Notícias

Economia

Economia

19 de Jan // | Economia

O otimismo dos executivos nas fábricas melhorou pelo sexto mês seguido e já é o melhor desde abril de 2011, de acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta sexta-feira (19). O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) subiu 0,7 ponto em relação a dezembro e chegou a 59 pontos no começo de 2018.

 

Em uma escala na qual valores acima de 50 pontos significam otimismo do setor, o Icei tem inclusive se distanciado da média histórica de 54,1 pontos do indicador. Na comparação com janeiro de 2017, a alta foi de 8,9 pontos. De acordo com a CNI, a confiança é maior nas grandes empresas, que obtiveram 61,1 pontos no Icei de janeiro.

 

Isso seguida pelas médias (57,6 pontos) e pequenas (55,9 pontos). Dentre os componentes do Icei, o Índice de Condições Atuais cresceu 0,2 pontos e chegou a 53,1 pontos em janeiro, completando cinco meses consecutivos acima da linha divisória dos 50 pontos. Esse indicador mede a avaliação dos empresários sobre as condições correntes de seus negócios e da economia brasileira segundo informações do Estadão Conteúdo.

Economia

18 de Jan // | Economia

O botijão de gás de cozinha ficará 5% mais barato nas refinarias a partir desta sexta (19), segundo informou a Petrobras em fato relevante divulgado nesta quinta (18). De acordo com a petroleira, sua diretoria executiva aprovou a revisão de política de preços do gás liquefeito de petróleo (GLP) residencial, comercializado em botijões, o chamado gás de cozinha.

 

Foram definidos novos critérios para reajustes em GLP residencial e uma regra de transição para 2018, que permitirá a redução do preço do produto. A revisão de preços, que antes era mensal, será trimestral. O preço médio de GLP residencial sem tributos comercializado nas refinarias da Petrobras será equivalente a R$ 23,16 por botijão de 13kg.

 

No entanto, como os preços no mercado de combustíveis e derivados são livres, os reflexos no preço final ao consumidor vão depender de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores. "O objetivo, conforme já anunciado, foi suavizar os repasses da volatilidade dos preços ocorridos no mercado internacional para o preço doméstico", destacou a Petrobras. No ano passado, o botijão de gás registrou um aumento de 16%.

Economia

18 de Jan // | Economia

Começa a ser depositado nesta quinta-feira (18) o abono salarial PIS do calendário 2017-2018, ano-base 2016, para os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em janeiro e fevereiro. No caso do Pasep, que é pago para servidores públicos por meio da Banco do Brasil, o pagamento começa para quem tem final da inscrição 5.

 

O PIS é pago na Caixa Econômica. De acordo com o calendário, os nascidos entre janeiro e junho receberão o PIS no 1º trimestre de 2018. Já quem nasceu nos meses de julho a dezembro receberam o benefício ainda no ano de 2017. Em qualquer situação, o recurso ficará à disposição do trabalhador até 29 de junho de 2018, prazo final para o recebimento.

 

Para o exercício 2017/2018 serão destinados R$ 16,9 bilhões para pagamento do abono salarial a 24,3 milhões de trabalhadores. Só dentro do PIS são R$ 15,7 bilhões para 22,1 milhões de beneficiários, segundo a Caixa. Neste 7º lote, só no PIS, 3,5 milhões de pessoas têm direito a R$ 2,5 bilhões, segundo a Caixa Econômica Federal. Tem direito ao abono salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais com carteira assinada.

Economia

17 de Jan // | Economia

A tarifa de energia elétrica deve permanecer na bandeira verde (sem custo adicional nas contas) até o fim do primeiro trimestre deste ano, afirmou na terça-feira (16), o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. Segundo o ministro, o volume de chuvas acima da média no fim do ano contribui para a permanência da tarifa.

 

O cenário já vinha sendo sinalizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que anunciou, no fim de dezembro, que janeiro terá bandeira verde. Coelho Filho disse, durante visita à Usina Hidrelétrica de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR), que as as precipitações têm permitido a recuperação dos reservatórios das principais usinas do país.

 

“O sistema [elétrico nacional] é interligado, e a gente veio de cinco ou seis anos de chuvas abaixo da média nos maiores reservatórios, mas os resultados de novembro e dezembro e dos primeiros dias de janeiro têm sido muito animadores”, disse o ministro de Minas e Energia. Em dezembro do ano passado, vigorou a bandeira vermelha para o Patamar 1, quando são cobrados R$ 3 a cada 100 kWh segundo informações da Agência Brasil.

Economia

15 de Jan // | Economia

A Receita Federal apertou a fiscalização contra igrejas, clubes esportivos e organizações assistenciais, e hoje a União cobra R$ 14,4 bilhões em dívidas dessas entidades por terem burlado as regras que lhes garantem imunidade do pagamento de tributos. Esse processo está em curso, segundo o secretário da Receita, Jorge Rachid.

 

O fisco já pediu que órgãos competentes investiguem as irregularidades para avaliar quais entidades devem perder o direito à isenção por não terem atuado plenamente como empresas sem fins lucrativos. "Só nos últimos cinco anos, autuamos 283 entidades assistenciais e temos um crédito tributário de R$ 5,5 bilhões em impostos devidos, multas e juros", disse à Folha.

 

"A maior parte são pendências previdenciárias." Via Lei de Acesso à Informação, a Folha obteve a lista das entidades que desfrutam de isenção ou imunidade tributária e estão sendo cobradas pela PGFN (Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional). Essa dívida é de R$ 6 bilhões, e a maior parte, R$ 5 bilhões, abrange dois grupos: unidades beneficentes (hospitais e escolas) e clubes de futebol segundo informações da Folha Press.

Economia

14 de Jan // | Economia

O presidente Michel Temer descumpriu em 2017 a primeira meta do seu governo para o Minha Casa Minha Vida, programa de habitação popular que foi usado como uma das principais vitrines das gestões petistas. No ano passado, o governo se comprometeu a bancar a construção de apenas 23 mil moradias destinadas a famílias que ganham até R$ 1,8 mil.

 

O governo também descumpriu a meta geral do Minha Casa para todas as faixas de renda. Somando as quatro faixas do programa, a gestão Temer firmou contratos para financiar com juros mais baixos - e subsidiar, no caso, dos mais pobres - 442,2 mil unidades habitacionais no ano passado: 72,5% da meta de 610 mil.

 

Em 2013, auge do programa, criado em 2009 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o governo se comprometeu em financiar 913 mil unidades. Nessa primeira fase, a União assina o contrato com a construtora responsável pela obra. Mas até as casas ficarem prontas e serem entregues aos beneficiados leva em torno de um ano e meio segundo dados obtidos com exclusividade pelo jornal Estadão Conteúdo/Broadcas.

Economia

14 de Jan // | Economia

A "continuada divulgação" de bons indicadores da economia mostrará à população que o rebaixamento da nota de crédito soberano do Brasil pela agência de classificação de risco Standard & Poors (S&P) não afeta o crescimento econômico, afirmou neste último sábado (13), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

 

O ministro estima que serão criadas cerca de 2,5 milhões de vagas de emprego formal ao longo de 2018, conforme os registro do Caged. Meirelles lembrou que os dados do Caged, sobre criação ou destruição de vagas formais de emprego, serão divulgados no próximo dia 26 segundo informações do Estadão.

 

O ministro citou também o IBC-Br, indicador do Banco Central (BC) que mede a atividade econômica e será divulgado na segunda-feira (15). "Os dados em si, cada um, não necessariamente têm grande significado para toda a população, mas o importante são coisas que sinalizem o crescimento, com a divulgação da mídia, da TV. Saiu um índice que significa que o crescimento continua forte? Aí interessa à população", afirmou Meirelles.

Economia

14 de Jan // | Economia

Depois do rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela agência de classificação de risco S&P, o governo traçou a estratégia de usar a decisão para tentar convencer parlamentares a aprovar a reforma da Previdência. A medida é considerada fundamental para a sustentabilidade das contas públicas segundo informações da Folha.

 

Com o rebaixamento, o Brasil ficou três níveis abaixo do grau de investimento, que é como um selo de bom pagador, que indica que a região é segura para os investidores. As articulações políticas, no entanto, devem esbarrar no temor dos deputados de sofrerem nas urnas as consequências da aprovação da proposta de mudança na aposentadoria.

 

"A classificação de risco que interessa à esmagadora maioria dos deputados é o risco eleitoral", avisou o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG). Segundo ele, tudo vai depender, a partir de agora, da "capacidade de sedução e convencimento do governo". A votação da reforma da Previdência está prevista para 19 de fevereiro na Câmara, mas o governo ainda não conta com os 308 votos necessários para aprovar uma mudança constitucional.

Economia

13 de Jan // | Economia

A diretora-executiva de ratings soberanos da S&P Global Ratings, Lisa Schineller, explicou nesta última sexta-feira (12), segundo informações do Estadão Conteúdo, que o rebaixamento da nota de crédito do Brasil é reflexo da avaliação institucional que a agência de classificação de risco faz do país atualmente.

 

Embora tenha reconhecido que a gestão do presidente Michel Temer apresentou alguns avanços, como a reforma trabalhista e as mudanças no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o governo fez "progresso lento" para adotar medidas estruturais na área fiscal.

 

"Ocorreram constantes atrasos para a reforma da Previdência", lembrou a diretora da S&P. Lisa também mencionou que a questão da regra de ouro foi tema de pressão em debates no campo fiscal e avaliou que existe uma incapacidade de atacar restrições no Orçamento da União. Como aspecto positivo, a diretora da agência citou o combate à corrupção no Brasil, o ganho de credibilidade do Banco Central (BC) com o mercado financeiro e os avanços no setor externo.

Economia

12 de Jan // | Economia

Cerca de 20 mil empresas fecharam as portas no estado da Bahia em 2017. A constatação está em dados da Junta Comercial do Estado da Bahia (Juceb). No período, 18.343 firmas de segmentos variados encerraram as atividades. O ranking é liderado pelo setor de comércio varejista (8.832) segundo o Bocão News.

 

Em seguida, aparecem os setores de prestação de serviços (6.557), indústria de transformação (807), transportes (558), comércio atacadista (521), construção civil (458) e ensino (296). Os maiores índices foram registrados nos meses de agosto (1.831), dezembro (1.776), março (1.648), julho (1.593), e setembro (1.598).

 

Em 2016, o número foi menor, 16.812 empresas fecharam. Os seguimentos mais afetados foram prestação de serviços (5.954), comércio varejista (8.083), indústria de transformação (721), transportes (532) e comércio atacadista (523). Números elevados foram registrados nos meses de março (1.650), agosto (1.432), setembro (1.436), novembro (1.446) e dezembro. Já nos anos de 2014 e 2015, foram encerradas 8.288 e 10.595 empresas, respectivamente.

Economia

12 de Jan // | Economia

A Bahia está entre os Estados com maior número de contas municipais rejeitadas pelos órgãos de controle e, segundo Eures Ribeiro (PSD), o problema está na rigidez do Tribunal de Contas dos Municípios. O presidente da União dos Municípios Baianos se queixa do TCM considerar gastos com programas federais para rejeitar as contas municipais.

 

“Não é justo para o município carregar o programa federal nas costas, pagá-lo com nossos recursos e ainda sermos punidos por isso”, alegou Eures. O prefeito de Bom Jesus da Lapa lembra, por exemplo, que o pagamento de salário de funcionários de programas fedeais ligados a área de saúde oneram as folhas municipais, sobrecarregando a situação dos cofres.

 

“Se nós conseguíssemos retirar programas como CRAS do índice de pessoal dos municípios, o número de contas rejeitadas da Bahia cairia drasticamente”, acredita Eures. Em 2017, a UPB marchou até a Assembleia Legislativa Baiana para pedir que pressionasse uma mudança no Tribunal. “Foi estratégico a gente marchar à Assembleia. Quem cobrou uma mudança de atitude do TCM foi o presidente da AL-BA”, lembra Ribeiro.

Economia

10 de Jan // | Economia

Apesar de Temer ter torrado bilhões visando cooptar os votos de deputados e pelo menos outros R$ 20 milhões em publicidade para tentar conseguir convencer a população sobre a necessidade da reforma da Previdência, nada menos que 66% dos brasileiros são contrários as mudanças nas regras da aposentadoria e dos benefícios sociais.

 

O levantamento, feito pelo Instituto Paraná Pesquisas, aponta, ainda, que 62% da população considera a reforma desnecessária, contra 28,9% que afirmam ser preciso mudar o sistema atual. Ainda segundo a pesquisa, apenas 28% dos brasileiros se mostram favoráveis a uma reforma previdenciária, enquanto outros 6% não responderam ou não quiseram se posicionar sobre o tema.

 

Quando questionados se acham necessário reformar a Previdência, 33,3% dos entrevistados responderam que “sim”, enquanto outros 5,3% não souberam ou não quiseram responder a pergunta. A pesquisa ouviu 2,5 mil brasileiros em 176 municípios, nas 27 unidades da federação, entre os dias 9 e 11 de dezembro do ano passado. O grau de confiança é de 95% para uma margem estimada de erro em aproximadamente 2% para os resultados gerais.

Economia

10 de Jan // | Economia

A inflação oficial do Brasil fechou 2017 em 2,95%, abaixo do piso da meta fixada pelo governo, de 3%, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (10). É a primeira vez que isso acontece desde que o regime de metas foi implantado no país, em 1999 segundo informações do G1.

 

O resultado de 2017 foi puxado principalmente pelo aumento de preços de botijão de gás (16%), planos de saúde (13,53%), creche (13,23%), gás encanado (11,04%), taxa de água e esgoto (10,52%), ensino médio particular (10,36%), energia elétrica residencial (10,35%) e gasolina (10,32%).

 

De acordo com a série histórica do IBGE, esse índice é o menor desde 1998, quando chegou a 1,65%. Em 2016, o IPCA havia ficado em 6,29%. O que explica a forte desaceleração do IPCA em 2017 é o comportamento dos preços de alimentação e bebidas, que têm o maior peso no cálculo do índice. Com o aumento de 30% da safra, os alimentos ficaram 1,87% mais baratos e impediram que a inflação avançasse ainda mais.

Economia

10 de Jan // | Economia

O preço médio da gasolina para o consumidor final subiu na primeira semana do ano, de acordo com dados divulgados nesta terça-feira (9) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). No ano passado, o preço subiu 9%. O valor médio subiu de R$ 4,099 na última semana de 2017 para R$ 4,151, no décimo aumento consecutivo.

 

Na mesma semana, a Petrobras diminuiu o preço da gasolina nas refinarias em 0,53%. A medida faz parte da política de preços da empresa, que reajusta os valores quase diariamente com o objetivo de acompanhar as cotações internacionais. O repasse ou não para o consumidor final depende dos postos.

 

A redução dos preços pela estatal na primeira semana do ano coincide com o recuo das cotações internacionais do petróleo, com redução de 0,5% do Brent, utilizado como referência internacional. Desde o início da política de reajustes frequentes de preços, em julho do ano passado, o valor médio da gasolina nas bombas acumula alta de 18%. O avanço é menor que a alta acumulada nas refinarias, de 26,28% segundo informações do G1.

Economia

08 de Jan // | Economia

Serão abertas nesta segunda-feira (8), a partir das 9h, as consultas a um lote multiexercício de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física, referentes aos exercícios de 2008 a 2017. Os lotes residuais referem-se a contribuintes que caíram na malha fina, mas que posteriormante acertaram suas contas com o leão.

 

Estão incluídos nesse lote de restituição do IR 165.898 contribuintes, que receberão, em 15 de janeiro, R$ 310 milhões em restituições, informou o Fisco. A maior parte (R$ 209,5 milhões), referem-se a restituições do IR 2017, que serão depositadas para 115.102 contribuintes segundo informações da Secretaria da Receita Federal.

 

Do total, R$ 86,21 milhões serão pagos a 24.474 contribuintes idosos e 2.491 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave. As consultas podem ser feita pelo site da Receita Federal, aqui. A Receita lembra que há ainda o aplicativo para tablets e smartphones que facilita consultas às declarações do IRPF e situação cadastral no CPF, diretamente nas bases de dados da Receita Federal.

Economia

08 de Jan // | Economia

Trabalhadores a partir de 60 anos que tiveram emprego com carteira assinada antes da Constituição de 1988 saberão nesta segunda-feira (08) quando poderão sacar as cotas dos fundos do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) segundo a Agência Brasil.

 

O governo divulgará o calendário de retiradas. Segundo a Agência Brasil, os saques poderão ser feitos na Caixa Econômica Federal, que administra as contas do PIS, ou no Banco do Brasil, no caso de trabalhadores inscritos no Pasep. Caberá a cada instituição financeira divulgar detalhes sobre a retirada.

 

Na primeira etapa da liberação de recursos do PIS/Pasep, de outubro a dezembro do ano passado, os correntistas dos dois bancos receberam o crédito automático na conta corrente dois dias antes do calendário de saques. As cotas de menor valor puderam ser retiradas nos terminais de autoatendimento. Na segunda etapa de saques, dependentes ou herdeiros dos cotistas terão os valores creditados automaticamente na conta.

Economia

08 de Jan // | Economia

A falta de chuvas de 2017 vai pesar no bolso dos consumidores em 2018. Após um ano com um volume de afluências abaixo da média, que levou a um elevado consumo de energia a partir de usinas térmicas, mais caras, a tarifa de luz deve subir em um ritmo maior neste ano. O atual período chuvoso, iniciado em novembro, tem se mostrado mais favorável.

 

As projeções variam, mas os reajustes das tarifas de energia devem superar os 10%, em média. Uma parcela significativa desse reajuste vem do aumento do custo da energia, pressionado pelo déficit hidrológico, estimam especialistas. Pelos cálculos da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, o déficit hidrológico médio de 2017 ficou em 79%.

 

Para compensar a menor geração hídrica, foram acionadas termelétricas, que produzem uma energia mais cara, gerando custo adicional para o sistema. Esse custo deveria ser coberto pela receita proveniente das bandeiras tarifárias, mas tendo em vista o alto preço da energia de curto prazo registrado ao longo do ano, justamente pela geração térmica, o valor arrecadado não tem sido suficiente para fazer frente às necessidades segundo informações do Estadão.

Economia

05 de Jan // | Economia

A produção de veículos no Brasil aumentou 25,2% em 2017 ante 2016, para um total de 2,699 milhões. Apesar do crescimento, o número ficou 1,2 milhão de unidades menor do que o recorde histórico do setor, registrado em 2013. A produção em dezembro somou 213,7 mil veículos, um crescimento de 6,9% em relação ao mesmo mês do ano passado.

 

Na comparação com novembro houve uma retração de 14,2%, o que foi considerada por Megale como natural em razão das férias coletivas nas fábricas. O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, disse que apesar do avanço, o setor ainda trabalha com excesso de capacidade.

 

A venda de veículos no Brasil somou 2,24 milhões de unidades em 2017, um crescimento de 9,2% em relação à 2016. Foi a primeira vez, desde 2012, que o volume de emplacamentos de veículos novos superou o de usados no Brasil. As vendas em dezembro somaram 212,6 mil veículos, o que inclui carros, comerciais leves, caminhões e ônibus. Isso representou um avanço de 4,1% em comparação com mesmo mês de 2016.

Economia

05 de Jan // | Economia

A Bahia teve menos recursos federais para trabalhar em 2017 do que nos três anos anteriores, mas não foi o único estado a enfrentar o problema, especialmente no Nordeste. Segundo dados coletados no site Transparência Brasil, todos os integrantes da região sofreram com quedas no montante repassado pela União entre 2016 e 2017.

 

Mesmo tendo um governador que faz oposição ao presidente Michel Temer, a Bahia não está entre os mais afetados pelos cortes. Na comparação entre os dois anos, houve queda de 12% no montante repassado. De 2016 para 2017, o valor passou de R$ 11,1 bilhões para R$ 9,8 bilhões.

 

Rui Costa e seus aliados fazem críticas recorrentes ao Palácio do Planalto por atrasos na destinação de recursos ao estado. Na quinta (04), ele disse que o governo Temer deve R$ 102 milhões em repasses do metrô. Por outro lado, houve aumento nos recursos destinados às obras do modal depois da saída da ex-presidente Dilma. No Nordeste, a maior vítima da contenção de gastos do Planalto foi Alagoas, que teve redução de 21% nos repasses.

Economia

05 de Jan // | Economia

Pelo quinto ano consecutivo Porto Seguro tem a gasolina mais cara da Bahia de acordo com o levantamento anual da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Com um preço médio de R$ 4,621 por litro em dezembro de 2017, ficou 13% mais caro abastecer no município do extremo sul baiano em relação ao mesmo período de 2016.

 

Cada litro de gasolina passou a custar R$ 0,40 a mais para a população, mas a taxa de lucro para os donos de postos caiu devido ao aumento do preço de distribuição do produto na cidade. Se cada empresário lucrava R$ 0,82 por litro vendido em 2016, esse valor caiu para R$ 0,66 no ano seguinte. O melhor lugar para vender o combustível na Bahia se tornou Juazeiro.

 

Cada litro vendido garante R$ 0,75 de lucro para os donos de postos da cidade, se olharmos apenas para a diferença entre as taxas de distribuição e revenda. O preço da gasolina chegou a custar, no final de 2017, R$ 4,395 na região do Sertão Produtivo. Um aumento de 14% no valor do litro em um ano. Nos últimos 5 anos, os aumentos do preço do líquido a base de petróleo cresceu em 39% em Juazeiro e 41% em Porto Seguro.

Economia

03 de Jan // | Economia

Os clientes que consomem mais que 500 quilowatts-hora por mês e que concentram seu consumo fora do horário de pico já podem aderir à tarifa branca e gastar menos com a conta de luz. O novo regime já está em vigor e os consumidores que tiverem interesse em aderir devem procurar a distribuidora que atende a sua região.

 

Nessa faixa de consumo, estão consumidores de renda mais alta, além de comércios e indústrias de menor porte. Na Bahia, a Coelba informou ao Correio que cerca de 3,5% dos clientes podem aderir à mudança. Ou seja, um total de 210 mil unidades consumidoras baianas estão dentro do perfil acima de 500 kWh.

 

Por outro lado, uma média de 80% dos clientes da companhia consomem 70kWh por ano, portanto, não vão usufruir da nova regra.  A tarifa branca é um regime tarifário que considera o horário do consumo para definir do preço da energia. O modelo só é vantajoso para quem consegue gerenciar seu consumo e concentrar o uso de eletrodomésticos e chuveiro elétrico entre 22h de um dia e 17h do dia seguinte segundo o Correio da Bahia.

Economia

03 de Jan // | Economia

Por recomendação do Ministério da Fazenda, o presidente Michel Temer avalia a possibilidade de vetar o parcelamento de débitos tributários (Refis) para micro e pequenas empresas. A sanção da lei que autoriza o parcelamento está ainda sob análise do Palácio do Planalto. A decisão deverá ser tomada na próxima sexta-feira.

 

Contrária ao parcelamento, a Receita Federal encaminhou ao Planalto o argumento de que não há previsão de renúncia fiscal com o parcelamento, o que é vetado pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O Refis para micro e pequenas empresas foi aprovado pelo Congresso em meio às negociações para a aprovação a reforma da Previdência.

 

Por isso, a dificuldade do presidente em vetar a proposta nesse momento em que busca apoio para conseguir aprovação da proposta em fevereiro. O acordo que havia sido costurado com o Congresso Nacional previa que não haveria vetos à proposta. Caso o presidente Michel Temer decida vetar o Refis, as lideranças do governo apostam na derrubada do veto pelo Congresso Nacional segundo informações do Estadão Conteúdo.

Economia

03 de Jan // | Economia

Na primeira variação do ano, o preço da gasolina nas refinarias terá uma redução de 0,1% a partir desta quarta-feira (3), segundo informações divulgadas pela Petrobras. O diesel, no entanto, vai passar por uma elevação de 0,6%. A última variação nos preços dos combustíveis havia ocorrido no último sábado (30).

 

Na ocasião a gasolina tinha registrado uma alta de 1,9%, enquanto o diesel apresentou um aumento de 0,4%. Segundo a estatal, os preços praticados visam um alinhamento com o mercado internacional. Para atingir o objetivo, a empresa adota mudanças praticamente diárias nas cotações.

 

Ao mesmo tempo, o objetivo é evitar a queda da sua participação no mercado interno. A empresa afirma que a prática "tem como base o preço de paridade de importação, que representa a alternativa de suprimento oferecido pelos nossos principais concorrentes para o mercado". Ainda segundo informações da estatal, o mercado interno é avaliado para decidir as alterações segundo informações da Agência Brasil.

Economia

02 de Jan // | Economia

Após quatro anos de queda nas vendas, o setor automotivo fecha 2017 com alta de aproximadamente 10% em relação ao ano anterior. 2,24 milhões de carros de passeio, comerciais leves, ônibus e caminhões foram licenciados até o dia 29 de dezembro, quando a alta acumulada era de 9,3% em relação a 2016.

 

A Anfavea, associação que representa as montadoras instaladas no Brasil, previa que o crescimento em 2017 seria de 7,3%. Apesar do resultado positivo, a retomada ocorre em cima de bases rasas. Os dados do ano passado equivalem ao volume registrado em 2007, bem distante do recorde de vendas do setor: 3,8 milhões de unidades em 2012.

 

"A recuperação é um alívio para a indústria, mas não acreditamos em um crescimento vultoso. Ainda há incertezas econômicas e políticas que persistem na mente do consumidor na hora de comprar um veículo, e, apesar dos juros mais baixos da história, há restrições que limitam o poder de compra", afirma Fabio Braga, diretor de Operações da consultoria J.D. Power do Brasil. Os dados preliminares foram apurados pela Folha de S, Paulo.

Economia

02 de Jan // | Economia

A Petrobrás vai instalar um número recorde de plataformas este ano. Serão oito embarcações, todas destinadas ao pré-sal, que, no prazo de um a dois anos, vão ampliar a produção da empresa em mais de 1 milhão de barris por dia, quase a metade do volume total extraído em todo País, atualmente de 2,6 milhões de barris.

 

Nunca a Petrobrás instalou tantas plataformas em um mesmo ano. O marco, até então, era 2014, quando quatro unidades iniciaram operação. Na prática, será um salto de produção no pré-sal, que vai ganhar ainda mais importância nos negócios da empresa e no abastecimento interno.

 

A virada, porém, poderia ter acontecido antes, não fosse a crise nos estaleiros nacionais e a transferência de parte das obras de construção desse conjunto de plataformas para a China. As embarcações foram projetadas em 2012, ainda num período de bonança na Petrobrás. Só agora, depois de muitas reviravoltas contratuais, elas vão começar a produzir segundo informações do Estadão Conteúdo.

Economia

01 de Jan // | Economia

Os ambulantes que trabalham no Festival Virada Salvador, na Orla da Boca do Rio, comemoram um aumento de 40% nas vendas, em média, em relação à festa do ano passado, na Praça Cairu, no Comércio. O resultado é atribuído ao maior fluxo de pessoas segundo informações do Correio da Bahia.

 

Feliz com o aumento das vendas e com a qualidade do novo espaço para o Festival Virada Salvador, a ambulante Maria Benedita Paixão Cerqueira, 56 anos, apontou a organização como o grande diferencial do evento. Somente nas três primeiras noites do festival, quase um milhão de pessoas passaram pelo Parque dos Ventos.

 

O evento acontece na região do antigo Aeroclube. “Aqui é bem melhor que lá na Praça Cairu, em relação a tudo. As vendas aumentaram, a organização nem se fala e temos mais espaço para trabalhar, sem aquele empurra-empurra. E quem vem curtir a festa tem mais área para transitar, o que melhora muito também. Essa estrutura nem se compara com a do ano passado”, afirmou a ambulante Maria Benedita Paixão Cerqueira, 56 anos.

Economia

01 de Jan // | Economia

Entra em vigor nesta segunda-feira (1º) a tarifa branca. O regime cobra três preços: o de pico ou na ponta, como se diz no jargão do setor (mais caro), intermediário e fora da ponta (mais barato). A adesão é opcional. O consumidor precisa formalizar junto à distribuidora que quer ficar no novo regime segundo informações do Folha Press.

 

Os novos preços valem para quem tem consumo médio mensal superior a 500 kWh (quilowatts-hora). Segundo a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), cerca de 4,5 milhões de unidades e 5% do mercado estão nessa faixa. O consumo médio residencial no Brasil é de 160 kWh, diz a Abradee (associação das distribuidoras).

 

Especialistas alertam que se o consumidor não conseguir evitar o consumo no pico, a tarifa branca pode encarecer a conta. Nesse caso, é mais interessante permanecer na tarifa convencional. "É importante que as pessoas tenham consciência de como é o perfil de consumo em suas casas", afirma Juliana Rios, gerente da CAS Tecnologia, empresa que desenvolve soluções para concessionárias.

Economia

31 de Dez // | Economia

Menos chuva. secas mais frequentes. É uma nova realidade para dezenas de cidades do Nordeste brasileiro. Elas foram incluídas pelo ministério da integração na região classificada como 'semiárido', a zona mais seca país. A plantação de laranjas já não é mais a mesma. Seu Aluísio mora em Matinhas, no agreste da Paraíba.

 

Perdeu metade da lavoura em sete anos seguidos de seca. "Cada ano que passa, a gente sente que é mais quente um ano que o outro", diz o agricultor Aluísio dos Santos. O clima mudou mesmo. O mapa do semiárido - a região de clima mais seco do Brasil - cresceu e agora engloba 1.262 municípios.

 

A ampliação foi em nove estados: Bahia, Ceará, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí e Paraíba, que teve o maior número de municípios incluídos: 24. O metereologista Humberto Barbosa, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), integra o grupo de trabalho que alterou a lista. "Ela é uma região que por si só que tem uma irregularidade das chuvas. Ou seja, durante o ano chovesse abaixo de 800 milímetros"

Economia

31 de Dez // | Economia

Sete em cada dez indústrias que se instalaram no Paraguai nos últimos cinco anos são de brasileiros, segundo dados do governo local. Em comum, os que buscam o país vizinho como alternativa são empresários de setores que morrem no Brasil, vítimas de uma perda crônica na capacidade de competir.

 

Eles foram atraídos por uma vertiginosa diferença nos custos trabalhistas, na conta de energia elétrica e nos impostos, capaz de tirar do vermelho suas margens de lucro e recolocá-los, com preços competitivos, na disputa global por consumidores. Com a retomada da economia brasileira e a alta da cotação do dólar, os industriais voltaram a ganhar fôlego.

 

Mas, em muitos casos, estão aproveitando o embalo para expandir (ou iniciar) a produção no Paraguai. Na embaixada brasileira em Assunção, o número de empresas que pediram informações sobre como operar no país vizinho cresceu quase 64% em 2017. Foram 445 consultas contra 272 em 2016. Só no último mês, três empresas brasileiras se habilitaram a entrar no regime de maquila -em que a produção é 100% exportada e, com isso, paga-se menos imposto.

Economia

30 de Dez // | Economia

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que as contas de luz terão bandeira verde no mês de janeiro. Com isso, os consumidores não terão que pagar taxa adicional no próximo mês. Em dezembro, vigorou a bandeira vermelha em seu primeiro patamar, cuja taxa é de R$ 3,00 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

 

O sistema de bandeiras tarifárias leva em consideração o nível dos reservatórios das hidrelétricas e o preço da energia no mercado à vista (PLD). Essa metodologia está em audiência pública e pode ser alterada no início de 2018. No novo sistema, a bandeira verde continua sem taxa extra. Na bandeira amarela, a taxa extra é de R$ 1,00 a cada 100 kWh.

 

No primeiro patamar da bandeira vermelha, o adicional é de R$ 3,00 a cada 100 kWh. E no segundo patamar da bandeira vermelha, a cobrança é de R$ 5,00 a cada 100 kWh. O sistema de bandeiras tarifárias é uma forma diferente de cobrança na conta de luz. O modelo reflete os custos variáveis da geração de energia. Antes, esse custo era repassado às tarifas uma vez por ano, no reajuste anual de cada empresa.

Economia

30 de Dez // | Economia

O governo do Estado anunciou nesta sexta-feira (29) que antecipou R$ 147,8 milhões do repasse do ICMS para os 417 municípios baianos. O valor foi depositado nesta quinta (28). De acordo com o governador Rui Costa, a antecipação, prometida por ele em novembro, foi um pedido dos prefeitos para auxiliar no fechamento das contas de 2017.

 

De acordo com o calendário das transferências constitucionais, o dinheiro seria repassado apenas em janeiro. O governo também depositou antes do prazo o aporte de R$ 89,6 milhões ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), com recursos provenientes dos três impostos estaduais (ICMS, IPVA e ITD).

 

A antecipação total de R$ 237,4 milhões foi possível após entendimento do Estado com o Banco do Brasil (BB) e diz respeito à arrecadação estadual entre os dias 23 e 27 de dezembro. Em 3 de janeiro serão repassadas as cotas relativas à arrecadação dos impostos estaduais no dia 28 de dezembro, último com expediente bancário em 2017. Entre os grandes municípios do estado, coube a Salvador o maior volume do ICMS antecipado: R$ 20,2 milhões.

Economia

29 de Dez // | Economia

O preço da gasolina e do diesel comercializados nas refinarias da Petrobras sofrerão reajustes. De acordo com a empresa, nesta sexta (29) a gasolina sobe 1,7% e o diesel 1,1%. A partir de sábado (30), haverá novo aumento, de 1,9% para a gasolina e 0,4% para o diesel. Nesta semana, o preço dos combustíveis nas refinarias já haviam sido ajustados.

 

Na quarta-feira (27), houve aumento de 1,1% no diesel e redução de 0,4% na gasolina. Na quinta-feir (28), também houve aumento de 0,9% no diesel. As variações fazem parte do modelo de reajustes frequentes praticados pela Petrobras, “em busca de convergência no curto prazo com a paridade do mercado internacional”, segundo a estatal.

 

“Analisamos nossa participação no mercado interno e avaliamos frequentemente se haverá manutenção, redução ou aumento nos preços praticados nas refinarias. Sendo assim, os ajustes nos preços podem ser realizados a qualquer momento, inclusive diariamente”, acrescenta a empresa. O preço final ao consumidor, nas bombas, dependerá de cada empresa revendedora e dos próprios postos de combustíveis segundo a Agência Brasil.

Economia

29 de Dez // | Economia

O presidente Temer assinou nesta sexta (29) uma medida provisória liberando um repasse de R$ 2 bilhões aos municípios. A medida deverá ser publicada em edição extra do “Diário Oficial da União”. A liberação da verba, no entanto, dependerá da aprovação pelo Congresso Nacional de um projeto de lei realocando o montante de outras áreas do Orçamento.

 

Só depois disso é que os municípios receberão o dinheiro. O objetivo da MP, segundo o governo, é que a verba ajude a “superar dificuldades financeiras emergenciais”. Os recursos deverão ser aplicados, preferencialmente, nas áreas de saúde e educação. O aporte será feito às cidades que recebem o Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

 

Esse fundo é abastecido com uma parte do que é arrecadado pela União com impostos. A distribuição dos recursos é feita de acordo com o número de habitantes. Segundo a MP, a parcela que caberá a cada um dos municípios será calculada nas mesmas proporções aplicáveis ao Participação dos Municípios para o ano de 2018. Por se tratar de uma medida provisória, ela entra em vigor assim que for publicada.

Economia

29 de Dez // | Economia

O presidente da República, Michel Temer, assinou nesta sexta-feira (29) decreto que fixa em R$ 954 o valor do salário mínimo em 2018, aumento de R$ 17 em relação ao valor em vigor. Atualmente, o salário mínimo está em R$ 937. A medida será publicada ainda nesta sexta em edição extra do "Diário Oficial da União". O reajuste valerá a partir de 1º de janeiro.

 

O reajuste do salário mínimo em 2018 é o menor em 24 anos. Também é menor do que a estimativa que havia sido aprovada pelo Congresso Nacional, de R$ 965. Com isso, o governo prevê economizar R$ 3,3 bilhões no ano que vem. O decreto presidencial estabelece ainda que o valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 31,8, e o valor horário, a R$ 4,34.

 

O valor de R$ 954 que valerá para 2018 é 1,81% maior que os R$ 937 do salário mínimo de 2017. Cerca de 45 milhões de pessoas no Brasil recebem salário mínimo, entre aposentados e pensionistas, cujos benefícios são, ao menos em parte, pagos pelo governo. Como é reajustado o salário mínimo? O baixo reajuste do salário mínimo está relacionado à fórmula como a correção é feita de um ano para o outro. Essa fórmula leva em consideração:

Economia

29 de Dez // | Economia

A novela acabou. O governador da Bahia, Rui Costa (PT), anunciou nesta quinta-feira (28) que o Banco do Brasil depositou o empréstimo de R$ 600 milhões concedido ao estado. A informação foi dada pelo petista nesta noite, em sua página no Facebook. “Não baixamos a cabeça diante do boicote e da perseguição aos baianos. E a Bahia venceu!"

 

"O empréstimo de R$ 600 milhões do Banco do Brasil finalmente foi depositado nas contas do Estado. Parabéns ao Poder Judiciário. Continuaremos confiantes na Justiça e firmes na luta pelos interesses da Bahia e dos baianos!", comemorou. O dinheiro foi liberado após decisão do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).

 

O TJ aceitou uma ação da Procuradoria-Geral do Estado contra a instituição financeira por não ter feito o desembolso nas contas do Estado. A demora na liberação do empréstimo, que já havia sido aprovado pelo governo federal, foi creditada por Rui e aliados a uma pressão da oposição, liderada pelo prefeito ACM Neto (DEM), que teria usado o fato de ser da base do presidente Michel Temer para barrar o dinheiro.

Economia

28 de Dez // | Economia

Brasileiros com renda de até R$ 10 mil ao ano doam proporcionalmente duas vezes mais do que quem recebe R$ 100 mil por ano segundo o Folha Press. É o que apontou a pesquisa Country Giving Report 2017 Brasil realizado pelo YouGov, a pedido da CAF (Fundação de Auxílio de Caridade, na sigla em inglês).

 

"Em termos de percentual da renda, o brasileiro que ganha menos doa mais, apesar de o valor absoluto ser maior", afirma Paula Fabiani, diretora-presidente do Idis (Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social), representante da CAF no Brasil. O estudo ouviu 1.313 brasileiros com mais de 18 anos, que moram em cidades e que tenham acesso à internet.

 

Enquanto a doação típica dos mais pobres ficou em torno de 1,2% de sua renda nos últimos 12 meses (cerca de R$ 100), a de quem tem maior poder aquisitivo representou 0,4% da renda anual (aproximadamente R$ 300). De maneira geral, o brasileiro segue solidário, ainda que no ranking mundial o país tenha caído para 75ª posição após alcançar, no ano passado, o 68º lugar, melhor colocação desde 2009.

Economia

27 de Dez // | Economia

Um total de 43.670 baianos ainda não sacou o PIS/Pasep, cujo prazo para retirada hoje (28) e, segundo o Ministério do Trabalho, não haverá nova prorrogação. O montante em dinheiro soma R$ 31,7 milhões. Em todo o Brasil, 1,4 milhão de trabalhadores não tinham sacado seu benefício até novembro. O valor total disponível soma R$ 979,54 milhões.

 

Para ter direito ao abono salarial ano-base 2015, o trabalhador formal precisa estar enquadrado nos seguintes critérios: vínculo formal a uma empresa ou órgão público por pelo menos 30 dias em 2015; remuneração média de até dois salários mínimos no período trabalhado; inscrição no PIS há pelo menos cinco anos; e ter seus dados informados corretamente pelo empregador no Rais.


O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, alerta para o encerramento do prazo. “Quem ainda não viu se tem direito, procure os bancos ou ligue para o telefone 158 do Ministério do Trabalho. Se informe, e se tiver direito ao benefício não deixe de sacar o dinheiro”, alerta. O chefe de divisão do abono salarial do ministério, Márcio Ubiratan, explica que o valor que cada trabalhador tem a receber é proporcional à quantidade de meses trabalhados.

Economia

27 de Dez // | Economia

Mesmo com os primeiros contratos de trabalho firmados a partir da reforma trabalhista, o Brasil fechou 12.292 vagas de emprego formal em novembro, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira (27) pelo Ministério do Trabalho segundo informações do Estadão.

 

O saldo negativo de novembro interrompe a sequência de sete meses seguidos de geração de empregos formais e decorre de 1.111.798 admissões e de 1.124.090 demissões. O dado inclui contratos firmados já sob as novas modalidades previstas na reforma trabalhista, como a jornada intermitente e a jornada parcial.

 

As regras começaram a vigorar em 13 de novembro. Resultados até outubro de 2017 não incluíam essas informações. O resultado surpreende todas as estimativas de analistas do mercado financeiro consultados pela Agência Estado, que esperavam abertura de 8 mil a 90 mil vagas, com mediana positiva em 23,8 mil postos. No acumulado de 2017 até novembro, há uma abertura de 299.635 postos de trabalho com carteira assinada.

Economia

27 de Dez // | Economia

O presidente Michel Temer assinou nesta terça-feira, 26, a medida provisória (MP) que reduz a idade mínima para o saque do PIS/Pasep. A proposta vai permitir que homens e mulheres possam sacar o benefício a partir dos 60 anos de idade. Temer havia anunciado a medida na semana passada, durante café da manhã com jornalistas.

 

Segundo o Ministério do Planejamento, a expectativa é de que a medida injete R$ 23,6 bilhões na economia e beneficie 12,5 milhões de pessoas. A medida será publicada ainda nesta quarta-feira, 27, no Diário Oficial da União. A medida provisória entrará em vigor 10 dias após a publicação.

 

A redução da idade mínima para acesso ao PIS/Pasep já havia sido alvo de uma primeira medida provisória, editada em agosto e que perdeu a validade no dia 21 deste mês. A proposta estabelecia que homens a partir dos 65 anos e mulheres a partir dos 62 poderiam ter acesso ao saldo. Antes dessa primeira MP, só era possível sacar o dinheiro a partir dos 70 anos ou em caso de aposentadoria segundo informações do Estadão Conteúdo.

Economia

27 de Dez // | Economia

Após três anos consecutivos de retração, as vendas a prazo na semana anterior ao natal cresceram em 4,7%. De acordo com a Agência Brasil, os dados trazem a comparação com o mesmo período de 2016 e foram divulgados na terça-feira (26) pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

 

“O acesso ao crédito mais difícil e os juros elevados ainda limitam o poder de compras dos brasileiros, mas, com a economia dando sinais de retomada, os consumidores foram às compras de forma menos tímida que nos últimos anos e também nas outras datas comemorativas de 2017”, disse o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro.

 

Neste ano, o gasto médio do brasileiro com o total de presentes de Natal foi de R$ 461 e a expectativa era que R$ 51 bilhões fossem movimentados na economia. Mesmo que o resultado pareça animador, Pellizzaro ressaltou que o crescimento de 2017 está longe do de anos antes da crise econômica. O levantamento das vendas é realizado por meio de consultas ao banco do SPC Brasil entre os dias 18 e 24 de dezembro.





Classificados


Enquete



Mais Lidas