Notícias

Saúde

Saúde

20 de Jul // | Saúde

Uma pesquisa feita por cientistas da Escola de Saúde Pública Bloomberg da Universidade Johns Hopkins, nos EUA e publicada nesta semana diz que homens podem se recuperar mais rápido de gripes do que mulheres. Segundo os cientistas, os homens produzem uma proteína fundamental para regenerar os pulmões mais do que as mulheres.

 

Os pesquisadores infectaram camundongos vivos e células de homens e mulheres cultivadas em laboratório com o vírus Influenza, causador da gripe. Eles observaram que as células derivadas de homens produziram mais de uma proteína promotora de crescimento chamada amphiregulin, importante nos processos de cicatrização.

 

Os camundongos machos se recuperaram mais rápido da doença do que as fêmeas. Os cientistas acreditam que a descoberta pode levar ao desenvolvimento de novos tratamentos contra a gripe que elevem a produção de amphiregulin, particularmente nas mulheres. Como se prevenir da gripe? A vacina da gripe é a melhor maneira de evitar a gripe e suas complicações. Todos os anos, é necessário receber uma nova dose. Informações do O Globo.

Saúde

20 de Jul // | Saúde

A Secretaria de Vigilância do Ministério da Saúde informou nesta última quarta-feira (18) que atingiu a meta de vacinar 90% do público-alvo da campanha de vacinação contra gripe. De acordo com o último boletim, 51,4 milhões de pessoas estão imunizadas contra a doença, o que representa 90,2% da população prioritária no país.

 

As regiões Centro-Oeste (99,45%) e Nordeste (94,71%) foram as únicas que ultrapassaram a meta. No entanto, a Bahia registra 89,6% de imunizados, o que corresponde a 3,4 milhões de doses aplicadas. Em todo o país, os grupos de gestantes e crianças continuam com cobertura vacinal contra a gripe de 77,8% e 76,5%, respectivamente.

 

"Temos que continuar avançando, principalmente em gestantes e crianças. Esses públicos ainda podem procurar um posto e vacinar contra a gripe. Lembrem-se que vacinar, é proteger", reforçou a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Carla Domingues. O boletim mostra ainda que, até 16 de julho, foram confirmadas 839 mortes por gripe no país e 4.680 casos. Do total, 2.813 casos e 567 óbitos foram por H1N1.

Saúde

19 de Jul // | Saúde

Após 25 anos de queda, a taxa de mortalidade infantil aumentou 9,2% na Bahia em 2016, comparado ao ano de 2015, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Conforme o órgão, o estado teve 18 óbitos infantis a cada mil nascimentos em 2016. A taxa ficou acima da média nacional, que foi de 14 mortes por cada mil nascimentos no mesmo ano.

 

A partir de 1990, a Bahia, começou a apresentar queda no número de mortes de crianças. Em 1990, o estado registrava taxa de 66 mortes por cada mil nascimentos. Em 2015, a taxa já havia baixado para 16,4. No país inteiro, houve aumento de 4,8% em 2016 com relação a 2015, quando 13,3 mortes foram registradas.

 

O Ministério da Saúde credita a alta mortalidade ao vírus zika e às mudanças socioeconômicas. Dados também mostram que a vacinação em crianças, um importante fator para a redução da mortalidade, atingiu o menor nível em 16 anos. Na Bahia, por exemplo, 63 cidades não chegaram a vacinar, no ano de 2017, nem metade das crianças que compõem o público-alvo da imunização contra a poliomelite (paralisia infantil), que pode lavar à morte.

Saúde

19 de Jul // | Saúde

O Brasil confirmou, até a última terça-feira (17), 677 casos de sarampo em seis estados: Amazonas, Roraima, Rondônia, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. De acordo com boletim do Ministério da Saúde, divulgado nesta quarta-feira (18), há ainda 2.724 casos em investigação. A pasta informou que o país enfrenta atualmente dois surtos de sarampo.

 

No Amazonas, 444 casos confirmados e em Roraima 216, ambos relacionados à importação. "Isso ficou comprovado pelo genótipo do vírus (D8) que foi identificado, que é o mesmo que circula na Venezuela", informa o ministério. Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde o certificado de eliminação da circulação do vírus do sarampo.

 

O atual esforço do Ministério da Saúde é para manutenção do certificado, com a tentativa de interromper os surtos e impedir que se estabeleça a transmissão sustentada da doença, quanto o mesmo surto tem duração acima de 12 meses. A pasta informou que intensificou a vacinação das crianças, público mais suscetível ao sarampo. Ainda assim, adultos não vacinados devem receber a vacina prioritariamente em locais onde há surto da doença.

Saúde

19 de Jul // | Saúde

Depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu a regra que fixa um limite de 40% para exames e consultas em planos de coparticipação e franquia, a Agência Nacional de Saúde Complementar (ANS) falou que vai manter a nova norma. Decisão de Cármen Lúcia é provisória e ainda deverá ser analisada pelo relator do caso no STF e pelo plenário.

 

ANS havia estipulado, em junho, regras que mudavam pagamentos de coparticipação. Ao jornal O Globo, o diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, Rodrigo Aguiar, falou que o papel da agência é equilibrar os interesses do mercado e dos usuários dos planos e que “não é um órgão de defesa do consumidor”.

 

Rodrigo Aguiar afirmou que quer manter o teto de 40% e que só vai mudar o aumento no planos de saúde se houver decisão da Justiça nesse sentido. A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) na última segunda-feira (16), que revogou o teto, atendeu a um pedido do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A norma entraria em vigor no fim de dezembro. Agora, depende da análise do plenário da Suprema Corte.

Saúde

19 de Jul // | Saúde

Um estudo realizado pela Hall and Partners coloca o Brasil em segundo lugar no ranking das nações cujos pacientes relatam maior impacto da psoríase. Em primeiro lugar aparece a Arábia Saudita. A pesquisa foi feita com 2.361 pessoas e revelou que a doença provoca grande impacto negativo na qualidade de vida de 71% dos pacientes brasileiros.

 

A pesquisa ouviu homens e mulheres de 18 a 75 anos em 26 países. No Brasil, 58% dos brasileiros afirmaram que a doença interfere negativamente em suas atividades profissionais. Segundo a pesquisa, 72% dos pacientes brasileiros disseram que sua expectativa com relação ao tratamento foi atingida apenas parcialmente.

 

62% relataram alto impacto da doença na vida social; e 67% desejavam voltar a ter uma vida normal. O coordenador do Ambulatório de Psoríase do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Ricardo Romiti, explicou que a psoríase "é uma inflamação da pele que acomete os braços, o tronco e o couro cabeludo. Pode também começar na infância, ou com mais idade também, mas isso não é o mais comum".

Saúde

18 de Jul // | Saúde

Suplementos alimentares, como cápsulas de vitaminas, ômega 3 e whey protein, vão ganhar novas regras no país a partir de agora segundo informações do Folha Press. As medidas, que compõem um novo marco regulatório para o setor, foram aprovadas nesta última terça-feira (17) pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

 

Até então, não havia uma regulamentação específica para esses produtos, que ficavam dispersos entre as categorias de alimentos e medicamentos. Agora, produtos como vitaminas e minerais, substâncias bioativas e probióticos, suplementos para atletas, entre outros, passam a ter normas únicas no país.

 

Entre as mudanças autorizadas pela Anivsa, está a definição de uma lista com 382 nutrientes e substâncias liberadas para uso nesses produtos, as quais passarão a ter limites mínimos e máximos indicados para uso pré-estabelecidos. Além da composição, outra mudança ocorre na embalagem. Segundo a Anvisa, a ideia é que os rótulos deixem mais claro ao consumidor, ao ver um produto, de que se trata de um suplemento alimentar.

Saúde

16 de Jul // | Saúde

Epidemia do vírus da zika e crise econômica. Essas foram as principais causas para o aumento da taxa de mortalidade infantil no Brasil em 2016, e a tendência é de que o índice de 2017 também se mantenha acima do registrado em 2015. De acordo o Ministério da Saúde, desde 1990 o país apresentava redução anual média de 4,9% da taxa de mortalidade.

 

Ainda segundo levantamento do Ministério da Saúde, a epidemia do vírus da zika foi responsável pela queda de nascimentos (o que traz impacto no cálculo da taxa de mortalidade) e de mortes de bebês por malformações graves As informações foram publicadas na edição desta segunda-feira (16) do jornal Folha de S. Paulo.

 

Já a crise estaria associada às mortes infantis evitáveis, causadas por diarreias e pneumonias, que são influenciadas pela perda de renda, estagnação de programas sociais e cortes na saúde. A taxa de mortalidade de 2016 ficou em 14 óbitos infantis a cada mil nascimentos, um aumento próximo de 5% sobre o ano anterior, retomando índices similares aos dos anos 2014 e 2013. Para 2017, a previsão é que a taxa fique, no mínimo, em 13,6.

Saúde

15 de Jul // | Saúde

Em uma queda de braço com outras entidades, representantes da indústria de alimentos têm aumentado a pressão junto à Anvisa para incluir um modelo próprio de alerta sobre o teor de açúcar, gordura e sódio no rótulos dos produtos. Hoje, as novas regras que mudarão as embalagens são alvo de discussão na Agência de Vigilância Sanitária.

 

O objetivo é ajudar o consumidor a fazer escolhas mais saudáveis e deter o avanço da obesidade no país. Relatório inicial da equipe técnica da Anvisa, no entanto, deu parecer negativo à proposta da indústria, que defende a inclusão de uma espécie de "semáforo nutricional" na frente dos rótulos segundo o Folha Press.

 

Agora, a Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação) pressiona para pôr um modelo próprio de volta na mesa de discussões. Segundo o presidente-executivo da associação, João Dornellas, uma nova proposta foi apresentada nesta semana. O modelo mantém o formato de semáforo, mas passa a trazer frases que indicam alto, médio ou baixo teor de açúcar, sódio e gorduras junto às cores vermelha, amarela e verde com maior destaque.

Saúde

13 de Jul // | Saúde

Mais de 1,9 mil leitos de internação da rede pública foram desativados na Bahia nos últimos oito anos. O estado ocupa o quinto lugar em redução de leitos no levantamento realizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), a partir de dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde do Ministério da Saúde divulgado nesta sexta-feira (13).

 

Em maio de 2010, a Bahia tinha 25,1 mil leitos para uso exclusivo do Sistema Único de Saúde (SUS) segundo o levantamento . O número caiu para 23,2 mil em 2018. O estado apresenta dados melhores que Rio de Janeiro (9,5 mil leitos fechados), São Paulo (7,3 mil), Minas Gerais (4,2 mil) e Goiás (1,9 mil).

 

Entre as capitais, Salvador ocupa posição de destaque positivo. Com um pequeno acréscimo de 314 no período analisado, é a quarta capital em aumento de leitos: 5,2 mil em 2010, contra 5,5 mil em 2018. Apenas Recife (534), Porto Velho (354) e Cuiabá (346) tiveram maior incremento. De acordo com o levantamento divulgado pelo Conselho de Medicina, 22 estados do país e 18 capitais brasileiras perderam leitos nos últimos oito anos.

Saúde

13 de Jul // | Saúde

Desde julho de 2017, o Brasil registrou 415 mortes por febre amarela, informa o último boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde. No boletim anterior, a pasta registrava 409 mortes. No total, 1266 infecções foram confirmadas. O Ministério da Saúde não confirma os casos e os óbitos na mesma hora em que ocorrem.

 

Por isso, os dados divulgados pelo Ministério da Saúde podem ser referentes a períodos anteriores. A pasta informa que 1232 casos estão sendo investigados. A região Sudeste continua registrando o maior número de casos e de mortos -- com apenas um óbito fora da região (Distrito Federal).

 

Isso ocorreu porque antes de 2017 o vírus da febre amarela não circulava na região. Também a vacina contra a doença era destinada a áreas endêmicas -- como a região Norte. Historicamente, o vírus da febre amarela tem um padrão de sazonalidade e costuma atuar entre julho e junho do ano posterior. Por isso, esse é o período escolhido pelo Ministério da Saúde para monitoramento.

Saúde

12 de Jul // | Saúde

Nos últimos 8 anos, mais de 34,2 mil leitos de internação foram desativados. Em maio de 2010, o Brasil tinha 336 mil leitos para uso exclusivo do SUS, número que caiu para 301 mil em 2018, o que representa uma média de 12 leitos fechados por dia. Somente nos últimos dois anos, mais de 8 mil unidades foram desativadas.

 

O levantamento foi feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) a partir de dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde do Ministério da Saúde. As especialidades com a maior quantidade de leitos fechados, em nível nacional, são psiquiatria, pediatria cirúrgica, obstetrícia e cirurgia geral.

 

Para o presidente do CFM, Carlos Vital, o fechamento de leitos aponta para má gestão das verbas do SUS. "A redução de leitos significa a diminuição de acesso a 150 milhões de brasileiros que recorrem ao SUS para atenção a saúde. Sem leitos de internação não há como o profissional médico prestar os seus cuidados ao paciente. Não podemos aceitar que pessoas deixem de ser atendidas por causa de leitos simples de internação", afirmou.

Saúde

11 de Jul // | Saúde

O Brasil teve 62 mortes e 1659 casos de dengue em 2018, segundo o Ministério da Saúde. 136 casos foram considerados graves e 1523 com sinais de alarme. Os dados foram registrados entre 31 de dezembro de 2017 e 9 de junho de 2018. A região centro-oeste apresentou o maior número de casos prováveis de dengue (37,5%).

 

O governo confirmou oito óbitos por chikungunya em 2018 segundo boletim do Ministério da Saúde. Foram 30,251 casos confirmados até junho de 2018. A região Sudeste apresentou o maior número de casos. Já em relação ao vírus da zika, o Ministério da Saúde registra 1674 casos confirmados de infeçcão ajuda pelo vírus.

 

Com a região Sudeste apresentando o maior número de casos. Em adultos, o Ministério da Saúde não registrou nenhum óbito pelo vírus da zika em 2018. Desde 2015, no entanto, a pasta contabiliza 327 mortes de crianças relacionadas ao vírus. Ainda, outras 53 mortes foram classificadas como prováveis. Nelas, não foi possível realizar testes mais precisos. Pé da Serra está entre os municípios do país com maior número de casos de zika.

Saúde

10 de Jul // | Saúde

o total de 417 municípios baianos, apenas 92 deles dispõem, atualmente, de um plano integrado para o manejo do lixo. O número corresponde a cerca de 22% do total de cidades do estado. O resultado integra o Perfil dos Municípios Brasileiros (Munic 2017), elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgado na última quinta-feira (5).

 

No ranking do Perfil de Municípios Brasileiros, a Bahia é o segundo estado com o menor número de cidades que contam com o plano de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O estado fica atrás apenas do Piauí, onde apenas 17,4% das cidades foram contempladas com projetos desta natureza.

 

Sem um plano integrado para o manejo do lixo, as prefeituras não podem se credenciar para receber recursos, financiamentos e incentivos da União para investimentos na área de descarte de resíduos sólidos. A falta de um projeto ambiental que contemple o manejo do lixo resulta, ainda, em impactos ambientais nos municípios, como mudanças nas condições climática externas, como enxurradas e secas, segundo o Instituto Brasileiro de Estatística.

Saúde

10 de Jul // | Saúde

De acordo com dados do Sistema de Informação Hospitalar do governo federal, a Bahia é o estado que lidera o ranking de feridos por fogos de artifício entre os anos de 2008 e 2017, com o total de 1037 casos. O costume de soltar fogos de artifício sem o devido cuidado já levou mais de 5.063 mil pessoas ao hospital no Brasil.

 

Os acidentes costumam acontecer entre os festejos juninos, que em algumas cidades se estendem até julho, dobrando a quantidade de internações por queimaduras. Os números foram concluídos a partir de um levantamento do Conselho Federal de Medicina, em parceria com as Sociedades Brasileiras de Cirurgia da Mão e de Ortopedia.

 

Esta é a primeira vez que as entidades analisam esse tipo de informações referentes a um período de dez anos. De acordo com a Folha, ao longo da última década, 20% das internações ocorreram em municípios baianos. “A liderança da Bahia se justifica pela maior tradição de festejar o São João do que em os outros estados. É a festa mais comemorada por aqui, mais que o Carnaval", afirma o médico Jecé Brandão, do Conselho de Medicina.

Saúde

09 de Jul // | Saúde

Cliente da rede de centros médicos Dr. Consulta, Lais Pincheski, 21, já teve plano de saúde e depois foi para o SUS, mas se decepcionou com a dificuldade de obter atendimento na rede pública. "Em posto de saúde agora só vou para tomar vacina", diz. Pode ser assim no caso dela, mas não é a regra entre pacientes de clínicas de baixo custo.

 

Quando precisam de cirurgias e tratamentos mais complexos e caros, boa parte recorre ao SUS - e, para isso, muitas vezes, tem que refazer todo o caminho de consultas primárias na rede pública. Esse é um dos motivos pelos quais esses estabelecimentos populares deveriam ser alvo de maior regulamentação, segundo avaliação de Mário Scheffer, professor da USP.

 

Como as clínicas não são planos de saúde, não são fiscalizadas pela ANS (agência nacional de saúde suplementar). Uma das poucas regulações sobre o tema é uma resolução recente do Conselho Federal de Medicina, que, entre outras regras, veta promoções como cartões de fidelidade nas clínicas e afirma que só se pode divulgar valores de procedimentos dentro das unidades - o que nem sempre ocorre segundo informações do Folha.

Saúde

08 de Jul // | Saúde

A maçã não cai muito longe da árvore, diz um ditado popular. Pelo menos no que se refere a hábitos saudáveis, isso parece ser verdade. Uma pesquisa publicada nesta última quarta-feira (4) na revista científica BMJ mostra que mães com estilo de vida que não é saudável têm maiores chances de que filhos desenvolvam obesidade.

 

Filhos de mulheres que levavam um estilo de vida saudável tinham um risco 75% menor de desenvolver obesidade, quando comparados aos filhos de mulheres que levavam uma vida mais insalubre. Além disso, quando tanto a mãe quanto a criança ou adolescente levam um estilo de vida saudável a chance de obesidade diminui em 82%.

 

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo verificaram o IMC, a qualidade da dieta, regularidade de exercícios e consumo de álcool e cigarro de 16.945 mulheres, fatores que juntos compunham o estilo de vida da pessoa. Especificamente quanto à dieta, os cientistas se focaram no consumo de vegetais, frutas, nozes, grãos integrais, ácidos graxos poli-insaturados, ácidos graxos ômega 3 de cadeia longa e consumo de carnes vermelha e processadas.

Saúde

07 de Jul // | Saúde

A prescrição de medicamentos genéricos aumentou 65% de 2015 a 2018 no país. Essa versão de remédios foi prescrita em 34% das 115 milhões de receitas médicas emitidas entre fevereiro de 2017 e fevereiro deste ano. Os genéricos representam um ramo impulsionador da economia, além de ampliar o acesso da população à saúde.

 

Atualmente, a gama de medicamentos genéricos disponíveis no mercado é constituída por 6.300 produtos, fabricados por 120 laboratórios diferentes e corresponderam a mais de 70% das 4,3 bilhões unidades produzidas no ano passado de acordo com dados do presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa.

 

De 2014 para 2017, o registro de genéricos na Anvisa aumentou de 146 para 336. Nesse período, a Anvisa recebeu 1.830 pedidos de registro de medicamentos e liberou 1.229 para venda. Em 2016 e 2017 foram analisados padrões de qualidade de fármacos que já estão sendo comercializados no país. Os dados foram apresentados durante a divulgação do balanço de 18 anos do primeiro registro de medicamento genérico no Brasil.

Saúde

06 de Jul // | Saúde

O governo federal anunciou na quinta (5) um plano de eliminação da hepatite C no país até 2030. Entre as medidas, será ampliada a oferta de diagnósticos, disponibilização de mais tratamentos no Sistema Único de Saúde e informar a sociedade a importância de fazer o teste. Este tipo é o mais letal entre as diferentes modalidades da doença.

 

A meta é ofertar anualmente 50 mil terapias entre 2019 e 2024, além de 32 mil tratamentos anuais até 2030. A prioridade será para pessoas portadoras do vírus do HIV, pessoas privadas de liberdade, transsexuais, homossexuais, trabalhadores do sexo, usuários de drogas e pacientes de diálise.

 

A recomendação do Ministério da Saúde se estende também para os pacientes com diabetes, que passaram por transfusão antes de 1992. A hepatite C é uma "doença silenciosa", transmitida por sangue contaminado, ao fazer sexo sem proteção ou pelo compartilhamento de objetos cortantes. O público mais vulnerável são os adultos acima de 40 anos. A Hepatite tipo C é a mais letal da doença, resultando 75% das mortes segundo a Agência Brasil.

Saúde

05 de Jul // | Saúde

Um estudo internacional feito com primatas sugere que muitas mulheres podem ter perdido seus bebês durante a gravidez por causa da zika. A pesquisa revelou que 26% das macacas infectadas com zika no início da gestação tiveram aborto espontâneo ou deram à luz bebês natimortos, mesmo sem apresentarem nenhum sintoma.

 

Segundo os autores, até agora, estudos feitos com humanos só haviam medido o número de abortos em mulheres que apresentavam sintomas da doença. Um deles, realizado no início deste ano, mostrava que 6% das mulheres infectadas e analisadas pelos cientistas abortaram, enquanto 1,6% teve bebês natimortos.

 

O aborto espontâneo ocorre na gravidez quando o bebê é perdido antes de crescer por 20 semanas no útero da gestante. Depois desse período, considera-se como natimorto. De acordo com a autora principal do estudo, Dawn Dudley, do Centro Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin nos Estados Unidos, a conclusão tem importantes implicações para as mulheres grávidas infectadas pelo vírus segundo informações do Estadão Conteúdo.

Saúde

04 de Jul // Gildásio Cavalcante | Saúde

A Anvisa acaba de publicar a aprovação de Epclusa® (sofosbuvir 400mg/velpatasvir 100mg), medicamento da Gilead Sciences para tratamento pangenotípico (genótipos 1 ao 6) e panfibrótico do vírus da hepatite C em adultos. Epclusa® oferece taxas de cura de 98% em apenas 12 semanas de tratamento para todos os perfis de pacientes.

 

"A aprovação do Epclusa® pela Anvisa significa mais um grande passo no tratamento da hepatite C no Brasil, principalmente pela possibilidade de curar todos os genótipos do vírus e todos os pacientes em diferentes fases da doença (desde casos com fibrose leve até cirróticos e transplantados) de forma simples e eficiente com um único comprimido ao dia por apenas 12 semanas, afirma Dra. Anita Campos, Diretora Médica da Gilead.

 

A eficácia de Epclusa® foi avaliada em cinco estudos que incluíram mais de 1200 pacientes com taxas de cura, também chamada de resposta virológica sustentada (RVS global), de 98%. Os estudos também demonstraram resultados em pacientes que se encontravam em diferentes situações, como aqueles que já foram previamente tratados; pessoas com doença hepática avançada, como a cirrose e coinfectados com HIV.

 

O HCV

 

A hepatite C é uma infecção causada pelo vírus da hepatite C (HCV), que possui pelo menos seis tipos (genótipos) distintos e que acomete preferencialmente o fígado, provocando uma inflamação que leva a formação de cicatrizes (fibrose hepática) e que, com o decorrer do tempo e sem um tratamento, pode levar à cirrose e ao câncer de fígado. Além do fígado, outros órgãos também podem ser acometidos.

Saúde

04 de Jul // | Saúde

O Brasil assiste em 2018 ao retorno do sarampo, infecção que já foi considerada "doença comum na infância" décadas antes de ser eliminada do Brasil em meados dos anos 1990. São dois surtos: em Rondônia (200 casos confirmados e 2 mortes) e no Amazonas (263 casos). Quatro casos também foram registrados no Rio de Janeiro e estão sob investigação.

 

Também há notificações de 7 casos no Rio Grande do Sul. O Ministério da Saúde acredita que vá conseguir controlar os surtos, mas ressalta que o aumento das taxas de vacinação é importantíssimo para garantir o controle da doença. Juntamente com o sarampo, o país também está atento à circulação e às baixas coberturas vacinais da poliomielite.

 

O Brasil recebeu o registro de eliminação do sarampo pela OMS em 2016. Recentemente, contudo, novos casos foram introduzidos no Norte do país por uma combinação de não-imunizados brasileiros e infecções vindas da Venezuela. Adultos podem tomar a vacina, gestantes devem evitar, e a doença é altamente contagiosa -- com transmissão similar a da gripe. Confira, abaixo, algumas perguntas e respostas importantes sobre a infecção.

Saúde

04 de Jul // | Saúde

A Bahia é o estado brasileiro com maior risco de retorno da poliomelite (paralisia infantil), segundo informações do Ministério da Saúde. Isso porque, conforme o órgão, 63 cidades do estado não chegaram a vacinar no ano de 2017 nem metade das crianças que compõem o público-alvo da imunização. 312 municípios estão com baixa cobertura no país.

 

O último caso da doença no estado foi registrado no final da década de 80, mas, como o vírus ainda circula no mundo, pode haver o risco de contaminação. Em todo o Brasil, conforme o Ministério da Saúde, 312 municípios estão com baixa cobertura para a vacina contra a poliomelite segundo informações do G1.

 

O município baiano de Ribeira do Pombal, a cerca de 300 km de Salvador, foi o que registrou o menor índice de imunização do país em 2017 em crianças menores de 1 anos. Apenas 0,50% foram vacinadas. A poliomielite é transmitida pelo Poliovírus, que pode estar na água ou alimentos contaminados. O vírus destrói as células da medula espinhal, levando à perda de massa muscular e à paralisia. Atualmente, o poliovírus circula em três países.

Saúde

03 de Jul // | Saúde

Desde novembro de 2015, quando o Ministério da Saúde passou a considerar a relação entre o vírus da zika e anomalias em fetos, o Brasil confirmou 327 mortes de crianças relacionadas ao vírus. Ainda, outras 53 mortes foram classificadas como prováveis segundo o Ministério da Saúde. Nelas, não foi possível realizar testes mais precisos.

 

Dentre as mortes, diz o ministério, estão crianças que primeiramente desenvolveram a anomalia, mas não resistiram com o passar do tempo. No total, a pasta recebeu 1064 notificações de mortes suspeitas ao vírus da zika. O dado é do último boletim epidemiológico sobre más-formações advindas do zika -- a contagem do ministério foi até maio de 2018.

 

Desde 2015, o Brasil confirmou 3124 casos de más-formações dentre 16.028 notificações recebidas. Desse número, 12,8% foram excluídos da amostra e 16,4% permanecem em investigação. Dos casos investigados, diz o Ministério, 7.286 (45,5%) foram descartados, 3.194 (19,9%) foram confirmados, 506 (3,2%) foram classificados como prováveis para relação com infecção congênita durante a gestação e 360 (2,2%) foram inconclusivos.

Saúde

03 de Jul // Ascom | Saúde

Referência em ginecologia na Bahia, o Hospital da Mulher foi representado pelo médico e coordenador de ginecologia da unidade, José Carlos Monteiro, de quarta (27) até este sábado (30), no Congresso da Associação Internacional de Uroginecologia (IUGA) que aconteceu em Viena, na Áustria. “Representar o estado da Bahia e mostrar para o mundo inteiro o que a gente faz no Hospital da Mulher é uma grande honra”, afirma Monteiro.

Na ocasião, o ginecologista ministrou uma palestra sobre as Novas perspectivas no tratamento do prolapso genital, quadro que resulta na perda de sustentação de órgãos como a bexiga, uretra, útero, intestino e reto. “Além de compartilhar conhecimento, um congresso como esse também possibilita que aprendamos novos conceitos e troquemos muitas informações com outros profissionais”, assegura José Carlos Monteiro. A uroginecologia é uma das subespecialidades da ginecologia ofertadas pelo Hospital da Mulher.

