gov ba

A Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) vai oferecer 20 mil exames de mamografia, gratuitamente, para mulheres entre 40 e 69 anos. Também serão disponibilizadas 2,7 mil consultas com ginecologistas e mastologistas. Todos os atendimentos só serão realizados por agendamento. Em Salvador, a ação tem início em 1º de outubro e vai até 4 de novembro, sendo os exames e as consultas agendadas pelo site desde quinta-feira (28).

De acordo com a secretária da Saúde do Estado, Roberta Santana, haverá uma grande ação no dia 1º de outubro, na capital baiana, para marcar o início da campanha. “No Largo de Roma, defronte ao Hospital da Mulher, teremos atendimentos agendados para os serviços de saúde. Serão cerca de 1 mil atendimento entre exames de mamografia e preventivo, consultas com ginecologista e mastologista, além de nutrição. Também teremos rodas de conversa, musicoterapia e atividades de valorização da beleza feminina”, afirma a secretária.

Ainda em Salvador, as quatro unidades móveis da Sesab farão atendimento de segunda a sábado, das 7h às 18h, exceto nos feriados de 12 de outubro e 2 de novembro. Cada veículo tem a capacidade de realizar até 150 mamografias por dia e estarão em pontos estratégicos, como Uneb do Cabula, Salvador Norte Shopping e Vila Militar dos Dendezeiros.

Para agendar o exame é simples: basta acessar o site e escolher o dia, local e o turno, mas é importante estar atenta para os requisitos exigidos. São eles: não ter feito o exame a menos de seis meses, não ter feito cirurgia na mama e ter entre 40 e 69 anos. E no dia do exame deve levar o RG, CPF, Cartão do SUS e comprovante de residência. Não é necessária a requisição médica.

Consultas e exames

Ao longo do mês de outubro, a Secretaria da Saúde do Estado ofertará mais de 2.700 consultas, sendo 2.502 no Hospital da Mulher e 240 no Centro Estadual de Oncologia (Cican), ambos na capital baiana.

O Hospital da Mulher, localizado no largo de Roma, fará 1.755 atendimentos de ginecologia ofertados através do sistema Lista Única, que contempla as demandas cadastradas pelos 417 municípios. Além disso, 747 consultas com mastologistas poderão ser agendadas exclusivamente pelo site, tendo como pré-requisito a requisição médica ou um exame indicando alteração na mama. As consultas ocorrerão aos finais de semana de outubro, tendo início no dia 1º (domingo) e encerramento no dia 29.

Ainda em Salvador, o Centro Estadual de Oncologia (Cican) também ofertará consultas especializadas com mastologistas. Serão 240 avaliações nos dias 7 e 21 de outubro, sendo 120 consultas por dia. A unidade ainda disponibilizará 160 vagas para realização do exame de mamografia através da Parceria Público-Privada (PPP) de Imagem, sendo também agendados pelo site.

Referência nacional

A Bahia é referência nacional no rastreio, diagnóstico e tratamento do câncer de mama. “Nos últimos dez anos, a Bahia realizou 3.384.408 exames de mamografia. Somente as 25 novas policlínicas regionais implantadas recentemente já realizaram 283 mil exames”, afirma a titular estadual da pasta da Saúde, Roberta Santana.

Outra estratégia consolidada no rastreamento do câncer de mama é a estratégia itinerante. Na última década, as unidades móveis da Sesab estiveram nos 417 municípios, tendo realizado cerca de 1 milhão mamografias bilaterais e 82 mil ultrassonografias. “O cuidado com a saúde feminina deve ocorrer o ano todo, não apenas no mês de outubro. Os municípios também devem ofertar exames ao longo do ano, pois a maior parte dos mamógrafos disponíveis no SUS estão em unidades municipais ou contratadas pelas prefeituras”, explica a superintendente de Gestão dos Sistemas de Regulação da Bahia, Mônica Hupsel Frank.

Estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) apontam que em 2023, o número de novos casos de câncer de mama no Brasil seja de 73.610. Na Bahia, a estimativa é de 4.230. Segundo a secretária da Saúde do Estado, “a principal causa de morte por câncer entre mulheres se dá pelo câncer de mama e o diagnóstico precoce pode levar à cura em 90% dos casos. Além disso, quando precocemente descoberto pode-se evitar o procedimento cirúrgico de retirar a mama por completo ou ainda evitar procedimentos complementares como quimioterapia ou radioterapia, aumentando a sobrevida dessas pacientes e reduzindo a morbidade”, ressalta Roberta Santana.

Para as mulheres com diagnóstico positivo, o tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico será realizado em unidades de alta complexidade em oncologia da rede de atendimento da Sesab.

Ações no interior

Como ação do Outubro Rosa, as Policlínicas Regionais de Saúde instaladas nos municípios de Teixeira de Freitas, Guanambi, Irecê, Jequié, Feira de Santana, Alagoinhas, Santo Antônio de Jesus, Valença, Paulo Afonso, Juazeiro, Vitória da Conquista, Jacobina, Itabuna, Senhor do Bonfim, Simões Filho, Barreiras, Ribeira do Pombal, Eunápolis, Brumado, Itaberaba, Serrinha, Santa Maria da Vitória e São Francisco do Conde ofertarão vagas extras para os municípios consorciados agendarem exames de mamografia ao longo do mês.

O serviço de mamografia da Parceria Público-Privada (PPP) de Imagem que funciona nos hospitais estaduais em Jequié, Vitória da Conquista e Guanambi também ofertará exames extras e fará ações educativas. Ao todo serão 100 exames.

Câncer de mama

De acordo com informação do Inca, o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. Esse processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. Há vários tipos de câncer de mama, por isso a doença pode evoluir de diferentes formas. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem a características próprias de cada tumor.

Múltiplos fatores estão envolvidos na etiologia do câncer de mama, como explicam os especialistas do Inca, entre eles estão: idade da primeira menstruação (menor do que 12 anos); menopausa após os 55 anos; mulheres que nunca engravidaram ou nunca tiveram filhos (nuliparidade); primeira gravidez após os 30 anos; uso de alguns anticoncepcionais e terapia de reposição hormonal (TRH) na menopausa, especialmente se por tempo prolongado; exposição à radiação ionizante; consumo de bebidas alcoólicas; dietas hipercalóricas; sedentarismo e predisposição genética.

Atualmente os médicos recomendam a identificação da doença em estágios iniciais por intermédio das estratégias de detecção precoce, pautadas nas ações de rastreamento e diagnóstico precoce. A mamografia bienal para as mulheres na faixa etária estabelecida é a estratégia de rastreio indicada, enquanto o diagnóstico precoce é formado pelo tripé: população alerta para os sinais e sintomas suspeitos; profissionais de saúde capacitados para avaliar os casos suspeitos; e sistemas e serviços de saúde preparados para garantir a confirmação diagnóstica oportuna e com qualidade.

O tratamento do câncer de mama depende da fase em que a doença se encontra e do tipo do tumor. Pode incluir cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica (terapia alvo). Quando a doença é diagnosticada no início, o tratamento tem maior potencial curativo. No caso de a doença já possuir metástases (quando o câncer se espalhou para outros órgãos), o tratamento busca prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade de vida. Correio da Bahia