A assessoria do ex-governador Jaques Wagner (PT), manifestou estranhamento com notícia de que o senador eleito foi alvo de uma ação civil de improbidade administrativa pela Procuradoria-Geral da República (PGR) em Brasília. Wagner é acusado de suposta atuação indevida para nomeação a um cargo do governo brasileiro em Washington nos Estados Unidos, em 2015, quando era ministro da Defesa no governo Dilma.

 

A ação repercutida pela mídia baiana e nacional, de acordo com a assessoria, volta a abordar uma ação judicial de março, a qual a defesa do senador eleito, oito meses após, jamais foi notificada. “Não há nenhum fato novo neste processo e a defesa de Jaques Wagner só se manifestará sobre a denúncia após recebê-la”, divulgou a equipe de Wagner em nota.

 

“Porém merece destaque que este processo antigo vire notícia agora, sem nenhuma novidade. É lamentável que a assessoria do senador eleito não tenha sido procurada, como preza o bom jornalismo, e tenha a oportunidade de se manifestar somente após a veiculação de mais uma notícia requentada que tem o único objetivo de confundir a opinião pública e desgastar a imagem de um político sobre o qual não há condenação”, completou a nota.