Saúde

02 de Jul // | Saúde

Grupo etário que paga as mais altas mensalidades ao contratar um plano de saúde, os idosos são o público que mais cresce entre clientes de convênios médicos no País, principalmente na faixa a partir de 80 anos. Dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar mostram que em dez anos o número de beneficiários com mais de 80 anos saltou 62%.

 

O índice é mais que o triplo do registrado no volume geral de clientes (18%) e superior à taxa de crescimento desse grupo populacional no período - de 55%. A clientela idosa foi a única que cresceu no setor nos últimos três anos, período de crise econômica em que o número de usuários da saúde suplementar caiu no Brasil.

 

O fenômeno, explicado principalmente pelo aumento da longevidade, deve se manter. Em 2030, 20% de todos os clientes de planos serão idosos, segundo projeção feita em estudo inédito do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). Hoje, esse índice é de cerca de 14%. O envelhecimento da população terá como resultado o aumento expressivo dos custos das operadoras e, por consequência, das mensalidades segundo o Estadão.

Saúde

02 de Jul // | Saúde

Uma pesquisa realizada em diversos países pela International Osteoporosis Foundation (IOF) revelou que o Brasil está entre as populações que menos ingerem cálcio do mundo. De acordo com os dados, os brasileiros acima de 20 anos, ingerem apenas 505 mg por dia, o que representa apenas 50% do ideal, que é de 1000 mg de cálcio por dia.

 

O Brasil está no mesmo nível de outros países da América Latina, como Argentina, Bolívia, Colômbia e Equador. Nestes países, o índice de consumo de cálcio varia de 400 mg/dia a 500 mg/dia de cálcio. Das 74 nações cobertas pelo “Mapa do Cálcio”, como o estudo é chamado, a que mais consome o mineral é a Islândia, com 1233 mg/ dia.

 

Já o Nepal aparece como a população com o menor índice de ingestão, com 175 mg/dia. “Com o envelhecimento da população somado ao fato de se consumir pouco cálcio, muito em breve, teremos um cenário alarmante em todo o Brasil. Por isso, é importante que medidas de prevenção sejam tomadas agora. Só assim poderemos minimizar os efeitos a longo do prazo”, alerta o Dr. Cristiano Zerbini, representante da IOF no Brasil.

Saúde

01 de Jul // | Saúde

Um em cada sete novos casos de diabetes é causado pela poluição do ar, de acordo com um estudo da revista Lancet Planetary Health publicado neste último sábado (30), segundo informações do Uol. "A poluição contribuiu ao desenvolvimento de 3,2 milhões de novos casos de diabetes no mundo em 2016, o que representa cerca de 14%".

 

É o que afirmaram os autores do estudo da faculdade de medicina de Washington em Saint-Louis, nos Estados Unidos. "Acreditamos que a poluição reduz a produção de insulina e provoca inflamações, impedindo o corpo de transformar a glicose do sangue em energia", acrescentaram os autores.

 

A estimativa de 14% é baseada em dados médicos de 1,7 milhão de ex-combatentes americanos, acompanhados por oito anos e meio e escolhidos por não terem diabetes no começo da pesquisa. Os pesquisadores estabeleceram um modelo estatístico para ver em que medida a poluição do ar poderia explicar a aparição da doença, levando em conta fatores que favorecem a diabetes, como a obesidade. Níveis de poluição do ar ainda são muito altos.

Saúde

01 de Jul // | Saúde

Buscar ajuda por telefone irá se tornar inteiramente de graça a partir desde domingo (1°). O número do Centro de Valorização da Vida (CVV), órgão sem fins lucrativos dedicado a escutar qualquer pessoa que esteja passando por dificuldades, funcionando como uma prevenção ao suicídio, passará a estar disponível em todo o território nacional.

 

Desde 2017, o telefone já era gratuito a 23 estados brasileiros. As exceções eram Bahia, Maranhão, Pará e Paraná. Para um servidor público e voluntário há 4 anos do serviço, as pessoas procuram a instituição porque precisam desabafar e contar histórias que, muitas vezes, amigos e familiares não aguentam mais ouvir.

 

“Imagina a caminhada que essa pessoa já deve ter feito para pegar o telefone e falar sobre suas angústias para uma pessoa que ela não conhece”, disse Antônio Batista, voluntário há 18 anos, “Falar do seu íntimo não é uma coisa tão simples”, completou ao jornal Folha de S.Paulo. O Centro de Valorização pode ser procurado pelo número 188. Em 2017, o órgão em parceria com o Ministério da Saúde recebeu cerca de 2 milhões de ligações.

Saúde

30 de Jun // | Saúde

O Ministério da Saúde admite haver alto risco de retorno da poliomielite em pelo menos 312 cidades brasileiras. O alerta foi feito na quinta-feira, 28, em uma reunião com secretários estaduais e municipais de saúde. "É uma situação gravíssima", afirmou a coordenadora do Programa de Imunização, Carla Domingues.

 

A Bahia é o estado com a situação mais grave, pois 15% dos municípios imunizaram menos da metade das crianças, quando a recomendação é que a cobertura vacinal seja superior a 95%. Estes municípios baianos estão na lista de maior risco, juntamente com as outras cidades brasieliras que não conseguiram atingir nem 50% da cobertura.

 

"Uma cidade com esses indicadores tem todas as condições de voltar a transmitir a doença em nosso País. Será um desastre para a saúde como um todo." O último caso registrado no Brasil foi em 1990. Quatro anos depois, a Organização Mundial da Saúde declarou a doença erradicada das Américas. O estado do maranhão aparece logo atrás da Bahia, com 14,29% dos municípios que imunizaram menos que 50% das crianças.

Saúde

29 de Jun // | Saúde

O Brasil registrou crescimento de 12% no número de mortes por diabetes entre 2010 e 2016, é o que mostram os dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM). Foram 54.877 mortes em 2010 para 61.398 no ano de 2016. Em todo o período, o país registrou 406.452 mortes de brasileiros que tiveram relação com a doença.

 

Já a quantidade de internações por diabetes sofreu queda: foram 148.384 em 2010; e 135.364 em 2016. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde nesta última quarta-feira (27), quando é celebrado o Dia Nacional de Controle do Diabetes. A pasta também divulgou nesta quarta dados do Vigitel sobre a diabetes.

 

Entre 2006 e 2017, o número de homens que apresentou diagnóstico da doença cresceu 54%. Em 2006, pacientes homens contabilizavam 4,6 do total; em 2017, o número passou para 7,1%, diz a pasta. Já nelas, a diabetes cresceu 28,5% no período, apesar do número de mulheres com a condição ser maior que o número de homens (8,1%). O diabetes é uma condição crônica em que há aumento das taxas de açúcar no sangue (hiperglicemia).

Saúde

28 de Jun // | Saúde

A Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe não atingiu a meta de imunizar, pelo menos, 90% do público-alvo. Gestantes e crianças continuam com o menor índice de vacinação do país, com cobertura 73,2% e 73,4%, respectivamente. São 3,3 milhões de crianças e 574,3 mil de gestantes que deixaram de se proteger contra a doença.

 

No total, 6,8 milhões de pessoas, que fazem parte do grupo prioritário, deixaram de se vacinar durante a campanha, que teve duração de dois meses e terminou na sexta-feira (22), segundo o Ministério da Saúde. Até esta última segunda-feira (25), em todo o país, 86,1% do grupo prioritário havia se vacinado.

 

O público com maior cobertura da vacina contra a gripe é o de professores, com 100,5%, seguido pelas puérperas (98,4%), indígenas (93,6%) e idosos (92,8%). Entre os trabalhadores de saúde, a cobertura de vacinação está em 90,4%. Os municípios que ainda têm vacinas contra a gripe disponíveis podem estender a vacinação também a crianças de cinco a nove anos e adultos de 50 a 59 anos. Ao fim da campanha, a Bahia vacinou 87,4% do público-alvo.

Saúde

27 de Jun // | Saúde

O número de mortos por conta da gripe H1N1 subiu para 27, de acordo com informações da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), divulgado nesta quarta-feira (27). Os dados são referentes até o dia 23 de junho. No último boletim divulgado pelo órgão, eram 26 mortes, com casos contabilizados até o dia 16 de junho.

 

Segundo os dados da Sesab, o número de casos confirmados de H1N1 na Bahia passou de 199 para 206. A última morte foi registrada na cidade de Morro do Chapéu. Até o dia 23 de junho, houve um aumento de 29 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com isso o número passa para 1.326, com 107 óbitos.

 

Dentre esses casos, 277 foram confirmados para influenza (gripe) de acordo com a Sesab. Os casos confirmados de H1N1, até 23 de junho, ocorreram em 51 municípios. Os óbitos foram registrados em 15 deles: Salvador (13); Apuarema (1); Camaçari (1); Feira de Santana (1); Irará (1); Juazeiro (1); Lauro de Freitas (1); Monte Santo (1); Morro do Chapéu (1); Retirolândia (1); Saúde (1); Sapeaçu (1); Serrinha (1); Uruçuca (1) e Vitória da Conquista (1).

Saúde

26 de Jun // | Saúde

Oitenta e nove por cento dos brasileiros classificam a saúde – pública ou privada – como péssima, ruim ou regular. A avaliação é compartilhada por 94% dos que possuem plano de saúde e por 87% dos que dependem do Sistema Único de Saúde (SUS), segundo dados apresentados hoje (26) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

 

A pesquisa Datafolha ouviu 2.087 pessoas – 59% delas residentes no interior. A amostra, composta por homens e mulheres com idade superior a 16 anos, respondeu a um questionário que dispõe ainda sobre a expectativa dos brasileiros sobre a atuação dos próximos governantes e parlamentares em relação à assistência médica.

 

Para os entrevistados, os políticos que vencerem o pleito deste ano devem adotar medidas que combatam a corrupção na área da saúde (26%); reduzam o tempo de espera por consultas, exames, cirurgias e outros procedimentos (18%); aperfeiçoem a fiscalização dos serviços na rede pública (13%); fomentem a construção de mais postos e hospitais (11%); e garantam melhores condições de trabalho e de remuneração para médicos e outros profissionais da área (9%).

Saúde

25 de Jun // | Saúde

Municípios que ainda têm estoque da vacina contra a gripe devem, a partir desta segunda-feira (25), ampliar a indicação da dose para crianças entre 5 e 9 anos e adultos entre 50 e 59 anos, conforme orientação do Ministério da Saúde. A Campanha Nacional de Vacinação foi encerrada pelo Ministério da Saúde na última sexta (22).

 

Do total de 54,4 milhões de pessoas do público-alvo, 45,8 milhões foram imunizadas. O principal alerta da pasta é para a importância da vacinação de crianças – o país já contabiliza 44 mortes de menores de 5 anos por complicações relacionadas à gripe, mais que o dobro do registrado no mesmo período do ano passado (14 óbitos).

 

3,6 milhões de crianças com idade entre 6 meses e menores de 5 anos ainda não foram imunizadas. Este é o grupo prioritário com menor cobertura vacinal (67,7%), seguido pelas gestantes (71%). Os grupos com maior cobertura são professores (98%), puérperas (96,2%), idosos (91%), indígenas (90,5%) e trabalhadores da saúde (88,6%). A Região Sudeste é a que tem menor cobertura vacinal contra a gripe até o momento, com 77,2%.

Saúde

20 de Jun // | Saúde

O câncer de endométrio ocorre em 95% dos casos de cânceres de útero e, em geral, atinge mulheres acima de 55 anos. Sangramento vaginal, dor pélvica e dor na relação sexual são alguns dos sintomas segundo o Estadão. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), são esperados mais de 6 mil casos da doença para 2018 no Brasil.

 

O desenvolvimento do câncer de endométrio causa, em 90% das pacientes, sangramento vaginal. Michelle Samora, oncologista do Centro de Oncologia do Hospital 9 de Julho, de São Paulo, alerta que o mais importante é que a paciente fique atenta aos sinais e entenda que nenhum sangramento deve ser ignorado.

 

Entre os fatores de risco para o câncer de endométrio destacam-se: a menopausa tardia, a primeira menstruação precoce, nunca ter tido filhos, uso de reposição hormonal, obesidade, diabetes e síndrome do ovário policístico. É importante prestar atenção aos sinais do corpo e procurar ajuda médica, em qualquer idade, no caso do aparecimento dos seguintes sintomas: Sangramento vaginal é o principal sintoma de câncer de endométrio.

Saúde

20 de Jun // Ascom | Saúde

O Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ) foi representado, na quinta (14), no XIII Congresso Brasileiro de Ortopedia Pediátrica, em Foz do Iguaçu, no Paraná, pelo médico e coordenador da residência em Ortopedia e Traumatologia da unidade, Carlos Alberto Assunção. O evento, promovido pela Sociedade Brasileira de Ortopedia Pediátrica (SBOP), teve início na quarta-feira (13) e seguiu até o sábado (16).

Durante o congresso, foram debatidos temas que abrangem variabilidade de doenças e tipos de traumas que acometem crianças e adolescentes, como Quadril doloroso na paralisia cerebral, Deficiência congênita do fêmur e Coalisão tarsal, além de Síndrome compartimental, tema apresentado por Assunção durante a mesa redonda com a temática Trauma. De acordo com Carlos Alberto, o HRSAJ foi o único hospital regional da Bahia a participar do Congresso.

Saúde

20 de Jun // | Saúde

O número de mortes provocadas pela gripo H1N1 aumentou para 22 na Bahia. Os dados são referentes ao período que vai de janeiro até o dia 9 de junho e foram divulgados pela Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), nesta terça-feira (19). Até a data, foram notificados 1.231 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com 93 óbitos no estado.

 

Dentre esses casos, 241 foram confirmados para Influenza, sendo 181 do subtipo A H1N1. Vinte e dois dos casos acabaram em óbito. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado, no mesmo período, no ano passado, 327 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave foram notificados, com 426 óbitos.

 

Entre eles, 25 foram confirmados como Influenza e dois deles de Influenza A H1N1 e nenhum óbito por A H1N1 foi verificado. De acordo com o G1, 49 municípios confirmaram casos de H1N1, com mortes registradas em 11 deles. A maior parte foi verificada em Salvador (12). Os outros municípios foram Apuarema (1); Camaçari (1); Irará (1); Lauro de Freitas (1); Retirolândia (1); Saúde (1); Sapeaçu (1); Serrinha (1); Uruçuca (1) e Vitória da Conquista (1).

Saúde

19 de Jun // | Saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu classificar a compulsividade por videogames como uma nova condição de saúde mental. Avaliada desde 2014, a decisão está incluída na nova Classificação Internacional de Doenças (CID). A definição para "gaming disorder" (transtorno de jogo) tem o objetivo de orientar a identificação do problema.

 

De acordo com o diretor do Departamento de Saúde Mental da OMS, Shekhar Saxena, há demanda para tratamento do transtorno. A porta-voz da British Psychological Society, Joan Havey, alertou que a nova classificação pode levar a preocupações desnecessárias entre os pais. Por outro lado, outros pesquisadores consideram a decisão pertinente.

 

"Nós lidamos com pais que estão preocupados, não só porque eles estão vendo as suas crianças largarem a escola, mas porque eles estão vendo toda a estrutura familiar colapsar", afirmou Henrietta Bowden-Jones, da Britain's Royal College of Psychiatrists. Para o diagnóstico do vício em videogame, a OMS diz que é necessário haver um comportamento com consequências sobre as "atividades pessoais, familiares, sociais, educativas ou profissionais".

Saúde

19 de Jun // | Saúde

OMS (Organização Mundial da Saúde) retirou a transexualidade da lista de doenças mentais na nova versão da Classificação Internacional de Doenças, a CID-11, divulgada na segunda-feira (18). A transexualidade, porém, continua na CID, como incongruência de gênero, dentro da categoria de condições relativas à saúde sexual.

 

Segundo a OMS, há claras evidências científicas de que não se trata de doença mental, mas os cuidados de saúde a essa população podem ser oferecidos de forma melhor se a condição estiver dentro da Classificação Internacional de Doenças. A mudança, diz a organização, pode ajudar a reduzir o estigma.

 

A incongruência de gênero é caracterizada pela incompatibilidade marcada e persistente entre o gênero vivido por uma pessoa e o gênero atribuído a ela. A lista orienta e padroniza a classificação de doenças em todo o mundo, é peça fundamental para as estatísticas de saúde e, em muitos países, é também a base para a oferta de tratamentos por planos de saúde. Sua última versão, o CID-10, é de 1990 segundo informações do Folhapress.





Classificados


Enquete



Mais Lidas