Notícias

Tempo

Tempo

16 de Nov // | Tempo

O córrego São José Pequeno, localizado no distrito de Ventania, em Itapebi, cidade no sul da Bahia, transbordou, por causa do mau tempo que atinge a região, e acabou alagando quatro casas da localidade. A situação ocorreu na terça-feira (14). A água chegou a atingir dois metros de altura. Uma das salas de uma escola municipal também foi tomada pela água.

 

As famílias que moravam nos imóveis que foram alagados ficaram desabrigadas. Móveis e eletrodomésticos foram danificados pela água. Um vídeo registrado por moradores da região mostra o momento em que um morador tenta retirar uma televisão de uma das casas alagadas segundo informações do G1.

 

Conforme a prefeitura, os moradores desabrigados foram levados para a casa de familiares, temporariamente, mas serão cadastradas para receber auxílio municipal. Segundo a prefeitura, está sendo realizado um estudo para que as famílias sejam retiradas das proximidades do córrego e levadas para um local seguro. Ainda de acordo com a prefeitura, as casas onde essas famílias moravam foram construídas em local irregular.

Tempo

14 de Nov // | Tempo

Uma cratera foi aberta e a pista precisou ser interditada na cidade de Caetité, no sudoeste da Bahia, depois que a cidade foi atingida por fortes chuvas, na segunda-feira (13). Nesta terça (14), o tempo ficou nublado, mas sem chuvas. Uma família também ficou desabrigada depois que a casa onde morava foi invadida pela água da chuva.

 

Cerca de 13 pessoas que moravam no mesmo imóvel, no bairro Nossa Senhora da Paz, precisaram ser levadas para um abrigo e devem receber aluguel social. O buraco na pista foi aberto depois da erosão do asfalto, que não suportou o alagamento. Várias lojas também foram invadidas por lama no centro da cidade.

 

Parte do muro de ginásio de esportes desabou por conta das chuvas. Choveu forte também na segunda em Tanhaçu. Segundo moradores, a chuva durou cerca de duas horas. A água tomou conta de várias ruas da cidade. Em Jequié, as chuvas começaram a cair desde o final da tarde de domingo (12), mas não houve registro de ocorrências graves. Em alguns pontos da cidade, ruas ficaram alagadas, principalmente nos bairros periféricos.

Tempo

14 de Nov // | Tempo

Cidades no sudoeste da Bahia tiveram uma segunda-feira (13) marcadas por chuvas intensas. Em Caetité, segundo a prefeitura, choveu 85 milímetros. Ruas ficaram inundadas e a água invadiu comércio e casas. Parte do muro de ginásio de esportes desabou. Pelas ruas, buracos e crateras foram abertas pela força da enxurrada.

 

Ainda conforme a gestão municipal, não há registro de feridos e desabrigados. Choveu forte também na manhã desta segunda-feira em Tanhaçu. Segundo moradores, a chuva durou cerca de duas horas. A água tomou conta de várias ruas da cidade. Em Jequié, as chuvas começaram a cair no domingo (12), mas não houve registro de ocorrências graves.

 

Em alguns pontos da cidade, ruas ficaram alagadas, principalmente nos bairros periféricos. uas árvores caíram na BR-101, no km-575, próximo à cidade de Camacan, região sul da Bahia, durante a tarde desta última segunda-feira (13). A pista ficou parcialmente interditada e houve congestionamento de aproximadamente 1,5km. O incidente ocorreu por volta das 15h e não deixou feridos segundo o G1.

Tempo

03 de Nov // | Tempo

A chuva forte que atingiu a cidade de Ilhéus, sul da Bahia, na noite de quinta (02), causou cinco desabamentos de telhados, alagamentos, queda de árvores e deixou duas famílias desalojadas. Apesar dos transtornos, ninguém ficou ferido. O coordenador da Defesa Civil em Ilhéus, Joandre Neris, diz que a cidade registrou 54 milímetros de chuva.

 

Ventos de 50 km/h também foram registrados na cidade. Durante duas horas, choveu o previsto para 12 dias. A chuva começou por volta das 20h e só terminou na madrugada desta sexta-feira (3). Duas famílias ficaram desalojadas depois que uma casa ficou alagada e outra foi atingida por uma árvore, que destruiu parte da sala e cozinha segundo informações do G1.

 

Os desalojados foram para a casa de parentes e devem ser atendidos pela assistência para receber aluguel social a partir de segunda-feira (6). Também desabaram os tetos de cinco imóveis - três casas, uma fábrica de picolé e uma academia. Na manhã desta sexta, o tempo está nublado e ainda sem chuvas, mas a previsão é de que ainda tenha 37 milímetros de chuva à noite, de acordo com a Defesa Civil.

Tempo

20 de Out // | Tempo

Quinze praias de Salvador estão impróprias para o banho durante o próximo final de semana - sábado (21) e domingo (22) -, de acordo com um estudo divulgado nesta sexta-feira (20) pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). [Confira a lista completa no final da matéria].

 

De acordo com o órgão, a praia é considerada imprópria quando mais de 20% das amostras coletadas em cinco semanas consecutivas apresentar resultado superior a 1.000 coliformes fecais ou 800 Escherichia coli, ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2500 coliformes termotolerantes ou 2000 Escherichia coli ou 400 enterococos por 100 mL de água.

 

No período em que o tempo estiver chuvoso, as praias podem ser contaminadas por arraste de detritos diversos, carregados das ruas através das galerias pluviais, podendo causar doenças. Além disso, é desaconselhável o banho próximo à saída de esgotos, desembocadura dos rios urbanos, córregos e canais de drenagem. A Salvamar emitiu alerta para as condições de banho no mar em Salvador durante o final de semana, por conta do mau tempo.

Tempo

10 de Out // | Tempo

A barragem do Sobradinho, no norte da Bahia, está operando com apenas 4% da capacidade, segundo informações da Companhia Hidrelétrica do São Francisco, responsável pela operação do Sobradinho. Além disso, a vazão do local, que é a água liberada pela barragem, começou a ser reduzida na segunda (9) e continua a diminuir nesta terça (10).

 

Contudo, com pouca água chegando ao reservatório por conta da falta de chuva na cabeceira do rio e nos seus afluentes, a Agência Nacional de Águas e o Ibama autorizaram nesta segunda-feira, a redução da vazão para 560 m³/s, e a partir de terça-feira, a vazão será reduzida para 550 m³/s.

 

A diminuição na vazão é por tempo indeterminado. A decisão é para conservar a quantidade de água no lago. Além disso, o reservatório pode chegar ao volume morto em novembro. É a menor vazão em 37 anos, desde que a usina de Sobradinho começou a operar, em 1979. Em condições normais, a usina Hidrelétrica de Sobradinho, que opera com as águas do Rio São Francisco, tem vazão mínima de 1.300 m3/s.

Tempo

01 de Out // | Tempo

A chuva que começou na noite desta sexta-feira (29) e continua neste sábado (30) causou estragos, acidentes e alagamentos em pelo menos seis estados: Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo. A situação é pior em Santa Catarina. Cinco cidades foram afetadas pelas chuvas.

 

Joinville, Garuva e Itajaí tiveram pontos de alagamento. Em Florianópolis, um muro caiu após deslizamento de terra. Ninguém ficou ferido. Em Blumenau, o acúmulo de água da chuva derrubou uma tenda montada na entrada da Oktoberfest. Dois carros foram atingidos, mas ninguém se feriu segundo o G1.

 

Em Goiás, uma tempestade de granizo cobriu de gelo um trecho da BR-060 e destruiu um posto de combustíveis, no sábado, em Abadiânia. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), 200 metros da pista ficaram cobertos por mais de 10 centímetros de gelo. No Mato Grosso do Sul, um caminhão que transportava carga de cigarro ilegal tombou na MS-080 entre Rio Negro e São Gabriel do Oeste durante a chuva de sexta-feira (29).

Tempo

30 de Set // | Tempo

Um balanço divulgado na sexta (29) pelo Instituto do Meio-Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) apontou 26 praias impróprias para este fim de semana na Bahia. Além de Salvador, praias da Costa dos Coqueiros, no litoral norte, da Costa do Cacau, no sul do estado e da Baía de Todos-os-Santos foram consideradas impróprias pelo órgão.

 

Segundo o Inema, a rede amostral de monitoramento da balneabilidade no estado atualmente é composta por 121 pontos, distribuídos em toda a costa baiana. As amostras de água para análises da balneabilidade são coletadas semanalmente, no período da manhã, em locais com maior concentração de banhista.

 

De acordo com a resolução do Conama, a praia é considerada imprópria quando mais de 20% das amostras coletadas em cinco semanas consecutivas apresentar resultado superior a 1.000 coliformes fecais ou 800 Escherichia coli por 100 mL de água; ou quando, na última coleta, o resultado for superior a 2.500 coliformes termotolerantes ou 2.000 Escherichia coli ou 400 enterococos por 100 mL de água.

Tempo

20 de Set // | Tempo

Por conta das chuvas desta última terça-feira (19), na cidade de Belmonte, que fica no extremo sul da Bahia, o mar tem avançado pela cidade e destruído ruas e avenidas no local. Conforme previsão do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), as chuvas devem continuar nesta quarta-feira (20).

 

Na costa da cidade, ondas de até 4,5 metros, previstas por um aviso emitido pela Marinha desde o início do mês, têm causado erosão nas barracas de praia do litoral. Apesar da devastação, o avanço do mar não provocou mortes ou deixou pessoas desalojadas, até o final da tarde de terça. A destruição afasta os turistas e banhistas e, por conta disso, comerciantes sofrem com prejuízos.

 

Várias cabanas e árvores também já foram derrubadas por causa da maré. A areia já tomou conta de um dos principais pontos turísticos da cidade, a Praça do Mar Moreno. Nos últimos dias, a rotina do empresário e barraqueiro Robson Leal tem sido tirar a água e areia que invadem o bar durante a madrugada. Ele conta de que já perdeu diversos eletrodomésticos, por conta do incidente.

Tempo

18 de Set // | Tempo

Devido à maré baixa desta segunda (18), a travessia Salvador-Mar Grande só será retomada às 9h30. É o segundo dia consecutivo em que o sistema é suspenso. A previsão é de que, quando for retomado, o serviço atenda aos usuários com oito embarcações, com horários de saída dos terminais de meia em meia hora ou a cada 15 minutos.

 

De acordo com a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia, com maré baixa, a travessia fica impedida de operar devido à pouca profundidade do canal de navegação do Terminal de Vera Cruz, na Ilha de Itaparica. Os usuários devem ficar atentos porque a maré baixa vai prejudicar os horários noturnos da travessia.

 

As operações serão encerradas às 18h30, tanto sentido Mar Grande-Salvador como no sentido inverso. A linha Salvador-Morro de São Paulo opera sem restrições na manhã desta segunda-feira e a venda por passagens nos guichês do Terminal Náutico é moderada. O primeiro catamarã sai do Terminal Náutico às 8h30. Os demais horários do dia são às 9h, 10h30, 13h e 14h30. Para quem vem do Morro para a capital, as saídas ocorrem às 9h, 11h30, 13h e 15h.

Tempo

14 de Set // | Tempo

A Marinha do Brasil, por meio do Comando do 2º Distrito Naval (Com2ºDN), divulgou que o alerta de mau tempo que atinge as cidades de Caravelas e Ilhéus, no sul da Bahia, vai continuar até o final da semana. Na segunda-feira (11), foi informado que os municípios seriam atingidos por ondas de 4 metros até a quarta-feira (13).

 

De acordo com a Marinha, em Ilhéus, a previsão é de ressaca, com ondas de até três metros de altura, válida até as 21h desta sexta (15). A área atingida vai até a cidade de Touros (RN). Já na área marítima compreendida entre Caravelas (BA) e Natal (RN), a previsão é de mar grosso, com ondas de até quatro metros de altura, válida até as 9h de sábado (16).

 

Em face das condições de vento forte, mar grosso e ressaca, a Marinha recomenda atenção aos navegantes. A utilização imprudente das embarcações é de inteira responsabilidade do comandante, que poderá responder por eventuais acidentes nas esferas administrativa, civil e penal. Também são recomendados cuidados redobrados no fundeio e na amarração das embarcações nas proximidades da costa, a fim de evitar que estas se soltem e fiquem à deriva.

Tempo

31 de Ago // | Tempo

As ondas no litoral baiano podem chegar até quatro metros neste fim de semana. A Marinha emitiu um aviso de mau tempo, que é válido entre as 21h desta sexta (1º) e 21h de sábado (2). O trecho onde podem acontecer as ondas vai de Caravelas, no Sul do estado, até Salvador. A Capitania dos Portos recomenda atenção dos navegantes.

 

Segundo a Marinha, foram emitidos alertas às marinas, iates clubes e empresas de transporte marítimo, "reiterando a necessidade de precaução". No alerta, a Marinha informou que está atenta à situação do tempo e caso seja necessário, pode ser acionada em qualquer horário, e que pedidos de auxílio também podem ser encaminhados para o Salvamar Leste, comandado pelo 2º Distrito Naval em Salvador.

 

O presidente da Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab), Jacinto Chagas, informou que as empresas vão avaliar se será necessário suspender a travessia Salvador-Mar Grande no período indicado pela Marinha. "É uma previsão, se realmente acontecer e se for nessa magnitude, aí a gente suspende. Antes de acontecer, pela experiência que a gente tem, a gente já suspende o serviço", explicou.

Tempo

29 de Ago // | Tempo

Das 417 cidades baianas, 184 decretaram estado de emergência em decorrência da estiagem. Outras cinco também assumiram o decreto por conta da seca. No total, esse número significa que cerca de 45% dos municípios do Estado estão autorizados a suspender e alterar programas e atividades do Executivo, a fim de ajustar os recursos ao cenário de crise.

 

Disponíveis no site da Superintendência de Proteção e Defesa Civil, os dados foram atualizados na segunda (21). A maioria dos decretos já foi reconhecida pelo governo federal, mas algumas cidades estão sob análise, como é o caso de Paratinga, Paulo Afonso, Antônio Cardoso e Barro Alto que não aparecem na lista de Reconhecimentos Vigentes do Ministério da Integração.

 

As duas últimas chegaram a passar pela vistoria do governo federal em março deste ano, mas tiveram seus pedidos negados. De acordo com a lista da Defesa Civil da Bahia, novos decretos foram publicados para esses munícipios em agosto e aguardam nova análise da União. No âmbito nacional, o panorama não se distingue muito, como apontado no levantamento publicado pela Folha de S. Paulo na segunda (28).

Tempo

28 de Ago // | Tempo

Um quarto dos municípios brasileiros (23%) está em situação de emergência, segundo levantamento feito pelo jornal Folha de S. Paulo, com base em dados divulgados pelo Ministério da Integração Nacional. O balanço reúne 1.296 cidades, sendo que 71% estão concentrados na região Nordeste e no Norte de Minas Gerais, devido à estiagem.

 

Os outros 29% estão em outro extremos, causadas por tempestades, inundações, alagamentos, enxurradas e deslizamentos, concentradas principalmente na região Sul, Sudeste e Norte. Há ainda cidades que estão sob decreto de emergência pelos dois motivos, como o município de Novo Triunfo, no nordeste baiano: a estiagem foi reconhecida pelo governo federal no dia 9 de março; no dia 27, ocorreu uma chuva forte que causou enxurradas no local.

 

Duas capitais nordestinas integram a lista: Maceió (AL), com chuvas que resultaram na morte de 9 pessoas e em milhares de desabrigados. Em Fortaleza, a seca causou a falta de água que afetou 900 mil moradores. Brasília (DF) também passou por dificuldades e chegou a enfrentar racionamento entre fevereiro e agosto deste ano. Há ainda estados que registram situação de emergência em quase todo o seu território: é o caso da Paraíba, onde 196 dos 223 enfrentam a estiagem.

Tempo

03 de Ago // | Tempo

O maior reservatório do Brasil em área alagada ainda desconhece os limites de sua crise hídrica segundo informações do Estadão Conteúdo. O lago de Sobradinho, na Bahia, iniciou o mês de agosto com apenas 10% de sua capacidade total de armazenamento, o pior resultado registrado para este mês desde que foi formado, em 1980.

 

O volume de água guardada equivale a menos da metade do que Sobradinho tinha em agosto de 2016, quando o principal regulador de águas da Bacia do Rio São Francisco já enfrentava uma situação crítica. Em agosto de 2012, quando teve início a forte estiagem que castiga toda a Região Nordeste do País, o reservatório estava com 38% de reserva de água. O que está ruim, no entanto, pode piorar.

 

Por causa do baixo volume de água armazenada, a Agência Nacional de Águas (ANA) e o Ibama analisam a possibilidade de reduzir, nos próximos dias, a vazão de Sobradinho para 550 metros cúbicos de água por segundo (m³/s). Hoje o lago tem liberado 600 m³/s, mas as estimativas apontam que esse volume pode comprometer a situação de abastecimento de água na região até o fim do período seco, ficando abaixo do volume morto em novembro.

Tempo

31 de Jul // | Tempo

A Marinha do Brasil (MB), por meio do Comando do 2º Distrito Naval (Com2ºDN), divulgou boletim informando que diversos avisos de mau tempo foram emitidos pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) para áreas marítimas da Bahia, entrea elas a previsão de ondas de até 4 metros para o sul do estado.

 

De acordo com a Marinha, na área marítima compreendida entre Caravelas, sul da Bahia, e Natal (RN), há previsão de mar grosso, com ondas entre 3 e 4 metros, válida até as 9h da próxima quarta-feira (2). Na mesma região, há previsão de vento forte/muito forte, com rajadas entre 51 e 74 km/h, válida até às 9 h desta quarta-feira. Também há previsão de mar grosso.

 

As ondas entre 3 e 4,0 metros, a partir das 2h desta quarta (2) e válida até às 21h de quinta (3), na área marítima compreendida entre Cabo Frio (RJ) e Caravelas. Na mesma região, há previsão de vento forte, com rajadas entre 51 e 61 km/h, a partir das 21h desta quarta e válida até às 21h da próxima quinta (3). Já na área litorânea compreendida entre Porto Seguro, e Touros (RN), há previsão de ressaca, com ondas entre 2,5 e 3 metros, válida até às 21 h da próxima terça (1).

Tempo

21 de Jul // | Tempo

Os pescadores e agricultores que dependem da água do Rio São Francisco, na região de Sobradinho, norte da Bahia, reclamam dos prejuízos da estiagem prolongada que atinge a região. A Agência Nacional das Águas (ANA) autorizou que a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) reduza a vazão mínima da barragem da região para 550 m³ por segundo.

 

O rio recuou um quilômetro nos últimos anos. A paisagem da região mudou e uma área que era rio virou pasto onde animais ficam. O pescador João Eudes dos Santos lamenta que não consegue encontrar peixe na região. "Está ruim mesmo de peixe. A gente bota a linha e tira, vem só a linha molhada mesmo", diz.

 

Na comunidade de Algodão Novo, agricultores que dependem da irrigação para produção de frutas também sofrem os efeitos da seca. O agricultor Antônio Ferreira tem dois hectares de manga e goiaba, onde o sistema de irrigação antes ficava ligado oito horas por dia e, atualmente, fica só a metade do período. "Se o rio baixar para zero, do jeito que dizem que vai, a gente vai ter que abandonar", reclama.

Tempo

18 de Jul // | Tempo

O Ministério da Integração Nacional reconheceu situação de emergência em seis municípios baianos nesta última segunda-feira (17). A medida é decorrente do extenso período de estiagem e contemplam as cidades de Belo Campo, Crisópolis, Ibipitanga, Remanso, São Domingos e Teofilândia.

 

O reconhecimento vai permitir que as cidades afetadas por desastres naturais possam solicitar o apoio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) para ações de socorro, assistência, restabelecimento de serviços essenciais e recuperação de áreas públicas danificadas, segundo informações do G1.

 

A portaria tem vigência de 180 dias e segue critérios fixados pela Instrução Normativa nº 2, que define procedimentos da Defesa Civil Nacional para o reconhecimento de situação de emergência ou de estado de calamidade pública decretada por municípios, estados e Distrito Federal. Em todo o país, foram 21 cidades que tiveram a situação de emergência reconhecida na segunda-feira, conforme publicação no Diário Oficial da União.

Tempo

14 de Jul // | Tempo

Uma encosta desabou e destruiu parte de uma casa na quinta (13), na Avenida Pedro Alvares, no centro da cidade de Pau Brasil, no sul da Bahia. De acordo com informações da prefeitura, a dona do imóvel estava no local no momento do desabamento, mas não ficou ferida. Segundo a prefeitura, a mulher estava sozinha na área de serviço da casa, quando a terra caiu sobre o imóvel.

 

A cozinha da casa ficou destruída. Ainda conforme a prefeitura, a encosta desabou por conta das chuvas que atingem a cidade desde o último final de semana. De acordo com a administração municipal, depois do desabamento, uma equipe Secretaria de Administração do município esteve no imóvel e fez uma vistoria.

 

Em seguida, o local foi interditado e a família que morava no imóvel se mudou para a casa de familiares na cidade. Por meio da Secretaria de Serviço Social, que também esteve no imóvel para avaliar a situação, a prefeitura se comprometeu a reformar a casa. De acordo com a prefeitura, as obras devem ser iniciadas após o período de chuva. O mau tempo que atinge a cidade desde o final de semana causou também a enchente do rio Água Preta, que corta o município.

Tempo

11 de Jul // | Tempo

A chuva causou transtornos para moradores nas cidades de Itabuna e Ilhéus, no sul do estado, nesta última segunda-feira (10). Famílias precisaram deixar as casas em que moram porque a água invadiu os imóveis. A Defesa Civil dos municípios informou que os moradores devem ser abrigados pela assistência social.

 

Nesta terça-feira (11), choveu pouco em Itabuna e não choveu em Ilhéus. Não foram registradas novas ocorrências nas cidades. Itabuna: Durante a madrugada, o córrego que corta a comunidade do bairro de São Roque, em Itabuna, transbordou e invadiu casas, na Rua Landulfo Alves. Três famílias precisaram ser retiradas dos imóveis que moravam.

 

A água entrou em outras dez casas, mas as famílias continuam no local. Uma das moradoras da região, a aposentada Eunice Pereira, usa cadeira de rodas, e teve que contar com ajuda dos vizinhos para retirar móveis e objetos às pressas, para tentar evitar prejuízos. Ela diz que já perdeu as contas de quantas vezes saiu de casa por causa das enchentes no local. “Muitas vezes. Mas para entrar [água] assim, não. É um sofrimento só”, lamenta a aposentada.

Tempo

11 de Jul // | Tempo

As famílias que por conta da seca dividiam a água com os animais, no distrito de Bonfim de Feira, em Feira de Santana, cidade que fica a 100 quiômetros de Salvador, comemoram a o inverno chuvoso no estado. Além de matar a sede, os agricultores da região já conseguem manter as plantações bem verdes.

