Notícias

Companheira de Marielle diz ainda não acreditar na morte da vereadora

A companheira da vereadora Marielle Franco, Mônica Tereza Benício, concedeu entrevista pela primeira vez após o crime que ocorreu na última quarta-feira (14) no Rio de Janeiro. Monica é arquiteta e vivia com Marielle há um ano. Juntas, as duas lutavam pela causa LGBT. 'Não consigo acreditar que ela não vai voltar para casa', lamentou.

 

De acordo com Mônica, o último contato com a vereadora foi momentos antes do crime. "Marielle me mandou uma mensagem no celular dizendo que já estava dentro do carro voltando para casa. Ela me perguntou se eu queria que ela comprasse alguma coisa para trazer para casa", disse segundo informações do G1.

 

O desafabo ocorreu durante uma entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, exibida na noite deste último domingo (18). Ainda durante a entrevista Mônica disse que estranhou a demora da companheira e resolveu ligar. "Liguei uma vez, ela não atendeu. Liguei de novo. E depois mais 20 vezes e ela não atendia. Passou um tempo e uma amiga veio me avisar. Ela disse para mim: Mônica, você precisa ser forte. A Marielle morreu", contou emocionada.

 

A reportagem também ouviu a filha da vereadora, Luyara Santos, 19 anos, a irmã e os pais, além da assessora, que estava no carro no momento em que Marielle foi morta. Em sua última foto ao lado de Monica postada no Instagram, Marielle escreveu: “Parabéns pra essa cidade do coração, que, infelizmente, tem sido tão maltratada historicamente, inclusive nos últimos anos. E que quanto mais parece estar abandonada, mais fica hostil às mulheres e à população negra. Que nos próximos aniversários comemoremos como realmente gostaríamos: com um Rio para todas e todos!”.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas