Notícias

Salvador tem vários bairros com volume de chuva superior a 100 mm em 3 horas

Com registros de desabamento com morte, deslizamentos de terra e acidentes, Salvador notificou em três bairros, em cerca de três horas, um índice de chuva quase 70% superior ao esperado para todo o mês de março. A média histórica para todo o mês de março, em toda a capital baiana, é de 151,6 milímetros.

 

De acordo com o meteorologista Ricardo Rodrigues, do Monitoramento de Alerta da Defesa Civil de Salvador (Codesal), as localidades que apresentaram a maior concentração de chuvas foram Cajazeiras, com 117,4 milímetros; Periperi, com 111,2 milímetros; e Palestina, com 104,4 milímetros segundo o G1.

 

A metereologista Cláudia Valéria, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), explicou que as chuvas em Salvador não caíram de modo uniforme. No bairro de Ondina, por exemplo, onde o órgão tem uma base de monitoramento, o registro foi de apenas 20 milímetros. Na região da Base Naval (subúrbio), onde o Inmet mantém outra base, foram 74 milímetros. A previsão do Inmet é de que as chuvas prossigam até a próxima quinta-feira.

 

Porém com menor intensidade do que a registrada entre a madrugada e início da manhã desta terça-feira. A metereologista Claudia Valéria comenta que o tempo deve melhorar no final de semana, mas deixa claro que os soteropolitanos devem se preparar, a partir deste mês de março, para intervalos menores de tempo firme, com sol, em Salvador.

 

"Os meses mais chuvosos são abril, maio e junho. Em muito anos, março também tem aparecido. Este é o nosso período chuvoso, que coincide com a proximidade do outuno (que começa no dia 20 de março). Nesses meses, não vamos mais ter longos períodos de sol". Apesar da chuva, as temperaturas não caem na capital baiana. Nesta terça-feira, o Inmet prevê a mínima de 23º C e a máxima de 32º C.


Após a chuva, um prédio de três andares desabou na manhã desta terça-feira, na Rua Alto de São João, no bairro de Pituaçu, em Salvador. Um garoto de 12 anos morreu. Segundo testemunhas, no total, sete pessoas estariam no imóvel e acabaram soterradas. Além da criança morta, três pessoas já foram resgatadas e outras três seguiam sob escombros.


Um deslizamento de terra provocou o alagamento de residências e interditou a Rua Angélica Rocha, no bairro de Boa Vista de São Caetano, em Salvador, nesta terça. Em contato com o G1, o morador da localidade, Eduardo Fernandes, relatou que o barranco, que fica localizado em frente à residência onde mora, cedeu por volta das 4h30.


Nenhuma casa foi atingida, mas a concentração de terra na rua acabou represando a água da chuva e provocando o alagamento dos imóveis da região. "Com a terra, não tinha como a água passar e acabou alagando a minha casa. Minha mãe ficou ilhada em cima da cama". Fernandes acrescentou que outras casas vizinhas também foram alagadas e que a Rua Angélica Rocha está completamente interditada. O morador disse também que técnicos da prefeitura já estão no local auxiliando na limpeza das residências e também da rua.


Categorias

Salvador




Classificados


Enquete



Mais Lidas