Notícias

Após alfinetada, Robinson Almeida chama Arthur Maia de “caloteiro e arrogante”

A discussão entre os deputados federais Robinson Almeida (PT) e Arthur Maia (PPS) desceu mais um degrau na escada da moralidade. Em tréplica, o petista chamou Maia de “caloteiro e arrogante”. Antes, Maia havia ironizado o fato do colega de parlamento ser suplente e o acusou de buscar “cinco minutos de fama”.
 
“Quem? Quem? eu sei que tem um suplente, lá, trigésimo suplente, que eu nem sabia que era deputado, temos que respeitar os que por  ações inexpressivas aqui querem os seus cinco minutos de fama, mas não será comigo”, ironizou, após virar alvo de uma ação na Câmara dos Deputados que pede sua saída da relatoria da Reforma da Previdência.
 
“Além de caloteiro, ele é arrogante. O pedido que fiz foi baseado na dívida da empresa dele com a previdência. Ou seja, ele é causador do rombo da previdência e não tem condições de relatar o projeto”, defendeu Robinson Almeida. Fato: Robinson entregou documento em que alega que Maia não tem os requisitos da impessoalidade e da moralidade para relatar a matéria.
 
O atual relator da reforma da Previdência é sócio de uma empresa que está na lista de devedores do INSS - um posto de gasolina no município Serra do Ramalho, no interior da Bahia, que deve R$ 150 mil à Previdência Social.
 
Maia, no entanto, diz que a questão está resolvida. “Essa questão foi tratada no dia que fui nomeado relator. Recebi doações oficiais, se alguém apontar que eu tenha favorecido este ou aquela empresa seria um ponto objetivo. Se fosse assim, nenhum deputado poderia participar, pois temos previdência social. Não administro essa empresa que tenho, a empresa tem dívida regular, pagando em dia, está adimplente com a previdência”, garantiu. (BocaoNews)

Categorias

Política




Classificados


Enquete



Mais Lidas