 

É o caso do lavrador Abdias Barbosa, que apesar de ter que trabalhar debaixo de chuva, fica feliz com o clima. "A gente agradece a Deus por tudo, a beleza que está caindo. Está caindo é vida. A gente estava preocupado no começo, que estava com pouca chuva, mas agora está todo mundo satisfeito", contou.

 

No mês de março, quando a seca castigava a região, Abdias sofria para trabalhar com a vegetação. Na época, o agricultor contou que já tinha perdido a esperança, mas hoje ele comemora. "O primeiro [plantio] não deu bom não, com muito sol e lagarta. Mas agora, graças a Deus, está tudo maravilhoso", disse. Segundo a estação climatológica da Universidade Estadual de Feira de Santana, o inverno este ano vai ser com chuva.

Tempo

05 de Jul // | Tempo

A Marinha do Brasil (MB), por meio do Comando do 2º Distrito Naval (Com2ºDN), enviou nota à imprensa, nesta quarta-feira (5) e deixou a população sob aviso de mau tempo no estado da Bahia durante o inverno. Na área marítima entre Caravelas (BA) e Natal (RN), há previsão de mar grosso, com ondas entre 3 e 4,5 metros, até as 21h do próximo sábado (8).

 

A previsão ainda é de vento forte, com rajadas de até 61 km/h, até as 21h desta quarta-feira (5) e, entre Salvador (BA) e Natal (RN), das 21h hoje (5) até as 21h de amanhã (6). Entre Porto Seguro (BA) e João Pessoa (PB), terá ressaca com ondas de até 2,5 metros das 21h de quarta-feira (5) até as 9h do próximo domingo (9).

 

A Marinha informou que, em caso de necessidade, as Organizações Militares responsáveis pela segurança da navegação na área marítima sob a responsabilidade do Com2ºDN poderão ser acionadas, em qualquer horário, por meio dos telefones (71) 3507-3777 (Bahia), (73) 3421-2050 (Porto Seguro) e (73) 3222-5100 (Ilhéus). Pedidos de auxílio também podem ser encaminhados para o Serviço de Busca e Salvamento Marítimo Leste, operado pelo Comando do 2º Distrito Naval em Salvador.

Tempo

04 de Jul // | Tempo

A s cidades de Piatã, na Chapada Diamantina, e Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, registraram temperaturas de 9,6°C e 11,8°C, respectivamente, na madrugada desta terça-feira (4). As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), na Bahia. Nesta terça-feira, ao longo do dia, a temperatura em Vitória da Conquista e em Piatã varia entre 12°C e 29°C.

 

Conforme a meteorologista do instituto, Cláudia Valéria, os registros são recordes, este ano, comparados aos demais municípios baianos que são analisados pelas estações meteorológicas. "Pode ser que tenham ouras cidades que registraram menores temperaturas, mas esses dados são de cidades que são observadas por estações meteorológicas", explica.

 

Apesar do tempo frio, Valéria destaca que não há previsão de chuva forte para nenhuma região do estado. O que preocupa são as rajadas de vento, que em Salvador, por exemplo, chegou a 59,4 km/h na madrugada desta terça-feira. Por conta da situação, os ventos derrubaram o telhado de uma casa de shows e levaram areia da praia de Ipitanga para a pista. Segundo o Inmet, a velocidade considerada normal para esta época do ano é de 7 km/h.

Tempo

04 de Jul // G1 | Tempo

Um barco com três pescadores afundou em Ilhéus, no sul do estado. Um pescador morreu no acidente. Conforme a Marinha do Brasil, ainda não há detalhes do que teria causado o naufrágio, mas um alerta de ressaca foi emitido na segunda, por conta das rajadas de ventos que atingem o litoral baiano e deixam o mar agitado.

 

O acidente aconteceu na manhã de segunda-feira (3). Os pescadores sobreviventes informaram que não ficaram sabendo do aviso e saíram para pescar mesmo assim, na manhã desta segunda-feira. Ao perceberem o tempo ruim, eles decidiram voltar, mas o barco afundou. Nenhum dos homens que estavam na embarcação usava coletes salva-vidas.

 

Conforme os pescadores, a embarcação virou na água por volta das 11h, na área conhecida como Boca da Barra, na Baía do Pontal. Pedaços da embarcação foram encontrados na areia da praia, bem distante do local do acidente. Testemunhas relataram que viram o momento em que o barco afundou e quando dois dos pescadores conseguiram se salvar. O terceiro pescador chegou a ser levado para o Hospital Regional Luís Viana Filho, mas não resistiu.

Tempo

17 de Mai // G1 | Tempo
O muro de um imóvel no bairro da Federação, em Salvador, foi derrubado por uma enxurrada na manhã desta quarta (17). Um morador de um prédio em frente ao local onde o muro caiu registrou o momento em que a força da água da chuva que atingiu a capital baiana nesta manhã, arrastou a estrutura de concreto e alcançou, ao menos, outros dois imóveis vizinhos da Rua Mestre Pastinha.
 
Um morador tentou abrir um buraco no muro para que a água escoasse, mas não adiantou. Ainda assim, o muro foi levado pela água. No momento do ocorrido, os moradores da casa onde o muro caiu estavam dentro do imóvel. Ninguém ficou ferido. A água invadiu o local e destruiu eletrodomésticos e móveis.
 
Também houve estragos nas casas vizinhas. Em uma delas, a água arrastou até uma geladeira. Amigos e parentes se reuniram para limpar os imóveis. De acordo com a Defesa Civil de Salvador (Codesal), no período de uma hora, o índice pluviométrico em Salvador alcançou 63,1mm na região do bairro da Federação. Várias áreas de Salvador ficaram alagadas por conta da chuva nesta quarta-feira.

Tempo

05 de Mai // G1 | Tempo
A capital baiana amanheceu com chuva nesta sexta-feira (5) e os ventos úmidos vindos do Oceano Atlântico devem manter o tempo chuvoso na cidade no fim de semana, de acordo com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema). As temperaturas, no entanto, continuam elevadas, com valores variando entre mínimas de 22°C e máximas de 31°C.
 
As ruas Régis Pacheco, no bairro do Uruguai, e a Oscar Pontes, no Comércio, estão alagadas na manhã desta sexta por conta da chuva. Os motoristas e pedestres devem ter cuidado ao trafegar na localidade. Segundo o Inema, uma massa de ar quente e seco predomina na faixa centro-oeste e norte do estado, o que deve manter o céu com poucas nuvens e sem chuvas.
 
Além de deixar o tempo seco, a permanência da massa de ar influencia nas temperaturas dessas regiões. Com a pouca nebulosidade, os índices ficam mais elevados durante o dia, especificamente no período da tarde, quando as máximas podem chegar aos 36°C em algumas localidades. Já durante a madrugada e nas primeiras horas da manhã, estes índices diminuem, podendo chegar a mínimas de até 18°C.

Tempo

02 de Mai // | Tempo
Uma chuva forte atingiu o distrito de Cumuruxatiba, localizado no município de Prado, no extremo sul da Bahia, deixou ruas alagadas e causou transtornos aos moradores. O temporal foi no domingo (30). Ainda continua chovendo na região nesta terça-feira (2º), mas com menor intensidade. O G1 confirmou as informações com a prefeitura da cidade.
 
Segundo a administração, um córrego que corta a região, e que desagua no mar, transbordou e alagou alguns pontos. Não há informações de feridos. Um vídeo gravado por uma moradora, no domingo, mostra a situação de uma das ruas, que ficou completamente tomada pela água. Nas imagens, é possível perceber a dificuldade encontrada por condutores que se arriscaram a passar pelo local.
 
Um motociclista por pouco não ficou atolado em meio a enxurrada. O tempo deve pemanecer chuvoso em Prado nos próximos dias, segundo previsão do Inmet. Hoje (2), o céu ficará nublado com risco de pancadas de chuva pela manhã, à tarde e a noite. Na quarta, na quinta e na sexta o céu fica encoberto e o sol pode aparecer entre núvens, com risco de chuva fina. A temperatura mínima nos dias seguintes fica acima dos 20 graus, enquanto a máxima não deve passar dos 28 graus.

Tempo

17 de Abr // G1 | Tempo
O nascimento da ‘cebola-brava’ entre as roças do semiárido da Bahia não iludiu os produtores rurais e industriais do município de Valente, que fica a cerca de 250 quilômetros de Salvador. A flor, que resiste e cresce no solo seco, fez valer o prenúncio de chuva e amenizou o sufoco de uma população que lida com a pior seca já registrada desde a década de 1960.
 
Gerente industrial da Associação de Desenvolvimento Sustentável e Solidário da Região Sisaleira (Apaeb), Juciano Oliveira diz que a chuva que tem caído em algumas cidades da região garantiu a empregabilidade e a continuidade das atividades na fábrica que tem o sisal como matéria-prima na produção de produtos que atendem aos mercados nacional e internacional.
 
Há cerca de um mês, a previsão na indústria da Apaeb era de paralisação das atividades, caso a chuva não chegasse em um período de 30 dias. O drama foi contado pelo G1 no especial "Nordeste em emergência: histórias de uma seca sem fim", que foi publicado no último dia 2 de abril. “Tivemos chuva em alguns lugares. Agora, a gente está esperando um tempo para voltar a colheita. Daqui a uns 15 dias, a gente vai começar a receber [o sisal dos produtores]”, afirma Juciano Oliveira.

Tempo

03 de Abr // G1 | Tempo
Moradores de Lajedinho, na Chapada Diamantina, voltaram a contar os prejuízos causados pelas chuvas no sábado (1º), quatro anos após a tragédia que chegou a matar 17 pessoas e deixar 600 desabrigadas no município. As famílias contam que perderam móveis ao ter as casas invadidas pela água. De acordo com a Defesa Civil do município, a situação deixou 94 famílias desabrigadas.
 
O comerciante Roberto Alves conta que a tromba d'água no rio Saracura, que invadiu a cidade no fim de semana, chegou a mais a três metros de altura. "Não levou ninguém, mas foi muita água", afirmou. O calçamento das ruas foi arrancado pela força da chuva e parte do muro de uma igreja caiu. Máquinas foram usadas pra limpar a sujeiras na parte baixa da cidade, a mais atingida pela enchente.
 
A aposentada Zilda de Oliveira, que mora em uma parte mais alta da cidade, também voltou a sofrer com as chuvas. Ela diz que a água chegou próximo ao teto da casa. "Estragou meu fogão e minha geladeira. A geladeira está toda enferrujada. Só quando Deus me ajudar para eu comprar outra", afirmou. Em 2013, a aposentada já tinha perdido três familiares por conta da enchente que atingiu Lajedinho.

Tempo

31 de Mar // | Tempo
Uma forte chuva atingiu a cidade de Alagoinhas, a cerca de 120 km de Salvador, na madrugada de quinta-feira (30), e deixou 20 famílias desabrigadas, segundo o secretário de Ação Social da cidade, Alfredo Menezes. Por conta da situação, cerca de 80 pessoas que integram essas famílias estão abrigadas no Ginásio de Esportes Antônio Carlos Magalhães.
 
Os desabrigados perderam móveis e algumas casas estão com a estrutura comprometida, com risco de desabamento, afirmou o secretário. "O prefeito determinou que o ginásio de esportes seja utilizado para socorrer as famílias que precisaram sair das suas casas pela chuva. Lá também estamos recebendo doações, como roupas, alimentos não perecíveis, colchões, produtos de limpeza e higiene", explicou Menezes.
 
O secretário de Ação Social de Alagoinhas informou que a chuva forte começou por volta das 4h30, durou cerca 1h30 e foi suficiente para alagar diversas ruas e casas do município. Os bairros mais atingidos foram Silva Jardim, Cavada, Cachorro Magro, AABB e Alagoinhas IV. Conforme a Secretaria de Comunicação da prefeitura, a cidade registrou 50 milímetros de chuva em um dia.

Tempo

30 de Mar // | Tempo
A quarta-feira (29) foi de chuva forte em Novo Triunfo, cidade na região nordeste da Bahia. A água provocou uma enxurrada no centro da cidade, chegou a invadir uma igreja, e arrastar carros que estavam na rua. Nesta quinta-feira (30), a expectativa é de que ainda ocorra chuva no município, principalmente a partir da tarde, mas a intensidade já diminui.
 
A temperatura mínima esperada é de 22º C, e a máxima pode chegar até 35° C. Fortes chuvas também atingiram cidades do sul e sudoeste do estado na noite de terça-feira (28) e na madrugada de quarta-feira (29). Ruas ficaram lagadas e a água ainda provocou quedas de muros e árvores. Apesar do estrago, não há registro de feridos e desabrigados.
 
Em Porto Seguro, extremo sul, as principais ruas do centro da cidade como a Avenida dos Navegantes e Avenida Getúlio Vargas ficaram alagadas. Uma árvore caiu em frente a uma lanchonete na Avenida Navegantes, no bairro Cambolo. Um equipe da Defesa Civil da cidade foi às ruas para verificar os pontos de alagamentos. Em Ilhéus, ainda no sul baiano, uma árvore caiu na pista da BR-415, mas o trânsito não precisou ser interditado e árvore já foi retirada.

Tempo

29 de Mar // | Tempo
Uma forte chuva que caiu nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (29), em Jequié, região sudoeste da Bahia, causou alagamentos e desabamentos na cidade. Não há registro de desaparecidos, nem pessoas de feridas gravemente. Várias ruas ficaram alagadas, muros caíram e casas foram invadidas pela água.
 
Segundo informações da prefeitura, já foram iniciados os trabalhos para limpeza das áreas atingidas. A prefeitura disse ainda que criou um comitê emergencial envolvendo as secretarias municipais para atender os moradores e tentar solucionar os problemas causados pela chuva. As pessoas podem ligar, durante todo o dia, para o número 0800 071 1710 para fazer solicitações e informar sobre ocorrências. 
 
De acordo com o Corpo de Bombeiros da Bahia, a forte chuva começou por volta das 4h e causou dois desabamentos, além de uma vítima ter sido resgatada de alagamento. Por conta da grande quantidade de chuva, algumas ruas alagaram e outras, que sem pavimentação, amanheceram repletas de lama. Para solucionar o problema e devolver o direito de livre circulação dos moradores, equipes da Secretaria de Serviços Públicos já se encontram nas ruas com máquinas para a limpeza e desobstrução das vias.

Tempo

22 de Mar // | Tempo

A Bahia está em estado de alerta por causa do baixo nível de reservatórios no estado este ano. Em uma situação que ainda é reflexo do ano passado, um dos mais secos dos últimos tempos, o estado assiste a um forte desabastecimento das estruturas responsáveis por fornecer água para a população.

 

De acordo com dados do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), a Bahia possui atualmente 24 barragens operando próximo à capacidade mínima; 5 a 6 funcionam no limite mínimo ou abaixo disso; 37 das 51 barragens registraram queda na cota de água entre 20 de fevereiro e 20 de março deste ano.

 

E é nesta situação preocupante que o reservatório de Sobradinho, no norte baiano, o maior do Nordeste, chega a esta quarta-feira (22), Dia Mundial da Água, como um dos com mais baixo nível de água. De acordo com Eduardo Topázio, diretor de Águas do Inema, caso a unidade não seja abastecida com chuvas até outubro, ela corre o risco de chegar ao volume morto, como ocorreu no reservatório do Cantareira, em São Paulo, em 2014.

Tempo

20 de Mar // | Tempo
Os lavradores prepararam a terra, compraram as sementes e esperaram que a tão aguardada chuva chegasse. Ontem era o dia. Como reza a tradição, se planta em São José para colher em São João. Mas neste ano não foi assim. Em Morrinhos, zona rural de Feira de Santana, algumas nuvens mantinham viva a esperança de que a água cairia a qualquer momento.,
 
Mas o dia foi avançando, as nuvens se dissiparam e o sol queimava cada vez mais forte. Queimava com ele um pouco da esperança de 3,2 milhões de baianos atingidos pela seca no estado. Mais da metade dos municípios da Bahia já declarou situação de emergência e 21 deles vivem racionamento de água. 
 
O Correio voltou a Morrinhos três meses depois de ouvir a população para a série Vozes da Seca, publicada de 9 a 11 de janeiro e encontrou uma situação ainda mais crítica. A vegetação secou por inteiro. Até o resistente mandacaru dá sinais de fraqueza. As aguadas e açudes esvaziaram, tornando água um bem escasso. Mas os guerreiros da seca persistem na luta diária para garantir a sua sobrevivência e a do rebanho.

Tempo

08 de Mar // | Tempo
A bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) apresentou durante reunião na Comissão de Meio Ambiente, Seca e Recursos uma proposta de audiência conjunta de trabalho com as comissões de Agricultura e Infraestrutura e participação de entidades governamentais estadual e federal para discutir os efeitos da seca no estado.
 
A reunião, que deve acontecer na próxima segunda-feira (13), vai abordar a grave situação provocada pela estiagem em mais de 80 municípios baianos. Segundo o presidente da Comissão de Meio Ambiente, deputado Fábio Souto (DEM), o intuito da audiência é traçar um panorama mais preciso sobre o fenômeno no estado e pressionar as autoridades dos poderes executivos para que apresentem soluções.
 
“Em muitos lugares já existe a falta de água para consumo humano, os rebanhos estão sendo dizimados e há muitas perdas nas plantações. Essa é uma das maiores secas presenciadas em nosso estado”, lamentou. O deputado estadual Pedro Tavares (PMDB) frisou que a Casa Legislativa deve apontar contribuições. Para o peemedebista, é preciso que a seca antes era periódica e, atualmente, tem se tornado constante.

Tempo

23 de Fev // | Tempo
Por conta das chuvas, o presidente da Empresa Municipal de Água e Saneamento (Emasa) de Itabuna, Jader Guedes, anunciou o fim do racionamento de água no município do sul do estado. A regulação no fornecimento começou há um ano e os moradores só estavam recebendo água a cada 20 dias. De acordo com a Emasa, a medida foi possível graças ao registro de 150 milímetros de água nesta semana.
 
Jader Guedes descartou a possibilidade de um novo racionamento nos próximos 60 dias, mas pediu que a população continue racionalizando o uso da água, já que a cidade não dispõe de reservatório de água. O presidente da Emasa destacou que as chuvas chegaram em um momento crítico, já que a captação havia caído para apenas 350 litros por segundo na Estação de Rio do Braço e a captação de Nova Ferradas havia sido paralisada. 
 
Com as chuvas, a captação foi ampliada para 650 litros, o que vai permitir regularizar o racionamento. A Emasa destaca que ainda podem ocorrer problemas pontuais em área de relevo acidentado. Segundo Jader Guedes, em função das chuvas o aumento do volume de água em Rio do Braço permitiu aumentar a captação para 550 litros por segundo. Em Nova Ferradas, a captação foi retomada e deverá ser ampliada nos próximos dias.

Tempo

16 de Fev // | Tempo
Por conta da estiagem que atinge algumas regiões da Bahia, a Embasa informou nesta quinta-feira (16) que quatro municípios já estão com abastecimento de água em regime de racionamento, e que outros oito passarão a racionar água até o final deste mês. Ainda de acordo com a Embasa, outras seis cidades estão com a possibilidade de racionamento ainda em análise.
 
Os municípios já em racionamento são Vitória da Conquista, Belo Campo, Queimadas e Santaluz. Os que iniciarão no fim do mês são Senhor do Bonfim, Jacobina, Jaguarari, Caldeirão Grande, Andorinha, Itiúba, Ponto Novo e Filadélfia. Já os que estão com racionamento em análise são Serrolândia, Caém, Saúde, Antônio Gonçalves, Várzea do Poço e Campo Formoso.
 
A Embasa ainda destacou que encontram-se em situação de alerta os municípios de Seabra, Brotas de Macaúbas, Ibitiara, Novo Horizonte, Lajedinho, Bonito, Palmeiras, Tapiramutá, Morro do Chapéu, Gentio do Ouro, Várzea Nova, além das localidades de Altamira (distrito de Conde), Angico (distrito de Mairi) e Umbuzeiro (distrito de Mundo Novo).

Tempo

08 de Fev // G1 | Tempo
Os agricultores da caatinga, região mais seca da cidade de Planalto, no sudoeste baiano, sofrem com a falta de chuvas que afeta o local. São 1.500 produtores afetados pela estiagem, que já dura três anos, colocou o município em situação de emergência. Em todo o estado, são 61 cidades em situação de emergência por conta da seca, 15 estão na região sudoeste.
 
A seca transforma paisagens da região e expõe cenários preocupantes. O local que era leito de um rio, conhecido como Gaviãozinho, afluente do Rio Catulé, está sem água eo matagal tomou conta. Uma das principais economias do município foi bastante afetada. A produção de café para esse ano está perdida e a do próximo ano está comprometida.
 
Os prejuízos vão demorar para ser recuperados, conforme acredita o engenheiro agrônomo Vivaldo Filho. “Nós estamos falando de um déficit de mais de 3 anos, com perdas de lavouras de 2016 de 70% e [previsão de] safra praticamente zero para esse ano”, diz. Sem alimento para o gado, o produtor rural Eudes Oliveira foi obrigado a desativar a produção de leite. Ele demitiu três dos quatro funcionários e vendeu cerca de 60% do rebanho.

Tempo

27 de Jan // | Tempo

O Nordeste do país vive um período de intensa seca nos últimos cinco anos e, de acordo com a Previsão Climática Sazonal, esse quadro deve se agravar ainda mais de fevereiro a abril de 2017. Elaborado pelo grupo de trabalho do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o documento indica que neste ano haverá menos chuvas na região, o que preocupa o quadro hídrico.

 

A tendência é de que os reservatórios do Nordeste não se recuperem de maneira significativa durante estação chuvosa, já que as precipitações devem ficar abaixo da média histórica. Os pesquisadores chamam atenção para o "acentuado risco" de esgotamento da água armazenada em represas e açudes entre novembro deste ano e janeiro de 2018, no Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte.

 

O aumento no potencial de queimadas a partir de fevereiro também preocupa porque a seca eleva o risco de focos de incêndio. "Se a cobertura vegetal diminui, o solo fica mais exposto e gera um aumento maior na temperatura. É um círculo vicioso", explicou o coordenador-geral de Pesquisa e Desenvolvimento do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), José Marengo.

Tempo

28 de Dez // | Tempo
Para quem já está incomodado com as altas temperaturas registradas em Salvador no início deste verão, há uma notícia boa e uma ruim. A boa é que as temperaturas não devem subir em 2017 além das médias registradas nos últimos anos. A ruim é que elas podem chegar novamente ao máximo já registrado, de 34ºC.
 
De acordo com a meteorologista Marinês Cardoso, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as temperaturas da capital baiana durante a estação mais quente do ano costumam ficar entre 31ºC e 32ºC até março. A sensação térmica, contudo, pode ficar até 3ºC maior a depender do vento e da umidade.
 
Neste ano, o dia mais quente durante o verão foi de 33,3ºC. “Nos últimos meses, as chuvas estiveram abaixo do esperado. Quando isso acontece, geralmente as temperaturas ficam mais elevadas”, explicou ao Bahia Notícias. Mesmo assim, Marinês afirmou que os prognósticos apontam índices pluviométricos dentro do esperado na cidade.




Classificados


Enquete



Mais Lidas