Notícias

TSE se irrita e classifica declarações de Jair Bolsonaro como um “desserviço”

Os ministros de tribunais superiores e integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não teriam gostado nada das insinuações sobre a lisura das eleições transmitidas pelo presidenciável Jair Bolsonaro pelo seu Facebook, no domingo (16). Irritados, segundo a Coluna Painel, da Folha, consideraram a fala de Bolsonaro nas redes como um desserviço.

 

O TSE, conforme reforça a coluna, aprovou em maio auditoria em tempo real da votação. OAB, Ministério Público e partidos podem, inclusive, acompanhar. Também fez uma série de testes públicos de segurança das urnas, com especialistas e peritos da Polícia Federal, para garantir a inviolabilidade dos votos.

 

Jair Bolsonaro afirmou que sua preocupação é perder voto na fraude e deixou clara essa no segundo turno, talvez até no primeiro. Segundo ele, "o Partido dos Trabalhadores descobriu o caminho para o poder: o voto eletrônico" e sugeriu ainda a existência de programas, aparelhados pelo Tribunal Superior Eleitoral, que podem fraudar as urnas eletrônicas e que podem inserir "uma média de 40 votos para o PT" em sessões de votação em todo o Brasil.

 

O candidato do PSL à Presidência da República, Bolsonaro está internado no Einstein desde 7 de setembro, um dia após ele sofrer ataque com facada no abdômen durante ato de campanha e passar por cirurgia em Juiz de Fora (MG) que recebeu uma facada no com quadro clínico estável internado em unidade semi-intensiva, diz boletim médico divulgado no fim da tarde deste domingo (16) pelo Hospital Israelita Albert Einstein.

 

Bolsonaro está internado no Hospital Albert Einstein desde 7 de setembro, um dia após ele sofrer ataque com facada no abdômen durante ato de campanha e passar por cirurgia em Juiz de Fora (MG). Neste domingo (16), ele foi transferido para uma unidade semi-intensiva com quadro estável.


Categorias

Justiça




Classificados


Enquete



Mais Lidas