora depois, me entregou um CD", disse em depoimento. O delator afirmou que não abriu esse disco e que o encaminhou a um emissário, que ficou de entregar a Ferro.

Polícia

18 de Jun // | Polícia

Pelo menos 602 brasileiros estão sendo monitorados pela Polícia Federal (PF) por suspeita de envolvimento com grupos terroristas internacionais. Os dados são parte de um documento enviado pela instituição ao Ministério da Justiça, no ano passado – na época, a PF era vinculada à pasta em questão, mas agora é subordinada ao Ministério da Segurança.

 

Segundo informações do jornal O Globo, o relatório reservado da Polícia Federal indica que alguns grupos poderiam estar se envolvendo em crimes comuns a fim de angariar fundos para financiar ações de extremistas no exterior. Isso incluiria delitos como roubos de carros, principalmente em São Paulo.

 

De acordo com a publicação, alguns dos meios pelos quais os suspeitos estão sendo investigados são o Facebook e grupos de WhatsApp. Em alguns casos, a PF também tem utilizado escuta telefônica e infiltração de agentes secretos entre os investigados, como fizeram no âmbito da Operação Hashtag durante a Olimpíada de 2016. Procurado pelo jornal, o ministro da Justiça, Raul Jungmann, reconheceu o risco de atos terroristas.

Polícia

17 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal informou que um dos ingleses que seria dono do barco apreendido com velejadores brasileiros em Cabo Verde, na África, transportando cerca de uma tonelada de cocaína, em agosto de 2017, foi preso na Espanha, nesta sexta-feira (15) Robert James Delbos estava foragido e a prisão dele ocorreu após pedido formulado pela PF.

 

Robert James foi indiciado por tráfico internacional de drogas segundo informações do G1. A Polícia Federal disse que foram expedidos mandados de prisão preventiva pela Justiça Federal, também contra George Eduard Soul, conhecido como George Fox, outro inglês que também é apontado como dono do barco.

 

O barco está no nome de uma terceira pessoa, que não teve o nome divulgado, mas as investigações iniciais apontam que Robert e George também são donos, e portanto, responsáveis pela embarcação. A polícia acredita ainda que os ingleses fazem parte de dois cartéis internacionais de drogas. A Policia Federal declarou ainda o interesse na extradição do preso e que, com essa medida, pode ser possível esclarecer pontos da investigação.

Polícia

15 de Jun // | Polícia

Por trás de uma parede sem reboco no bairro do Nordeste de Amaralina, em Salvador, a polícia descobriu uma casa com pintura e acabamento de luxo que era usada por um dos três criminosos mais procurados do estado. Ele também é apontado como chefe da quadrilha suspeita de ter assassinado há seis dias o cabo da PM, Gustavo Gonzaga da Silva.

 

O imóvel foi localizado na manhã desta sexta-feira (15). De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), as equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Batalhão de Choque e da Superintendência de Inteligência chegaram à casa após denúncias anônimas.

 

O criminoso, identificado como Elias Pinto, não foi encontrado no local. Ele estava preso e foi beneficiado pela saída temporária do Natal e não voltou. Desde então, ele estava escondido no imóvel. Ao lado da porta dos quartos, que ficam no primeiro andar, há um versículo bíblico destacado. "Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, a sombra do onipotente descansará. Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza e nele confiarei".

Polícia

15 de Jun // | Polícia

O presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, Luis Boudens, acredita que a visibilidade da Lava Jato pode contribuir para que representantes da entidade sejam eleitos. Ele reconhece que as investigações de corrupção trouxeram uma exposição positiva, mas ressalta que as pautas dos candidatos não se resumem a isso.

 

"A Lava Jato expôs positivamente a Polícia Federal com essa bandeira de combate à corrupção. Esse é o lado positivo que ajuda a visibilidade da frente, mas a gente não pode parar por aí. Nós temos outras áreas para atuar também: educação, saúde...nós não podemos só ficar no discurso da segurança pública", declarou Boudens.

 

"Tem outros trabalhos que não ganharam tanta evidência como esse de combate á corrupção", comentou em entrevista ao Bahia Notícias. Boudens disse que apesar da Fenapef organizar uma frente de policiais federais que vão disputar a eleição este ano, não há uma orientação específica sobre a qual partido seus representantes devem se filiar e quais pautas eles devem defender. Tem várias ideologias nesse grupo. São correntes diferentes".

Polícia

14 de Jun // | Polícia

Num ato realizado pela Anistia Internacional na porta do prédio do Ministério Publico, no centro do Rio de Janeiro, nesta última quarta-feira (13) para marcar os três meses do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), o pai dela, Antonio Francisco Silva, se disse angustiado com a falta de informações sobre as investigações.

 

A vereadora, quinta mais votada do Rio em 2016, foi morta a tiros de submetralhadora em seu carro, no Estácio, zona central da cidade. O motorista dela, Anderson Gomes, também foi vitimado pelo ataque. "Queremos uma resposta à altura do crime. O silêncio nos deixa muito angustiado. O delegado diz ser necessário. É ineficiência da polícia?"

 

"Todas as informações que recebemos são através da imprensa", lamentou o pai. Marielle era defensora dos direitos humanos, com foco principalmente em mulheres e populações faveladas. A polícia investiga a participação de milicianos no caso, mas não vem divulgando os passos do inquérito. A família de Marielle e representantes da Anistia foram recebidos pelo procurador-geral de Justiça, Eduardo Gussen segundo informações do Estadão.

Polícia

14 de Jun // | Polícia

Sem poder indiciar o presidente Temer em inquérito sobre fraudes na Caixa, a PF atribuiu ao presidente "indícios suficientes" de ação na suposta compra do silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha. Relatório da Operação 'Cui Bono?', dedica um capítulo somente para a suposta compra do silêncio de Cunha e do delator Lúcio Funaro pelo presidente.

 

O emedebista é apenas citado, ele não está entre os indiciados porque detém foro privilegiado. O documento de conclusão do inquérito sobre fraudes no banco público indicia 16 pessoas, entre elas Cunha, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, Funaro e executivos dos grupos Bertin, Constantino – Henrique Constantino, dono da Gol –, Marfrig e J&F.

 

Segundo o relatório, no edifício probatório dos autos do inquérito 4483/STF, da Operação Patmos, foram verificados indícios suficientes de materialidade e autoria atribuível a Michel Miguel Elias Temer Lulia, Presidente da República, no delito previsto no Artigo 2.º, inciso 1, da 12.850/13, por embaraçar investigação de infração penal praticada por organização criminosa.

Polícia

13 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal (PF) concluiu que o ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB-BA) esteve no local apontado como ponto de entrega de propina pelo delator Lúcio Funaro, doleiro e suposto operador financeiro do MDB. A confirmação, segundo a PF, foi possível porque o celular do ex-ministro foi rastreado por antena de telefonia móvel no local.

 

Isso, nas datas e nos horários em que Funaro dizia estar levando malas de dinheiro para Geddel. A reportagem procurou a defesa de Geddel e aguarda resposta. De acordo com a PF, Geddel estava nas proximidades do aeroporto de Salvador onde, segundo Funaro, havia um hangar usado pelo ministro para receber o dinheiro.

 

O rastreamento foi um dos motivos que levaram a a PF a indiciar ex-ministro por corrupção na Operação Cui Bono, que investiga fraudes na liberação de empréstimos da Caixa Econômica Federal. Os investigadores descobriram a localização de Geddel Vieira porque ele usou o celular para fazer ligações, boa parte delas para o deputado cassado Eduardo Cunha (MDB-RJ), que usava Funaro como operador de propinas, segundo as investigações.

Polícia

12 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta terça-feira (12), a segunda fase da Operação Registro Espúrio para aprofundar investigações sobre suposta organização criminosa que teria cometido fraudes na concessão de registros de sindicatos pelo Ministério do Trabalho (MT). O alvo desta fase da operação é a deputada Federal Cristiane Brasil (PTB-RJ).

 

Por meio de sua assessoria, a deputada disse que recebeu os "procedimentos investigativos com surpresa, pois não tem papel nas decisões tomadas pelo Ministério do Trabalho". "Espero que as questões referentes sejam esclarecidas com brevidade e meu nome limpo", disse a parlamentar segundo o G1.

 

A partir do material apreendido na primeira fase da operação, a PF chegou até a deputada. Em análise de conversas de WhatsApp do funcionário do MT Renato Araujo, preso na primeira fase, a PF descobriu que foi a deputada quem o indicou para o cargo de chefia no ministério e quem controlava também a aprovação dos registros sindicais. Esta operação envolve três mandados de busca e apreensão nas residências e no gabinete da deputada em Brasília e no Rio.

Polícia

10 de Jun // | Polícia

Número 2 do Ministério do Trabalho até ser preso na Operação Registro Espúrio, na semana passada, Leonardo Arantes se disse inocente, mas comprometeu o primo Rogério Arantes ao depor pela primeira vez após a prisão e confirmar que recebeu o pedido de "agilizar" o deferimento de um registro sindical que custaria R$ 4 milhões.

 

Ambos são sobrinhos do líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (PTB), também investigado na operação deflagrada no dia 30 de junho, mas alvo apenas de busca e apreensão de documentos. Agora ex-secretário executivo do Ministério do Trabalho, Leonardo admitiu que Rogério lhe pediu "facilitação".

 

A ajuda foi para a liberação do registro do Sindicato das Pequenas e Micro Empresas de Transporte Rodoviário de Veículos Novos do estado de Goiás. O presidente do sindicato, Afonso Rodrigues, tinha recebido um pedido de pagamento de R$ 4 milhões para obter o registro. A propina foi solicitada pela lobista Veruska Peixoto e a negociação teve o aval de Rogério Arantes, que falou em nome do primo Leonardo segundo o Estadão Conteúdo.

Polícia

09 de Jun // | Polícia

Em depoimento à Polícia Federal (PF), um dos fornecedores da reforma na casa da psicóloga Maristela Temer, filha do presidente Temer (MDB), disse que recebeu R$ 950 mil em dinheiro vivo na sede da Argeplan. A empresa é do coronel João Baptista Lima Filho, amigo do presidente e apontado como um de seus intermediários na propina.

 

No depoimento prestado no último dia 29 de maio deste ano a Polícia Federal, Luiz Eduardo Visani relatou ter recebido o montante "em parcelas, diretamente no caixa da empresa", no período entre novembro do ano de 2013 e março de 2015. Os valores, de acordo com ele, eram pagos mensalmente.

 

Já a filha de Michel Temer, que depôs a Polícia Federal no último dia 3 de maio, disse que "somando superficialmente os valores, acredita ter gasto algo em torno de R$ 700 mil reais na obra". Os relatórios da Polícia Federal avaliam que toda a reforma custou R$ 1,2 milhão enquanto Visani avaliou que deve ter custado R$ 1,5 milhão, já que havia outros fornecedores além dele envolvidos no projeto segundo informações da Folha de S. Paulo.

Polícia

07 de Jun // | Polícia

Um laudo da Polícia Federal anexado a uma ação penal em que o ex-presidente Lula é réu cita e-mails enviados pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 2010, ao empresário Marcelo Odebrecht. Nas mensagens, Fernando Henrique pede doações para dois então candidatos tucanos ao Senado, Antero Paes de Barros e Flexa Ribeiro.

 

FHC, que não é investigado na Lava Jato, afirmou que, se houve solicitações, foram "legais". "Posso ter pedido, mas era legal. Não sei se deram e não foi a troco de decisões minhas, pois eu estava fora dos governos", disse ele, que, àépoca, já era presidente de honra do PSDB e não ocupava cargo público.

 

Os outros citados não foram localizados pela reportagem. Na troca de e-mails entre o tucano e o empreiteiro, não há citação a valores. Em um deles, FHC fala em "SOS" para campanha e envia dados bancários. "Recordando nossa conversa no jantar de outro dia, envio-lhe um SOS. O candidato ao Senado pelo PSDB, Antero Paes de Barros, ainda está em segundo lugar, porém a pressão do governismo, ancorada em muitos recursos, está fortíssima".

Polícia

06 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal deflarou na manhã desta quarta-feira (06), uma operação para cumprir dois mandados de busca e apreensão no município de Vera Cruz, na Bahia, visando desarticular esquema criminoso que agia na obtenção fraudulenta de seguro-desemprego do pescador artesanal, também conhecido como seguro-defeso.

 

De acordo com a PF foram identificados pelo menos 42 pessoas que teriam recebido seguro juntamente com outro benefício previdenciário, acarretando um prejuízo estimado aos cofres públicos de R$ 500 mil. O montante total do prejuízo, segundo a PF, será apurado com a análise dos documentos apreendidos nesta terça.

 

"As investigações apontam que a organização criminosa agia desde 2012 e o seu modus operandi consistia na emissão de declarações de pescador falsas a pessoas que não exerciam a profissão, com o intuito de obterem o benefício que funciona como uma assistência concedida aos pescadores profissionais artesanais que, durante o período de proibição de pesca, são obrigados a paralisar as suas atividades para preservação das espécies".

Polícia

06 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal informou ao STF que vê indícios de pagamento de R$ 340 mil mensais ao presidente Temer, no fim da década de 90, por parte de empresas da área portuária, entre elas a Rodrimar, cujos dirigentes são investigados junto com o presidente em inquérito que apura se houve edição de decreto em 2017 para beneficiar empresas em troca de propina.

 

A informação consta no pedido de 69 páginas da PF, do dia 15 de março, para a Operação Skala. O documento ainda está sob sigilo, mas foi obtido pelo blog. A operação foi deflagrada em 29 de março último, com prisões de dois amigos de Temer para prestar esclarecimentos e apreensões de materiais nos endereços dele e das empresas portuárias.

 

O delegado Cleyber Malta cita, no documento, uma planilha que integrava o inquérito 3105, que foi arquivado em 2011 pelo ministro Marco Aurélio. Essa tabela relacionava pagamentos a "MT", que seria Michel Temer, a "MA", que seria Marcelo Azeredo, indicado por Temer para comandar a Companhia Docas de São Paulo – estatal que administra o Porto de Santos, e a "L", que seria Lima, o coronel aposentado da Polícia Militar João Batista de Lima Filho.

Polícia

05 de Jun // | Polícia

A Polícia Federal encontrou extratos bancários que mostram R$ 20,6 milhões em contas de uma empresa do coronel aposentado João Baptista Lima Filho, amigo do presidente Temer. Mais R$ 3,04 milhões estão em uma conta do próprio Lima. A PF investiga a suposta atuação de Lima como um intermediário de propina do presidente da República.

 

Os documentos integram o inquérito que apura se houve pagamento de propina em um decreto do setor portuário, editado pelo governo Temer em maio daquele ano. O dinheiro está em contas correntes e investimentos em nome do coronel (pessoa física), da PDA Projeto e Direção Arquitetônica LTDA e da PDA Administração e Participação LTDA.

 

Não há menção nos papeis sobre a Argeplan, empresa mais conhecida de Lima, dona de diversos contratos milionários com o setor público ao longo dos últimos anos. Uma das planilhas, de abril de 2017, registra o valor de R$ 20,6 milhões em contas da PDA Administração e Participação no Bradesco. Segundo registro na junta comercial de SP, a PDA Administração, constituída em 2011, divide muro com a Argeplan na Vila Madalena.

Polícia

05 de Jun // | Polícia

Equipes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama), com o apoio de agentes da PFl, desencadearam, na manhã desta terça-feira (5), uma operação no Distrito Federal e em 14 estados brasileiros para coibir o tráfico de animais. Até as 7h30, pelo menos duas pessoas tinham sido detidas no Rio e 30 animais apreendidos.

 

Entre os animais havia cobras, lagartos, aranhas e pássaros. Segundo o Ibama, os detidos são pai e filho e o mais novo era o responsável pela venda na internet. Em sete meses de investigação, o instituto conseguiu identificar os nomes de pessoas que vendem animais da fauna natural brasileira pela internet.

 

Eles usavam pseudônimos ou nomes falsos em redes sociais para vender pássaros e répteis como cobra, camaleão e lagarto. Segundo o chefe da divisão técnica do Ibama, Nelson Feitosa, as equipes se dividiram entre quatro endereços para cumprir mandados de busca e apreensão em diferente regiões do Rio de Janeiro. No estado de São Paulo os agentes também cumprem 26 mandados. Além de Brasília, os agentes realizam buscas em 14 estados.

Polícia

05 de Jun // | Polícia

Três homens suspeitos de tráfico de drogas foram presos em flagrante na cidade de Irecê, no norte da Bahia, na segunda-feira (4), após a Polícia Civil deflagrar a Operação São João Limpo. A ação contou com ajuda da cadela policial Singer, que foi a responsável pela localização 132 kg de maconha que estavam enterrados no terreno de uma casa.

 

De acordo com SSP-BA, a casa utilizada pela quadrilha ficava às margens da BA-052, no norte do estado. No local, além da droga achada pela cadela da raça pastor malinois, a polícia ainda encontrou munições de calibre 32, R$ 2 mil em espécie e 3 kg de maconha prensada, que estavam em um dos cômodos do imóvel.

 

Os presos foram identificados como Luiz Antônio Lopes, o 'Lula', Carlos Alberto Jesus dos Santos e Djalma Rodrigues Ribeiro Filho. Eles estavam no imóvel quando os policiais chegaram ao local. De acordo com a SSP, 'Lula', estaria procurando pessoas para vender drogas na região. A secretaria disse ainda que participaram da ação, equipes da 14ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior e do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado.

Polícia

05 de Jun // | Polícia

Suspeita de matar o filho de quatro meses, a adolescente de 16 anos teria assistido a criança se debater no tanque antes de tampar o recipiente e voltar a dormir. A delegada Ana Virgínia Paim, que está à frente do caso na Delegacia do Adolescente Infrator (DAI), contou que o crime foi antecedido por uma discussão entre a jovem e seu namorado.

 

Os dois teriam brigado na noite deste último domingo (3). "Ela falou que foi dormir com raiva, porque o seu companheiro havia pedido para ela sair do computador para ir dormir, já que a criança ia para o pediatra na manhã de segunda-feira", relatou a delegada Ana Virgínia Paim segundo o Correio da Bahia.

 

Então, a adolescente confessou que, por volta das 2h, cometeu o crime. "Ela acordou de madrugada, pegou o bebê dormindo, jogou a criança no tanque e depois ficou olhando ele se debater na água", detalhou a delegada. De acordo com Ana Virgínia, a suspeita chorou, disse estar arrependida, mas demonstra tranquilidade com o ato. Além disso, a delegada afirma que "nada indica que ela tenha algum tipo de transtorno mental" ou faça uso de drogas.

Polícia

04 de Jun // | Polícia

Documentos inéditos da busca e apreensão da Polícia Federal, deflagrada em 29 de março, apontam novas conexões entre empresas do setor de portos na mira das investigações e o coronel João Batista Lima Filho, dono da empresa Argeplan e amigo do presidente Michel Temer. O coronel Lima, preso na operação, nega relação com a empresa Rodrimar.

 

A empresa é investigada no chamado inquérito dos portos sob suspeita de ter se beneficiado de um decreto assinado por Temer em 2017. Em troca, supostamente pagou propina ao presidente, que nega. O blog obteve acesso à íntegra do relatório da PF, que está sob sigilo, referente à busca e apreensão envolvendo alvos da Skala.

 

Entre outras pessoas, a operação levou à prisão amigos de Temer – como Lima – e empresários do setor de portos – como o ex-presidente da Rodrimar. O documento da PF revela que na casa de Carlos Alberto Costa, sócio do coronel, os investigadores encontraram uma bolsa contendo documentos das empresas Rodrimar, Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) e Libra em um depósito/maleiro de acordo com o blog de Andreia Sadi.

Polícia

03 de Jun // | Polícia

O filho de um gerente de um posto de combustível na Paraíba é o principal suspeito de ter planejado um assalto ao estabelecimento, no sábado (26). O crime acabou vitimando Severiano Maciel Ramos, pai do jovem identificado como Herick Ramon Diniz, 25, que foi preso na última sexta-feira (1º), durante a missa de 7º dia do pai.

 

Herick Ramon foi levado para a Central de Polícia Civil, onde foi interrogado na presença do advogado. Segundo informações do delegado Wagner Dorta, o filho de Severino Maciel sabia da presença do pai no posto de combustível e, durante o assalto, ele estava próximo ao local, escondido segundo informações do G1.

 

"Ele confessou na presença do advogado que deu as coordenadas aos suspeitos", declarou Dorta. O inquérito policial demonstra que Herick Ramon e os dois suspeitos de atirarem contra o gerente se comunicaram antes do crime acontecer. Durante interrogatório na Central de Polícia Civil, Herick declarou que o pai, Severino Maciel, sempre foi de reagir a assalto. Herick Ramon está no Presídio do Róger, onde deve passar os próximos 30 dias.

Polícia

03 de Jun // | Polícia

Uma ação conjunta da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme) apreendeu neste sábado (2) mais de mil projéteis de fuzil na Rodovia Washington Luís, na Baixada Fluminense. Durante a abordagem, uma mulher e um homem foram presos por tráfico de drogas e de munição.

 

A Polícia Civil informou que eles foram identificados como William Sebastião Pessoas, de 61 anos, e Jennifer Libiano Gonçalves, de 21 anos. O carregamento seria entregue no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio de Janeiro. O casal estava em um carro de cor prata trafegando no sentido Rio de Janeiro, quando foi abordado pelos agentes.

 

Embaixo do banco traseiro foram encontrados caixas contendo a munição de calibres variados, todos da marca CBC: dez pacotes com projéteis calibre 7.62 e 18 com balas para fuzis 5.56. No total, foram apreendidas 1,5 mil cápsulas. O casal capturado e o material apreendido foram encaminhados para a Desarme, na Cidade da Polícia, na Zona Norte do Rio. A ação faz parte da operação Égide, que reforça o policiamento nas rodovias federais.

Polícia

03 de Jun // | Polícia

Um homem que estava preso pelo estupro de uma menina - um bebê de quatro meses - na região de Santa Maria Eterna, município de Belmonte, sul da Bahia, foi encontrado morto no presídio de Eunápolis, na noite de sexta-feira (1º) segundo informações do G1. Rairone Moura dos Santos, de 47 anos, estava preso desde o dia 23 de fevereiro.

 

A autoria do crime contra ele ainda é desconhecida, e os 17 detentos que estavam com Rairone na cela vão ser interrogados. Na época do crime, o bebê ficou internado por vários dias no hospital, mas já teve alta. Segundo a polícia, Rairone foi encontrado morto após voltar do banho de sol, que acontece normalmente no fim da tarde.

 

Os próprios presos que estavam com ele numa cela especial, para aqueles que respondem por crimes sexuais, chamaram o atendimento médico. Ao ser retirado da cela, ele já estava morto , com escoriações e hematomas pelo corpo. Na época do crime contra a criança, Rairone Moura dos Santos, mais conhecido como Eron, disse à polícia que não se "lembrava de nada". Ele não confessou o estupro e declarou que tinha um relacionamento com a mãe da criança.

Polícia

01 de Jun // | Polícia

A motivação para a execução da vereadora Marielle Franco (PSOL), que culminou também no assassinato do motorista Anderson Gomes, pode ter ligação com a tentativa de regularização fundiária da comunidade Novo Palmares. Desde meados de 2017, a vereadora apoiava os moradores da comunidade, que fica em Vargem Pequena, na Zona Oeste do Rio.

 

Marielle atuava junto à Defensoria Pública, a fim de agilizar a titularidade dos lotes do local. Mas o assentamento é reduto político do vereador Marcelo Siciliano (PHS), apontado como uma das pessoas que tinham interesse na morte da edil – a outra era Orlando Oliveira de Araújo, o ex-policial militar que foi preso acusado de chefiar milícia.

 

De acordo com a publicação, esse conflito de terras na Zona Oeste é uma das principais linhas de investigação seguida pela Delegacia de Homicídios da cidade, que investiga o crime. Em outubro do ano passado, Siciliano indicou à Mesa Diretora da Câmara Municipal que o prefeito Marcelo Crivella deveria implantar uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Centro Municipal de Saúde Novo Palmares segundo informações do O Globo.

Polícia

01 de Jun // | Polícia

Um jovem que foi executado dentro de uma ambulância na BR-242, no trecho urbano de Luis Eduardo Magalhães, oeste da Bahia, era coreógrafo e figurinista da Secretaria de Cultura da Cidade. Tiago Avelino, de 24 anos, estava sendo socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) quando foi assassinado.

 

Minutos antes, tinha sido baleado durante uma ação da polícia que tinha um tio dele como alvo. Segundo parentes do jovem, Tiago pegou uma carona com o tio, Francisco de Assis Dementino, de 29 anos, conhecido como "Francisquinho", e o veículo em que estavam foi abordado por policiais civis e militares.

 

Francisco era suspeito de tráfico de drogas e estava com um mandado de prisão em aberto, mas a família conta que Tiago era inocente. A operação, das polícias Civil e Militar, foi montada para prender Francisco, e a polícia informou que ele reagiu à abordagem quando foi localizado pelos agentes passando de carro, com o sobrinho, pelo bairro Santa Cruz segundo informações do G1. Francisco teria atirado contra os policiais, que revidaram.

Polícia

31 de Mai // | Polícia

O governo comemorou na reunião da manhã desta quinta (31) do grupo criado para avaliar a paralisação dos caminhoneiros a redução para apenas "nove pontos com pequenas aglomerações de pessoas e veículos localizadas em pontos próximos às rodovias federais", que estão sendo monitorados. A informação é da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

 

A PRF também disse não registrar bloqueio do fluxo normal de veículos. No balanço da noite desta quarta-feira, 30, o número de "aglomerações" era de 197. Outro ponto considerado muito positivo pelo governo foi o sucesso na liberação do porto de Santos (SP), depois da intervenção das Forças Armadas no local nesta madrugada.

 

Este era um foco de tensão e a ação foi cuidadosamente planejada porque o governo federal temia confronto no local, pela forte resistência dos trabalhadores do porto e pelo simbolismo desta estratégica área de abastecimento para São Paulo e todo o país. O governo está comemorando também o recuo dos petroleiros, que estão revertendo as mobilizações em todas as refinarias do país nesta quinta-feira segundo informações do Estadão Conteúdo.





Classificados


Enquete



Mais Lidas