Notícias

Líder quilombola acusa prefeito de impedir realização de curso em Cachoeira

A presidente de uma entidade quilombola de Cachoeira, protocola nesta segunda-feira (24) uma ação contra o prefeito da cidade, Tato Pereira. O motivo é a não realização de um curso neste final de semana que teria sido impedido por ordens do prefeito. Segundo Maria das Graças, Pereira atuou para impedir a realização da atividade sob alegação de que o encontro serviria a uma ação de opositores dele.

 

“O prefeito expulsou a gente do curso de formação sob alegação de que se tratava de ato político”, disse Maria de Totó ao Bahia Notícias. Ainda segundo a quilombola, o evento ocorreria na Creche Escola João de Matos, mas de última hora, os organizadores receberam a informação de que o local não poderia ser liberado.

 

Maria das Graças ainda afirmou que todo o material que seria usado no curso também foi retirado do espaço. Além do prejuízo da formação, Maria de Totó lamentou o prejuízo causado. “A gente vai ter que negociar com a Sepromi [Secretaria de Promoção da Igualdade Racial] porque é um dinheiro do fundo de combate à pobreza que já foi liberado e nós gastamos. Pelo visto vou ter de arcar com o prejuízo em caso de realização de novo curso”, declarou.

 

A atividade integraria o projeto “Oficinas de Formação de Agentes Quilombolas de Direitos: Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa, Promoção de Direitos Humanos e Cidadania na Micrroregião do Tabuleiro da Vitória”. Maria das Graças, Maria de Totó líder, é líder da Associação de Mulheres do Quilombo do Tabuleiro da Vitória – AMQTVA.

 


Categorias

Recôncavo




Classificados


Enquete



Mais Lidas