Notícias

Tempo

Tempo

17 de Mai // G1 | Tempo
O muro de um imóvel no bairro da Federação, em Salvador, foi derrubado por uma enxurrada na manhã desta quarta (17). Um morador de um prédio em frente ao local onde o muro caiu registrou o momento em que a força da água da chuva que atingiu a capital baiana nesta manhã, arrastou a estrutura de concreto e alcançou, ao menos, outros dois imóveis vizinhos da Rua Mestre Pastinha.
 
Um morador tentou abrir um buraco no muro para que a água escoasse, mas não adiantou. Ainda assim, o muro foi levado pela água. No momento do ocorrido, os moradores da casa onde o muro caiu estavam dentro do imóvel. Ninguém ficou ferido. A água invadiu o local e destruiu eletrodomésticos e móveis.
 
Também houve estragos nas casas vizinhas. Em uma delas, a água arrastou até uma geladeira. Amigos e parentes se reuniram para limpar os imóveis. De acordo com a Defesa Civil de Salvador (Codesal), no período de uma hora, o índice pluviométrico em Salvador alcançou 63,1mm na região do bairro da Federação. Várias áreas de Salvador ficaram alagadas por conta da chuva nesta quarta-feira.

Tempo

05 de Mai // G1 | Tempo
A capital baiana amanheceu com chuva nesta sexta-feira (5) e os ventos úmidos vindos do Oceano Atlântico devem manter o tempo chuvoso na cidade no fim de semana, de acordo com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). As temperaturas, no entanto, continuam elevadas, com valores variando entre mínimas de 22°C e máximas de 31°C.
 
As ruas Régis Pacheco, no bairro do Uruguai, e a Oscar Pontes, no Comércio, estão alagadas na manhã desta sexta por conta da chuva. Os motoristas e pedestres devem ter cuidado ao trafegar na localidade. Segundo o Inema, uma massa de ar quente e seco predomina na faixa centro-oeste e norte do estado, o que deve manter o céu com poucas nuvens e sem chuvas.
 
Além de deixar o tempo seco, a permanência da massa de ar influencia nas temperaturas dessas regiões. Com a pouca nebulosidade, os índices ficam mais elevados durante o dia, especificamente no período da tarde, quando as máximas podem chegar aos 36°C em algumas localidades. Já durante a madrugada e nas primeiras horas da manhã, estes índices diminuem, podendo chegar a mínimas de até 18°C.

Tempo

02 de Mai // | Tempo
Uma chuva forte atingiu o distrito de Cumuruxatiba, localizado no município de Prado, no extremo sul da Bahia, deixou ruas alagadas e causou transtornos aos moradores. O temporal foi no domingo (30). Ainda continua chovendo na região nesta terça-feira (2º), mas com menor intensidade. O G1 confirmou as informações com a prefeitura da cidade.
 
Segundo a administração, um córrego que corta a região, e que desagua no mar, transbordou e alagou alguns pontos. Não há informações de feridos. Um vídeo gravado por uma moradora, no domingo, mostra a situação de uma das ruas, que ficou completamente tomada pela água. Nas imagens, é possível perceber a dificuldade encontrada por condutores que se arriscaram a passar pelo local.
 
Um motociclista por pouco não ficou atolado em meio a enxurrada. O tempo deve pemanecer chuvoso em Prado nos próximos dias, segundo previsão do Inmet. Hoje (2), o céu ficará nublado com risco de pancadas de chuva pela manhã, à tarde e a noite. Na quarta, na quinta e na sexta o céu fica encoberto e o sol pode aparecer entre núvens, com risco de chuva fina. A temperatura mínima nos dias seguintes fica acima dos 20 graus, enquanto a máxima não deve passar dos 28 graus.

Tempo

17 de Abr // G1 | Tempo
O nascimento da ‘cebola-brava’ entre as roças do semiárido da Bahia não iludiu os produtores rurais e industriais do município de Valente, que fica a cerca de 250 quilômetros de Salvador. A flor, que resiste e cresce no solo seco, fez valer o prenúncio de chuva e amenizou o sufoco de uma população que lida com a pior seca já registrada desde a década de 1960.
 
Gerente industrial da Associação de Desenvolvimento Sustentável e Solidário da Região Sisaleira (Apaeb), Juciano Oliveira diz que a chuva que tem caído em algumas cidades da região garantiu a empregabilidade e a continuidade das atividades na fábrica que tem o sisal como matéria-prima na produção de produtos que atendem aos mercados nacional e internacional.
 
Há cerca de um mês, a previsão na indústria da Apaeb era de paralisação das atividades, caso a chuva não chegasse em um período de 30 dias. O drama foi contado pelo G1 no especial "Nordeste em emergência: histórias de uma seca sem fim", que foi publicado no último dia 2 de abril. “Tivemos chuva em alguns lugares. Agora, a gente está esperando um tempo para voltar a colheita. Daqui a uns 15 dias, a gente vai começar a receber [o sisal dos produtores]”, afirma Juciano Oliveira.

Tempo

03 de Abr // G1 | Tempo
Moradores de Lajedinho, na Chapada Diamantina, voltaram a contar os prejuízos causados pelas chuvas no sábado (1º), quatro anos após a tragédia que chegou a matar 17 pessoas e deixar 600 desabrigadas no município. As famílias contam que perderam móveis ao ter as casas invadidas pela água. De acordo com a Defesa Civil do município, a situação deixou 94 famílias desabrigadas.
 
O comerciante Roberto Alves conta que a tromba d'água no rio Saracura, que invadiu a cidade no fim de semana, chegou a mais a três metros de altura. "Não levou ninguém, mas foi muita água", afirmou. O calçamento das ruas foi arrancado pela força da chuva e parte do muro de uma igreja caiu. Máquinas foram usadas pra limpar a sujeiras na parte baixa da cidade, a mais atingida pela enchente.
 
A aposentada Zilda de Oliveira, que mora em uma parte mais alta da cidade, também voltou a sofrer com as chuvas. Ela diz que a água chegou próximo ao teto da casa. "Estragou meu fogão e minha geladeira. A geladeira está toda enferrujada. Só quando Deus me ajudar para eu comprar outra", afirmou. Em 2013, a aposentada já tinha perdido três familiares por conta da enchente que atingiu Lajedinho.

Tempo

31 de Mar // | Tempo
Uma forte chuva atingiu a cidade de Alagoinhas, a cerca de 120 km de Salvador, na madrugada de quinta-feira (30), e deixou 20 famílias desabrigadas, segundo o secretário de Ação Social da cidade, Alfredo Menezes. Por conta da situação, cerca de 80 pessoas que integram essas famílias estão abrigadas no Ginásio de Esportes Antônio Carlos Magalhães.
 
Os desabrigados perderam móveis e algumas casas estão com a estrutura comprometida, com risco de desabamento, afirmou o secretário. "O prefeito determinou que o ginásio de esportes seja utilizado para socorrer as famílias que precisaram sair das suas casas pela chuva. Lá também estamos recebendo doações, como roupas, alimentos não perecíveis, colchões, produtos de limpeza e higiene", explicou Menezes.
 
O secretário de Ação Social de Alagoinhas informou que a chuva forte começou por volta das 4h30, durou cerca 1h30 e foi suficiente para alagar diversas ruas e casas do município. Os bairros mais atingidos foram Silva Jardim, Cavada, Cachorro Magro, AABB e Alagoinhas IV. Conforme a Secretaria de Comunicação da prefeitura, a cidade registrou 50 milímetros de chuva em um dia.

Tempo

30 de Mar // | Tempo
A quarta-feira (29) foi de chuva forte em Novo Triunfo, cidade na região nordeste da Bahia. A água provocou uma enxurrada no centro da cidade, chegou a invadir uma igreja, e arrastar carros que estavam na rua. Nesta quinta-feira (30), a expectativa é de que ainda ocorra chuva no município, principalmente a partir da tarde, mas a intensidade já diminui.
 
A temperatura mínima esperada é de 22º C, e a máxima pode chegar até 35° C. Fortes chuvas também atingiram cidades do sul e sudoeste do estado na noite de terça-feira (28) e na madrugada de quarta-feira (29). Ruas ficaram lagadas e a água ainda provocou quedas de muros e árvores. Apesar do estrago, não há registro de feridos e desabrigados.
 
Em Porto Seguro, extremo sul, as principais ruas do centro da cidade como a Avenida dos Navegantes e Avenida Getúlio Vargas ficaram alagadas. Uma árvore caiu em frente a uma lanchonete na Avenida Navegantes, no bairro Cambolo. Um equipe da Defesa Civil da cidade foi às ruas para verificar os pontos de alagamentos. Em Ilhéus, ainda no sul baiano, uma árvore caiu na pista da BR-415, mas o trânsito não precisou ser interditado e árvore já foi retirada.

Tempo

29 de Mar // | Tempo
Uma forte chuva que caiu nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (29), em Jequié, região sudoeste da Bahia, causou alagamentos e desabamentos na cidade. Não há registro de desaparecidos, nem pessoas de feridas gravemente. Várias ruas ficaram alagadas, muros caíram e casas foram invadidas pela água.
 
Segundo informações da prefeitura, já foram iniciados os trabalhos para limpeza das áreas atingidas. A prefeitura disse ainda que criou um comitê emergencial envolvendo as secretarias municipais para atender os moradores e tentar solucionar os problemas causados pela chuva. As pessoas podem ligar, durante todo o dia, para o número 0800 071 1710 para fazer solicitações e informar sobre ocorrências. 
 
De acordo com o Corpo de Bombeiros da Bahia, a forte chuva começou por volta das 4h e causou dois desabamentos, além de uma vítima ter sido resgatada de alagamento. Por conta da grande quantidade de chuva, algumas ruas alagaram e outras, que sem pavimentação, amanheceram repletas de lama. Para solucionar o problema e devolver o direito de livre circulação dos moradores, equipes da Secretaria de Serviços Públicos já se encontram nas ruas com máquinas para a limpeza e desobstrução das vias.

Tempo

22 de Mar // | Tempo

A Bahia está em estado de alerta por causa do baixo nível de reservatórios no estado este ano. Em uma situação que ainda é reflexo do ano passado, um dos mais secos dos últimos tempos, o estado assiste a um forte desabastecimento das estruturas responsáveis por fornecer água para a população.

 

De acordo com dados do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), a Bahia possui atualmente 24 barragens operando próximo à capacidade mínima; 5 a 6 funcionam no limite mínimo ou abaixo disso; 37 das 51 barragens registraram queda na cota de água entre 20 de fevereiro e 20 de março deste ano.

 

E é nesta situação preocupante que o reservatório de Sobradinho, no norte baiano, o maior do Nordeste, chega a esta quarta-feira (22), Dia Mundial da Água, como um dos com mais baixo nível de água. De acordo com Eduardo Topázio, diretor de Águas do Inema, caso a unidade não seja abastecida com chuvas até outubro, ela corre o risco de chegar ao volume morto, como ocorreu no reservatório do Cantareira, em São Paulo, em 2014.

Tempo

20 de Mar // | Tempo
Os lavradores prepararam a terra, compraram as sementes e esperaram que a tão aguardada chuva chegasse. Ontem era o dia. Como reza a tradição, se planta em São José para colher em São João. Mas neste ano não foi assim. Em Morrinhos, zona rural de Feira de Santana, algumas nuvens mantinham viva a esperança de que a água cairia a qualquer momento.,
 
Mas o dia foi avançando, as nuvens se dissiparam e o sol queimava cada vez mais forte. Queimava com ele um pouco da esperança de 3,2 milhões de baianos atingidos pela seca no estado. Mais da metade dos municípios da Bahia já declarou situação de emergência e 21 deles vivem racionamento de água. 
 
O Correio voltou a Morrinhos três meses depois de ouvir a população para a série Vozes da Seca, publicada de 9 a 11 de janeiro e encontrou uma situação ainda mais crítica. A vegetação secou por inteiro. Até o resistente mandacaru dá sinais de fraqueza. As aguadas e açudes esvaziaram, tornando água um bem escasso. Mas os guerreiros da seca persistem na luta diária para garantir a sua sobrevivência e a do rebanho.

Tempo

08 de Mar // | Tempo
A bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) apresentou durante reunião na Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos uma proposta de audiência conjunta de trabalho com as comissões de Agricultura e Infraestrutura e participação de entidades governamentais estadual e federal para discutir os efeitos da seca no estado.
 
A reunião, que deve acontecer na próxima segunda-feira (13), vai abordar a grave situação provocada pela estiagem em mais de 80 municípios baianos. Segundo o presidente da Comissão de Meio Ambiente, deputado Fábio Souto (DEM), o intuito da audiência é traçar um panorama mais preciso sobre o fenômeno no estado e pressionar as autoridades dos poderes executivos para que apresentem soluções.
 
“Em muitos lugares já existe a falta de água para consumo humano, os rebanhos estão sendo dizimados e há muitas perdas nas plantações. Essa é uma das maiores secas presenciadas em nosso estado”, lamentou. O deputado estadual Pedro Tavares (PMDB) frisou que a Casa Legislativa deve apontar contribuições. Para o peemedebista, é preciso que a seca antes era periódica e, atualmente, tem se tornado constante.

Tempo

23 de Fev // | Tempo
Por conta das chuvas, o presidente da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) de Itabuna, Jader Guedes, anunciou o fim do racionamento de água no município do sul do estado. A regulação no fornecimento começou há um ano e os moradores só estavam recebendo água a cada 20 dias. De acordo com a Emasa, a medida foi possível graças ao registro de 150 milímetros de água nesta semana.
 
Jader Guedes descartou a possibilidade de um novo racionamento nos próximos 60 dias, mas pediu que a população continue racionalizando o uso da água, já que a cidade não dispõe de reservatório de água. O presidente da Emasa destacou que as chuvas chegaram em um momento crítico, já que a captação havia caído para apenas 350 litros por segundo na Estação de Rio do Braço e a captação de Nova Ferradas havia sido paralisada. 
 
Com as chuvas, a captação foi ampliada para 650 litros, o que vai permitir regularizar o racionamento. A Emasa destaca que ainda podem ocorrer problemas pontuais em área de relevo acidentado. Segundo Jader Guedes, em função das chuvas o aumento do volume de água em Rio do Braço permitiu aumentar a captação para 550 litros por segundo. Em Nova Ferradas, a captação foi retomada e deverá ser ampliada nos próximos dias.

Tempo

16 de Fev // | Tempo
Por conta da estiagem que atinge algumas regiões da Bahia, a Embasa informou nesta quinta-feira (16) que quatro municípios já estão com abastecimento de água em regime de racionamento, e que outros oito passarão a racionar água até o final deste mês. Ainda de acordo com a Embasa, outras seis cidades estão com a possibilidade de racionamento ainda em análise.
 
Os municípios já em racionamento são Vitória da Conquista, Belo Campo, Queimadas e Santaluz. Os que iniciarão no fim do mês são Senhor do Bonfim, Jacobina, Jaguarari, Caldeirão Grande, Andorinha, Itiúba, Ponto Novo e Filadélfia. Já os que estão com racionamento em análise são Serrolândia, Caém, Saúde, Antônio Gonçalves, Várzea do Poço e Campo Formoso.
 
A Embasa ainda destacou que encontram-se em situação de alerta os municípios de Seabra, Brotas de Macaúbas, Ibitiara, Novo Horizonte, Lajedinho, Bonito, Palmeiras, Tapiramutá, Morro do Chapéu, Gentio do Ouro, Várzea Nova, além das localidades de Altamira (distrito de Conde), Angico (distrito de Mairi) e Umbuzeiro (distrito de Mundo Novo).

Tempo

08 de Fev // G1 | Tempo
Os agricultores da caatinga, região mais seca da cidade de Planalto, no sudoeste baiano, sofrem com a falta de chuvas que afeta o local. São 1.500 produtores afetados pela estiagem, que já dura três anos, colocou o município em situação de emergência. Em todo o estado, são 61 cidades em situação de emergência por conta da seca, 15 estão na região sudoeste.
 
A seca transforma paisagens da região e expõe cenários preocupantes. O local que era leito de um rio, conhecido como Gaviãozinho, afluente do Rio Catulé, está sem água eo matagal tomou conta. Uma das principais economias do município foi bastante afetada. A produção de café para esse ano está perdida e a do próximo ano está comprometida.
 
Os prejuízos vão demorar para ser recuperados, conforme acredita o engenheiro agrônomo Vivaldo Filho. “Nós estamos falando de um déficit de mais de 3 anos, com perdas de lavouras de 2016 de 70% e [previsão de] safra praticamente zero para esse ano”, diz. Sem alimento para o gado, o produtor rural Eudes Oliveira foi obrigado a desativar a produção de leite. Ele demitiu três dos quatro funcionários e vendeu cerca de 60% do rebanho.

Tempo

27 de Jan // | Tempo

O Nordeste do país vive um período de intensa seca nos últimos cinco anos e, de acordo com a Previsão Climática Sazonal, esse quadro deve se agravar ainda mais de fevereiro a abril de 2017. Elaborado pelo grupo de trabalho do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o documento indica que neste ano haverá menos chuvas na região, o que preocupa o quadro hídrico.

 

A tendência é de que os reservatórios do Nordeste não se recuperem de maneira significativa durante estação chuvosa, já que as precipitações devem ficar abaixo da média histórica. Os pesquisadores chamam atenção para o "acentuado risco" de esgotamento da água armazenada em represas e açudes entre novembro deste ano e janeiro de 2018, no Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

 

O aumento no potencial de queimadas a partir de fevereiro também preocupa porque a seca eleva o risco de focos de incêndio. "Se a cobertura vegetal diminui, o solo fica mais exposto e gera um aumento maior na temperatura. É um círculo vicioso", explicou o coordenador-geral de Pesquisa e Desenvolvimento do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), José Marengo.

Tempo

28 de Dez // | Tempo
Para quem já está incomodado com as altas temperaturas registradas em Salvador no início deste verão, há uma notícia boa e uma ruim. A boa é que as temperaturas não devem subir em 2017 além das médias registradas nos últimos anos. A ruim é que elas podem chegar novamente ao máximo já registrado, de 34ºC.
 
De acordo com a meteorologista Marinês Cardoso, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as temperaturas da capital baiana durante a estação mais quente do ano costumam ficar entre 31ºC e 32ºC até março. A sensação térmica, contudo, pode ficar até 3ºC maior a depender do vento e da umidade.
 
Neste ano, o dia mais quente durante o verão foi de 33,3ºC. “Nos últimos meses, as chuvas estiveram abaixo do esperado. Quando isso acontece, geralmente as temperaturas ficam mais elevadas”, explicou ao Bahia Notícias. Mesmo assim, Marinês afirmou que os prognósticos apontam índices pluviométricos dentro do esperado na cidade.

Tempo

21 de Dez // | Tempo
O verão começa nesta quarta-feira (21), às 7h44 (8h44 no horário de verão) no Hemisfério Sul e termina no dia 20 de março de 2017. A previsão é de que as temperaturas sejam mais amenas do que as registradas no verão passado, quando o fenômeno El Niño provocou um aumento nas temperaturas e nas chuvas em algumas regiões.
 
“No ano passado, tivemos um dos fenômenos El Niño mais fortes da história. Então, se formos comparar o ano passado e este ano, provavelmente este ano o verão não vai ser tão quente como no ano passado, porque o El Niño tem como característica aumentar a temperatura no Brasil”, explica a climatologista do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), Renata Tedeschi.
 
Segundo ela, nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, a temperatura deve ficar dentro da média histórica. Nas regiões Norte e Nordeste, as temperaturas devem ficar dentro da média acima desse valor. O verão deste ano deve ser de chuvas abaixo da média histórica na Região Nordeste, principalmente no semi-árido nordestino, segundo a climatologista.

Tempo

20 de Dez // | Tempo
A chuva que atingiu Salvador na manhã desta terça-feira (20) causou a suspensão das escunas de turismo que fazem o passeio pelas ilhas da Baía de Todos-os-Santos. Apesar do mau tempo, a travessia da capital para Mar Grande opera sem restrições. O movimento de embarque é moderado nos terminais de Vera Cruz, na ilha, e Comércio. 
 
O último horário saindo de Salvador é às 20h; no sentido inverso, 18h30. De acordo com a Associação dos Transportadores Marítimos (Astramab), as escunas foram suspensas porque se trata de uma atividade voltada para o turismo, com paradas para banho de mar em praias como a de Ilha dos Frades e Ponta de Areia, em Itaparica.
 
Desse modo, os operadores decidiram suspender o funcionamento devido às chuvas. A previsão é de que o tour seja retomado normalmente  amanhã (21). Morro de São Paulo A procura e venda de passagens para a linha Salvador-Morro de São Paulo, que está operando normalmente, é moderada nesta terça.

Tempo

08 de Dez // G1 | Tempo
A chuva com ventos de cerca de 35 km por hora que atinge o município de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia, deixou casas destelhadas e carros quebrados na tarde da quarta-feira (7), em um conjunto de moradias populares da cidade. As rajadas de vento derrubaram as telhas sobre os carros estacionados.
 
Alguns imóveis chegaram a ser invadidos pela água da chuva que caía no momento em que ocorreu a situação. Houve prejuízos com eletrodomésticos e móveis. Ninguém ficou ferido. Em Barreiras, também no oeste, amanheceu chovendo nesta quinta-feira (8).
 
De acordo com informações do Instituto Climatempo, só no início da manhã, entre 6h e 8h, choveu o equivalente a 21 milímetros na cidade. O acumulado registrado é de cerca de 50 milímetros, o equivalente a 27% da média prevista para todo o mês de dezembro. Em Xique-Xique, uma chuva de granizo acompanhada de vento forte causou estragos na cidade também.

Tempo

02 de Dez // | Tempo
Apesar do tempo nublado e chuvas esparsas em Salvador e em toda a Ilha de Itaparica, a travessia marítima Salvador-Mar Grande opera normalmente nesta sexta-feira (2), nos terminais de Vera Cruz, na Ilha, e no terminal Náutico, no Comércio. Os horários de saída ocorrem a cada 30 minutos e não foi preciso fazer saídas extras no início da manhã.
 
Oito embarcações estão em tráfego desde as 5h e a expectativa da Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab) é que o fluxo de usuários cresça depois das 12h, com o embarque daqueles que se deslocam para o final de semana na Ilha. Essa previsão depende, no entanto, das condições do tempo.
 
O último horário do dia saindo de Mar Grande será às 18h30 e de Salvador, às 20h. A travessia Salvador-Morro de São Paulo registra procura muito boa nesta sexta e tem previsão de que todos os horários do dia sejam com lotação completa. Muitos turistas começam a chegar ao Terminal Náutico para embarque. Os dois primeiros catamarãs saíram às 8h30 e às 9h.

Tempo

23 de Nov // | Tempo
Após cerca de um ano de seca, a barragem do Iguape, em Ilhéus, no sul da Bahia, atingiu o nível máximo, 9 metros, conforme a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) na cidade. Apesar do alto nível de água na barragem, o local possui resíduos e o problema agora não é mais a falta de água, mas a qualidade dela.
 
De acordo com o gerente da Embasa em Ilhéus, José Lavigne, por conta das fortes chuvas, os resíduos que acumularam nas encostas durante o longo período da seca, foram arrastados e alcançaram a água da barragem. Por causa dessa situação, a distribuição de água teve que ser feita em rodízio e até agora não voltou ao normal em alguns bairros de Ilhéus.
 
Ainda segundo Lavigne, limpar a água da barragem exige bastante tempo e isso causa dificuldade no abastecimento. "Estamos com excesso de matéria orgânica [na água], com isso nós temos que reduzir essa vazão nas estações de tratamento e essa redução afeta algumas localidades", explicou.

Tempo

22 de Nov // | Tempo

A cidade de Canudos, no Sertão do São Francisco, nordeste baiano, é mais uma a ter o decreto de emergência por estiagem reconhecido pelo Estado. A condição foi publicada nesta terça-feira (22) no Diário Oficial do Estado. De acordo com o secretário de administração da cidade, Fabrício Gonçalves, a área mais afetada fica na localidade de Bom Jardim, que fica a 104 quilômetros da sede do município.

 

São 54 famílias que não tem ainda água potável. “É uma situação muito difícil”, diz Gonçalves ao Bahia Notícias. Em Canudos, a condição de emergência vigora por 180 dias, com início antecipado em 14 de outubro. Na cidade, 69% da população, ou 11,8 mil dos 17,2 mil moradores, são afetadas pela estiagem.

 

Os dados são produzidos pela prefeitura e encaminhados à Superintendência de Defesa Civil do Estado (Sudec). Ainda segundo o secretário, na última vez que o município teve o decreto reconhecido, a cidade recebeu R$ 40 mil para despesas necessárias, como carros-pipa, mas o dinheiro não deu nem para um mês.

Tempo

21 de Nov // G1 | Tempo
A partir desta segunda-feira (21), Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) irá diminuir a vazão do reservatório de Sobradinho, no norte da Bahia, de 830 para 770 metros cúbicos por segundo. Essa é a maior redução da vazão, desde que a barragem foi construída há mais de 40 anos.
 
Segundo a Chesf, a vazão será reduzida com o objetivo de manter o volume de água no reservatório, que está em uma região que enfrenta um forte período de seca. A decisão agradou alguns moradores da região que fica no entorno do reservatório. Esse o caso do produtor Milson de Sena.
 
Ele planta goiaba na comunidade de Algodões, zona rural de Sobradinho, e está há dois meses sem colher, porque teve que diminuir a irrigação do plantio. A roça dele tem pouco mais de dois hectares e fica na parte de cima da barragem. Para a água chegar lá, são necessárias duas bombas e mais de dois mil quilômetros de canos. Com a redução da vazão, ele acredita que não vai mais precisar usar tantos canos e bombas.

Tempo

16 de Nov // G1 | Tempo
Chuvas fortes atingem cidades na região sul da Bahia, importante destino turístico do estado, nesta quarta-feira (16), e provocam transtornos como alagamentos de ruas e estabelecimentos, queda de árvores e antena, destetalhamento de escola, desabamento de imóveis e deslizamentos de terra.
 
A situação é registrada em ao menos nove municípios: Porto Seguro, Una, Ilhéus, Teixeira de Freitas, Prado, Eunápolis, Itabuna, Camacan e Ubaitaba. Segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), nas cidades de Porto Seguro e Una choveu 92,4 milímetros (em cada uma), volume considerado alto, nas primeiras horas do dia.
 
A previsão é de que o tempo chuvoso permaneça nos próximos dias no litoral sul do estado, de acordo com instituto. Em Porto Seguro, houve desmoronamento de uma encosta no bairro Baianão e queda de duas árvores na região da Cidade Histórica e Vilage. A Defesa Civil da cidade informou que não houve registro de feridos ou desabrigados.

Tempo

15 de Nov // | Tempo

Fortes chuvas na região serrana do Rio de Janeiro deixaram ao menos dois mortos e 40 desabrigados desde o último sábado (12). Segundo informações do jornal O Globo, as mortes ocorreram após um deslizamento de terra e rochas grandes no bairro Quitandinha, em Petrópolis, nesta segunda-feira (15).

 

Morreram Consuelo do Carmo, de 49 anos, e Paulo Roberto Souza, de 70 anos, cujos corpos foram retirados dos escombros na manhã desta terça (15). O marido de Consuelo foi resgatado vivo na noite desta segunda. Quatro residências foram atingidas pelo deslizamento, sendo que duas ficaram completamente destruídas.

 

Em Teresópolis foram registradas 37 ocorrências relacionadas às chuvas que afetam a região, sendo 19 deslizamentos de terra. O bairro mais afetado é o Vale da Revolta. No domingo, cerca de 40 moradores tiveram que sair de suas casas por medida de segurança e foram para o centro comunitário local. Três empresas do município fluminense doaram alimentos, cobertores, roupas, medicamentos, colchões e água para os desabrigados.

Tempo

28 de Out // | Tempo
A Marinha emitiu, nesta quarta-feira (27), um aviso de "mar grosso", com previsão de ondas de até três metros e meio, na área entre Caravelas, no sul do litoral baiano, e Salvador. O aviso é válido para o período entre as 15h do sábado (29) e as 21h do domingo (30).
 
A Capitania dos Portos da Bahia e as Delegacias da Capitania dos Portos em Ilhéus e em Porto Seguro recomendam atenção aos navegantes. São divulgados alertas às marinas, iates clubes e empresas de transporte marítimo sobre a necessidade de precaução.
 
A Marinha permanece atenta à situação do tempo e, em caso de necessidade, as Organizações Militares responsáveis pela segurança da navegação na área marítima poderão ser acionadas, em qualquer horário, por meio dos telefones abaixo elencados. Pedidos de auxílio também podem ser encaminhados para o Serviço de Busca e Salvamento Marítimo (Salvamar) Leste.

Tempo

26 de Out // G1 | Tempo
Pequenos agricultores da zona rural de Barreiras, no oeste da Bahia, estão abandonando a atividade por conta da seca prolongada na região, que já dura oito meses. Por causa da falta de chuva, o governo da Bahia reconheceu o estado de emergência na cidade, decretado pela prefeitura no dia 16 de setembro.
 
O governo estadual validou o decreto e publicou a decisão no Diário Oficial do Estado no dia 21 de outubro. O decreto vale por 180 dias e foi publicado também no Diário Oficial do Município, no dia 22. O agricultor Zeomar de Souza mora no povoado Barrocão de Baixo, onde quase todas as famílias vivem da agricultura. Elas fazem o plantio de legumes e hortaliças.
 
O que não é consumido em casa é vendido na feira livre. A renda é usada para o sustento da família. Ele conta que há mais de 3 anos não consegue colher direito por conta da falta de chuva. “A semente já está aí, o adubo. A gente tem que pedir a Deus para chover logo pra a gente plantar pra ter as coisinhas”, diz. Conforme os pequenos agricultores da região, a área já está pronta para o plantio.

Tempo

23 de Out // | Tempo
Os cenários de seca extrema e seca excepcional cresceram no Nordeste, abrangendo partes de todos os 9 estados. É o que mostra o mapa de setembro do Monitor de Secas do Nordeste do Brasil. O Ceará é um dos que apresentam maior avanço da estiagem.
 
Segundo a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), 75% do território do estado apresenta seca extrema ou seca excepcional. Em relação ao mesmo período do ano passado, o quadro se agravou de forma significativa na região. Em setembro de 2015, o Maranhão, por exemplo, possuía áreas de seca grave, moderada e fraca.
 
O mapa de setembro deste ano mostra grande parte do território do estado com seca extrema. “O avanço da intensidade de seca mais severa tem atingido até regiões litorâneas que, geralmente, são mais beneficiadas com chuvas. Por exemplo, o litoral do leste do Nordeste, desde o Rio Grande do Norte até parte da Bahia”, cita o meteorologista da Funceme, Raul Fritz.

Tempo

11 de Out // | Tempo
As chuvas que têm atingido o sul da Bahia fizeram desmoronar parte do acostamento em um trecho da BR-101, entre os municípios de Itamaraju e Teixeira de Freitas. O asfalto cedeu e a pista desabou. O trecho fica em um local perigoso, ao lado de um barranco, em uma curva sinuosa. Os motoristas se dizem preocupados em passar pela pista, que fica no Km-836 da rodovia.
 
"Se cair lá embaixo é fatalidade. Vai morrer mesmo. Com a chuva é pior. Está cada vez mais afundando. Estive lá agora e passei na contramão, porque aquele buraco é feio, e não tomam providência nenhuma", disse o caminhoneiro Célio Albernoz.
 
Em nota, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Denit) informou que existe um projeto para restauração da rodovia, no trecho onde a pista desabou, mas o órgão aguarda recurso orçamentário para o processo de licitacação das obras. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a previsão para a região nos próximos dias é de chuva, com temperatutas variando entre 19º e 30º.

Tempo

10 de Out // G1 | Tempo
As fortes chuvas que atingiram a cidade de Santa Maria da Vitória, na tarde do último sábado (8), causaram estragos na cidade, de acordo com a Polícia Civil. As chuvas chegaram a causar queda de árvore, destelhamento de casas e desabamento de muro. Parte de ruas também cedeu e buracos foram abertos nas vias por conta da chuva.
 
Segundo a polícia informou  na manhã desta segunda-feira (10), apesar dos transtornos, não houve feridos e desabrigados. A cidade não conta com órgão de Defesa Civil, conforme a polícia. O G1 tentou entrar em contato com a prefeitura da cidade, mas os telefonemas não foram atendidos. As chuvas também provocaram queda de energia em alguns locais da cidade, mas a situação foi normalizada.
 
Não voltou a chover na cidade no domingo (9), assim como nesta segunda-feira. Em janeiro deste ano, as ruas da cidade chegaram a ficar alagadas também por conta de fortes chuvas. As águas do rio que corta o município, um afluente do Rio São Francisco, transbordaram. Em algumas regiões, moradores precisam usar barco e caiaque para sair de casa e salvar móveis e eletrodomésticos.

Tempo

07 de Out // | Tempo
Um temporal atingiu o município de Tanquinho, região metropolitana de Feira de Santana, a 100 quilômetros de Salvador, na noite desta última quinta-feira (6). A forte chuva destelhou casas, derrubou árvores. Nesta sexta-feira (7), a chuva deu uma trégua, mas os moradores ainda enfrentam os transtornos do temporal da noite anterior.
 
O Colégio Estadual Novis Filho, localizado na Rua Américo Trabuco, no centro da cidade, suspendeu as aulas desta sexta após ficar alagado. A chuva teve início pouco antes das 19h de quinta-feira (7) e veio acompanhada de ventos fortes, trovões e relâmpagos.
 
De acordo com informações da prefeitura da cidade, houve alagamento também no centro de abastecimento. Uma academia que estava sendo construída teve o telhado arrancado pelo vento. Ainda de acordo com a prefeitura, algumas localidades da zona rural ficaram sem energia elétrica. No centro, muitos moradores ficaram sem serviço de telefone e internet.

Tempo

07 de Out // | Tempo
Chuvas fortes e ventania causaram desabamentos de telhados de casas, lojas, de parte do teto de uma faculdade particular e até de um posto de gasolina na cidade de Teixeira de Freitas, sul da Bahia, na noite de quinta-feira (7), de acordo com a Defesa Civil da cidade. Os moradores das casas atingidas foram para imóveis de parentes e não há desabrigados, conforme a prefeitura.
 
O chefe da Defesa Civil da cidade, Erik Moitinho, disse que a chuva durou cerca de três minutos e causou a destruição nos bairro de Vila Feliz e Caminho do Mar. “Já faz tempo que não chove e estamos precisando de chuva, mas a de ontem foi fora do comum e rápida.  Estamos avaliando o risco de desabamento de imóveis, para saber quais as casas que os moradores podem permanecer e vamos providenciar telhados para as casas”, avalia.
 
Segundo ele, ao menos sete casas foram destelhadas na cidade e muros também foram derrubados. Uma oficina foi parcialmente destruída na BA-290, já na saída para a cidade de Alcobaça. Algumas pessoas tiveram escoriações leves, mas ninguém precisou de atendimento médico, de acordo com o chefe da Defesa Civil.

Tempo

04 de Out // | Tempo
Os municípios de América Dourada, no centro-norte da Bahia, e Bonito, a 440 quilômetros de Salvador, tiveram situação de emergência reconhecida pelo Ministério da Integração Nacional devido à estiagem prolongada. A decisão foi publicada nesta terça-feira (4), no Diário Oficial da União.
 
Agora, já são 81 municípios do estado com situação de emergência vigente reconhecida pela seca pelo Governo Federal. Outras oito cidades aguardam análise. A partir do reconhecimento, as cidades podem solicitar o apoio do Governo Federal para ações de convívio com a seca, entre elas a implementação de programas de fornecimento de água tratada, como a Operação Carro-Pipa Federal, da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec).
 
Por meio da iniciativa, também é possível obter outros benefícios do Governo Federal como a renegociação de dívidas no setor de agricultura, a aquisição de cestas básicas, a retomada da atividade econômica das regiões afetadas pelo período de estiagem.

Tempo

29 de Set // | Tempo
A Bahia seguirá fora do horário de verão, previsto para começar a meia noite do domingo, do dia 16 de outubro. A decisão foi oficializada hoje, pelo governador do estado, Rui Costa. Em nota, Rui informou que a decisão é com base na maioria da população do estado, que é contra o horário de verão.
 
Também foi pontuado que a baixa economia de energia elétrica não justificaria o desconforto das pessoas acordarem mais cedo para desempenhar as atividades. A não adesão, segundo empresários, prejudica na comunicação entre empresas, operações financeiras e o setor de turismo. 
 
Com exceção do ano de 2011, o estado não adere ao horário de verão há 13 anos. A medida é adotada por 10 estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste,e pelo Distrito Federal. A previsão é de que o horário de verão termine em 19 de fevereiro de 2017.

Tempo

28 de Set // G1 | Tempo
A maré baixa começa a causar novas interrupções na travessia marítima Salvador-Mar Grande a partir desta quarta-feira (28).Durante os próximos quatro dias, o sistema sofrerá paradas. Nesta quarta, o serviço foi suspenso às 6h30, mas retoma operações normais às 8h30.
 
Em período de maré baixa prolongada, o Terminal de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica, fica sem poder operar por conta da pouca profundidade do seu canal de navegação. Caso ocorra concentração de demanda de passageiros nos terminais, serão feitos horários extras, com as embarcações saindo a cada 15 minutos.
 
O sistema opera com oito embarcações. Nesta quarta, o último horário saindo de Mar Grande para Salvador será às 18h30. Quem vai fazer o sentido inverso da travessia, a última embarcação deixará o Terminal Náutico às 19h30, trinta minutos mais cedo. Com procura regular de passagens, os catamarãs da linha Salvador-Morro de São Paulo operam normalmente nesta quarta.

Tempo

19 de Set // | Tempo
O Ministério da Integração Nacional, por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, reconheceu situação de emergência por conta da seca e da estiagem em oito municípios baianos. As portarias foram publicadas no Diário Oficial da União nesta segunda-feira (19).
 
Os municípios que tiveram a situação decretada por conta da estiagem foram: Baianópolis, Barro Alto, Caém, Itatim, Tanhaçu, Luís Eduardo Magalhães, Muquém de São Francisco e Bom Jesus da Lapa. Em Luís Eduardo Magalhães, a assessoria de comunicação da prefeitura informou que a estiagem já atinge as quatro últimas safras de produção agrícola na cidade e que a situação de emergência já havia sido decretada pelo município.
 
De acordo com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec), 93 cidades baianas estavam em situação de emergência reconhecida pelo governo do estado por conta da seca até o dia 14 de setembro, com 1.477.599 de habitantes afetados pelo problema.

Tempo

01 de Set // G1 | Tempo
A Marinha do Brasil emitiu alerta para a previsão de mar agitado e ressaca em partes da faixa litorânea da Bahia, entre os dias 1º e 4 de setembro, por conta do mau tempo. O aviso prevê ondas de até quatro metros na região de mar aberto, na faixa entre Caravelas, no sul do estado, e Natal (RN), das 9h da quinta-feira (1º) até as 9h do domingo (4).
 
Para a faixa litorânea entre Porto Seguro, também no sul da Bahia, e Touros (RN), o alerta prevê ondas de até dois metros e meio, junto à costa, das 21h da quinta-feira, às 9h do domingo. A Capitania dos Portos da Bahia, a Capitania dos Portos de Sergipe e as Delegacias da Capitania dos Portos em Ilhéus e em Porto Seguro recomendam atenção aos navegantes.
 
Estão sendo divulgados alertas por fonia, em VHF, e foi encaminhado fax às marinas, iates clubes e empresas de transporte marítimo, reiterando a necessidade de precaução. Ainda conforme o órgão, em caso de emergência, as pessoas podem entrar em contato com a Capitania dos Portos, em qualquer horário, por meio do telefone (71) 3507-3777. Pedidos de auxílio também podem ser encaminhados para o Salvamar Leste, operado pelo Comando do 2º Distrito Naval em Salvador.

Tempo

30 de Ago // Bahia Notícias | Tempo
As cidades de Muquém do São Francisco, no oeste, e Itatim, no Piemonte do Paraguaçu, tiveram decretos de emergência por estiagem reconhecidos pelo Estado nesta terça-feira (30). Em Muquém do São Francisco a população afetada é de 91,7%, ou 10,5 mil dos 11,5 mil habitantes da cidade.
 
Já em Itatim, os afetados chegam a 50,8%, ou 7,5 mil, dos 14,7 mil habitantes. Os dados são fornecidos pelas prefeituras e são divulgados pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec). No momento, 91 cidades já tiveram decretos de emergência reconhecidos pelo Estado. A condição permite às prefeituras requisitar ajuda de carros pipa, além da possibilidade de contratar serviços sem exigência de licitação.
 
Para tentar melhorar esse quadro, o governo estadual tem atuado com programas de construção, limpeza e ampliação de aguadas (cavas no chão que acumulam água da chuva), além de cisternas com capacidade para 16 mililitros (já são 50 mil famílias beneficiadas), 2 mil poços artesianos e o tradicional carro-pipa.

Tempo

28 de Ago // G1 | Tempo
Por conta da seca, agricultores do norte do estado estão usando bombas e tubulações para captar água e assim, irrigar as plantações. Com a estiagem, o principal reservatório de água da Bahia, Sobradinho, que é abastecido pelo rio São Francisco, está com baixo nível de água.
 
Segundo o diretor da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), João Henrique de Araújo, se até o final do ano a quantidade de chuva não for suficiente, a companhia poderá diminuir ainda mais a vazão do lago do Sobradinho, que normalmente é de 1.300 metros cúbicos por segundo e atualmente está em 830 metros cúbicos por segundo.
 
"Os estudos estão sendo feitos de uma nova redução, saindo de um patamar 800 metros cúbicos por segundo para 700. Sempre com o objetivo de guardar o máximo de água do reservatório. Evidentemente, tudo isso, essa redução impacta em todos os usuários, no setor elétrico, abastecimento, irrigação e em outros", explicou Araújo.

Tempo

26 de Ago // G1 | Tempo
As chuvas que vêm caindo em Itabuna, no sul da Bahia, nas últimas semanas, contribuíram para amenizar o sofrimento dos moradores da cidade, que há quase oito meses vinham recebendo água salgada nas torneiras de casa. Graças à chuva, a captação da água voltou a ser feita no trecho do Rio Almada onde fica a estação de Rio do Braço, onde á agua é doce.
 
Já a estação de Castelo Novo, de onde vinha a água salgada, foi desativada temporariamente. No auge da crise hídrica, a água distribuída pela Emasa chegou a apresentar 2.250 mg de cloreto por litro de água, índice nove vezes mais que o tolerado pelo Ministério da Saúde, que determina no máximo 250 mg de cloreto por litro de água. Desde o início de agosto, o índice de salinidade vem caindo, e agora está em torno de 30mg/l.
 
A água que está chegando à estação de tratamento da Emasa já está doce, entretanto a Emasa não recomenda que os moradores bebam ou cozinhem com ela. Segundo a empresa, ainda é esperada uma análise da Vigilância Sanitária, já que só ela pode autorizar  o consumo humano.




Classificados


Enquete



Mais Lidas