Notícias

Funcionária de escola é morta a tiros em terreiro de Salvador, diz Polícia

A auxiliar de classe Joy Soares da Silva, 38 anos, foi morta na madrugada desta quinta-feira (8), na região do Curralinho, na Boca do Rio. De acordo com a Polícia Civil, o crime ocorreu por volta das 4h. No local, testemunhas informaram à polícia que Joy estava em casa na Rua Obi, transversal da Estrada do Curralinho, com o marido e a filha de 13 anos.

 

Homens chegaram no imóvel, chamando pelo companheiro dela. O marido de Joy, segundo a polícia, seria ex-traficante. Quando deixou o crime, o traficante para quem trabalhava teria ordenado sua morte. A polícia não soube informar há quanto tempo ele havia parado de traficar segundo informações do Correio.

 

A família decidiu não atender a chamada na porta. Os bandidos invadiram a casa e seguiram atrás das vítimas. Moradores do terceiro andar do sobrado, eles tentaram sair pelos fundos da casa – pulando o muro do sobrado, que fica vizinho a um terreiro de candomblé. O marido e a filha pularam primeiro e conseguiram fugir. No entanto, Joy foi atingida duas vezes e morreu no terreno do templo religioso. Ela foi morta quando se equilibrava para pular o muro.

 

Os dois parentes da vítima conseguiram escapar sem ferimentos. Segundo a polícia, nem a vítima, nem sua família tinham ligação com o terreiro de candomblé. O marido dela deve ser ouvido em breve, na condição de testemunha. Ele não teve o nome divulgado. O caso será investigado pela 1ª Delegacia de Homicídios (Atlântico), do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

Joy trabalhava no Colégio Magister, na Boca do Rio. Por telefone, uma funcionária, que não se identificou, afirmou que um parente havia ligado avisando que ela tinha falecido. "Ela trabalhava aqui faz um tempinho. Era uma pessoa boa. Ela trabalhava ajudando as professoras nas salas". A equipe da escola publicou comunicado nas redes sociais lamentando o crime. Na manhã desta quinta-feira (8), moradores se aglomeravam na porta do sobrado onde a vítima vivia. Para chegar até o local é preciso descer uma escada irregular e estreita, por isso, os bandidos chegaram a pé.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas