Notícias

Salvador: 'Deveriam ser indiciadas', diz secretária sobre caso de racismo

As duas mulheres detidas após praticar agressões racistas contra a secretária estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esportes, Olívia Santana, foram liberadas da Delegacia de Flagrantes, no mesmo dia dos ataques. De acordo com a Polícia Civil, uma delas foi indiciada pelo crime de injúria racial, pagou fiança e vai responder em liberdade.

 

A segunda mulher não vai responder a nenhum crime por “falta de provas”. Conforme Olívia, elas estavam no Hotel Catussaba, em Itapuã, participando do Baile de Carnaval do Rallye do Batom, quando praticaram as agressões. A secretária disse que uma mulher foi até ela como se fosse fazer um cumprimento segundo informações do Correio da Bahia.

 

No entanto, acabou dizendo que ela não deveria estar naquele lugar e que tinha que voltar para a favela por ser comunista. Segundo a testemunha que presenciou as agressões, a outra mulher, que também não teve o nome divulgado, começou a xingar Olívia, gritando que o regime militar estava voltando para “colocar ela no lugar certo.” Sobre a decisão da polícia, Olívia disse que achou "lamentável" que uma das mulheres não tenha sido indiciada.

 

"Uma foi mais incisiva, mas a outra acompanhou e chegou a falar perto de mim: 'você nao vai chorar, não?' Temos testemunhas que presenciaram. Isso é um absurdo porque ela foi violenta comigo. Elas tiveram uma atitude deliberada, inclusive a que me agrediu fisicamente", falou a secretária. No domingo, ela usou as redes sociais para comentar novamente o caso. “Elas me mandaram voltar pra favela, dizendo que lá é o meu lugar. Meu lugar é onde eu quiser estar!”, escreveu Olívia.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas