Notícias

Valença: Marido de bióloga morta em acidente diz que Liedson estava em alta velocidade

O marido da bióloga Viviane Magalhães Andrade, de 33 anos, morta em um acidente de carro envolvendo o ex-jogador de futebol Liedson Muniz, foi ouvido pela polícia na manhã desta segunda-feira (31), e, durante o interrogatório em Valença, alegou que o ex-atleta dirigia em alta velocidade no momento em que o carro dele bateu com o da vítima.

 

O acidente ocorreu no dia 18 de julho, na BA-887, perto da cidade de Valença, no baixo sul da Bahia. Daniel Porto Cabral foi a última pessoa envolvida no acidente a ser ouvida na Delegacia de Valença, que investiga o caso. Ele estava no veículo com a mulher no momento em que ocorreu a colisão, e havia adiado o interrogatório duas vezes.

 

De acordo com o delegado, Daniel Porto contou que ele e a mulher estavam viajando para Morro de São Paulo, no município baiano de Cairu, e, após se perderem no caminho, chegaram até a estrada onde ocorreu o acidente. Conforme o delegado, o homem contou que, antes de entrar na rodovia, ele e a vítima verificaram se algum carro iria passar no local, mas não viram o veículo dirigido por Liedson, que teria se aproximado rapidamente.


"Ele disse que fizeram a rotatória, pararam, olharam para os lados e não viram [o carro de Liedson]. Depois, entraram na pista e ele sentiu baque. Ele disse que, quando deu por si, já tinha acontecido o acidente. Ele atribui [o acidente] a Liedson. Diz que se ele [o ex-jogador] não estivesse correndo demais, talvez não tivesse acontecido o acidente", contou o delegado.


Liedson nega que tenha causado a batida, e a mulher dele, Gabriela Muniz, confirma a versão. Conforme o delegado, ambos contaram para a polícia que a vítima, que estava ao volante, teria feito uma manobra irregular ao não esperar o carro do ex-jogador passar para entrar na pista principal da rodovia. Segundo o delegado, o laudo de frenagem, que vai apontar a velocidade em que os carros estavam no momento do acidente, irá ajudar na investigação.

 

O resultado do teste e do laudo necroscópico do corpo da vítima ainda não estavam prontos nesta segunda-feira. O delegado José Raimundo informou que aguarda por eles e pelas declarações de quatro pessoas que passaram pela rodovia no momento da batida, para concluir o inquérito e encaminhá-lo para a Justiça. O documento deve ser entregue em um prazo de 30 dias, contados a partir do início das investigações.


Independente do resultado apontado pelo inquérito, a família da vítima contou que irá entrar com um processo na Justiça contra Liedson, alegando que o jogador dirigia em alta velocidade no momento da batida. O delegado informou que o advogado da família solicitou que o GPS do carro do ex-jogador também seja periciado para atestar a velocidade do veículo no momento do acidente.

 

Além disso, os familiares da bióloga pretendem mover também uma ação contra a montadora do carro de Viviane, porque, segundo eles, os airbags não foram acionados durante o acidente. Os familiares de Viviane alegam ainda a bióloga estava esperando o primeiro filho, com base em um teste de farmácia com resultado positivo que eles encontraram nas coisas da vítima. Segundo o delegado, o marido de Viviane contou que não sabia nada sobre a gravidez. A suposta gestação será apurada pelo laudo necroscópico.


Categorias

Baixo Sul




Classificados


Enquete



Mais Lidas