Notícias

Suspeito de matar corretora de imóveis em Salvador diz que agiu em legítima defesa

O homem preso suspeito de matar a corretora de imóveis Janaína Silva de Oliveira, de 42 anos, em Salvador, alegou em depoimento que teria esfaqueado a vítima em legítima defesa, durante uma discussão. A informação foi passada pela Polícia Civil durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (14).

 

O suspeito, identificado como Aidílson Viana de Souza, se apresentou à polícia na tarde desta terça e teve mandado de prisão temporária, com validade de 30 dias, cumprido. Ele, que é servidor municipal aposentado, estava acompanhado de um advogado. O homem prestou depoimento na sede do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro da Pituba.

 

"Ele alega que ela [vítima] estava em estado de embriaguez e teria esfaqueado ele. Houve embate e ele teria esfaqueado ela também. Em seguida, ele teria saído para procurar socorro, ensanguentado. Ele realmente está com um ferimento. Ele alega legítima defesa", contou o delegado Jamal Amad, coordenador da 3ª Delegacia de Homicídios (DH/BTS), responsável pela investigação do caso segundo informaçõs do G1.

 

Após ser ouvido, o suspeito falou com a imprensa. Aidílson disse que o casal costumava brigar por ciúmes. "Ela era muito ciumenta. Eu não sou uma pessoa ruim", disse. O suspeito será encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Salvador, onde passará por exame de corpo de delito. Em seguida, ele será encaminhado para a carceragem de uma delegacia na capital baiana.

 

Aidílson e a vítima tinham um relacionamento há 5 anos. O crime ocorreu na noite da quinta-feira (9). O corpo da Janaína foi achado dentro do apartamento em que morava com o suspeito no final da tarde da sexta-feira (10), pela filha dela - que é fruto de outro relacionamento. Segundo os relatos de familiares, o corpo da corretora apresentava ferimentos de facadas nas costas.


Familiares da vítima afirmam que o marido dela era ciumento e que ele agredia a mulher constatemente. Segundo os familiares da corretora, o homem chegou a ser preso há 2 anos por conta das agressões. O suspeito nega as acusações.


A corretora foi enterrada no final da manhã do domingo (12). O sepultamento foi realizado no Cemitério Campo Santo, no bairro da Federação, no centro da capital baiana. Dezenas de familiares e amigos de Janaína compareceram à cerimônia e prestaram homenagens.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas