Notícias

Sargento da Aeronáutica é morto durante assalto em ônibus na Bonocô em Salvador

O primeiro sargento da Aeronáutica Ricardo Cerqueira Dias, 43 anos, morreu após reagir a um assalto dentro de um ônibus na Avenida Bonocô, na noite desta última quarta-feira (7). Ele foi socorrido pela Polícia Militar, mas chegou sem vida na emergência do Hospital Geral do Estado (HGE). Ricardo foi baleado por volta das 20h30.

 

Ele estava em um ônibus de número de ordem 10352, que fazia linha Estação da Lapa/Patamares, passava nas imediações da Le Biscuit, sentido Iguatemi. De acordo com informações do posto policial do HGE, o sargento estava com a mulher, Nadja Bacelar de Oliveira, que usava uma camisa do Esporte Clube Bahia.

 

O casal saiu da Arena Fonte Nova onde o Bahia havia jogado.  Ricardo, um homem alto e forte, mexia no celular quando um dos bandidos, um rapaz franzino, anunciou o assalto. O sargento entrou em luta corporal com o ladrão. "A mulher dele disse: 'não reaja, não reaja'", contou um agente que atendeu a ocorrência. Mas o ladrão não estava só: segundo informações da ocorrência no HGE. Outros dois comparsas surgiram e um deles atirou no queixo do sargento.

 

No entanto, a Polícia Civil informou que são dois os autores do crime. A bala ficou alojada na cabeça. Os bandidos fugiram levando o celular da vítima, que foi socorrido para o HGE pela equipe da Operação Gêmeos 5.0106. Ricardo morava em Itapuã e trabalhava Base Aérea, no aeroporto de Salvador.

 

Ele integrava o Grupamento de Apoio de Salvador (GAP-SV). Em nota, a Força Aérea Brasileira afirmou que Ricardo não estava em serviço na hora do crime e que as autoridades do Comando da Aeronáutica estão prestando apoio à família do militar (confira abaixo). Não foi informado se Ricardo estava armado.

 

Imagens
A Polícia Civil divulgou, na manhã desta quinta-feira (8), que os envolvidos na morte do sargento já foram identificados. Segundo o delegado José Nélis Araújo, coordenador do Grupo Especial de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc), os dois autores são conhecidos por prática de estelionato, com cartões de gratuidade, na Estação da Lapa.

 

Segundo o Gerrc, de 1º janeiro até às 10h25 deste quinta-feira (8), foram registrados 168 ocorrências de roubos a ônibus. No mesmo período do ano passado, foram 263 casos - uma redução de 37%. A polícia, informou em nota, já solicitou à empresa Integra CSN, as imagens das câmeras de segurança do ônibus.

 

Assaltos
Segundo o Sindicato dos Rodoviários, a Avenida Bonocô e o bairro do Rio Vermelho dividem o segundo lugar no ranking de registro de ocorrências de assaltos em dezembro do ano passado. Foram sete. “No caso da Avenida Bonocô, provavelmente está ligada à facilidade de fuga, pois a região dá acesso à BR-324, Iguatemi, Nazaré, Brotas e outras regiões”, declarou Fábio Primo, vice-presidente do sindicato.

 

O primeiro lugar é da Avenida ACM. As linhas mais assaltadas no mesmo período são Imbuí/Praça da Sé, Mata Escura/Pituba e Rodoviária Circular B. O vice-presidente do sindicato disse ainda que um dos fatores que contribui para as ocorrências de assaltos no transporte público é a desestruturação das unidades das polícias Civil e Militar destinadas exclusivamente ao combate a essas ações criminosas.

 

“Hoje existe o Gerrc e Operação Gêmeos (PM), mas a gente quer mais estrutura para essas unidades. Com a criação delas, o número de assaltos diminuiu no início, mas não houve investimento posteriormente. Por exemplo, quando há operações de outras unidades, o Gerrc e a Gêmeos acabam participando e fogem do foco deles que é coibir os assaltos aos ônibus”, disse Primo.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas