Notícias

Número de mortes violentas aumenta demanda de vagas em cemitérios de Salvador

A divergência entre o número de mortes, principalmente relacionadas aos casos de homicídios, e as vagas disponíveis nos cemitérios municipais vêm dificultando os sepultamentos em Salvador. O problema, que atinge cada vez mais as camadas mais carentes da população, pautou uma audiência na Câmara de Salvador, manhã desta quinta-feira (16), abordando a violência urbana e a falta de vagas nos equipamentos públicos.
 
"Existe esta dificuldade para sepultar as pessoas e, infelizemente, isso passa pela segurança pública. Os altos índices de violência que têm acontecido nessa cidade e na região metropolitana têm dificultado conseguir vagas nos cemitérios municipais", disse o vereador Orlando Palhinha (DEM), responsável pelo evento, ao Bocão News.
 
Segundo a coordenadora de serviços diversos da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), Janete Garcia, em dez anos apenas 250 novas covas foram criadas na capital por conta da falta de espaço. Essas vagas, segundo ela, foram preenchidas em menos de um mês.  "Tínhamos uma média de 3 mil e chegamos a 5.200 sepultamentos no ano passado. Todos os espaços possíveis já foram abertos", afirmou.
 
Por conta do impasse, Janete explica que os familiares chegam a esperar três dias para sepultar os entes. Ainda segundo ela, a alternativa é investir em cemitérios verticais, cujo projeto já foi apresentado na Câmara. Ações de ampliação são previstas para os cemitérios de Periperi e Pirajá, com a desapropriação de terrenos vizinhos de aproximadamente 4 mil m². 
 
Quinta dos Lázaros - Em situação crítica, o Cemitério da Quinta dos Lázaros, na Baixa de Quintas, recebeu destaque da coordenadora da Semop, que, apesar de tentar evitar, incorporou teor político ao comentar sobre a gestão do equipamento. "Lá, que não é gestão municipal, é administrado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), está há quatro anos sem sepultar no chão. Existe um impasse de administração", apontou Janete.
 
Salvador dispõe de dez cemitérios públicos, localizados nos bairros de Itapoan, Brotas, Periperi, Pirajá, Plataforma, Paripe e as ilhas de Paramana, Maré, Bom Jesus e Ponta de Nossa Senhora.

Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas