Notícias

PF diz que Lúcio Vieira Lima teria atuado em benefício de construtoras na Câmara

O relatório da Polícia Federal sobre o Quadrilhão do PMDB aponta que o deputado federal Lúcio Vieira Lima (BA), irmão do ex-ministro Geddel Vieira, teria atuado em benefício de construtoras na Câmara. O suposto acordo feito entre a OAS e Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara, girava em torno da Medida Provisória 600/2012.

 

A medida provisória autorizava a União a conceder subvenção econômica ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Lúcio foi citado na delação da Odebrecht como receptor de R$ 1 milhão como contrapartida à aprovação de leis favoráveis aos interesses da empreiteira.

 

Em um dos organogramas elaborados pela força-tarefa sobre o 'Quadrilhão do PMDB', Lúcio aparece no segundo escalão em relação ao centro do grupo, o presidente Michel Temer. Lúcio aparece vinculado à Câmara e ao irmão, Geddel, em função do depoimento de Silvio Silveira, dono do apartamento no qual foi encontrado "bunker" de R$ 51 milhões atribuídos ao ex-ministro segundo informações do Bahia Notícias.

 

empresário disse que teria emprestado o apartamento a Lúcio, sob a justificativa de que Geddel guardaria bens do seu falecido pai. Também foi encontrado no local uma fatura em nome da empregada de Lúcio, Marinalva de Jesus.


Categorias

Polícia




Classificados


Enquete



Mais Lidas