Notícias

Após 6 meses, morte de aluno da Ufba em assalto segue sob investigação em Salvador

A morte do estudante Felipe Doss, de 26 anos, que foi baleado na cabeça, durante uma tentativa de assalto, em novembro do ano passado, em Salvador, segue sob investigação policial seis meses após o crime, segundo informações da Polícia Civil. Em nota, o órgão informou que o inquérito encontra-se em fase final, no entanto, nenhum suspeito foi preso.

 

De acordo com o comunicado, foram pedidas as prisões temporárias de dois homens envolvidos na ação, mas eles ainda não foram localizados. As identidades dos suspeitos não foram divulgadas. Revoltados com o crime e com a demora na solução do caso, familiares e amigos do estudante se reuniram nesta quarta-feira.

 

O grupo fez uma manifestação pacífica em frente à Governadoria do Estado, no Centro Administrativo da Bahia. Representantes do governo receberam uma comissão dos manifestantes após o protesto, para falar sobre o caso. A mãe de Felipe Doss, Maria de Fátima da Silva, também participou do protesto. Ela pede justiça. "Tudo o que a família mais quer é uma resposta. Uma resposta positiva. Que venham a ser presas essas pessoas", disse.

 

Entre os manifestantes estava o pai do estudante, José Ailton da Silva. "Até hoje não apresentaram nada pra gente. O que eu espero é só justiça. A gente trabalha, trabalha, para tentar fazer o melhor para o filho, aí vem uma pessoa perdida no mundo, tira a vida do seu filho e fica por aí, subindo e descendo, enquanto você perdeu o seu filho para sempre". Felipe era aluno cotista do curso de geografia na Univeridade Federal da Bahia (Ufba), e estava no último ano do curso.

 

Militante de causas LGBT e do movimento negro, o estudante era muito conhecido e querido na instituição, e em outros espaços. "A grande abdicação da vida de Felipe no último período foi fazer luta política pra defender essencialmente a juventude negra, a juventude LGBT, que pontuam o topo dos indíces de criminalidade, de violência, de exclusão, de, enfim, falta de falta de perspectiva. Felipe era uma pessoa totalmente engajada nesses valores, nessas causas, de construção de uma sociedade mais justa, mais humana", contou Onã Ruda, amigo de Felipe.


Categorias

Violência




Classificados


Enquete



Mais Lidas