Notícias

Família de vendedora que pulou de ônibus em Salvador soube de morte no IML

A família da vendedora Luzenilda Santos Avelino, 24 anos, só soube da morte da moça na manhã desta sexta (06), quando buscavam informações no Instituto Médico Legal. Luzenilda morreu após pular da porta traseira de um ônibus em movimento, na tentativa de fugir de um assalto, na noite de quinta (05), na região no Iguatemi, em Salvador.

 

Todos os dias Luzenilda saía do Shopping da Bahia, onde trabalhava na loja de departamentos C&A, por volta de 22h, e chegava em casa, no bairro do Cabula V, cerca de 40 minutos depois. Ela pegava sempre o mesmo ônibus, que fazia Tancredo Neves/Pituba. Ontem, a moça não retornou à residência em que morava com o companheiro.

 

Após procurarem em hospitais, sem sucesso, nesta sexta-feira (6), por volta de 9h, a sogra, o noivo e dois cunhados da vítima chegaram ao Instituto Médico Legal e se dirigiram à sala de assistência social. A aflição era aparente em todos eles, que aguardaram alguns minutos até serem chamados em uma sala restrita. Lá, por meio de reconhecimento de fotos, receberam a notícia de que a vítima fatal era, de fato, a vendedora.


Inconformado, o noivo de Luzenilda chorou muito e foi amparado pelos irmãos e a mãe. "Nós estamos desnorteados, não sabemos como aconteceu, mas é ela", disse ao CORREIO a sogra da vítima, sem se identificar. A partir dali, começaram a fazer ligações para avisar à mãe da moça, que chegou ao IML cerca de uma hora depois.

O desespero era aparente entre os familiares da vendedora, que chegaram a se ajoelhar no chão. Já ciente da confirmação, bastante abalada, a mãe de Luzinete lamentava o fim trágico da filha. "Eu falava pra ela, 'se acontecer algum assalto, não reaja, entregue tudo'", repetia a mãe de Luzenilda, com as mãos sobre a cabeça, aos outros familiares.

 

Além da sogra, do noivo e da mãe, cunhados, primas, amigas e uma tia também estiveram no Nina Rodrigues. "Nós não sabemos como aconteceu, só recebemos a notícia do acidentes, procuramos e descobrimos que ela estava morta. Não temos condições de falar nada, estamos muito abalados", disse a tia da vendedora.

 

Em nota, a C&A lamentou a perda da funcionária e disse que está prestando apoio à familia. Luzenilda, que nasceu no municício de Ubaíra, na região de Jequié, no Sudoeste do estado, mora em Salvador desde criança. Ela ficou noiva recentemente e não tinha filhos. Luzenilda vai ser enterrada neste sábado (7), às 10h, no Cemitério do Campo Santo, no bairro da Federação, em Salvador.


Baleiros disfarçados
A Polícia Civil identificou um dos suspeitos do assalto a ônibus. O suspeito foi identificado através da análise de imagens do assalto. Nas imagens, dois homens e uma mulher entram no coletivo fingindo serem baleiros.

 

Eles anunciam o assalto e começam a saquear os passageiros. Houve pânico dentro do ônibus. Luzenilda tentou escapar e pulou do ônibus em movimento. Ela morreu após bater a cabeça na pista. Outras pessoas também pularam do ônibus e sofreram ferimentos leves. A equipe médica de uma empresa particular tentou socorrer Luzenilda, mas ela não resistiu e morreu ainda no local.

 

Outra passageira que também pulou do ônibus foi Ivonete Profeta Sousa, 33. Ela foi socorrida para o Hospital Geral do Estado (HGE) por uma ambulância da Vitalmed com ferimentos na cabeça e no ombro esquerdo. A Secretaria Municipal da Saúde informou que quando ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegaram ao local as vítimas - Luzenilda e Ivonete - já haviam sido atendidas.

 

Ivonete contou aos policiais do HGE que um casal entrou no coletivo e anunciou o assalto - o que gerou pânico entre os passageiros e várias pessoas tentaram fugir do veículo em movimento.


Categorias

Salvador




Classificados


Enquete



Mais Lidas