Notícias

Série de crimes ligados ao tráfico de drogas tira a paz de moradores em bairro de Salvador

A polícia investiga se as mortes de três homens na madrugada de domingo (12), no Candeal, estão relacionadas à rivalidade entre duas facções. Moradores contam que traficantes da região do Nordeste de Amaralina, onde o domínio é do Comando da Paz (CP), já atacaram outras vezes a localidade que está inserida no bairro de Brotas, que há um ano passou a ser comandado pelo Bonde do Maluco (BDM).
 
O crime aconteceu por volta de 1h, na Rua Paulo Afonso. As vítimas foram  identificadas como Washington de Jesus dos Santos, 33 anos, Douglas da Cruz Oliveira, 23, e Adriano Souza Maia, 37, mortas com tiros em diversas partes do corpo. Todos eles foram levados para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiram aos ferimentos.
 
As informações no local é que o trio foi morto durante uma troca de tiros entre facções rivais que disputam o comando do tráfico de drogas. Desde o mês de dezembro do ano passado, o Candeal não é mais aquele. “A gente antes podia dormir de janela e porta abertas. Hoje, ninguém se arrisca”, disse um morador. Segundo ele, traficantes do Nordeste de Amaralina foram ao bairro em dezembro na tentativa de matar um rival.
 
“Mas eles não contavam que uma viatura da Polícia Militar passava na hora. Eles (os criminosos) tentaram fugir, mas bateram o carro em outros veículos. Houve troca de tiros e os bandidos acabaram presos”, relembrou o morador da localidade.
 
Em janeiro, um homem foi assassinado na comunidade. “Tinha acabado de rolar uma festa aqui. O evento acabou e o rapaz ficou perambulando pela rua. Foi quando alguém passou a informação que ele estava sozinho e, instantes depois, apareceu um carro preto, de onde desceram homens armados e o mataram”, relatou uma moradora. “O que se comenta por aqui é que foi o pessoal do Nordeste quem fez os disparos”, complementou.
 
Bairro teve arrastão
Há 15 dias, homens armados de metralhadoras e escopetas promoveram um arrastão. Os bandidos chegaram em dois carros. “Inicialmente, eles buscavam alguém. Chegaram gritando: ‘Cadê vocês, cadê, apareçam! Mas não encontraram e começaram a levar tudo’”, disse ao CORREIO um outro morador.
 
O grupo de homens armados roubou estabelecimentos comerciais, moradores e arrombou carros. “Levaram tudo o que podiam. Em um bar, tomaram duas televisões, cigarros, cervejas e o dinheiro do caixa. Os clientes tiveram os celulares levados”, enumerou. “Algumas pessoas tiveram as casas invadidas e foram roubadas. Quem estava na rua, também foi roubado. Ameaçavam atirar em todo mundo caso alguém resistisse”, disse uma moradora.
 
Não satisfeitos, os criminosos ainda arrombaram alguns carros. “Levaram os sons dos veículos e todos os objetos de valor que encontravam dentro. Em um determinado momento, quando os dois carros já estavam abarrotados, eles pegaram um carro de um morador para colocar o restante das coisas roubadas”, relatou a moradora.
 
O arrastão é investigado na 6ª Delegacia (Galés). A titular da unidade, a delegada Maria Dail Sá Barreto, disse que apenas dois moradores prestaram queixa na unidade. “Sabemos que muitas pessoas foram vítimas, mas apenas essas duas tiveram coragem de vir aqui. Isso (o medo de prestar queixa) dificulta o nosso trabalho”, disse a delegada Maria Dail. Apesar de ainda ninguém ter sido preso, Maria Dail afirmou não ter dúvidas de que os autores do arrastão são da região do Nordeste de Amaralina. “Nos depoimentos, as vítimas disseram que os bandidos gritavam palavras de ordem: ‘CP chegou!’. E depois provocavam os rivais: ‘Cadê vocês ?’”, contou a delegada.
 
Bandidos identificados
A titular da 6ª Delegacia confirmou a versão de que, inicialmente, os traficantes estavam no Candeal para cometer um homicídio. “Eles chegaram buscando alguém. Como não encontraram, praticaram um arrastão para desmoralizar o BDM”, finalizou. Ainda de acordo com a delegada, dos três homens mortos na madrugada de anteontem, apenas um possuía antecedentes criminais. Douglas tinha mandados de prisão em aberto por roubo e tráfico.
 
De acordo com Odair Carneiro, delegado titular da Delegacia de Homicídios Múltiplos, responsável pelo caso, a polícia já identificou os dois autores do crime, que seriam traficantes. O motivo apontado é disputa por pontos de venda de drogas. Segundo a polícia, o alvo do ataque era Washington, que comandava um ponto de venda de drogas no local.
 
Tranquilidade do bairro já foi destaque no CORREIO 
A comunidade que hoje vem perdendo espaço para a violência já foi considerada um território da paz. Em 24 de dezembro de 2011, o CORREIO trouxe uma reportagem mostrando que, naquele ano, enquanto vários bairros de Salvador registraram altos índices de violência, no Candeal não houve sequer um homicídio.
 
Na época, até quem estava acostumado com ocorrências policiais indicava que o Candeal era um local diferente dos outros da vizinhança. “É um pedaço de tranquilidade na área de Brotas. Tem, como em todo lugar, tráfico de drogas, mas numa proporção muito menor”, destacou na ocasião o policial Paulo Portela, coordenador do serviço de investigação da 6ª Delegacia, em Brotas. Em 2017, o número de mortes já se igualou ao de todo o ano passado. 
 
 O marco dessa pacificidade, segundo os moradores, foi 1994, quando Carlinhos Brown criou o projeto social Pracatum, que realiza programas educacionais, culturais e de desenvolvimento comunitário no Candeal Pequeno de Brotas. 

Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas