Notícias

Saúde

Saúde

26 de Jun // | Saúde

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está elaborando regulamentação que trata sobre os requisitos mínimos para o funcionamento dos serviços de vacinação no país. A norma já passou por consulta pública e, se aprovada, permitirá que farmácias apliquem vacinas. Entretanto, entidades médicas temem que a resolução possa precarizar o serviço de vacinação e colocar em risco a população.

 

Segundo a Anvisa, a permissão para farmácias disporem de vacinas está prevista na Lei nº 13.021/2014, que trata sobre o exercício e a fiscalização das atividades farmacêuticas, e, com ela, a regulamentação vigente sobre o controle sanitário para estabelecimentos privados de vacinação, se tornou insuficiente para farmácias e drogarias.

 

“A fim de diminuir o risco da população brasileira frente ao possível uso e administração inadequados de um medicamento tão peculiar quanto a vacina, principalmente em estabelecimentos que não têm um histórico antigo na prática da vacinação, a Anvisa propõe norma sanitária com requisitos mínimos para a prestação dos serviços de vacinação”, diz a Anvisa, na justificativa da proposta. Atualmente, além da rede pública, somente clínicas de vacinação podem oferecer o serviço.

Saúde

26 de Jun // | Saúde

O onselho Regional de Medicina (CRM) de Alagoas informou nesta segunda-feira (26) que vai solicitar à Polícia Federal (PF) cópia do inquérito sobre o grupo que dava diagnósticos falsos de glaucoma para fraudar recursos da saúde. O presidente do Conselho, Fernando Pedrosa, disse que os médicos envolvidos no esquema podem ter o registro profissional cassado.


Quatro suspeitos foram presos em uma operação deflagrada no dia 13 deste mês e liberados dias depois. Entre eles está o médico André Born, que já foi secretário adjunto da Saúde em Maceió e ocupou cargos no Ministério da Saúde em 2016. Os nomes dos outros não foram divulgados. As investigações apontam que a quadrilha agia, além de Alagoas, na Bahia, em Sergipe e Goiás e desviou em torno de R$ 30 milhões da saúde pública.

 

O paciente recebia um diagnóstico falso de glaucoma e era orientado a usar colírios. “Nós precisamos que a Polícia Federam nos envie o inquérito policial porque a apuração desse fato foi por eles e nós não temos a competência de fazer a investigação. Dependemos que eles nos encaminhem o inquérito completo”, disse. Pedrosa falou que é preciso ter provas para poder avaliar a situação dos profissionais.

Saúde

25 de Jun // | Saúde

Todas as compras de medicamentos realizadas no país para o abastecimento do Sistema único de Saúde (SUS) terão seus preços registrados em sistema online. A resolução, publicada no Diário Oficial da União, vale para o Ministério da Saúde, estados, municípios e Distrito Federal que, agora, passam a alimentar de forma obrigatória o Banco de Preços em Saúde (BPS).

 

A ferramenta online é gratuita e de acesso aberto ao público desenvolvida pelo governo federal. "É uma ferramenta que possibilita ampliar o nível de negociação entre os gestores e fornecedores na compra de medicamentos, isso significa expandir o acesso, reduzir custos e otimizar os gastos com saúde, dando possibilidade ao gestor de até cancelar uma concorrência, quando se perceber que não está sendo feita a melhor compra", afirmou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

O sistema é destinado ao registro e a consulta de informações de compras de medicamentos e produtos para a saúde adquiridos no âmbito do SUS. Segundo o ministério, gradualmente, outros produtos, além dos medicamentos, também terão seu registro obrigatório no BPS. A medida foi pactuada na Comissão Intergestores Tripartite, que reúne gestores de saúde dos estados, municípios e União.

Saúde

24 de Jun // | Saúde

O presidente da República em exercício, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sancionou nesta última sexta-feira (23) a lei que libera a prescrição, manipulação e venda de sibutramina, anfepramona, femproporex e mazindol, substâncias usadas para inibir o apetite. A informação é da Casa Civil. A venda desses medicamentos estavam suspensos desde 2011.


Na última terça (20), a Câmara dos Deputados havia aprovado o projeto que libera a venda desses medicamentos, sob prescrição médica do tipo B2 (receita de cor azul usada para substâncias psicotrópicas anorexígenas). Após a Casa Civil informar a sanção da lei, o presidente em exercício publicou uma mensagem no Facebook para comunicar a decisão.


"Tomei a decisão após ouvir diversas entidades médicas e receber um parecer favorável do próprio Conselho Federal de Medicina. Entendo o drama de milhares de brasileiros que têm níveis perigosos de obesidade e precisam ser levados a sério, e com responsabilidade, tendo acesso a um tratamento médico controlado", publicou Rodrigo Maia na rede social. Nesta sexta, o Conselho Federal de Medicina (CFM) enviou um ofício a Rodrigo Maia no qual manifestou apoio à sanção da lei.

Saúde

22 de Jun // | Saúde

A grande aposta do Ministério da Saúde para incentivar a vacinação contra HPV é a parceria com o Ministério da Educação, que permite ações nas escolas. Embora tenha sido anunciada antes da divulgação da campanha do HPV, a estratégia por enquanto não vingou. Neste ano foram vacinados 16,5% dos meninos entre 12 e 13 anos.

 

A taxa de cobertura entre meninas entre 2014 e maio deste ano é de 45,1%, bem abaixo da meta, que é imunizar 80% do público-alvo. O Ministério da Saúde disse não ter números sobre quantos municípios e Estados atenderam ao chamado. "Tivemos experiências bem sucedidas, como no Estado de Santa Catarina e na cidade de Niterói. O ideal é que isso seja repetido em outros locais".

 

A afirmação é da coordenadora do Programa Nacional de Imunização, Carla Domingues. Ela diz não haver um motivo único para que a adesão de escolas à iniciativa ainda não esteja em níveis considerados ideais. Ela observa, porém, que campanhas nas escolas exigem uma preparação especial. Ao mesmo tempo em que a adesão é baixa, os estoques de vacina continuam altos e parte dela pode vencer em pouco tempo.

Saúde

21 de Jun // | Saúde

O Brasil registrou, em quase seis anos, um aumento de 74% no consumo de antidepressivos. De acordo com pesquisa inédita desenvolvida pela SulAmérica, em 2010 foram adquiridas 35.453 unidades. Já nos 12 meses anteriores a julho de 2016, o número saltou para 61.859.

 

O levantamento avaliou os hábitos dos segurados que utilizam o programa de descontos em medicamentos oferecido aos clientes de planos de saúde e odontológicos da companhia. Os antidepressivos ocupam a segunda colocação na lista de medicamentos para os tratamentos das desordens do sistema nervoso, representando 6% do total das vendas nessa categoria.

 

Há predominância de utilização na faixa etária de 50 a 59 anos (mais de 15 mil unidades em 12 meses) e entre mulheres (mais de 38 mil unidades em 12 meses). A comercialização de ansiolíticos também apresentou elevação, passando de 17.197 unidades em 2010 para 36.179 nos doze meses anteriores a julho de 2016. Os remédios mais adquiridos, no entanto, ainda são os analgésicos, com cerca de 10% do total.

Saúde

20 de Jun // | Saúde

O Ministério da Saúde anunciou nesta terça (20) a ampliação na oferta de vacina contra HPV para meninos com idade de 11 a 15 anos incompletos. Atualmente, o imunizante já é oferecido para meninos de 12 a 13 anos. De acordo com a pasta, a medida inclui 3,3 milhões de adolescentes. A meta para 2017 é vacinar 80% dos 7,1 milhões de meninos de 11 a 15 anos e das 4,3 milhões de meninas entre 9 e 15 anos.

 

"Nós temos que cuidar da imunização das nossas crianças, porque as estatísticas e estudos internacionais demonstram que, de fato, a vacina ajuda a reduzir os casos de câncer [genital] nessas pessoas imunizadas. Então, é mobilizar a sociedade e imunizar as pessoas", afirmou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

 

A nova oferta também incluirá, segundo a Agência Brasil, a cobertura de homens e mulheres transplantados e pacientes oncológicos em uso de quimioterapia e radioterapia. A medida inclui ainda cerca de 200 mil crianças e jovens, de ambos os sexos, de 9 a 26 anos vivendo com HIV/Aids. Desde 2014, foram imunizadas 5,3 milhões de meninas de 9 a 15 anos com as duas doses da vacina contra o vírus HPV. Esse total corresponde a 45,1% do total dessa faixa etária.

Saúde

19 de Jun // | Saúde

Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) desenvolveram uma vacina que combate o vício em cocaína e crack, e dizem que já conseguiram comprovar, em animais, a eficácia do produto. Por falta de verba, no entanto, a equipe envolvida afirma que não consegue avançar os testes em humanos. Ela precisa de R$ 300 mil para continuar com os estudos.

 

Um dos responsáveis pela pesquisa, o professor Frederico Garcia, que é coordenador do Centro Regional de Referência em Drogas da UFMG, explicou ao GLOBO que a substância consiste numa molécula que estimula a produção de anticorpos contra a droga e impede que ela produza o efeito do prazer no cérebro. Segundo Garcia, os testes da vacina em animais terminaram há quase seis meses e foram "promissores".

 

"Estamos trabalhando na biossegurança, que é avaliar se a molécula não trará nenhum dano ao passar para seres humanos. Já entramos com pedido de patente e, neste exato momento, pleiteamos financiamento para a chamada fase um, com pacientes, mas infelizmente não há recursos", lamenta Garcia. Nesta fase um será testada a segurança do produto em cerca de 60 pacientes, por aproximadamente seis meses.

Saúde

18 de Jun // | Saúde

Um relatório publicado recentemente pela Associação Cardíaca Americana indica que, apesar de ser propagado como opção saudável, o óleo de coco tem efeitos semelhantes às gorduras derivadas de animais. De acordo com informações da Folha de S. Paulo, os cientistas explicam que o óleo de coco é composto de gordura saturada e, portanto, pode aumentar o LDL, chamado colesterol ruim.

 

Segundo os dados levantados pela associação americana, 82% da gordura no óleo de coco é saturada, numero maior que o da manteiga (63%), da gordura bovina (50%) e da banha de porco (39%). "Como o óleo de coco aumenta o colesterol LDL, causa de doenças cardiovasculares, e não tem efeitos favoráveis que compensem isso, advertimos contra seu consumo", diz o relatório.

 

A instituição orienta que as pessoas limitem a quantidade das gorduras saturadas ingeridas, optando por óleos vegetais não saturados, a exemplo do azeite de oliva e do óleo de girassol. Alguns especialistas pontuam, no entanto, que a mistura de outras gorduras no óleo de coco pode ser uma opção saudável, embora a Associação Cardíaca Americana afirme que não existe evidências que comprovem tal conclusão.

Saúde

16 de Jun // | Saúde

Pesquisadores sobre o câncer têm apostado na imunoterapia para combater tumores no corpo humano. A novidade é que a meditação e a criação de um aplicativo para tablets têm contribuído no tratamento da doença, pois têm o objetivo de melhorar a imunidade do paciente através de estratégias que reduzem o estresse. De 129 pacientes diagnosticados com a doença, 75% tinha elevado nível de estresse.

 

A depender do nível, tal sintoma pode afetar a tolerância ao tratamento, como radioterapia e quimioterapia. Estudiosos apresentaram no congresso científico de câncer do mundo, que acontece em Chicago, pesquisas apontando a interferência do estresse no tratamento. Viviane Hess, médica do Hospital Universitário de Basel, na Suíça, desenvolveu um programa chamado de Stream.

 

Os participantes do programa aprendem métodos de relaxamento e técnicas de meditação por módulos disponíveis na internet. O diretor de oncologia psiquiátrica do Hospital Geral de Massachusetts, Joseph Greer, também investiu em tecnológica virtual como alternativa para os pacientes, criando um aplicativo para tablets com o objetivo de controlar a ansiedade em pacientes com câncer avançado, segundo a Folha de S. Paulo.

Saúde

15 de Jun // | Saúde

Cientistas da Universidade Federal do Rio descobriram um caminho para diagnóstico e tratamento do mal de Alzheimer. A estratégia conseguiu deter o processo de perda de funções do cérebro, na fase inicial da doença. Os pesquisadores conseguiram restabelecer a comunicação de sinais nervosos interrompida, restaurando, dessa forma, a memória.

 

O alvo do estudo, realizado com animais, foram células do cérebro chamadas astrócitos, considerados secundários há alguns anos. No entanto, sem eles, as mensagens químicas que permitem o comando do organismo pelo cérebro não seriam enviadas, segundo informações do jornal O Globo.

 

"O que descobrimos não significa a cura, mas uma estratégia para conter o avanço da doença. Também pode ser um indicador do Alzheimer, quando as perdas de função cognitiva ainda não são evidentes", afirmou a coordenadora do estudo, Flavia Alcântara Gomes, do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ICB/UFRJ).

Saúde

15 de Jun // | Saúde

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, assinou na terça-feira (13) um novo acordo com a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação (Abia) com o objetivo de melhorar o perfil nutricional dos alimentos industrializados. O brasileiro ingere cerca de 12 gramas de sódio por dia, mais que o dobro do máximo sugerido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 5 gramas.

 

De acordo com o Ministério da Saúde, a meta é retirar, voluntariamente, 28,5 toneladas de sódio da alimentação. A parceria tem duração de cinco anos (2017-2022). A primeira categoria a reduzir sódio em sua composição no novo acordo envolve pães, bisnaguinhas e massas instantâneas, com metas para 2017, 2018 e, no caso dos pães, até 2020.

 

"Existe, hoje, a necessidade de ajustar os hábitos alimentares dos brasileiros para prevenir a obesidade e doenças como diabetes e hipertensão. Também é fundamental incentivar a atividade física para o brasileiro ter uma vida mais saudável. Esse acordo é uma das medidas que ajuda nesse desafio", afirmou Barros. Em 2011, quatro fatias de pão por dia representavam 40% da quantidade de sódio diária (796 mg).

Saúde

14 de Jun // | Saúde

O Ministério da Saúde irá estender a oferta da vacina contra HPV para meninos de 11 a 14 anos a partir deste mês. Até então, a vacina era ofertada apenas para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 12 a 13 anos, além de homens e mulheres entre 9 a 26 anos com HIV e Aids.

 

A medida, que consta de documento da pasta enviado às secretarias estaduais de saúde e obtido pela Folha, representa uma alteração no cronograma da oferta da vacina contra o HPV.  Anunciada em outubro de 2016, a extensão da oferta também para meninos previa diferentes etapas de ampliação.

 

Na primeira delas, neste ano, a vacina seria ofertada apenas para meninos de 12 e 13 anos. Em 2018, seria estendida também para meninos de 11 a 12 anos, seguida por meninos de 10 e 11 no ano seguinte e de 9 a 10 anos a partir de 2020. Não havia, no entanto, previsão de ofertar a vacina também para meninos de 14 anos.  Agora, a vacina passa a ser ofertada já neste ano para todos os meninos de 11 a 14 anos.

Saúde

13 de Jun // | Saúde

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, afirmou que quer proibir a venda de refil para refrigerantes em redes fast food do país. O anúncio foi feito nesta terça-feira (13) durante a assinatura de um acordo com as indústrias de alimentos para reduzir a quantidade de sódio e açúcar nos produtos. Segundo ele, este modelo de venda aumenta em 30% o consumo de refrigerantes.

 

Uma lata de 350ml do líquido tem, em média, 25mg de sódio. As versões light e diet costumam conter quantidades ainda maiores. De acordo com a Pesquisa de Orçamentos Familiares divulgada pelo ministério, o brasileiro consome 2,4 vezes mais sódio que o recomendado pela OMS, que é 5g por dia. A meta do governo federal é retirar um total de 28,5 mil toneladas da substância dos alimentos industrializados até 2020.

 

Por enquanto, o foco é reduzir o sódio em pães, bisnaguinhas e massas instantâneas. Para reduzir o consumo, Barros apontou outras medidas consideradas inéditas no Brasil. Entre elas, a inclusão de dosadores em sachês de sal, com indicação das porções recomendadas para certos alimentos, e até a futura retirada dos saleiros das mesas de restaurantes e lanchonetes do país.

Saúde

13 de Jun // | Saúde

A campanha nacional de vacinação contra a gripe imunizou 2,9 milhões de pessoas na Bahia. Esse total considera todos os grupos com indicação para a vacina, incluindo população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades, além da população que não faz parte de nenhum desses públicos prioritários.

 

De acordo com dados do Ministério da Saúde, o público-alvo da vacinação no estado, que não considera esses grupos, é de 3 milhões. Desse total, 87,9% receberam a vacina. O índice é maior do que o registrado em todo o país, de 82,5%. No Brasil, 46 milhões de pessoas foram imunizadas.

 

A 19ª Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza terminou na última sexta-feira (9), após ser prorrogada em duas semanas. A transmissão dos vírus influenza acontece por meio do contato com secreções das vias respiratórias, eliminadas pela pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar. Também ocorre por meio das mãos e objetos contaminados, quando entram em contato com mucosas (boca, olhos, nariz).

Saúde

12 de Jun // | Saúde

A proposta do ministro da Saúde, Ricardo Barros, para a criação de um consórcio responsável pela produção de hemoderivados no Brasil implicaria numa mudança radical do conturbado - e milionário - mercado de sangue do país. A Hemobrás, estatal criada pelo governo em 2004 para explorar a atividade, iniciou em 2010 a construção de uma fábrica em Goiana (PE).

 

Desde então, R$ 820 milhões foram desembolsados, duas inaugurações realizadas e nenhum hemoderivado produzido. Nesses anos, foram várias as denúncias de corrupção, superfaturamento e erros envolvendo os projetos de construção do complexo. Inicialmente, o projeto previa apenas a produção de hemoderivados com base no fracionamento do plasma.

 

Um acordo foi firmado com a empresa francesa LFB para transferência de tecnologia de produção. Pelo trato, o plasma brasileiro era enviado para a empresa francesa, que se encarregava de processá-lo e enviá-lo para o País. Problemas na qualidade dos serviços da empresa estrangeira interromperam a estratégia. O processamento foi suspenso e uma alternativa para a transferência de tecnologia está em avaliação. Há cinco anos, a Hemobrás firmou outra parceria, com a empresa Shire, desta vez para a produção do fator VIII recombinante.

Saúde

12 de Jun // | Saúde

Consumir pequenas doses de álcool durante a gestação não é suficiente para causar má-formação em bebês, mas pode mudar um pouco o formato dos lábios superiores, nariz e olhos do foto. As mudanças foram publicadas no periódico Jama Pedriatrics. Desde 1973, pesquisas indicam que crianças expostas a grandes doses de álcool durante a gravidez estão sujeitas a problemas no desenvolvimento físico e mental.

 

Na medicina, eles são chamados de “desordens do espectro alcoólico fetal”, e são preocupantes em vários países: na África do Sul, por exemplo, até 9% das futuras mães bebem o suficiente para causar problemas para seus filhos. Mas não havia certeza do efeito do álcool em pequenas doses, como um gole de álcool.

 

Diante disso, um grupo de pesquisadores liderados pela pediatra australiana Jane Halliday acompanhou a gestação de 1570 mulheres, 27% das quais consumiram pelo menos um pouco de álcool ao longo dos nove meses. Depois, quando os bebês já tinham um ano de idade, 415 deles foram fotografados por câmeras montadas em diversos ângulos. Um programa de computador criou modelos tridimensionais a partir das imagens, que foram levados para análise.

Saúde

08 de Jun // | Saúde

Quem ainda não se vacinou contra a gripe tem até esta sexta-feira (9) para procurar os postos de saúde e garantir a imunização. Nesta última semana, o Ministério da Saúde estendeu a vacinação a toda população, pois ainda havia um estoque de 10 milhões de doses disponíveis.

 

Prevista inicialmente para terminar em 26 de maio, a campanha já tinha sido prorrogada com o intuito de alcançar a meta de vacinação para o grupo de risco que, neste ano, é de 90%. Segundo o último balanço, divulgado na sexta-feira (2), 76,7% do público-alvo havia sido vacinado, de um total de 54,2 milhões de pessoas.

 

Fazem parte do grupo de risco, crianças de 6 meses a menores de 5 anos; pessoas com 60 anos ou mais; trabalhadores da área de saúde; indígenas; gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; e pessoas com doenças crônicas não transmissíveis ou com outras condições clínicas especiais, além de professores. O ministério alerta sobre a importância do público-alvo se imunizar para evitar a gripe e seus possíveis agravamentos.

Saúde

08 de Jun // | Saúde

O Ministério da Saúde planeja fechar, até agosto deste ano, todas as unidades próprias do Farmácia Popular, programa que oferta medicamentos gratuitos ou com descontos de até 90% para a população. O cronograma foi divulgado pela pasta na terça-feira (6). O encerramento das unidades próprias, porém, já havia sido definido em março deste ano.

 

Ao todo, 367 unidades do Farmácia Popular que hoje ainda estão em funcionamento, custeadas pela União, deixarão de receber recursos. O número de unidades, porém, já começou a ter redução. Em março, havia 393. A ideia é que, até julho, 95% já estejam fechadas. Prefeituras, no entanto, podem optar por manter as unidades, desde que com recursos próprios -o governo federal já informou que não irá mantê-las.

 

O Farmácia Popular foi criado em 2004, na gestão do então presidente Luís Inácio Lula da Silva. Dois anos depois, foi criado o Aqui tem Farmácia Popular, braço do programa em farmácias privadas -hoje são 34.543 farmácias credenciadas, distribuídas em 4.487 municípios. A medida, assim, põe fim a um dos eixos do programa -a oferta de descontos e medicamentos gratuitos nas farmácias credenciadas ao Aqui Tem Farmácia Popular, porém, continua mantida.

Saúde

08 de Jun // | Saúde

Pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon, nos EUA, descobriram que um divórcio conflituoso pode prejudicar a saúde dos filhos por décadas. Foram avaliados 201 adultos saudáveis, que concordaram em ser colocados em quarentena, expostos a um vírus que causa o resfriado comum e monitorados por cinco dias.

 

Os cientistas observaram, segundo o jornal O Globo, que aqueles cujos pais se separaram e não se falaram durante anos eram três vezes mais propensos a adoecer, quando comparado àqueles cujos pais permaneceram em contato mesmo após o divórcio. Foi apontado que o maior risco de contrair doenças está relacionado a uma inflamação aumentada em resposta a uma infecção viral.

 

"As experiências estressantes no início da vida fazem algo com a nossa fisiologia e processos inflamatórios que aumenta o risco de uma saúde mais fraca e doenças crônicas", afirmou Michael Murphy, associado de pesquisa de pós-doutorado em psicologia. "Este trabalho é um avanço na nossa compreensão de como o estresse familiar durante a infância pode influenciar a susceptibilidade de uma criança a doenças 20-40 anos depois", acrescentou.

Saúde

07 de Jun // | Saúde

O Brasil registrou queda na adesão a vacinas, inclusive aquelas obrigatórias para crianças e disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS). Em 2016, a imunização contra a poliomielite atingiu 84% da cobertura, quando a meta era imunizar 95% do público-alvo. Foi o menor índice da última década.

 

Para o Ministério da Saúde, a baixa adesão está relacionada à erradicação da doença, alcançada na década de 1990. "A população começa a achar que não precisa mais vacinar e não completa o esquema. Leva o filho para tomar a primeira dose e vai descuidando das outras", afirmou Carla Domingues, coordenadora do programa de imunizações do ministério, à Folha de S. Paulo.

 

São registradas ausências principalmente em casos de reforço da vacina, o que é justificado pela pediatra Isabella Ballalai, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), por uma crença de que não é necessário. "Dá preguiça, o pediatra fala que não precisa", pontuou. Também em 2016, quase 25% das crianças não compareceram aos postos para tomar a vacina que protege contra sarampo, caxumba, rubéola e catapora (tríplice/tetra viral).

Saúde

07 de Jun // Avana Cavalcante | Saúde

Conscientizar e dialogar com os profissionais de saúde sobre a importância da prevenção, do tratamento e terapia curativa aos pacientes vítimas de queimaduras foi o objetivo do I Simpósio Regional para Prevenção e Tratamento de Queimaduras, como explica a gerente de enfermagem do Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus, Edna Aquino, na abertura do evento.

As palestras foram destinadas a gestores de saúde, médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem dos municípios do recôncavo, que são pactuados e tem como referência de média e alta complexidade o Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus. “Evento muito enriquecedor. Foi uma possibilidade de aprendermos as formas de tratamento das queimaduras, ajudando a levar um pouco de conforto para os pacientes que chegam na Unidade de queimados do nosso município”, garante Eunice Fagundes, administradora do Hospital de Milagres.

Só no período de 22 a 25 de junho de 2016, 30% dos casos notificados no HRSAJ, foram devido a queimaduras provocadas por fogos de artifício. Para o coordenador médico da Unidade de Tratamento de Queimados do HRSAJ, dr. Carlos Briglia a prevenção a queimaduras deve ocorrer em todo o período do ano. “O atendimento ao queimado persiste também depois do São João, seja químicos, físicos ou biológicos. Os casos de mutilação por fogos de artificio ainda são maiores nos períodos juninos do que a própria queimadura”, enfatiza.

Saúde

06 de Jun // | Saúde

Em 2016, mais de 2,3 milhões de recém-nascidos fizeram o Teste do Pezinho em todo o país. Ele é capaz de indicar a existência de doenças genéticas, endocrinológicas e metabólicas que não apresentam evidências clínicas no nascimento. No Dia Nacional do Teste do Pezinho, celebrado nesta terça-feira (6), o Ministério da Saúde recomendou que o sangue do recém-nascido seja coletado preferencialmente entre o 3º e o 5º dia de vida.

 

"Essa triagem serve para fazer a detecção precoce de doenças. O ideal é diagnosticá-las na fase pré-sintomática para que se possa fazer o tratamento e minimizar os danos à criança", disse a pediatra e neonatologista do Departamento Científico de Neonatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, Silvana Salgado Nader.

 

Ela explicou, segundo a Agência Brasil, que a rede pública de saúde de cada estado disponibiliza os testes conforme sua prevalência de doença. "É importante que ele seja realmente feito, que as pessoas tenham consciência do exame, assim devem valorizar o serviço, buscar o resultado e apresentar ao médico", disse. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece o Teste do Pezinho para seis doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, doença falciforme, fibrose cística, deficiência de biotinidase e hiperplasia adrenal congênita.

Saúde

05 de Jun // | Saúde

Trabalho levado para casa. Falta de tempo para atividades relaxantes ou para a família. Má alimentação. Incapacidade de enxergar perspectivas. Tensão no trânsito. Pavor da violência urbana. Todas essas situações são vividas por quem sente estresse. E não são poucas as pessoas afetadas por essa doença.

 

O Brasil ostenta o título de segundo mais estressado do mundo em um ranking com dez países, feito pela International Stress Management Association (Isma - Brasil). Na nossa frente apenas os japoneses. O que mais estressa o brasileiro, segundo o estudo, é o trabalho, segundo 69% dos entrevistados.

 

Eles relataram sofrer com as longas jornadas, sobrecarga de tarefas e a tensão no ambiente corporativo. Foi por causa do desgaste do trabalho que a dona de casa Ana Lúcia Nascimento, 57 anos, se afastou da empresa em que trabalhou por três anos. “Em tese, eu devia começar às 17h e sair às 23h45, mas como o trabalho era em uma distribuidora de medicamentos, que funcionava a partir dos pedidos, tinha vezes que chegava às 5h”, conta.

Saúde

05 de Jun // | Saúde

Com o término da campanha de vacinação contra a gripe para os grupos prioritários (idosos, crianças, gestantes, trabalhadores da área da saúde, entre outros), 14 estados mais o Distrito Federal anunciaram que vão oferecer também para o restante da população a partir desta segunda-feira (5).

 

Os estados que já confirmaram a liberação foram Acre, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Maranhão, além do Distrito Federal. Já os estados de Alagoas, Amapá, Ceará, Pernambuco e São Paulo não irão liberar a vacina pelo Sistema Único de Saúde.

 

Na sexta-feira (2), o Ministério da Saúde anunciou a liberação para todas as faixas etárias nesta segunda, enquanto durarem os estoques. Segundo o órgão, a medida só é válida neste ano. De acordo com o ministério, cada secretaria estadual de saúde terá autonomia para definir se libera ou não a vacinação para todas as faixas etárias. “Neste ano, tivemos poucos casos por influenza devido à baixa circulação do vírus.

Saúde

04 de Jun // | Saúde

O risco de transmissão da Doença de Chagas, causada por um parasita encontrado no barbeiro, é alto em 23% dos municípios baianos. Segundo informações do jornal A Tarde, o risco de transmissão é classificado como médio em 52% das cidades do estado. Os números constam no boletim epidemiológico da Sesab de dezembro de 2016.

 

O quadro foi discutido nesta última sexta-feira (2), na biblioteca da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), durante a oficina Desafios Atuais da Doença de Chagas na Bahia, promovido pela organização Médicos Sem Fronteiras (MSF). Participaram do evento profissionais da saúde, gestores públicos municipais e estaduais.

 

“Muitas pessoas são infectadas pela doença de Chagas e não apresentam sintomas. Outras, falecem por insuficiência cardíaca e sequer desconfiam que os sintomas que levaram à morte foram causados pela doença”, afirmou o o médico infectologista e responsável pelo Núcleo de Vigilância Epidemiológica do Hospital Roberto Santos, Claudilson Bastos. Em todo o mundo, a Doença de Chagas afeta cerca de oito milhões de pessoas.

Saúde

01 de Jun // | Saúde

O tabagismo foi responsável por 156.216 mortes no Brasil em 2015, apontou estudo "Carga de Doenças e Custos Econômicos Atribuíveis ao Uso do Tabaco no Brasil", lançado nesta quarta-feira (31) pelo Ministério da Saúde e Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA).

 

O número representa 12,6% de todos os óbitos de pessoas com mais de 35 anos registrados naquele ano. Do total, 34.999 mortes foram por doenças cardíacas, 31.120 por DPOC, 26.651 por cânceres diversos, 23.762 por câncer de pulmão, 17.972 por tabagismo passivo, 10.900 por pneumonia e 10.812 por AVC.

 

De acordo com a pesquisa, o consumo de cigarros e outros derivados causa um prejuízo de R$ 56,9 bilhões ao país a cada ano. Deste total, R$ 39,4 bilhões são com custos médicos diretos e R$ 17,5 bilhões com custos indiretos, decorrentes da perda de produtividade, provocadas por morte prematura ou por incapacitação de trabalhadores.  As doenças relacionadas ao tabaco que mais oneraram em 2015 o sistema público e privado de saúde no Brasil foram:

Saúde

01 de Jun // | Saúde

O SUS (Sistema Único de Saúde) vai oferecer mais um medicamento para pacientes diagnosticados com esclerose múltipla, a teriflunomida, que ajuda a reduzir os surtos e a progressão da doença. De acordo com o Ministério da Saúde, o remédio será o primeiro medicamento da primeira linha de cuidado, por via oral.

 

O tratamento estará disponível nas unidades de saúde de todo o País em até seis meses e deve atender a cerca de 12 mil pacientes que já são tratados na rede pública, além dos novos casos. A esclerose múltipla afeta adultos na faixa de 18 aos 55 anos de idade. No Brasil, a taxa de prevalência da doença é de aproximadamente 15 casos por 100 mil habitantes.

 

Há quatro formas de evolução clínica: remitente-recorrente, primariamente progressiva, primariamente progressiva com surto e secundariamente progressiva. A forma mais comum é a remitente-recorrente, representando 85% de todos os casos no início de sua apresentação. A esclerose múltipla é uma doença autoimune que acomete o sistema nervoso central, causando desmielinização e inflamação.

Saúde

31 de Mai // | Saúde

Apenas 20% das 92,5 mil mulheres que fizeram a cirurgia de mastectomia para tratamento do câncer de mama, entre os anos de 2008 e 2015, passaram pelo procedimento de reconstrução mamária. O levantamento foi feito pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) com base em dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DataSUS).

 

Para a SBM, a situação é explicada pela falta de estrutura para atendimento da demanda e pelo número insuficiente de médicos qualificados para o procedimento. O presidente da SBM, Antônio Luiz Frasson, destacou que algumas estruturas optam por fazer a reconstrução mamária em momentos separados, possibilitando que a fila para tratamento do câncer ande mais depressa. "

 

A estrutura é limitada, e isso faz com que alguns hospitais deem prioridade ao atendimento do câncer e posterguem a reconstituição. Se, em um dia, eu tenho 10 horas de sala de cirurgia, eu posso operar quatro ou cinco pacientes com câncer de mama. Mas, se eu tiver que reconstituir, eu posso operar duas", explicou à Agência Brasil. O mastologista ainda destacou o treinamento dos profissionais.

Saúde

30 de Mai // | Saúde
Mais de 55 mil casos de suspeita de cólera foram registrados no Iêmen nas últimas quatro semanas, o que representa um aumento sem precedentes de possíveis afetados pela doença no país, informou nesta terça-feira (30) o Fundo das Nações Unidas para a Infância (em inglês United Nations Children's Fund -  Unicef). A informação é da agência EFE.
 
Em comunicado, o diretor regional do órgão, Geert Cappelaere, afirmou que o tempo para conter o surto no país está acabando e que a maior parte das suspeitas envolve crianças. "Cada vez mais crianças morrem diariamente no país devido a causas que podem ser prevenidas, como a desnutrição e a cólera", alertou.
 
No dia 16 de maio passado o Unicef já tinha advertido que as crianças representam um terço das vítimas de cólera no país. Na nota, Cappelaere afirma que o Iêmen não pode continuar nessa situação e destaca a necessidade de interromper o conflito civil que atinge o país para poder tratar os infectados com a doença. De acordo com o último balanço divulgado pelo governo rebelde do Iêmen, 478 pessoas morreram devido à epidemia de cólera no país.

Saúde

30 de Mai // | Saúde

Hipertensão e hemorragia estão entre as principais causas da mortalidade materna no Brasil e no mundo, e ocorrem principalmente pela má qualidade da assistência no pré-natal e no parto. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que cerca de 830 mulheres morrem de complicações com a gravidez ou relacionadas com o parto todos os dias.

 

De acordo com o vice-reitor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e professor associado livre-docente do Departamento de Obstetrícia da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp), Nelson Sass, o Brasil fez muitos progressos nos últimos anos na redução da mortalidade materna, mas ainda está longe do ideal.

 

Segundo o Ministério da Saúde, a mortalidade materna no Brasil caiu 58% entre 1990 e 2015, de 143 para 60 óbitos maternos por 100 mil nascidos vivos. Levando em consideração os dados de 2010 e 2015, sendo o último ano ainda com dados preliminares, a proporção da mortalidade materna diminuiu de 12%, saindo de 67,9 para 60 óbitos por 100 mil nascidos. Sass explica, entretanto, que a proporção, no Japão, por exemplo, é de 6 óbitos de mulheres por 100 mil nascidos vivos.

Saúde

29 de Mai // | Saúde

Portaria do Ministério da Saúde publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (29) torna pública a decisão de incorporar ao Sistema Único de Saúde (SUS) o antirretroviral Truvada como profilaxia pré-exposição (PrEP) para populações sob maior risco de infecção por HIV.

 

A estratégia consiste no consumo diário do medicamento por pessoas que não têm o vírus, mas que estão mais expostas à infecção, como profissionais do sexo, homossexuais, homens que fazem sexo com homens, pessoas trans e casais sorodiscordantes (apenas um dos parceiros é soropositivo). Com a publicação, a PrEP deve passar a ser distribuída em até 180 dias na rede pública de saúde.

 

De acordo com o ministério, o Brasil é o primeiro país da América Latina a adotar a estratégia como política de saúde pública. A PrEP já é utilizada em nações como Estados Unidos, Bélgica, Escócia, Peru e Canadá, onde é comercializada na rede privada, além de França e África do Sul. Segundo a Agência Brasil, o investimento inicial do governo brasileiro será de US$ 1,9 milhão para a aquisição de 2,5 milhões de comprimidos.

Saúde

26 de Mai // | Saúde
A campanha de vacinação contra a Influenza foi prorrogada em todo o país até o dia 9 de junho, segundo informações divulgadas nesta quinta-feira (25), pelo Ministério da Saúde. Em nota, o ministério diz que a medida foi adotada porque apenas 60,5% da população foi vacinada.
 
Devem ser imunizados os idosos a partir de 60 anos, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas sócioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.
 
Na Bahia, até o momento, somente 1.917.522 pessoas tomaram a dose de vacina contra a gripe. O público alvo este ano está estimado em 3,2 milhões, no estado. A influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar ao agravamento e ao óbito, especialmente nos indivíduos que apresentam fatores ou condições de risco para as complicações da infecção.

Saúde

26 de Mai // | Saúde

Professores e pesquisadores da Universidade Federal Fluminense (UFF), da Fundação Oswaldo Cruz da Bahia (Fiocruz-BA) e da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) desenvolveram uma substância a partir da folha de henna, que inibe o crescimento de tumores, especialmente o câncer de mama.

 

O extrato da folha de henna, usado na pintura de cabelos, pele e unhas, tem conseguido melhorar o quadro clínico e a qualidade de vida dos pacientes. A pesquisa que gerou a nova substância, denominada CNFD, começou em 2013. Além dos testes em células tumorais, foram feitos testes em camundongos, que revelaram redução significativa do crescimento e do peso do tumor sem efeitos aparentes de toxicidade nos animais.

 

O pró-reitor de Pesquisa, Pós Graduação e Inovação da UFF, Vitor Francisco Ferreira, explicou que o novo fármaco pode substituir ou complementar os medicamentos que se tornaram resistentes à doença. "O trabalho conjunto dos professores e pesquisadores traz mais do que uma nova substância. É a esperança de muitas mulheres", disse.

Saúde

25 de Mai // | Saúde
O primeiro teste clínico em grande escala de um derivado da Cannabis sativa, o canabidiol, mostrou ser capaz de reduzir a frequência das convulsões epilépticas graves em 39%, informaram os pesquisadores nesta quarta-feira (24). O canabidiol (CBD) é derivado da Cannabis sativa, planta também conhecida como maconha.
 
"O canabidiol não deve ser visto como uma panaceia para a epilepsia, mas para os pacientes com formas especialmente graves que não responderam a inúmeros medicamentos, estes resultados dão a esperança de que logo poderemos ter outra opção de tratamento", declarou o pesquisador principal Orrin Devinsky.
 
Devinsky é professor de Neurologia, Neurocirurgia e Psiquiatria no Langone Medical Center, da Universidade de Nova York. O estudo, publicado no "New England Journal of Medicine", se concentrou em pacientes jovens com síndrome de Dravet, uma forma rara da epilepsia. "Ainda precisamos de mais pesquisas, mas este novo teste dá mais provas do que jamais tivemos da efetividade do canabidiol como medicamento para a epilepsia resistente ao tratamento", acrescentou.

Saúde

25 de Mai // | Saúde
Cientistas mineiros estudam fungos da Antártica em busca de substâncias que possam servir para elaboração de medicamentos contra o vírus da dengue. O projeto Micologia Antártica ou simplesmente MycoAntar está realizando testes com mais de 5 mil extratos de substâncias obtidas.
 
Dois deles já demostraram potencial para dar origem a antivirais para humanos, pois foram capazes de inibir o vírus da dengue com baixa toxicidade. A iniciativa envolve pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), entre outras instituições.
 
Durante cada Operação Antártica, que ocorre anualmente entre os meses de outubro e março, cientistas viajam ao continente gelado para realizar a coleta de fungos. As amostras, reunidas desde a criação do projeto em 2013, permitiu à UFMG constituir a maior coleção de fungos da Antártica do mundo. São cerca de 8 mil espécies. Utilizando essas amostras, os cientistas da UFMG crescem os fungos em baixa temperatura e coletam extratos das substâncias produzidas.

Saúde

24 de Mai // | Saúde

O Ministério da Saúde anunciou nesta quarta-feira (24) que oferecerá a profilaxia pré-exposição (PrEP) contra HIV para grupos considerados de risco. A estratégia consiste no consumo diário do medicamento Truvada – uma combinação do tenofovir com a entricitabina – por pessoas que não têm o vírus, mas que estão mais expostas à infecção.

 

Os grupos de risco incluem profissionais de saúde, homossexuais, homens que fazem sexo com homens, pessoas trans e casais sorodiscordantes (um dos parceiros é soropositivo e o outro, não). A PrEP deve passar a ser distribuída em até 180 dias após a publicação do protocolo clínico de diretrizes terapêuticas, prevista para a próxima segunda-feira (29).

 

Na mesma data, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve publicar a alteração do registro do Truvada, permitindo que ele seja utilizado no tratamento de pessoas infectadas pelo HIV e também de forma preventiva. De acordo com Barros, com a medida, o Brasil se torna o primeiro país da América Latina a adotar a estratégia de prevenção como política de saúde pública.

Saúde

23 de Mai // | Saúde

A Fiocruz conseguiu chegar a 90% de sucesso no projeto Eliminar a Dengue: Desafio Brasil, que substitui mosquitos Aedes aegypti comuns por outros que não conseguem transmitir dengue, zika e chikungunya. O projeto-piloto, que faz parte de um programa internacional, liberou mosquitos infectados com a bactéria Wolbachia na localidade Ponto Final, no bairro de Jurujuba, em Niterói no Rio.

 

 A bactéria é natural e existe em outros insetos, e no Aedes aegypti tem a capacidade de impedir a transmissão das doenças. Segundo a Agência Brasil, a bactéria é retirada da mosca da fruta e inoculada no ovo do mosquito. Os insetos modificados são liberados no ambiente e, com o tempo, a população de insetos é naturalmente substituída, de forma gradual, pelos que não têm condição de transmitir os vírus.

 

"Significa que 90% dos mosquitos daquela área têm redução na capacidade de transmitir as doenças. O mosquito continua lá, mas não vai transmitir dengue, zika e chikungunya", explicou o pesquisador da Fiocruz Luciano Moreira, que lidera o projeto no Brasil. A substituição dos mosquitos ocorre com o cruzamento entre eles, segundo o pesquisador, com a transmissão da bactéria pela fêmea aos seus filhotes.

Saúde

23 de Mai // | Saúde

O registro do primeiro autoteste rápido para HIV a chegar ao Brasil foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Batizado de "Action", o exame pode ser feito em casa e dá o resultado em 20 minutos. O custo para o consumidor deverá ser de R$ 50.

 

Segundo informações de O Globo, a sensibilidade e efetividade é de 99,9%, o que significa que o exame é capaz de apontar corretamente a infecção pelo vírus causador da Aids em 99,9% das situações. Ainda assim, de acordo com a publicação, o autoteste é considerado apenas de triagem e, em caso de diagnóstico positivo, ele deve ser confirmado por outros exames em uma instituição de saúde.

 

Como acontece com outros testes baseados na verificação da presença de anticorpos para o HIV, o Action só consegue detectar a infecção a partir de cerca de 30 dias após a exposição ao vírus através de relação sexual, transfusão de sangue, compartilhamento de seringas ou outras formas de transmissão. Isso porque o corpo demora entre três e 12 semanas para produzir uma quantidade suficiente dessas moléculas de defesa para serem detectadas.

Saúde

22 de Mai // | Saúde
O Brasil voltará a exportar vacinas contra a febre amarela e, em julho, planeja vender para a Organização Mundial da Saúde (OMS) um total de 1 milhão de doses. O volume deve aumentar até o final do ano. A decisão será anunciada publicamente ainda nesta segunda-feira, 22, pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros, que está em Genebra, na Suíça, para reuniões na OMS.
 
Na manhã desta segunda, em um encontro fechado com outros ministros da Saúde de países das Américas, ele já revelou o objetivo de exportação do Brasil. Entre os dirigentes da entidade internacional, o gesto do Brasil é comemorado. A OMS estima que não conte com vacinas em quantidades suficientes para atender a surtos pelo mundo e, portanto, criou uma espécie de fundo de vacinas que pode ser distribuída em caso de uma emergência.
 
No total, a OMS indica que já despachou para diferentes países africanos mais de 30 milhões de doses de vacinas em 2016. A volta da exportação brasileira ocorre dois meses depois que, em resposta ao surto de febre amarela no Brasil, a mesma OMS destinou ao País 3,5 milhões de doses de vacina contra a doença. Elas faziam parte do estoque de emergência controlado pelo Grupo de Coordenação Internacional sobre o Fornecimento de Vacinas.




Classificados


Enquete



Mais Lidas