Notícias

Economia

Economia

20 de Out // | Economia

O pagamento dos recursos do PIS/Pasep para os cotistas com idade a partir de 70 anos começou a ser pago nesta última quinta-feira (19). Conforme a Caixa Econômica Federal, responsável pelo pagamento do PIS, aproximadamente 253.201 mil baianos terão direito ao saque das cotas no estado.

 

A quantia liberada para o pagamento será de R$ 405 milhões. Já com relação ao Pasep, que é pelo Banco do Brasil, não há dados sobre quantas pessoas têm direito na Bahia e nem qual o montante a ser liberado. A assessoria de imprensa do banco informou que não há um recorte de dados por estados ou regiões.

 

Em todo o Brasil, o Governo Federal vai liberar um montante de R$ 15,9 bilhões para 8 milhões de idosos com direito ao saque do PIS/Pasep. Por conta do pagamento, as agências do Banco do Brasil em Salvador e em cidades do interior vão abrir uma hora mais cedo a partir desta quinta-feira até o dia 31 de outubro, mas apenas para pagamento aos cotistas do Pasep segundo informações do G1.

Economia

19 de Out // | Economia

Está liberado o saque do PIS/Pasep sob as novas regras a partir desta quinta-feira (19). A retirada do dinheiro vai ser feitas em etapas, nesta primeira, 3,6 milhões de pessoas já podem sacar o benefício. São quase R$ 16 bilhões para cerca de 8 milhões de pessoas em todo o país. Não há data limite para os saques.

 

Dá para consultar o saldo de cotas do PIS pela internet e nos caixas eletrônicos. Em média, cada favorecido terá direito a R$ 1,5 mil. Têm direito ao fundo, trabalhadores de empresas públicas e privadas que contribuíram para o Pasep ou para o PIS no período entre 1971 e 4 de outubro de 1988, que ainda não sacaram todo o saldo. Quem passou a contribuir após essa data, não tem saldo para resgatar.

 

Servidores públicos recebem no Banco do Brasil e quem trabalhou na iniciativa privada, na Caixa Econômica Federal. O calendário de pagamento é assim: nesta primeira cota liberada, pode sacar o PIS e o Pasep quem tem 70 anos ou mais. A partir de 17 de novembro, os aposentados com menos de 70 anos e no dia 14 de dezembro, mulheres a partir de 62 anos e homens com 65 anos ou mais que não estão aposentados.

Economia

18 de Out // | Economia

As tarifas postais dos Correios serão reajustadas pela segunda vez este ano para serviços nacionais e internacionais, conforme uma portaria assinada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, publicada no "Diário Oficial da União" desta quarta-feira (18). A mudança entra em vigor a partir desta data.

 

O novo reajuste acontece em duas parcelas. A primeira será de 6,121% por prazo indeterminado. Já a segunda será de 4,094% e passa a vigorar por 64 meses. Segundo a portaria, o serviço da carta não comercial passará a custar R$ 1,25. No caso de telegrama nacional redigido pela internet, a nova tarifa passará para R$ 7,69 por página.

 

O último reajuste foi anunciado em abril, quando a estatal elevou os preços das tarifas em 7,49%, quando informou que a mudança serviu para compensar o represamento das tarifas em anos anteriores, quando não houve repasse integral da inflação. Os Correios enfrentam a mais grave crise financeira de sua história, acumulando dois rombos de R$ 4 bilhões nos últimos dois anos segundo informações do G1.

Economia

17 de Out // | Economia

O balanço da audiência pública de avaliação das metas fiscais do governo baiano foi apresentado nesta terça-feira (17), na Assembleia Legislativa da Bahia, em Salvador. O resultado do investimento da Bahia foi de R$ 1,48 bilhão entre janeiro e agosto, mantendo-se em segundo lugar no país, atrás apenas de São Paulo.

 

O secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório, destacou que as despesas do setor público na Bahia com obras e ações que beneficiam diretamente a população tornam-se mais significativas, já que São Paulo, com um orçamento bem maior, investiu pouco mais que o dobro no mesmo período: R$ 3,5 bilhões.

 

De acordo com o secretário, o investimento baiano ficou acima do registrado pelas demais grandes economias do país, como Paraná (R$ 844,6 milhões), Minas Gerais (R$ 625,9 milhões), Rio Grande do Sul (R$ 312,5 milhões) e Rio de Janeiro (R$ 248,5 milhões). No Nordeste, o Ceará investiu no período R$ 1,041 bilhão e Pernambuco chegou a R$ 564,6 milhões segundo informações do Bocão News.

Economia

17 de Out // | Economia

O período de saques do PIS/Pasep para idosos com 70 anos ou mais começa somente nesta quinta-feira (19), mas aqueles que possuem conta no Banco do Brasil ou na Caixa Econômica Federal receberão crédito automático dos valores a partir desta terça-feira (17). As informações são do Ministério do Planejamento.

 

A estimativa da Caixa Econômica Federal é de que nesta terça-feira creditadas automaticamente 193,9 mil cotas do PIS, com saldo total de R$ 148,3 milhões. Já o Banco do Brasil prevê que 50,3 mil cotas do PASEP, com valor total de R$ 90,2 milhões, recebem o crédito automático segundo informações do G1.

 

No total, R$ 238,5 milhões serão pagos. O restante dos pagamentos, para quem tem a partir de 70 anos, será liberado a partir da próxima quinta-feira (19). Em seguida, serão contemplados aposentados em geral, a partir de 17 de novembro e, a partir de 14 de dezembro, mulheres com 62 anos ou mais e homens com 65 anos ou mais. Quem tem saldo para resgatar do PIS/Pasep?

