Notícias

Grupo invade shopping e explode caixa eletrônico no bairro do Cabula, em Salvador

Homens armados invadiram o Plaza Shopping, na Avenida Silveira Martins, no Cabula, na madrugada desta sexta-feira (6) e explodiram um caixa eletrônico da Caixa Econômica Federal (CEF). Para ter acesso ao shopping, eles usaram um carro para arrombar a grade principal. Não houve reféns. O ataque ocorreu por volta das 3h30.

 

De acordo com a Polícia Militar (PM), os criminosos fugiram logo em seguida ao ataque. Em nota, a corporação informou que 23ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Tancredo Neves), unidade responsável pelo policiamento do bairro, foi ao local e encontrou uma mochila contendo explosivos não detonados e bananas de dinamite deixados pelos criminosos.

 

A PM informou ainda que a unidade realizou rondas pela região, mas os criminosos não foram localizados. No estabelecimento comercial há cinco caixas eletrônicos - três da Caixa e dois 24 horas. No entanto, as primeiras informações, segundo a Polícia Militar, é de que apenas um caixa eletrônico da Caixa Econômica foi explodido. No centro comercial há 73 estabelecimentos, entre salões, cafés, lojas de variedades, roupas, entre outros.

 

As informações preliminares dão conta de que existem duas dinamites intactas em frente a uma padaria. O esquadrão antibomba, a PM, o Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e a Polícia Federal (PF) estão no local. O acesso ao shopping está interditado por conta da realização da perícia.

 

Proprietária de um café no local, a comerciante Cleide de Oliveira, 50 anos, informou que o segurança noturno foi rendido. "O que soubemos é que ele foi rendido e nada pôde fazer. Entraram e explodiram o da Caixa porque são mais antigos, não tem sistema de tingir as notas", disse. Ainda segundo a comerciante, houve troca de tiros entre bandidos e policiais.

 

"Graças a Deus, minha loja aparece intacta nas fotos que recebi. Infelizmente, é o mundo em que vivemos. Mas eu não vou fechar. Me sinto muito segura aqui no shopping", disse ela, que tem o estabelecimento há três anos e disse que nunca havia acontecido algo assim. Proprietário de uma padaria dentro do centro comercial há 16 anos, o comerciante Alan Chagas, 39, contou que quando chegou, por volta de 6h30, foi surpreendido pela cena.

 

"Eu espero que nada tenha atingido minha loja. São muitos anos de trabalho pra acabar assim", lamentou ele. A padaria de Alan fica em frente ao caixa eletrônico que foi explodido. "A polícia só me disse que tem dinamites em frente à minha padaria, agora é torcer para não ter nada", disse. Os comerciantes disseram ainda que existe um circuito interno de monitoramento e que a síndica vai passar as imagens para a polícia.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas