Notícias

Idosa morre após confronto da Polícia Militar com traficantes em bairro de Salvador

A idosa Rita Rosa Silva, 63 anos, morreu depois de ser baleada por volta das 19h30, deste último domingo (22), na rua Primeiro de Maio no bairro da Santa Cruz, em Salvador. De acordo com a 40ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Santa Cruz) a idosa foi morta após confronto da PM com traficantes da região.

 

Moradores contaram que a idosa era evangélica e havia acabado de sair de um culto na igreja. O crime aconteceu em uma região residencial. Rita foi baleada no final da rua, próximo de uma escada que dá acesso ao final de linha do Vale das Pedrinhas. Uma moradora contou que a idosa morava em Santa Cruz.

 

A mulher disse que estava em casa quando ouviu os disparos e ficou assustada. "Ela sempre passava por aqui. Ontem (domingo) eu estava em casa quando começaram os disparos. Eu não contei, mas foram muito tiros. Depois ouvimos a gritaria do povo. Quando cheguei na janela o policial ia passando com ela carregada nos braços", contou a moradora, que pediu para não ser identificado segundo informações do Correio da Bahia.

 

"Policiais realizavam rondas na rua quando avistaram diversos suspeitos portando arma de fogo que começaram a atirar contra os militares com a aproximação da viatura. Houve revide e os criminosos fugiram. Após a troca de tiros os policiais iniciaram incursões para localizar os autores e encontraram, em um dos becos, uma senhora de 63 anos atingida e caída ao solo", afirmou a PM, em nota.

 

A PM informou que a equipe prestou socorro e encaminhou a vítima até o Hospital Geral do Estado (HGE), onde não resistiu aos ferimentos. De acordo com registro feito no HGE, Rita foi atingida nas costas e mandíbula. A ocorrência foi registrada no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que investigará de onde partiu os disparos que atingiram Rita.

 

A Polícia Civil informou que o caso está com a 1ª Delegacia de Homicídios (DH). Até às 12h desta segunda-feira (23) o corpo de Rita ainda não tinha dado entrada no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR), para onde será encaminhado.

 

Outro morador disse que também ouviu os disparos e contou que houve correia porque havia outras pessoas passando no momento do tiroteio. Os moradores confirmaram que o confronto foi entre policiais e bandidos, mas, com medo, preferiram não comentar sobre a atuação dos criminosos.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas