Notícias

Ex-atletas afirmam que ex-técnico da seleção de ginástica filmava crianças nuas

Ginastas e ex-atletas da modalidade que não quiseram se identificar fizeram novas denúncias contra Fernando de Carvalho Lopes, ex-técnico da seleção brasileira masculina de ginástica artística. Desta vez, eles afirmam que o treinador filmava e fotografava crianças nuas. Os depoimentos fazem parte da investigação do Ministério Público.

 

Os depoimentos corre em segredo na Justiça desde 2016. Segundo as apurações, 40 atletas e ex-atletas foram abusados sexualmente por Fernando de Carvalho em crimes que aconteceram entre 1999 e 2016. As informações mais recentes foram divulgadas no domingo (6), no programa Fantástico, da TV Globo.

 

"Ele pegou meu celular, abaixou meu shorts e fotografou", revelou uma das vítimas. "Ele fotografou meu pênis enquanto estava dormindo. Ele abusou de mim. Ele fez isso achando que eu não estava percebendo", prosseguiu. O ex-atleta contou que tinha dez anos na época do abuso. "Ele colocava a câmera dele para carregar no vestiário e na casa dele também. Até que teve uma vez que eu saí do banho e fui ver" segundo informações do Estadão.

 

"E realmente estava gravando e carregando. Aí fechei a câmera e saí do banheiro", declarou. Outro ex-atleta, também sem se identificar, confirmou: "Ele falava que estava carregando, mas ficava filmando a gente". O ex-ginasta em questão informou que também descobriu que estava sendo filmado e conseguiu apagar a gravação em que aparecia.

 

Ainda declarou que o treinador tocava suas partes íntimas durante o treinamento. O ex-atleta relembrou um dos episódios, quando tinha 11 anos. "Falei para ele: 'Bati meu pênis na barra e está doendo'. Ele falou que ia procurar uma pomada para passar. E disse: 'vamos para o hotel que lá a gente vê o que faz'. E lá começou a me manipular. Pegou o chuveirinho, começou a lavar. Não gostei, porque ele não quis me levar ao médico", prosseguiu.

 

Na época, o garoto não teve coragem de contar para os pais o que estava acontecendo e afirma que pensou que a culpa dos abusos fosse dele. Desde 2016, 22 pessoas prestaram depoimentos para os promotores que investigam o caso. Pelo menos quatro delas falaram das fotos e dos vídeos feitos no banheiro.

 

Na sexta-feira (4), a polícia foi à casa de Fernando de Carvalho e apreendeu CDs, DVDs, pen drives, fita cassete e um HD externo. Todo o material vai passar por perícia. Na segunda-feira passada (30), o Clube Mesc, de São Bernardo do Campo, afastou o então treinador do cargo que ocupou por 20 anos.

 

Ainda não há data para o julgamento do caso. A pena prevista em lei para esse tipo de crime é de 4 a 8 anos de reclusão para cada criança que foi vítima. Na última semana, o treinador negou todas as acusações e afirmou que "tem a consciência tranquila" e que quem o acusa "vai ter que provar na Justiça". (Correio)


Categorias

Brasil




Classificados


Enquete



Mais Lidas