Notícias

Chuvas atingem estados do Norte e Nordeste, com inundações e interdições

Os estados do Ceará, Maranhão, Pernambuco, Paraíba, Tocantins, Pará e Piauí foram atingidos nesta quarta-feira (11) por chuvas fortes. A previsão, de acordo com o Climatempo, é que tempo fique mais estável a partir do final de semana. Ceará: Em Fortaleza, uma névoa deixou o céu encoberto e acinzentado durante a manhã – fenômeno raro para a cidade.

 

Das 7h de terça às 7 horas de quarta, choveu em 84 municípios cearenses, segundo dados da Funceme. A maior precipitação ocorreu na cidade de Barroquinha, Litoral Norte do Estado, com 122,2 milímetros. Em seguida aparecem as cidades de Santa Quitéria (112,5 milímetros), Granja (105,0 milímetros), Ibiapina (98,0 milímetros) e Ipueiras (90,2 milímetros).

 

Além disso, 11 açudes no estado estão com 100% da capacidade. Maranhão: Em dez dias, choveu quase a metade do previsto para mês inteiro no estado, segundo o Núcleo de Meteorologia da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). A média histórica de chuvas em abril é de 476 milímetros – número que deve ser ultrapassado. Em algumas cidades, rios transbordaram, barragens se romperam e estradas foram interditadas.

 

Em Tuntum, localizada na região central do Maranhão, o riacho que leva o mesmo nome da cidade alagou alguns bairros – Ana Isabel, Vila Mata, Tuntum de Cima e Residencial Maria Helena, entre os mais prejudicados. Algumas famílias perderam as casas com a entrada da água. Um trecho de uma rodovia federal foi destruído. O km 330 da BR-135, próximo a Presidente Dutra, um desmoronamento da via comprometeu o trânsito.


Pernambuco: A chuva causou transtornos em diversas áreas do Grande Recife, com alagamento de ruas. Durante seis horas na madrugada desta quarta, foram acumulados 50 mm de chuva, segundo a Prefeitura. Desde sexta-feira (6), o índice pluviométrico registrado na capital atingiu quase todo o volume de precipitação esperado para abril. O aculmulado nesse período chegou a 322 milímetros. A média histórica do mês é de 326 milímetros.


Em Olinda, a situação é similar. No bairro dos Bultrins, a rua José Higino foi tomada pela água, o que impossibilitou a saída de moradores de casas e prédios. Na avenida México, no bairro de Rio Doce, a água acumulada também complicou a situação de quem reside na região.

 

Paraíba: Pelo menos oito açudes estão sangrando na Paraíba, após o nível aumentar com a chegada das chuvas. O açude Bom Jesus, que fica no município de Carrapateira, ultrapassou a sua capacidade total de águas, chegando a atingir 107,89%. A capacidade total do açude Bom Jesus é de 343,8 mil metros cúbicos, mas chegou, nesta semana, a 370,9 mil metros cúbicos.


Quase na mesma situação também estava o açude São José I, em São José de Piranhas, que saiu de 1% para 103% da capacidade máxima de água. Foram mais de 100 mil metros cúbicos de água transbordando na região. Veja a situação dos outros açudes do estado. Piauí: Há risco de inundação em nove cidades do estado. Em quatro delas, Piracuruca, Esperantina, Barras e Batalha, o risco é alto.

 

Nas outras, Buriti dos Lopes e Luzilândia, moderado. Em Teresina, Floriano e Prata do Piauí, a situação também é de risco. Já a Barragem do Bezerro corre risco de rompimento na cidade de José de Freitas. Devido à situação, o estado emitiu estado de alerta para oito cidades. Elas são: José de Freitas, Luzilândia, Joca Marques, Madeiro, Esperantina, Cabeceiras, Barras e Batalha. Pelo menos 320 famílias foram retiradas de casa por precaução.

 

Tocantins: Mais de 3,4 mil indígenas da etnia Krahô estão ilhados entre Goiatins e Itacajá, na região norte do estado. Ao todo, 23 aldeias foram afetadas. Segundo os indígenas, quem precisa ir para as aldeias não consegue passar e quem está no local não sai. A forte chuva registrada na região tem provocado enchentes e atoleiros nas estradas. A cabeça de uma ponte de concreto desmoronou.

 

A água também encobriu pontes que estão com estruturas comprometidas, segundo os indígenas. O major da Defesa Civil, Diógenes Madeira, informou que uma equipe está preparada para ir até a região, caso haja a necessidade. Afirmou ainda que o órgão é responsável por fazer uma análise da situação de risco para os indígenas e do risco ambiental.

 

Pará: Com as chuvas fortes, a caçamba de um bitrem caiu numa cratera que se formou no km 156 da rodovia BR-155 no sudeste do estado. O veículo foi levado pela água. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) disse que um buraco na rodovia não suportou o volume de água e se rompeu. A rodovia registrou quatro pontos de interdição devido a alagamentos.


Categorias

Brasil




Classificados


Enquete



Mais Lidas