Economia

16 de Out // | Economia

A Receita Federal paga nesta segunda-feira (16) as consultas ao quinto lote do Imposto de Renda de Pessoas Físicas de 2017. Este lote também inclui restituições residuais de 2008 a 2016. Acesse aqui a consulta ao 5º lote de restituições do IR 2017 Ao todo, serão pagos R$ 3 bilhões para 2.420.458 contribuintes.

 

Os depósitos serão feitos em 16 de outubro. Segundo a Receita, R$ 99,28 milhões serão liberados para 2.849 contribuintes idosos ou com deficiência física ou mental, que têm prioridade por lei em receber os valores. Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deve fazer a consulta no site da Receita. A consulta também pode ser feita pelo telefone 146.

 

A Receita também oferece aplicativos para tablets e smartphones, que permitem a consulta às declarações do Imposto de Renda. O prazo para envio da declaração de IR 2017 terminou às 23h59 de 28 de abril. A Receita informou ter recebido 28.524.560 de declarações. No fim do ano passado, a Receita Federal informou que 771 mil declarações estavam retidas na malha fina do IR de 2016 devido a inconsistências nas informações prestadas.

Economia

14 de Out // | Economia

Pesquisa do Ministério do Turismo realizada em setembro indica que 64,5% dos brasileiros que pretendem viajar nos próximos seis meses deverão optar pelo avião. Trata-se do maior percentual registrado desde junho de 2014. Para 25,7%, o carro será o meio de transporte utilizado, enquanto 7,5% optarão pelo ônibus.

 

A ampliação da malha aérea é uma das medidas incluídas no Brasil + Turismo, pacote de ações do governo federal lançado em abril para estimular o setor. “Em um país de dimensões continentais como o Brasil, é fundamental garantir a conectividade aérea para permitir que cada vez mais brasileiros descubram as belezas do nosso país”, afirmou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

 

De acordo com a Sondagem do Consumidor, o Nordeste segue sendo a região preferida dos viajantes com 50,3% de intenção de viagem, seguido pelo Sudeste (21,7%), Sul (15,5%), Centro-Oeste (7,8%) e Norte (4,7%). Quando o quesito é onde ficar durante a viagem, hotéis e pousadas seguem sendo os escolhidos por 49,5% dos turistas. A casa de parentes e amigos aparece em segundo lugar, sendo escolhido por 35,9% dos entrevistados.

Economia

13 de Out // | Economia

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta última quinta-feira (12) que acredita que "há uma chance muito boa" de o Brasil aprovar uma proposta de reforma da Previdência até o final do ano e alertou que o adiamento da votação pode ser prejudicial para o próximo governo que for eleito em 2018.

 

Meirelles, que participou de uma sessão de perguntas e respostas durante encontro do Instituto para Finanças Internacionais em Washington, disse que seria mais simples e "mais conveniente" aprovar a reforma neste ano, uma vez que o país terá eleições presidenciais em 2018, informa a Reuters.

 

"É uma questão de bom senso para o país aprovar agora a reforma da Previdência", disse Meirelles a jornalistas em Washington, nos Estados Unidos. "A reforma da Previdência é interesse ou deveria ser o interesse das diversas facções políticas. Porque, inclusive, se não for aprovada agora, ela terá que ser discutida e aprovada no próximo governo. Então isso será ruim para quem assumir, porque o primeiro desafio será exatamente enfrentar a reforma da Previdência", continuou.

Economia

11 de Out // | Economia

As obras da Ferrovia Oeste Leste (FIOL) no sul da Bahia, no trecho entre as cidades de Ihéus e Barra do Rocha, estão paradas e quase 1.500 trabalhadores foram demitidos. Os desligamentos começaram em no início de 2015 e terminaram em dezembro de 2016, segundo informações do Sindicato da Construção Pesada na Bahia.

 

Conforme a Valec, apenas funcionários do setor administrativo estão trabalhando. A empresa anunciou ainda que, até novembro deste ano, vai fechar o escritório da Valec em Ilhéus. A construção da FIOL na Bahia também está parada ou com o efetivo de funcionários reduzidos em todos os lotes, desde Barreiras, no oeste, até Caetié, no sudoeste da Bahia.

 

No sul da Bahia, o Lote 1 da FIOL tem quatro frentes de trabalho e corresponde a 120 km, entre Ilhéus e o município de Barra do Rocha. No local, as obras estão paradas desde o fim do ano passado. Trilhos que vão compor a ferrovia estão empilhados e, além de britas, há muitos dormentes de concreto, que são as peças que dão apoio aos trilhos. A obra da ferrovia começou em 2014 e parou definitivamente em dezembro de 2016.

Economia

11 de Out // | Economia

Montadoras estrangeiras devem investir cerca de R$ 15 bilhões no Brasil até 2022. O anúncio mais recente foi feito pela Mercedes-Benz, que nesta última segunda-feira (09) prometeu injeção de R$ 2,4 bilhões em suas fábricas de caminhões e ônibus no Brasil. Desde março, oito montadoras já comunicaram seu interesse nas fábricas brasileiras.

