Notícias

Eleições 2018

Eleições 2018

21 de Mai // | Eleições 2018

Vestidos de forma exatamente igual, pai e filho caminham pelas ruas de Junqueiro, no Agreste alagoano. A agenda é administrativa, mas traz uma cena que deve se repetir na campanha eleitoral: pela primeira vez, Renan Calheiros, 62, e Renan Filho, 38, disputarão juntos uma eleição majoritária segundo informações do Folha Press.

 

O pai tentará se manter no Senado e o filho disputa a reeleição para o governo de Alagoas. Assim como os Calheiros, políticos articulam chapas majoritárias em família em outros quatro estados, com parentes pré-candidatos ao governo e Senado. Em outros três estados, disputarão eleições majoritárias um filho e dois irmãos de pré-candidatos a Presidência.

 

Os dois filhos do ex-presidente José Sarney, 88, também vão dividir a chapa majoritária pela primeira vez. Roseana (MDB), 64, tentará seu quinto mandato como governadora do Maranhão e terá seu irmão, Zequinha (PV), 60, concorrendo ao Senado. Deputado federal desde 1983, ele disputará um cargo majoritário pela primeira vez. Ambos receberão o voto do pai, que transferiu o título para o Maranhão depois de 28 anos representando o Amapá.

Eleições 2018

21 de Mai // | Eleições 2018

A semana passada terminou com um sinal claro de que DEM e PSDB vão marchar juntos nas eleições. José Ronaldo (DEM) e João Gualberto (PSDB) não apresentam musculatura política para percorrerem a campanha isolados e, sem dúvidas, a melhor forma de manter uma disputa digna para as eleições deste ano passa pela união das legendas.

 

No entanto, publicamente, nenhum dos partidos vai assumir o recuo – o mais provável a fazê-lo é o PSDB, cuja desistência de candidatura ao Palácio de Ondina é muito mais justificável do que a do DEM. E, como trouxe a repórter Júlia Vigné, o acordo dos novos antigos amigos passa pela cena nacional das legendas.

 

Tanto PSDB quanto DEM não possuem candidaturas à Presidência da República propensas a decolar. Geraldo Alckmin e Rodrigo Maia patinam nas pesquisas eleitorais, e insistir em palanques separados dos partidos na Bahia apenas para garantir espaço para as campanhas dos dois caciques é um preço alto demais a ser pago. Por isso a junção entre as siglas na Bahia deve assegurar que Alckmin e Maia tenham palanque segundo o Bahia Notícias.

Eleições 2018

20 de Mai // | Eleições 2018

Como estratégia de campanha presidencial, o MDB utilizará de ações que o governo de Michel Temer tentou - e umas que conseguiu - implementar. Dentre elas estão, por exemplo, o ajuste fiscal, a PEC do teto dos gastos, a reforma da Previdência. Ainda sem pré-candidato oficial, a definição do partido deverá acontecer nesta terça-feira (22).

 

Um documento intitulado "Encontro com o futuro" deve ser lançado, confirmando o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, como único pré-candidato do partido. O documento irá de acordo com o jornal O Globo, defender o equilíbrio nas contas públicas com cortes nas despesas obrigatórias da União.

 

O manual trará, também, uma série de críticas à gestão da ex-presidente Dilma (PT). “Em 2016 (quando Temer assumiu a Presidência), começamos a agir em cima dos destroços que encontramos”, diz um trecho. Elogios a resultados surgidos após a mudança de Temer na economia também estarão presentes no documento segundo informações do O Globo. Em outro trecho, o documento põe a culpa do alto índice de reprovação de Temer.

Eleições 2018

20 de Mai // | Eleições 2018

Após o lançamento da pré-candidatura do ex-prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM), ao governo do Estado, um evento na manhã de sábado (19) marcou a largada da campanha do demista na capital baiana. O evento foi promovido pelo deputado estadual Alan Sanches e seu filho Duda Sanches, no Centro Cultural da Câmara de Salvador.

 

O auditório estava lotado e a ausência do prefeito ACM Neto chamou a atenção. O gestor não participou de atividades administrativas e não compareceu ao evento. “Não procurei saber o motivo. Cheguei de viagem do interior e fui logo participando do evento. E agora estou em viagem de novo”, disse Zé Ronaldo ao BNews.

 

O demista avaliou o evento. “Foi um evento positivo, com muitas lideranças. Muito satisfatório”, ressaltou. No fim de abril, um evento em Camaçari lançou a pré-candidatura do demista, com a participação de Rodrigo Maia, pré-candidato à Presidência. Estavam no palanque, o vice-prefeito Bruno Reis, o presidente da legenda em Salvador, Heraldo Rocha, o secretário de Saúde, Luis Galvão, e o ex-chefe de gabinete da prefeitura, João Roma.

Eleições 2018

20 de Mai // | Eleições 2018

O governo resolveu vestir a roupa de candidato no ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB). Com aval do presidente Michel Temer, que desistiu de tentar novo mandato, Meirelles vai acelerar a pré-campanha ao Palácio do Planalto a partir da próxima semana. A estratégia está sendo montada na tentativa de tirar o foco negativo de Temer.

 

O primeiro passo dessa articulação ocorrerá na próxima terça-feira (22), quando o partido lançará um documento batizado de "Encontro com o Futuro", versão preliminar do programa de governo. Impopular, o presidente Michel Temer deve anunciar ali a desistência do projeto de reeleição, ungindo Henrique Meirelles.

 

A candidatura de Henrique Meirelles, porém, ainda terá de passar pelo crivo da convenção do MDB, em julho. A reportagem do jornal Estadão Conteúdo apurou que o lançamento da cartilha foi antecipado justamente para a legenda iniciar sua ofensiva política. "O presidente Temer deve oficializar o mais rápido possível a sua não candidatura, sob pena de inviabilizar uma candidatura do partido", disse a líder do MDB no Senado, Simone Tebet (MS).

Eleições 2018

18 de Mai // | Eleições 2018

A vaga de candidato a vice-governador é mais que indefinida na oposição. Se a cabeça de chapa está entre José Ronaldo (DEM) e João Gualberto (PSDB), o espaço não é bem quisto nos dois maiores partidos da possível coligação. Pelo lado tucano, por exemplo, Gualberto não aceitaria ser vice de Ronaldo e nem os outros dois deputados federais da legenda.

 

Pré-candidato ao Senado, Jutahy Junior, é mais que certo no pleito à Câmara Alta do Congresso nacional. Já Imbassahy, que seria o nome viável para a majoritária, também rejeitou. “Não é questão de aceitar ou não. Tenho um projeto na Câmara. Minha proposta é de reeleição”, disse ao logo após as duas siglas fecharem unificação.

 

Imbassahy, no entanto, elogiou a união. “Acho que é necessária para aqueles que querem um rumo para a Bahia. É um estimulo muito grande, perspectiva de vitória eleitoral”, completou ao Bahia Notícias. Sem espaço para nomes graúdos dos dois partidos, a vaga pode ficar para PTB ou PRB. Taíssa Gama (PTB), filha de Benito Gama, e a vereadora Ireuda Silva (PRB), são cogitadas.

Eleições 2018

18 de Mai // | Eleições 2018

Luiz Inácio Lula da Silva publicou, nesta última quinta-feira (17), um artigo em que o ex-presidente reitera sua candidatura para as eleições deste ano. Preso em uma sala na Polícia Federal em Curitiba, Lula usou as recentes pesquisas eleitorais, em que aparece como favorito, como argumento para não desistir do pleito nas eleições deste ano.

 

"A cada dia mais e mais brasileiros rejeitam a agenda contra os direitos sociais do golpe parlamentar que abriu caminho para um programa neoliberal que havia perdido quatro eleições seguidas e que é incapaz de vencer nas urnas", declarou o ex-presidente. O petista segue criticando o processo que o levou à prisão.

 

Lula disse que a condenação no caso do tríplex em São Paulo faz parte de um plano para que ele e o PT não voltem ao poder. O movimento incluiria o impeachment de Dilma Rousseff: "Para me prender, e tentar me impedir de disputar as eleições ou fazer campanha para o meu partido, tiveram que ignorar a letra expressa da constituição brasileira, em uma decisão provisória por apenas um voto de diferença entre 11 na Suprema Corte”.

Eleições 2018

17 de Mai // | Eleições 2018

Diante da indefinição sobre eventual candidatura do MDB à Presidência da República e dos tímidos índices de intenção de voto aos nomes da sigla, membros da bancada do partido no Senado pressionam o presidente Michel Temer para que ele anuncie o mais rápido possível que não será candidato à reeleição segundo informações do Folha Press.

 

Nesta última quarta-feira (16), 13 dos 18 senadores emedebistas participaram de uma espécie de sabatina a portas fechadas com o ex-ministro da Fazenda e pré-candidato à da República pelo partido, Henrique Meirelles. No encontro, ele apresentou suas propostas como pré-candidato nas eleições deste ano.

 

De acordo com a líder do MDB no Senado, Simone Tebet, o ministro surpreendeu a bancada com propostas que extrapolam a área econômica. "Nós conhecíamos o lado do ministro, do presidente do Banco Central. Ele nos tranquilizou porque tem conhecimento profundo das políticas públicas", disse. Meirelles saiu da reunião afirmando que sentiu um "entusiasmo muito grande" dos senadores. "A reunião foi muito melhor do que as minhas melhores expectativas", afirmou.

Eleições 2018

17 de Mai // | Eleições 2018

Enquanto as conversas na oposição pregam uma união entre as candidaturas com mais musculatura ao governo do Estado, o PV está esperando uma conversa com o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) para decidir qual caminho irá seguir no pleito estadual. O partido realizará uma reunião com a executiva no final do mês.

 

A reunião é para formalizar ou não a pré-candidatura ao governo de Waldir Santos (PV), advogado-geral da união, que “colocou seu nome à disposição para qualquer pleito dentro da chapa majoritária”. Antes do encontro interno, no entanto, o presidente estadual do partido, Ivanilson Gomes (PV), aguarda ser chamado por Neto para tomar uma decisão.

 

“Acredito que em algum momento ele [Neto] vai chamar os presidentes dos partidos para uma conversa para expor seu projeto para as eleições. Eu particularmente estou aguardando essa conversa em algum momento o mais breve possível”, declarou Ivanilson. O presidente declarou que ainda tem uma relação muito boa com democrata e acredita que ACM Neto ainda é o líder político do bloco de oposição, mesmo após a desistência da candidatura.

Eleições 2018

16 de Mai // | Eleições 2018

A expectativa em torno da influência das redes sociais no desempenho eleitoral dos candidatos é grande para esta eleição. Em campanhas como a que levou Barack Obama à presidência dos Estados Unidos em 2009 foram preponderantes, contudo, no Brasil os efeitos das redes ainda não foram classificados como fundamentais.

 

Dito isso, o período pré-eleitoral deste ano no Brasil tem sido marcado pelas manifestações espontâneas e estimuladas no universo digital. O baixo custo soma-se à extensão do alcance e a fatores como a falta de credibilidade de pesquisas eleitorais segundo informações do Bocão News.

 

Neste sentido, faltando pouco menos de seis meses para as eleições deste ano, o Bocão News recebeu um levantamento do desempenho dos pré-candidatos ao Senado pela Bahia. A análise baseada nos dados oficiais do Facebook revelou o crescimento da audiência de possíveis candidatos à Casa Alta do Congresso Nacional. Os números apontam o deputado Angelo Coronel (PSD) como líder no ranking de seguidores da rede.

Eleições 2018

16 de Mai // | Eleições 2018

O presidente Temer (PMDB) comentou que a chance de o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ser o candidato do partido à presidência da república é maior que a sua. “Não sei ainda se serei candidato. Vou esperar o mês de julho. Mas tem o Meirelles. O Meirelles é mais candidato do que eu”, teria afirmado Temer ao blog do jornalista Gerson Camarotti.

 

O atual presidente, que segue alvo de investigações da Justiça, teria minimizado ainda uma eventual resistência de dirigentes do partido ao nome de Meirelles. Segundo avaliação de Temer, isso pode ser superado. “Se o partido verificar que Meirelles tem chance, pode apoiar a candidatura dele. Não é improvável”, comentou.

 

De acordo com informações do blog, líderes regionais do PMDB estariam defendendo que o partido não deve ter um candidato ao Palácio do Planalto nas eleições de outubro deste ano, objetivando dar liberdade a alianças estaduais. Temer, porém, acenou com uma crença contrária às informações do blog, dizendo que acredita que o PMDB mude de ideia e resolva sim apontar um nome para concorrer nas eleições presidenciais deste ano.

Eleições 2018

15 de Mai // | Eleições 2018

O maior colégio eleitoral da Bahia e reduto do principal articulador das oposições, Salvador está no foco do pré-candidato a governador da Bahia e ex-prefeito de Feira de Santana, Zé Ronaldo (DEM). De acordo com fontes ouvidas pelo BNews desde o fim de semana, o desempenho eleitoral do democrata ainda não está como o previsto.

 

Os números que balizam esse entendimento são percebidos em pesquisas de consumo interno. A articulação, com a bênção total do Palácio Thomé de Souza, é a de se aproximar, principalmente, dos vereadores que compõe a base do prefeito ACM Neto (DEM) com o intuito de os tornarem protagonistas na cruzada eleitoral de Salvador.

 

Os edis, conforme informações de bastidores, seriam os “caçadores” de votos nos rincões soteropolitanos ainda poucos desbravados pelo núcleo opositor do governador Rui Costa (PT). E esse é o motivador do jantar do postulante ao Palácio de Ondina com os netistas na casa do presidente da Câmara, Léo Prates (DEM), pré-candidato a deputado e um esconjurador nato de ter seu nome emplacado na chapa majoritária para vaga de vice ou senador.

Eleições 2018

15 de Mai // | Eleições 2018

Dos 55 deputados federais alvo de inquéritos e ações penais na Lava Jato, 50 (o equivalente a 91% do total) vão disputar as eleições deste ano. A maior parte dos parlamentares (42) disse que disputará a reeleição; quatro pretendem concorrer a uma vaga no Senado; dois a governos estaduais; um ao Legislativo estadual e um à Presidência da República.

 

Três deputados não responderam ou estão indecisos, enquanto apenas dois disseram que não vão ser candidatos de acordo com levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo. Se eleitos para o Congresso, eles mantêm foro privilegiado para serem investigados e julgados em casos que tramitam no Supremo Tribunal Federal.

 

Com o novo entendimento firmado pelo STF, no entanto, o foro para parlamentares federais só vale para crimes praticados no mandato e em função do exercício do cargo. Crimes comuns ocorridos antes de assumirem seus cargos ou sem ligação com os mandatos podem ser julgados por tribunais de primeira instância. Agora, o STF julgará o primeiro político com foro na Corte no âmbito da Lava Jato, quase dois anos após aceitar a denúncia da PGR.

Eleições 2018

15 de Mai // | Eleições 2018

Dois pré-candidatos ao governo da Bahia não passaram pelo filtro do aplicativo "Detector de Corrupção". A ferramenta foi lançada pelo site Reclame Aqui e usa reconhecimento facial para identificar os políticos e fornecer informações completas sobre quais crimes foram praticados por eles. Dentre os aspirantes na Bahia, três estão cadastrados no aplicativo.

 

Os pré-candidatos José Ronaldo (DEM), ex-prefeito de Feira de Santana, e o deputado federal João Gualberto (PSDB) respondem a processos e foram "pegos" no detector de corrupção. José Ronaldo, conforme mostra o aplicativo, é alvo de uma ação por contratar terceirizados para uma unidade de saúde de forma irregular.

 

Gualberto, por sua vez, responde a um inquérito por suposto crime de lei de licitações. O outro pré-candidato ao governo é o atual governador da Bahia, Rui Costa (PT), que não possui processo relacionado no aplicativo. Os pré-candidatos Marcos Mendes (Psol), João Santana (MDB), João Henrique (PRTB), Celia Sacramento (Rede), Marcos Mauricio (PSDC) e Valdir Santos (PV) não constam na ferramente segundo informações do Bocão News.

Eleições 2018

15 de Mai // | Eleições 2018

O governador Rui Costa fará ainda este mês uma reunião do conselho político, formado por partidos da base aliada, para discutir a formação da majoritária de sua candidatura à reeleição ao governo do Estado. Recentemente, o petista declarou que, até o fim de maio, deve anunciar qual será o desenho da majoritária.

 

Em entrevista ao Bahia Notícias, o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, afirmou ainda que, no encontro, ainda sem data, caso a definição não saia, vai ser aprofundado o debate. Ainda segundo ele, é deste conselho que vai sair o nome que vai ocupar a segunda vaga para o Senado Federal na chapa.

 

A disputa está entre o presidente da AL-BA, Angelo Coronel (PSD), e a senadora Lídice da Mata (PSB). “Estamos construindo a gestão da segunda vaga para o Senado. Esse nome deve partir de um consenso. E eu acho deve ser construído com o Conselho Político e com o governador a busca desse consenso”. Para o petista, a demora de Rui em bater o martelo sobre a majoritária ocorreu porque criou-se um ambiente político “tranquilo” ao governador.

Eleições 2018

15 de Mai // | Eleições 2018

Atualmente na base do prefeito ACM Neto, o Solidariedade (SD) é um apoio quase garantido à candidatura do ex-prefeito de Feira Zé Ronaldo (DEM) ao governo do Estado segundo informações do Bahia Notícias. O presidente da sigla na Bahia, Luciano Araújo, explica que essa é a tendência, já que as siglas são coligadas.

 

"A única possibilidade da gente não ficar com Zé Ronaldo é se houver alguma imposição pra não aceitarem a nossa chapinha com os partidos menores", frisa Araújo em entrevista ao Bahia Notícias. Pré-candidato a deputado federal, o postulante explica que a chapinha será formada por partidos sem políticos com mandato.

 

"A nossa tendência é essa, pegar aqueles partidos que faziam escada pra fazer os deputados de mandatos e nós indicarmos juntos pra eleger dois ou três [deputados] federais e cinco ou seis [deputados] estaduais", pontua. Esse grupo é composto por partidos como PV, PPS, PTC, PSDC, PHS e SD. Quanto à conjuntura nacional, Araújo ressalta que o partido vai dar prosseguimento à candidatura do ex-ministro Aldo Rebelo à Presidência da República.

Eleições 2018

15 de Mai // | Eleições 2018

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, seguiu a linha do vice-presidente nacional da sigla, Benito Gama (BA), e bateu o martelo nesta última segunda-feira: a aliança do partido com o pré-candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) está fechada e não há qualquer possibilidade de outro caminho para os petebistas.

 

“O acordo com Alckmin é irrevogável”, afirmou Jefferson, em entrevista à coluna Painel, do jornal Folha de São Paulo. Ele confirmou ter sido procurado por dirigentes do DEM, como o presidente nacional do partido, ACM Neto, para discutir apoio do PTB à candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

 

“Tenho o maior respeito pelo ACM Neto, mas nem adianta me procurar. O melhor candidato é o Alckmin”, diz. Dirigentes do DEM, do PRB, do PP e do Solidariedade decidiram procurar o PTB e o PR para propor que se somassem ao bloRoberto Jefferson afirma que apoio do PTB a Alckmin é ‘irrevogável’co que tenta articular uma candidatura alternativa. A decisão foi tomada após reunião na casa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM).

Eleições 2018

14 de Mai // | Eleições 2018

Com a desistência do ministro Joaquim Barbosa (PSB) e com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fora do levantamento feito pelo CNT/MDA, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) aparece em primeiro lugar nas intenções de votos. O parlamentar é o preferido de 18,3% dos 2.002 eleitores, que responderam a pesquisa em 137 cidades.

 

Na sequência, Marina Silva (Rede) aparece com 11,2% das intenções de voto, Ciro Gomes (PDT), com 9%, e Geraldo Alckmin, com 5,3%. Como a pesquisa tem margem de erro de 2,2%, os dois registram um empate técnico na segunda posição. Com Lula na disputa, o ranking fica diferente.

 

O petista lidera com 32,4% das intenções de votos, enquanto Bolsonaro cai para 16,7% e Marina fica com 7,6%. Em seguida, aparecem Ciro Gomes, com 5,4%, e, logo atrás, Alckmin, com 4%. Em ambos os cenários, os pré-candidatos Henrique Meirelles (MDB), Rodrigo Maia (DEM-RJ), Guilherme Boulos (PSOL) e Manuela D'Ávila (PCdoB) pontuam menos de 1%. Realizada de quarta (9) a sábado (12), a pesquisa tem 95% de confiança.

Eleições 2018

14 de Mai // | Eleições 2018

Para 43,1% dos eleitores, não há qualquer impacto na intenção de votar em um candidato à Presidência se ele for do PT ou se for apoiado por um petista. Por outro lado, 38,1% acreditam que as chances de votar em um político diminuiriam se ele fosse apoiado pelo ex-presidente Lula ante os 17,6% que afirmam que essas chances seriam maiores.

 

Os números foram apresentados pelo Paraná Pesquisas, que ouviu 2.002 eleitores, espalhados em 154 municípios, de 27 de abril a 2 de maio. A fim de encontrar o "candidato desejado" pela população, a pesquisa apurou que, para a maioria dos brasileiros, nada altera se o candidato estiver ligado ao PT, PSDB ou MDB.

 

No partido do senador Aécio Neves (PSDB), a indiferença é ainda maior: 62,5% não veem impacto caso o candidato seja tucano ou apoiado pela legenda. Já 28,4% dizem que a intenção de votar em um candidato nessa conjuntura diminuiria enquanto 6,7% dizem que as chances aumentam. Quanto ao MDB, que até mudou de nome, perdendo o P da nomenclatura original, 57,5% dos entrevistados acreditam que não interfere em nada.

Eleições 2018

14 de Mai // | Eleições 2018

Com as mãos unidas em formato de coração, ela deu um leve sorriso ao chegar ao centro do palco e parar ao lado de Jair Bolsonaro. Ao lado e um passo atrás. “Em grande parte, é ela a minha âncora”, disse o pré-candidato a presidente, virando para a mulher, Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro segundo o Folha Press.

 

Aconteceu em 29 de abril, no Congresso dos Gideões, encontro evangélico anual em Santa Catarina. Compenetrada no discurso, ela respondia “amém”, baixinho, em certos momentos —por exemplo, quando o marido disse que sua filha “vai ser mulher” e que seus filhos “são homens”, numa crítica à chamada “ideologia de gênero”.

 

Foi a mais recente das raras aparições de Michelle com o candidato.  A discrição é o traço mais notório da aspirante a primeira-dama, segundo relatos ouvidos pela Folha na Barra da Tijuca, região do Rio de Janeiro onde Michelle vive com o político, a filha dos dois, de sete anos, e outra adolescente, de um relacionamento anterior dela. A mulher que divide com Bolsonaro o teto de uma casa em um condomínio na orla da praia tem 36 anos.

Eleições 2018

14 de Mai // | Eleições 2018

Enquanto pré-candidatos à Presidência da República, como Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (PMDB), anunciam que tentarão atrair o voto dos eleitores de Lula, o PT garante que não abrirá mão da candidatura do ex-presidente ao Palácio do Planalto, mesmo com ele na cadeia segundo informações do jornal O Globo.

 

De acordo com a publicação, a demarcação de terreno ocorre após o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o ex-governador da Bahia Jaques Wagner terem sinalizado um possível apoio ao nome de Ciro Gomes (PDT) ao Planalto. A presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, por sua vez, logo tratou de abafar a discussão.

 

“Se Lula é inocente, se a maioria do povo quer votar nele, se à luz da Constituição seus direitos políticos estão assegurados, por que razão deixaríamos de apresentá-lo como candidato? Seria fazer o jogo de seus algozes, que querem uma eleição sem Lula e pretendem com isso dar ares de normalidade democrática a uma disputa que estaria viciada pela ausência do maior líder popular brasileiro”, disse a senadora Gleisi Hoffmann em carta aberta.

Eleições 2018

14 de Mai // | Eleições 2018

Os pré-candidatos das eleições de 2018 podem iniciar a partir desta terça-feira (15) as propagandas para financiamento coletivo de campanha, conhecido crowdfunding eleitoral. Apesar das campanhas já estarem autorizadas, durante este período os candidatos estão proibidos pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de pedirem votos.

 

Entre os requisitos que os pré-candidatos terão de cumprir para que possa ocorrer a liberação e o repasse dos valores arrecadados estão o requerimento do registro de candidatura, inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) e abertura de conta bancária específica para registro da movimentação financeira de campanha.

 

A possibilidade de os pré-candidatos iniciarem a campanha para o financiamento coletivo é uma das mudanças trazidas pela reforma eleitoral de 2015. Até a eleição de 2014, a legislação não admitia menção à futura candidatura antes do registro oficial da candidatura e do início da propaganda eleitoral, com previsão de penas. A data foi definida pelo Tribunal Eleitoral após responder uma consulta feita pelo senador Paulo Paim (PT-RS).

Eleições 2018

13 de Mai // | Eleições 2018

Presidente nacional do DEM e articulador da pré-candidatura de José Ronaldo (DEM) ao governo da Bahia, ACM Neto negou que o partido tenha prioridades entre as suas candidaturas majoritárias estaduais. O prefeito de Salvador respondeu uma suposta lista, publicada pela Revista Época, que trazia as prioridades do DEM nas eleições deste ano.

 

De acordo com a publicação da Coluna Expresso da Revista Época, as candidaturas aos governos da Bahia, Minas Gerais, Goiás e Rio de Janeiro, cujos representantes da legenda serão, respectivamente, José Ronaldo, Rodrigo Pacheco, Ronaldo Caiado e Eduardo Paes, receberiam mais atenção.

 

Em nota, a assessoria de Neto rebateu a informação dizendo que “todas as campanhas de membros do partido aos governos estaduais - Amapá, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará e Rio de Janeiro - são tratadas como prioridade”. O presidente frisou que não existe qualquer critério que estabeleça “diferença entre os processos eleitorais para as candidaturas majoritárias de cada estado” segundo informações do Bahia Notícias.

Eleições 2018

13 de Mai // | Eleições 2018

A pré-candidata da Rede à Presidência, Marina Silva, declarou que vai partir em busca dos eleitores do ex-presidente Lula (PT), que está preso em Curitiba. Em Teresina para participar de um culto evangélico ao lado da pré-candidata ao governo do Piauí, Irmã Graça Nunes, a pré-candidata falou em renovação política nas eleições de outubro.

 

“O PT, PSDB e PMDB já tiveram suas chances. Agora é a hora de a sociedade avaliar e fazer uma mudança profunda”, discursou Marina. “Criaram o problema de 13 milhões de desempregados, criaram o problema de uma Saúde e Segurança que não funcionam, e eles não vão resolver esses problemas”, completou Marina.

 

A política também reafirmou que não deve abdicar da disputa para ser candidata a vice em alguma chapa e que deve tentar atrair os votos que teria o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (PSB), que desistiu de concorrer a cadeira. “Para conquistar esse eleitorado, em primeiro lugar, devemos respeitar as pessoas. Não existem votos da Marina, do Lula, do Ciro (Gomes), do Joaquim segundo informações do O Globo.

Eleições 2018

13 de Mai // | Eleições 2018

O apresentador de TV Luciano Huck, patrocinador de movimentos que pregam renovação política como o Agora! e o RenovaBR, anunciou na última sexta-feira, 11, o lançamento de um aplicativo que apresentará candidatos a eleitores, o que ele chamou de "Tinder do voto" segundo informações do Estadão Conteúdo.

 

Segundo o apresentador, cerca de 20 movimentos estão se juntando para lançar uma plataforma de inteligência digital que o eleitor vai instalar no celular e, respondendo a perguntas sobre o que defende na política, será apresentado a candidatos de partidos pequenos que se apresentam como o "novo" na política.

 

"É a forma de encontrar novos candidatos e saber exatamente quem são eles", disse durante debate sobre eleições na capital paulista. Huck citou que os três partidos que melhor representam a renovação nas eleições são o PPS, a Rede Sustentabilidade e o Novo. Ele declarou ainda que será publicamente um doador de campanhas e que estará próximo do PPS, legenda na qual cogitou se filiar. "Vou fazer esse movimento de doação e será mais próximo do PPS."

Eleições 2018

11 de Mai // | Eleições 2018

Diante dos rumores de uma possível aliança entre o MDB e o PSDB, o Palácio do Planalto começou a ouvir a opinião dos emedebistas sobre o assunto. O resultado desse levantamento, divulgado pelo jornal O Globo, mostra que a aproximação entre o presidente Temer (MDB) e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) é rejeitada por 20 dos 27 diretórios estaduais da sigla do presidente.

 

Dessa forma, de acordo com a publicação, se a convenção do MDB fosse hoje, o apoio à candidatura do tucano seria rejeitado por 508 dos 629 delegados do partido. Segundo O Globo, conversas indicam que Temer estaria disposto a trabalhar para que o ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ocupasse o posto de vice na chapa comandada pelo tucano.

 

Antes mesmo da notícia de que o presidente abriu mão de sua candidatura por Henrique Meirelles, ele já havia declarado que sairia da disputa em prol da união dos nomes de centro. Toda essa movimentação fez com que o DEM, cujo pré-candidato é o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), começasse a articular uma coligação com os demais partidos, isolando os antigos aliados PSDB e MDB.  DEM estaria buscando união com PP, SD, PRB e PR.

Eleições 2018

11 de Mai // | Eleições 2018

O Bahia Notícias apurou com uma fonte do governo que, mesmo com as negociações em relação ao tema ainda embrionárias, enquanto o governador Rui Costa não decide qual será a sua chapa majoritária, algumas tensões estão se estabelecendo dentro do grupo político dele. Uma delas, por exemplo, é em relação ao PDT.

 

O partido é comandado no estado pelo deputado federal Félix Mendonça Jr. A sigla já anunciou que o objetivo é participar de um possível chapão nas eleições para deputado estadual, mas sair sozinho na disputa pela Câmara dos Deputados. A chapa única dos pedetistas para deputados federais é considerado o grande “filé” da legenda para o pleito.

 

Com a perspectiva de obter uma grande quantidade de votos de legenda trazidos pela candidatura de Ciro Gomes à Presidência da República e também pelo alto número de candidatos da agremiação, a expectativa é de uma boa eleição com bons frutos para o partido no quesito Brasília. Entretanto, a recusa da legenda em coligar no chapão para a Câmara pode fazer alguns partidos da base de Rui chiarem segundo informações do Bahia Notícias.

Eleições 2018

11 de Mai // | Eleições 2018

O presidente da República, Michel Temer, afirmou nesta última quinta-feira, 10, em rápida entrevista por telefone ao Broadcast Político (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), que acha muito difícil haver uma candidatura única de centro à Presidência da República nas eleições deste ano segundo informações do Estadão.

 

Diante desse cenário, ele disse que seu partido, o MDB, continua tendo duas opções de candidatos: ele próprio e o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles. "Andei falando aqui numa coisa que não deu certo, que era tentar um único candidato de centro. E essa candidatura de centro já vi que não prospera uma única candidatura".

 

"Acho difícil. Tenho falado com algumas pessoas e vejo que é um pouco complicado. Então, tenho que deixar o quadro tal como está, como estava antes. Depois, até o mês de julho, decide-se o que vai se fazer", declarou. Temer afirmou que hoje não descarta nenhuma possibilidade a um eventual apoio a Geraldo Alckmin, pré-candidato ao Planalto pelo PSDB o qual interlocutores do presidente já iniciaram diálogo sobre possível aliança.

Eleições 2018

11 de Mai // | Eleições 2018

O senador Romário (Pode) lidera todos os cenários de uma pesquisa de intenção de votos para o governo do Rio de Janeiro divulgada na quinta-feira (10) pelo Instituto Paraná Pesquisas. No cenário 1, ele aparece com 24,8%, seu pior resultado no levantamento. A segunda opção mais escolhida é o "nenhum", com 15,2% dos entrevistados.

 

Em seguida, aparecem Eduardo Paes (13,5%), Anthony Garotinho (11,2%) e Índio da Costa (8,2%). Nos demais cenários, o senador Romário aparece sempre com pelo menos 26,9% das intenções de voto. O ex-jogador de futebol também aparece como o menos rejeitado pelos eleitores do Rio de Janeiro.

 

Entre as pessoas consultadas, 43,7% disseram que não votariam nele de jeito nenhum para governador do estado. Nessa mesma pergunta, Garotinho ficou com 71,9%, Eduardo Paes teve 65,3%, Tarcídio Motta somou 58,1% e Índio da Costa teve 56,3%. O Paraná Pesquisas ouviu, entre os dias 04 e 09 de maio de 2018, 1.850 pessoas, espalhadas em 44 municípios do Rio de Janeiro. A margem de erro é de 2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

Eleições 2018

11 de Mai // | Eleições 2018

O PT ingressou na quarta-feira (9) com um pedido de liminar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), requerendo a participação de um representante do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na sabatina feita pela Folha de S. Paulo, UOL e SBT com os seis pré-candidatos à Presidência segundo a revista Carta Capital.

 

O deputado federal Paulo Teixeira (PT) vai propor que cinco nomes se revezem na tarefa de substituir Lula, entre eles o ex-governador da Bahia, Jaques Wagner. Além deles, estarão na lista do petista a ex-presidente Dilma Rousseff, Fernando Haddad, Gleisi Hoffman e Celso Amorim segundo publicação da revista.

 

A estratégia de colocar vários nomes foi adotada para evitar que a escolha de apenas uma pessoa fosse encarada como a construção de um plano B, caso Lula não possa concorrer. Os nomes de Haddad e Jaques Wagner, segundo petistas, não representam um plano B. O partido pede que o TSE obrigue as empresas responsáveis pela sabatina a dar espaço ao representante de Lula para apresentar as propostas de governo do partido.

Eleições 2018

10 de Mai // | Eleições 2018

Em mais uma carta feita na prisão, o ex-presidente Lula saiu em defesa da senadora Gleisi Hoffman (PT). Para ele, a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores "está sendo atacada" por conta das discussões quanto à indicação de um Plano B para as eleições. "Se eu aceitar a ideia de não ser candidato, estarei assumindo que cometi um crime".

 

"Não cometi nenhum crime. Por isso sou candidato até que a verdade apareça e que a mídia, juízes e procuradores mostrem o crime que cometi ou parem de mentir", afirmou, repetindo o discurso já conhecido. Preso há pouco mais de um mês, o petista cumpre pena pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

 

Ele foi condenado a mais de 12 anos de prisão no processo do tríplex do Guarujá. "Quem quer que eu não seja candidato, eu sei, inclusive, as razões políticas, pois são concorrentes. Outros acham que fui condenado em segunda instância, então sou culpado e estou no limpo da Lei da Ficha Suja", escreveu Lula em outro trecho. Embora Gleisi encabece o grupo que defende o nome do ex-presidente até o fim, dentro do próprio PT há dissidência.

Eleições 2018

10 de Mai // | Eleições 2018

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, afirmou que não discute a defesa de um legado do governo Temer, apesar de o Palácio do Planalto já ter iniciado conversas com a cúpula tucana para possível formação de uma aliança eleitoral. Alckmin afirmou que tal defesa "não está colocada em discussão no momento".

 

O tucano disse que seria uma "indelicadeza" porque o MDB tem como pré-candidato à sucessão de Temer o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles. Mais cedo, Meirelles disse que aceitaria conversar com o PSDB se permanecesse como na cabeça de chapa e os tucanos indicassem um nome para a vice.

 

"Nós respeitamos o MDB, que tem candidato Henrique Meirelles. O que estamos fazendo nesse momento é uma conversa com partidos que certamente não terão candidato. Se não terão, é factível fazer uma aliança", disse Alckmin. "As alianças vão ficar para julho, só em julho vamos ter um quadro melhor." Alckmin disse também que é preciso aguardar a decisão do PSB, que ontem perdeu seu pré-candidato a presidente, o ex-ministro Joaquim.

Eleições 2018

10 de Mai // | Eleições 2018

O vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), discordou do prefeito ACM Neto durante entrevista nesta última quarta-feira (09), na composição da chapa majoritária da oposição. Na vaga para vice-governador, Reis sugere nomes fora de Salvador, além de outros partidos. Isso porque seu nome foi cogitado, por diversas vezes, para o cargo.

 

O vice-prefeito citou os nomes de deputado Irmão Lázaro, a vereadora Ireuda Silva e Joseph Bandeira. "Eu acho que o vice tem que sair de outro partido da aliança. Existem nomes do PSC, como Irmão Lázaro, do PRB de Ireuda, Joseph Bandeira do Solidariedade. Não necessariamente um nome de Salvador".

 

"Discordo dessa tese. Tem que ser um nome forte, que tenha valor, resultado. Um nome que represente a Bahia como um todo”, afirmou em entrevista ao programa Se Liga Bocão na rádio Itapoan FM. Segundo Bruno Reis, a formação da chapa só será divulgada após o governador Rui Costa informar quem estará ao seu lado. Bruno compartilha da tese de que o governo precisa primeiramente se apresentar para depois a oposição.

Eleições 2018

10 de Mai // | Eleições 2018

O pré-candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, virá para a Bahia ainda este mês. A informação foi confirmada ao Bahia Notícias pela presidente do partido no estado, Dayane Pimentel. Em entrevista ao portal, no entanto, ela preferiu não dizer a data em que pré-candidato chegará a solo baiano, “por questões de segurança”.

 

“Estamos cuidando dos detalhes e logo estaremos anunciando a data, no momento em que Bolsonaro autorizar”, justificou. Ainda segundo ela, provavelmente, Bolsonaro visitará Salvador. “Nós gostaríamos que ele visitasse outras cidades, mas a agenda do Bolsonaro prevê muitas outras viagens e compromissos”, afirmou.

 

Sobre a possibilidade de o partido ter candidato próprio ao governo do Estado como forma de fazer palanque para ele, Dayane Pimentel admitiu que o PSL tem discutido isso internamente e baterá o martelo sobre o assunto logo em breve. “Logo estaremos anunciando para começarmos a trabalhar em cima desse nome, até porque o Bolsonaro está vindo e quero estar com isso resolvido até lá”, declarou segundo o Bahia Notícias.

Eleições 2018

10 de Mai // | Eleições 2018

O pré-candidato ao governo do estado José Ronaldo (DEM) afirmou que tem preferência pelo deputado federal Jutahy Magalhães (PSDB) para ocupar uma das vagas como candidato ao Senado na eleição deste ano. Os demais espaços na chapa majoritária, no entanto, estão em aberto e ainda são negociadas com partidos aliados.

 

"Há um desejo meu de ter Jutahy Magalhães como uma das vagas ao Senado. As demais vagas a gente está conversando", admitiu o ex-prefeito de Feira de Santana durante entrevista. Segundo ele, a confirmação de Jutahy na vaga depende apenas do próprio parlamentar e do PSDB.

 

"A decisão tem que ser dele e do partido", ressaltou José Ronaldo em entrevista ao Bahia Notícias nesta última quarta-feira (9). O PSDB já lançou o nome do deputado federal João Gualberto como candidato ao governo do estado. Contudo, é possível que a sigla desista dessa alternativa, abrindo espaço para Jutahy integrar a chapa de José Ronaldo. O próprio representante do DEM na eleição já defendeu a estratégia de unificar as candidaturas.

Eleições 2018

09 de Mai // | Eleições 2018

Enquanto os partidos menores aliados ao prefeito ACM Neto (DEM) batem o pé e impõem que não vão aceitar fazer parte do chapão, casos de PHS e PPS, a bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Bahia não esconde o descontentamento com o fato de o democrata não atuar em favor dos parlamentares para resolver a questão.

 

O Bahia Notícias ouviu alguns relatos de deputados estaduais integrantes do grupo político do prefeito e também pessoas próximas a ele. Apesar de preferirem não se identificar, fizeram uma avaliação unânime: caso não haja o chapão, a atual bancada vai se desintegrar, e o único capaz de impedir isso, é Neto.

 

Uma das fontes afirmou à reportagem que o prefeito poderia, enquanto gestor com a máquina administrativa na mão, se impor para solucionar a equação. O PHS de Júnior Muniz, por exemplo, foi equipado com nomes trazidos pelo vice-prefeito Bruno Reis (DEM). Há a avaliação de que poderia apaziguar os ânimos, por exemplo, prometendo ajudar o presidente da sigla a se tornar vereador nas próximas eleições segundo o Bahia Notícias.

Eleições 2018

09 de Mai // | Eleições 2018

Diante da notícia de que o grupo ligado ao deputado Rodrigo Maia, com membros do DEM, PP e PR estariam cogitando se aliar a Ciro Gomes, o deputado José Carlos Aleluia (DEM) afirma que qualquer membro do Democratas tem a liberdade de dizer o que quiser. No entanto, ele destaca que isso não reflete uma posição oficial da legenda.

 

"O partido não está conversando com nenhum candidato porque o partido tem um candidato. Se houve conversa, eu não participei", ressaltou José Carlos Aleluia, em entrevista ao Bahia Notícias. A sigla lançou a pré-candidatura de Rodrigo Maia e, oficialmente, reforça o discurso de que não vai ceder a outro nome.

 

A notícia de que eles estariam discutindo uma aliança com o pré-candidato pedetista foi divulgada pela Folha de S. Paulo. De acordo com a publicação, esse acordo seria uma alternativa diante da aproximação do presidente Michel Temer (MDB) com o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Para o deputado José Carlos Araújo, presidente do PR na Bahia, essa conjuntura pode ser uma coisa nova, "de ontem pra hoje".

Eleições 2018

09 de Mai // | Eleições 2018

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, afirmou que já vinha amadurecendo há semanas a decisão anunciada na terça-feira (8) de não disputar a Presidência da República. “Meu coração já vinha me dizendo: não mexe com isso, não”, resumiu todo o processo, em entrevista ao colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

 

A Jardim, disse que evitou encontros com economistas, líderes de movimentos sociais e parte da bancada do partido porque não tinha certeza de que queria ser candidato, apesar de ter se reunido na semana passada com o presidente nacional do partido, Carlos Siqueira. “Evitei o quanto pude essas conversas”, afirmou.

 

Também contou que esperava ter uma decisão até julho, algo que avisou ao partido. Mas avaliou que as coisas se precipitaram. “Fiquei receoso que as próximas pesquisas mostrassem que eu estava subindo. Desistir mais tarde seria complicado em todos os sentidos. Acho que tomei a decisão no momento certo”, declarou. Ainda segundo o ex-ministro, os dirigentes do PSB ficaram surpresos quando ele anunciou que não seria candidato.

Eleições 2018

09 de Mai // | Eleições 2018

O pré-candidato a governador da Bahia e presidente estadual do MDB, João Santana, lamentou na terça-feira (8) a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de tornar réus o ex-ministro Geddel Vieira Lima e o irmão dele, o deputado federal Lúcio Viera Lima, mas disse que o fato tem “influência zero” em sua campanha.

 

“Eu não posso ser julgado pelo o que os outros fazem. Mas, se você for julgar as companhias dos outros, ninguém pode ser candidato. Todos os partidos têm esses problemas. PT está na Lava Jato, PP também; o PSDB nem se fala. Eu tenho esse problema com os irmãos aqui, são meus amigos, gosto deles e não tive como conversar com eles”.

 

Foi o que defendeu o pré-candidato a governador da Bahia em entrevista ao Bahia Notícias. Ainda segundo o emedebista, a sua vida pública já mostra quem ele é e, por isso, o credencia a disputar o governo do Estado. “Já deixei claro qual é minha posição sobre esse assunto. Eu tenho vida na qual ocupei 12 cargos públicos, uma trajetória inteira. A minha vida já diz quem sou”, destacou João Santana nesta última terça-feira (8).

Eleições 2018

08 de Mai // | Eleições 2018

O presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, não descartou a possibilidade de Jaques Wagner (PT) ser candidato a presidente em substituição ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Como um mantra, os dirigentes petistas dizem que não se falam em outra coisa a não ser Lula candidato em 2018 segundo o Bahia Notícias.

 

Preso há mais de um mês, o ex-presidente depende uma decisão do TSE para saber se pode ou não concorrer no pleito. “Na política é possível que coisas aconteçam, principalmente no arco de aliança que temos, mas não está na ordem do dia. Uma porção de coisas pode acontecer”, disse, após a declaração do vice-governador João Leão (PP).

 

O vice-governador apontou para a possibilidade real de concorrer ao Senado, caso Wagner disputa o Palácio do Planalto. “Foi um ato de generosidade de Leão. Ele quer mostrar um entendimento”, pontuou. Questionado na manhã desta terça-feira (08), se a senadora Lídice da Mata (PSB) seria um bom nome para tomar ocupar o lugar de Leão na chapa como vice, o petista disse que “ela tem perfil para prefeitura, deputada, vice, governadora”.





Classificados


Enquete



Mais Lidas