 

A postura da categoria é uma reversão aos ânimos do setor que sofreu com a crise, entre 2013 e 2016. Na ocasião, houve queda de 42% na produção de automóveis, comerciais leves e caminhões, resultando no encerramento de 35 mil postos de trabalho. O setor automotivo saiu de 3,7 milhões de unidades produzidas em 2013 para 2,2 milhões em 2016.

 

As perspectivas mais positivas são de uma recuperação tênue em 2017, com produção indo a 2,7 milhões de unidades, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).  No caso da Mercedes, os investimentos devem ser feitos entre 2018 e 2022 para modernização das fábricas de São Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora (MG), além de desenvolvimento de novos produtos e tecnologias.

Economia

10 de Out // | Economia

A produção industrial na Bahia cresceu 4,9% entre julho e agosto deste ano, o que levou o estado ao segundo lugar no ranking nacional entre as sete regiões com resultados positivos. O primeiro lugar ficou com o Espírito Santo, com 7,5% de crescimento. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

A variação positiva também se confirma quando o critério de comparação é o mesmo período do ano passado. Em relação a agosto de 2016, o crescimento foi de 4,6%. Este foi o segundo resultado positivo consecutivo obtido pelo estado na comparação, após 16 meses de quedas seguidas, e o melhor agosto desde 2013 (7%).

 

A principal influência positiva vei do avanço no setor de veículos automotores, reboques e carrocerias 918,3%), impulsionado principalmente pela maior produção de automóveis. Também apresentaram crescimentos os setores de produtos químicos (5%), produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (2,6%), indústria extrativa (13,9%) e fabricação de produtos de borracha e material plástico (11,8%).

Economia

10 de Out // | Economia

A Petrobras anunciou nesta terça-feira (10) reajuste médio de 12,9% no preço do botijão de gás de até 13 kg a partir desta próxima quarta-feira (11), devido à variação das cotações do produto no mercado internacional. A estatal esclareceu que o reajuste atual não se aplica ao GLP destinado a uso industrial e comercial.

 

"Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores", destacou a Petrobras.

 

Caso o reajuste seja integralmente repassado pelas distribuidoras e revendedoras, o preço ao consumidor final pode subir em média 5,1% ou cerca de R$ 3,09 por botijão, estimou a Petrobras. O último reajuste ocorreu em 26 de setembro de 2017, quando o preço subiu em média 6,9%. Em nota, o Sindigás, que representa as empresas distribuidoras, estimou que o reajuste oscilará de 7,8% a 15,4%, de acordo com o polo de suprimento.

Economia

09 de Out // | Economia

A liberação para pagar boletos vencidos abaixo de R$ 2 mil em qualquer banco foi adiada para 2018, informou a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Inicialmente, a mudança estava prevista para entrar em vigor a partir desta segunda-feira (09). A nova plataforma tem sido implantada de forma gradual, conforme o valor do boleto.

 

O sistema anterior só permite fazer o pagamento em atraso no banco que emitiu a cobrança. Desde setembro, foi liberado o pagamento das contas atrasadas iguais ou acima de R$ 2 mil. Segundo a Febraban, estes valores alcançam 3,7% dos boletos emitidos no país. Em julho, só podiam ser pagos boletos acima de R$ 50 mil.

 

De acordo com a Febraban, o volume elevado de documentos no novo sistema, estimado em 4 bilhões de boletos por ano, fez com que o setor bancário decidisse rever o cronograma original, que previa a inclusão de todos os boletos até o fim do ano. O montante é comparável à capacidade das grandes processadoras de cartões de crédito do mundo, segundo a entidade segundo informações do G1.

Economia

09 de Out // | Economia

A Receita Federal abre nesta segunda-feira (09), a partir das 9 horas, as consultas ao quinto lote de restituição de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2017. O lote contempla mais de 2,3 milhões de contribuintes, com a liberação de R$ 2,8 bilhões. O valor será creditado na próxima segunda-feira (16).

 

Também será liberada a restituição residual dos exercícios de 2008 a 2016, para mais de 2,4 milhões de contribuintes, no valor total de R$ 3 bilhões. Desse montante, R$ 99,289 milhões referem-se aos contribuintes com prioridade no recebimento: 22.351 idosos e 2.849 com deficiência física, mental ou doença grave.

 

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na Internet, ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante a entrega de declaração retificadora.

Economia

08 de Out // | Economia

O governo vai editar uma medida provisória (MP) para estender o prazo de concessão de 615 usinas em todo o País, para compensá-las por prejuízos acumulados em razão de subsídios concedidos às Hidrelétricas de Belo Monte, Jirau e Santo Antônio segundo informações do Estadão Conteúdo. O texto deve sair nos próximos dias.

 

A extensão de cada contrato deve levar em conta o tamanho do rombo financeiro que foi ocasionado por vantagens concedidas exclusivamente às três usinas amazônicas nos últimos cinco anos, uma conta estimada em R$ 8,6 bilhões pela Associação Brasileira de Geração de Energia Limpa (Abragel).

 

A origem do problema está em uma das várias benesses que foram criadas pelo governo para ter sucesso no leilão dessas usinas. Uma "pedalada" permitiu que essas hidrelétricas pudessem vender mais energia do que produziam à custa de outras usinas. Na prática, elas tiveram a chance de antecipar receitas, vendendo megawatts em leilões de energia, quando ainda não tinham condições de entregar essa geração.

Economia

08 de Out // | Economia

A bandeira tarifária, que aplica uma taxa extra nas contas de luz quando aumenta o custo de geração de energia no país, ficou na cor vermelha durante mais da metade do tempo desde que entrou em vigor, em janeiro de 2015. A cor vermelha indica que está muito alto o custo de produção de energia no Brasil e que serão aplicadas as maiores taxas adicionais.

 

De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), os consumidores pagaram cerca de R$ 20,8 bilhões a mais nas contas de luz de janeiro de 2015 a agosto de 2017 (dado mais recente disponível) devido à cobrança da taxa extra das bandeiras. Dos 34 meses contados até outubro deste ano, 19 (55,9% do total) foram sob bandeira vermelha, nem sempre seguidos.

 

Os dados evidenciam que os consumidores brasileiros têm convivido com energia mais cara com frequência nos últimos anos. A razão para isso é a estiagem . A bandeira vermelha tem dois patamares, e o preço da taxa extra pode ser de R$ 3 ou R$ 3,50 por 100 KWh de energia consumidos. Na semana passada a Aneel anunciou que a bandeira ficaria na cor vermelha patamar 2 em outubro, o que obrigará os consumidores a pagarem a taxa extra mais cara.

Economia

07 de Out // | Economia

Levantamento aponta que 50% dos consumidores brasileiros atrasaram as parcelas de empréstimos ou financiamentos no mês de agosto. Desse total, 34% tiveram atrasos ao longo do contrato e 16% estavam com parcelas pendentes no mês. Os dados foram divulgados pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas.

 

Entre os entrevistados, 42% recorreram a pelo menos uma forma de crédito em agosto, ante 58% que não fez compras a prazo ou empréstimo. Segundo a pesquisa, 14% contraíram algum empréstimo e têm parcelas a pagar; 18% têm pendentes parcelas de financiamentos segundo informações da Agência Brasil.

 

Nas lojas, considerando apenas quem tentou fazer compra parcelada, 63% tiveram o crédito negado, sendo o motivo principal a inadimplência (24%), seguida por renda insuficiente (11%). A tomada de empréstimos e financiamentos é vista como difícil ou muito difícil por 44% dos consumidores. Para 18%, não é nem fácil nem difícil e, para 15%, fácil ou muito fácil. O cartão de crédito foi a modalidade mais utilizada, mencionada por 35% dos consumidores.

Economia

06 de Out // | Economia

A maioria das crianças e dos adolescentes das classes D e E, pertencentes a famílias que recebem menos de 3 salários mínimos, acessa a internet exclusivamente pelo celular. Segundo a pesquisa TIC Kids Online, 61% dos jovens de 9 a 17 anos no período de três meses, usaram a rede ao menos uma vez fizeram o acesso apenas pelo telefone móvel.

 

O índice cai para 12% entre crianças e adolescentes das faixas de renda mais altas, classes A e B. No total dos jovens, 37% acessam a internet apenas pelo celular. Enquanto 54% navegam no mundo virtual tanto pelos dispositivos móveis quanto pelo computador, apenas 7% acessam a rede exclusivamente por computador.

 

De acordo com o estudo, em relação a toda a população com idade entre 9 e 17 anos, 82%, ou seja, 24,3 milhões de jovens acessam a internet. O levantamento foi feito com base em 3 mil entrevistas domiciliares com crianças e adolescentes e 3 mil com pais e responsáveis entre novembro de 2016 e junho de 2017. O índice de uso da rede nas classes D e E é de 66%, enquanto nas faixas A e B fica em 98%.

Economia

06 de Out // | Economia

Os Correios e o Banco do Brasil anunciaram na quinta (5) que chegaram a um acordo para evitar provisoriamente o encerramento dos serviços do Banco Postal em mais de 1.800 agências dos Correios. Em comunicado, as estatais afirmam que irão negociar nos próximos 4 meses alternativas para viabilizar a permanência da parceria.


"O acordo a ser formalizado entre as duas instituições permitirá encontrar solução para manter, até 31 de janeiro, o funcionamento de todos os pontos de atendimento do Banco Postal que seriam encerrados no dia 11/10", diz o comunicado. Atualmente, o serviço é oferecidos em cerca de 6.500 agências dos Correios.

 

O Banco Postal é uma parceria com o Banco do Brasil que se vale da rede de atendimento dos Correios para a intermediação de serviços bancários básicos. Em vários municípios chega a ser a única opção de acesso bancário e de saque de benefícios da Previdência Social. No final de 2016, os Correios fecharam acordo com o Banco do Brasil para manter a parceria por mais 36 meses.

Economia

06 de Out // | Economia

Com a recuperação da economia e do mercado de trabalho, comerciantes estão otimistas com as vendas para o Dia das Crianças. Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a expectativa é que a data movimente R$ 7,4 bilhões. Caso esse número se confirme, haverá um aumento de 3,4% frente a 2016.

 

É o melhor resultado em quatro anos. Os dados da CNC mostram ainda que esta será a primeira alta das vendas depois de dois anos de queda. A entidade, na pesquisa, avalia que o cenário econômico se tornou mais favorável, diante de uma melhora de uma série de indicadores importantes para o consumo.

 

“A perspectiva mais favorável acerca do desempenho do setor nessa data comemorativa se insere em um contexto mais amplo, no qual a recuperação do mercado de trabalho, inflação baixa e juros em processo de redução permitem um resgate parcial das condições de consumo”, argumentou o chefe da Divisão Econômica da Confederação Nacional do Comércio, Fabio Bentes. Informações do Portal Brasil

Economia

05 de Out // | Economia

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta quinta-feira (5) que prevê a aprovação da reforma da Previdência na Congresso em novembro. Nos meses anteriores, ele afirmou diversas vezes que o texto seria aprovado até outubro. A mudança de prazo ocorre após o presidente Michel Temer ser denunciado pela segunda vez pela PGR.

 

“A nossa expectativa é novembro no momento. Exatamente por causa da evolução da dinâmica do Congresso Nacional. A prioridade agora do Congresso é exatamente a votação dessa denúncia que se espera que seja votada até o final de outubro e a partir daí a prioridade absoluta, seja do presidente da Câmara ou do Senado ou do executivo, é a votação da Previdência”.

 

A reforma da Previdência é uma das principais pautas da agenda econômica de Meirelles. O ministro da Fazenda diz que sem a mudança nas regras de aposentadorias e pensões as contas públicas não fecham. Refis:  O ministro da Fazenda também comentou a aprovação no Senado nesta quinta (5) da medida provisória que cria o Refis, programa que permite a pessoas físicas e jurídicas a renegociação das dívidas tributárias com a União.

Economia

05 de Out // | Economia

Os serviços prestados pelo Banco Postal nas agências dos Correios na Bahia serão encerrados a partir da próxima quarta-feira (11), conforme anunciado pela empresa. Em todo o estado, o serviço será suspenso em 440 unidades. As agências dos Correios não serão fechadas, apenas o serviço de correspondente bancário será descontinuado.

 

Os demais serviços dos Correios continuarão a ser prestados normalmente nas unidades, segundo a empresa. Segundo nota enviada pela assessoria de imprensa dos Correios, os altos custos de manutenção e segurança tornam "inviáveis" os serviços do Banco Postal.

 

Em todo o Brasil, os serviços deixarão de ser prestados em 1.827 agências da estatal em 12 estados. Segundo os Correios, Bahia e Paraná serão os estados com o maior número de encerramentos. O Banco Postal é uma parceria com o Banco do Brasil que se vale da rede de atendimento dos Correios para a intermediação de serviços bancários básicos. Em vários municípios chega a ser a única opção de acesso bancário.

Economia

03 de Out // | Economia

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, afirmou na segunda (2) que acha que a privatização da Petrobras vai acontecer, mas que o governo atual não pode tocar todas as agendas ao mesmo tempo. Ao ser questionado sobre o motivo pelo qual o governo não privatiza a Petrobras, como pretende fazer com a Eletrobras.

 

“Eu acho que isso vai acontecer. É um caminho”, afirmou o ministro. Eletrobras: Ao comentar o processo de privatização da Eletrobras, o ministro disse que o processo incluirá Furnas e Chesf, que são subsidiárias da Eletrobras. “Vamos privatizar a Eletrobras enquanto holding e suas filiadas”, disse.

 

Coelho Filho reforçou que a ideia do governo é privatizar a empresa através da redução de sua privatização e não da venda de suas ações. Para isso o governo oferecerá para a Eletrobras usinas hidrelétricas que entraram no sistema de cotas – sistema que só remunera a estatal para a operação das usinas. Para pagar a União pelas usinas, a Eletrobras faria emissão de ações, o que diluiria a participação da União a um percentual inferior a 50%.

Economia

03 de Out // | Economia

A primeira etapa de pagamento das cotas do PIS/Pasep começa no dia 17 deste mês para beneficiários com mais de 70 anos. A liberação das cotas do PIS/Pasep deve injetar 15,9 bilhões de reais na economia, beneficiando cerca de 8 milhões de pessoas. A partir de 17 de novembro, o pagamento será efetuado para aposentados, independentemente da idade.

 

No dia 14 de dezembro, começa o pagamento dos maiores de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres). Herdeiros de beneficiários já falecidos têm direito ao saque da cota do PIS/Pasep. Nessa situação, o saque pode ser efetuado a qualquer momento pelo herdeiro. O fundo PIS/Pasep foi criado na década de 1970.

 

Na época, as empresas depositavam mensalmente um valor proporcional ao salário dos trabalhadores em contas vinculadas, como ocorre hoje com o FGTS. As empresas deixaram de fazer esse depósito em conta vinculada a partir da Constituição de 1988, passando a recolher para a União, que destina o recurso ao Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), responsável pelo pagamento de benefícios como Seguro-Desemprego e Abono Salarial.

Economia

01 de Out // | Economia

A taxa extra cobrada na conta de luz dos brasileiros aumenta a partir deste domingo (1º). Em outubro, a chamada bandeira tarifária será vermelha nível dois. É a primeira vez que a taxa extra atinge esse patamar, que representa um custo adicional de R$ 3,50 a cada 100 kilowatts-hora em eletricidade consumidos.

 

Em setembro, a bandeira em vigor era a amarela, com custo extra de R$ 2 a cada 100 kWh consumidos. O motivo é a seca, que prejudica os reservatórios das hidrelétricas e leva ao uso das usinas termelétricas, que têm custos mais altos. A definição leva em conta projeções de chuva na área dos reservatórios das hidrelétricas e de consumo, além de outros fatores.

 

As bandeiras começaram a ser cobradas em janeiro de 2015 e servem para cobrir esse custo mais alto de gerar energia por meio das termelétricas. Pouca chuva, conta mais cara: Quando há pouca chuva, o nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas cai, o que diminui a produção de energia. Para compensar essa queda, o governo manda acionar usinas termelétricas, a carvão, que são mais caras.

Economia

29 de Set // | Economia

O governo federal informou na quinta-feira (28) que começa em 19 de outubro o calendário de saque do PIS/Pasep que vai ser antecipado para beneficiar idosos. Anunciada em agosto, a medida vai liberar R$ 15,9 bilhões a cerca de 7,8 milhões de pessoas. Serão beneficiados homens com 65 anos ou mais e mulheres com 62 anos ou mais.

 

No caso de cotistas falecidos, os herdeiros terão direito aos recursos. Em junho de 2016, o saldo médio por cotista do PIS/Pasep era de R$ 1.187. A maioria dos cotistas possuía ao menos R$ 750 a ser resgatado. Não há data limite para que os recursos sejam sacados segundo informações do G1.

 

Ou seja, a partir das datas informadas acima, o dinheiro vai estar disponível para o cotista e poderá ser retirado no momento em que ele achar mais conveniente. Além disso, daqui para a frente os recursos estarão disponíveis para saque para mulheres que completarem 62 anos e homens a partir dos 65 anos. Portanto, uma mulher que só faça 62 anos (ou homem 65 anos) no final de 2018, poderá fazer o saque, desde que tenha recursos no PIS ou no Pasep.

Economia

29 de Set // | Economia

A tarifa extra em vigor nas contas de energia ficará mais cara a partir de outubro. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve anunciar nesta sexta-feira (2) que a bandeira tarifária vai passar para vermelha patamar 2, o mais caro previsto, e a taxa cobrada nas contas de luz será R$ 3,50 a cada 100 kWh consumidos.

 

Seria a primeira vez desde 2015, quando o sistema foi criado, que a taxa extra de R$ 3,50 seria cobrada. Em setembro vigorou a bandeira amarela, que aplica taxa extra de R$ 2 para cada 100 kWh de energia consumidos. O motivo para o encarecimento é a estiagem e a necessidade de uso mais intenso das termelétricas, de acordo com o G1.

 

O custo de geração de energia fica mais alto conforme aumenta o uso de usinas termelétricas, já que tal modalidade usa combustível (óleo, gás, carvão, biomassa) para gerar eletricidade - a mais cara produzida pelas hidrelétricas. Neste ano, o país enfrenta um anova estiagem, que reduziu o volume de água armazenado nos reservatórios das principais hidrelétricas do país. Por casua da necessidade de poupar essa água, o governo aciona mais termelétricas para atender à demanda dos consumidores.

Economia

29 de Set // | Economia

A Bahia tem os municípios com maior rebanho caprino, ovino e alevino [peixes jovens] do país. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (28) pela Pesquisa da Produção da Pecuária Municipal (PPM), do IBGE. Segundo o levantamento, o município de Casa Nova, no Sertão do São Francisco, tem o maio rebanho do país de caprinos

 

[bodes, cabras e cabritos] e ovinos [ovelhas, carneiros e burregos], com 468.258 caprinos, ou 4,8% do total nacional, e 408.526 ovinos, ou 2,2% de todo Brasil. Juazeiro, na mesma região, tem o quarto maior rebanho do país, com 211.133 cabeças. A Bahia tem 22 municípios entre os 50 primeiros do país com maior efetivo de caprinos.

 

No rebanho bovino, a Bahia detém o maior plantel, 3.497.190 animais, ou quase 1 a cada 5 ovinos brasileiros (19%). Em relação aos alevinos, Paulo Afonso, na parte norte do Vale do São Francisco na Bahia, é o maior produtor brasileiro, com 112.786 milheiros. Na comparação nacional, a Bahia é terceiro estado produtor de alevinos, com 11,2% do total (ou 131.512 milheiros).

Economia

28 de Set // | Economia

Doze municípios baianos empregam mais de 90% dos trabalhadores com carteira assinada da cidade. Os dados são do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), divulgados pelo IFGF 2017 [Índice Firjan de Gestão Fiscal] da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan).

 

Segundo a pesquisa, 12 cidades baianas bancam o emprego de 9 de cada 10 moradores. Em Mansidão, no extremo oeste, e Macururé, na parte norte do Vale do São Francisco, as prefeituras chegam a contratar quase todo mundo, chegando ao índice de 96,6% de emprego formal nesses locais.

 

Abaixo das duas, aparecem Buritirama, Novo Horizonte, Ipecaetá, Irajuba, Mulungu do Morro, Morpará, São José do Jacuípe, Bom Jesus da Serra, Lamarão e Matina. Conforme a analista de estudos econômicos do Sistema Firjan, Nayara Freire, o problema desses municípios fica maior com a dependência por transferências externas, recursos que chegam do Estado e da União, como o programa Bolsa Família.

Economia

27 de Set // | Economia

A Bahia vai ficar de fora do horário de verão mais uma vez. O governador Rui Costa confirmou a informação durante um evento na manhã desta terça-feira (26). Este é o sexto ano consecutivo que o estado não vai aderir. A última vez que a Bahia adiantou os relógios no verão foi em 2011, após oito anos sem participar.

 

Em 2012, o governador Jaques Wagner chegou a anunciar que a Bahia entraria no horário de verão, mas a decisão foi cancelada. A justificativa, segundo o governo, foi pela rejeição da população. Uma pesquisa encomendada pelo governo na época apontou que 75% da população baiana se mostrava contrária à adesão ao horário de verão.

 

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, confirmou nesta última segunda-feira (25) que o horário de verão será mantido em 2017. Com a decisão, os moradores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão adiantar os relógios em 1 hora a partir do dia 15 de outubro. O fim do horário de verão chegou a ser avaliado pelo governo depois que um estudo do Ministério de Minas e Energia apontou queda na efetividade do programa.

Economia

26 de Set // | Economia

O desemprego ainda assusta os moradores da região Nordeste. Apesar de o emprego dar os primeiros sinais de reação, o mercado de trabalho não se recupera da mesma forma em todo o País. Enquanto na região Centro-Oeste o total de pessoas em atividade já recuperou os níveis pré-crise, no Nordeste, essa trajetória vai na contramão.

 

A queda da população ocupada só se aprofundou entre o primeiro trimestre de 2015 e os três meses encerrados em junho deste ano. Ainda conforme a publicação, nesse período, o número de pessoas com trabalho no Brasil caiu 2,4 milhões, segundo cálculos da consultoria A.C. Pastore e Associados, a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad-Contínua).

 

No Sudeste, a queda na indústria e na construção civil ainda impedem uma recuperação mais robusta no número de brasileiros ocupados. Sem depender demais de um setor específico, a região Sul, por sua vez, é a que já está mais próxima da retomada. Já o mercado de trabalho da região Norte, apesar de ter registrado queda no número de ocupados na indústria e também ser dependente de investimentos, tem números melhores que os dos Nordeste.

Economia

26 de Set // | Economia

O secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, Mansueto Almeida, afirmou a jornalistas na segunda (25) que, quanto mais rápido ocorrer a reforma da Previdência, será melhor para todos, incluindo para o próximo presidente da República. "Quanto mais se atrasar, mais duro terá que ser a reforma", disse.

 

Manueto falou após participar de evento na Fundação Getulio Vargas (FGV). Questionado se a segunda denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer vai atrapalhar o andamento da Previdência, Mansueto ressaltou que essa resposta vai depender dos políticos.

 

O próprio ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, tem trabalhado com os parlamentares para articular e viabilizar a aprovação da reforma, disse o secretário. A votação do texto no Congresso, ressaltou, depende do ambiente político. "O que a gente tem deixado muito claro é que a reforma é essencial. Quanto mais rápido acontecer melhor, inclusive para o próximo governo." Sem a reforma, não haverá como cumprir o teto para os gastos públicos, ressaltou o secretário.

Economia

26 de Set // | Economia

O ex-presidente do Banco Central Gustavo Franco avalia que a crise na Petrobras abriu uma "janela" para a retomada das privatizações no País, e que o Banco do Brasil seria a estatal no momento "pronta" para a venda. Gustavo Franco participou na segunda (25) a lado do ex-ministro da Fazenda, Pedro Malan, de seminário para empresários em Belo Horizonte.

 

"Depois desse episódio (corrupção na Petrobras), é muito fácil entender que uma empresa estatal é vulnerável à captura por políticos corruptos. Não há assunto de liberalismo nisso. Há assunto de código penal", afirmou segundo informações do Estadão Conteúdo. "Pessoalmente, acho que o Banco do Brasil está pronto (para ser vendido)".

 

O ex-presidente do Banco Central disse, no entanto, que o BB "não pode e não deve ser comprado pelo Itaú nem pelo Bradesco", afirmou, se referindo aos maiores bancos privados do País. Franco disse ainda, que, vendido o BB, a Caixa Econômica Federal deveria se tornar empresa de capital aberto para "melhorar governança". Gustavo Franco afirmou haver outras possibilidades de saída para a crise econômica que não o aumento de impostos.

Economia

25 de Set // | Economia

Em clima bastante seco na área das hidrelétricas brasileiras e projeções de chuva abaixo da média nos próximos meses devem fazer com que o ano de 2018 comece já com pressão nas contas de luz, que poderão ter cobranças adicionais, segundo projeções oficiais e especialistas ouvidos pela Reuters.

 

As preocupações vêm em um momento em que o governo já conversa sobre a possibilidade de promover uma campanha a partir da reta final deste ano com o objetivo de incentivar a população a reduzir o consumo, diante da perspectiva de custo elevado para atender à demanda em meio à menor oferta de geração hídrica.

 

Atualmente, a bandeira tarifária das contas de luz é amarela, o que significa um custo adicional de R$ 2 a cada 100 kilowatts-hora em eletricidade consumidos. A bandeira vermelha eleva o adicional para R$ 3 em seu primeiro patamar e para R$ 3,50 no segundo patamar, o que deve ocorrer já em outubro, segundo avaliação do diretor-geral da Agencia Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino.

Economia

25 de Set // | Economia

O líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse neste último domingo (24), após participar de uma reunião com o presidente Michel Temer, ministros e parlamentares da base no Palácio do Jaburu, em Brasília, que a "tendência" é que o governo mantenha o horário de verão em vigor neste ano.

 

De acordo com o deputado Aguinaldo Ribeiro, o horário de verão foi um dos temas discutidos no encontro. Na semana passada, a Casa Civil da Presidência da República confirmou que o governo avalia a "conveniência" de manter o programa devido ao baixo impacto na economia de energia.

 

"A avaliação de todos que participaram da reunião é uma avaliação no sentido de se manter o horário [de verão], mas essa decisão será tomada posteriormente pelo presidente e pelo ministro da pasta [de Minas e Energia]", disse Ribeiro a jornalistas após deixar o Jaburu. "Nós fizemos uma avaliação de que a tendência é que isso [horário de verão] se mantenha", completou ele segundo informações do G1.

Economia

24 de Set // | Economia

Em meio a sinais de recuperação da atividade econômica, o governo inicia na próxima quarta-feira (27) uma série de leilões com os quais pretende levantar no mínimo R$ 21,4 bilhões até o fim do ano. A expectativa é que haja disputa pelos negócios e que o interesse das empresas eleve a arrecadação do governo.

 

Se isso ocorrer, a equipe econômica diz que será possível liberar mais recursos contingenciados do Orçamento para os ministérios.Na quarta o governo colocará à venda quatro usinas hidrelétricas da estatal mineira Cemig, cujos contratos venceram e não foram renovados, e um conjunto de 29 áreas para exploração de óleo e gás em mar e em terra.

 

Só com esse pacote, a expectativa mínima de arrecadação é de R$ 12,64 bilhões. Os investimentos atrelados a eles são da ordem de R$ 2,3 bilhões."Será um dia para ficar na história", disse o secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Vasconcelos. "Ficará claro o interesse dos investidores nacionais e estrangeiros" segundo informações do Estadão Conteúdo.

Economia

23 de Set // | Economia

O governo federal deve lançar na próxima semana um novo programa social, cujo objetivo é elevar a renda de 1 milhão de famílias para que elas possam deixar o Bolsa Família em 2 anos. A informação foi divulgada ao portal G1 pelo ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra. A ação será batizada de Progredir.

 

Serão oferecidos de qualificação profissional, auxílio à seleção de vagas de trabalho, além de R$ 3 bilhões em microcrédito para as famílias de baixa renda. “É um programa vinculado ao público do Bolsa Família, a população mais pobre do Brasil, que visa criar oportunidade de emprego e renda para essa população. Não é um programa para tirar as pessoas do Bolsa Família”, explica.

 

De acordo com Terra, o programa é visto como “uma forma de emancipação”. Os detalhes do projeto foram fechados nesta quinta-feira (21) em uma reunião com Michel Temer, após seu retorno de Nova York. Jovens da cidade e do campo poderão ser beneficiados. A perspectiva é de que o Progredir possa abranger mais do que os 13,4 milhões de famílias que recebem o Bolsa Família, já que o CadÚnico reúne mais de 28,2 milhões de famílias.

Economia

22 de Set // | Economia

A economia brasileira abriu 35.457 vagas de trabalho com carteira assinada em agosto deste ano, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. No mês passado, foram registradas 1.254.951 contratações e 1.219.494 demissões de trabalhadores com carteira assinada segundo o Ministério do Trabalho

 

A diferença entre os dois números é o saldo positivo de 35.457 vagas. Foi o quinto mês seguido com criação de postos de trabalho com carteira assinada no país. Foi também a primeira vez, desde 2014, em que as contratações superaram as demissões no mês de agosto. Deste modo, foi o melhor mês de agosto em três anos.

 

Em agosto de 2015 e de 2016, respectivamente, foram fechadas 86.543 e 33.953 vagas de trabalho. Em agosto de 2014, por sua vez, foram abertas 101.425 vagas de empregos com carteira assinada. O melhor agosto da série histórica, que começa em 1992, aconteceu em 2010 - quando foram criadas 299.415 vagas formais. No acumulado de janeiro a agosto deste ano, foram gerados 163.417 empregos com carteira assinada.

Economia

22 de Set // | Economia

A Bahia superou Minas Gerais se tornou o segundo maior estado produtor de frutas do Brasil, segundo a Pesquisa Nacional Agrícola dos Municípios (PAM) de 2016 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IGBE), divulgada na quinta-feira (21) em Salvador. São Paulo permanece na liderança com a maior produção.

 

O grande destaque da pesquisa é o baixo sul da Bahia. Na região, o município de Wenceslau Guimarães pela primeira vez apareceu no levantamento entre os 20 municípios do país que mais geram renda a partir da fruticultura. A cidade passou da 34ª para a 12ª posição no ranking nacional, que engloba mais de 5.563 municípios, graças à produção de frutas como a graviola e a banana.

 

Somente em 2016, foram produzidas 115,9 mil toneladas de banana, que geraram mais de R$ 207,9 milhões. No quesito valor de produção agrícola, a Bahia se manteve na 7ª posição no ranking nacional. Frutas como mamão, abacaxi e graviola geraram, no ano passado, R$ 6,3 bilhões no estado, 8,5% a mais que em 2015. Os principais polos produtores continuam sendo o norte do estado.

Economia

21 de Set // | Economia

O governo estuda acabar com o horário de verão. O assunto está em avaliação na Casa Civil e caberá ao presidente Michel Temer bater o martelo. A intenção é decidir sobre o tema nas próximas semanas, já que a vigência do horário está prevista para começar em outubro e ir até fevereiro.

 

O horário de verão foi criado para economizar energia elétrica enquanto está em vigor. Estudo do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e do Ministério de Minas e Energia concluiu, porém, que essa política tem efeitos quase neutros no consumo de eletricidade. Ou seja, seu principal objetivo não é mais atingido.

 

Entre os técnicos que defendem manter o horário, o argumento é que ele pode ser positivo para setores como comércio e turismo. Isso porque as pessoas têm mais uma hora para consumir. O estudo atribui esse resultado à “mudanças no perfil” da sociedade. No passado, quando o horário era mais eficiente, as pessoas e empresas eram estimuladas a encerrarem suas atividades do dia com a luz do sol.





Classificados


Enquete



Mais Lidas