agencia senado

Dez anos após o início da Lava Jato, 44% dos brasileiros declaram que desaprovam o trabalho do ex-juiz e atual senador Sergio Moro (União-PR) na condução da operação, segundo pesquisa da Quaest divulgada neste domingo (3). Outros 40% afirmaram aprovar o trabalho dele, enquanto 3% disseram que não aprovam nem desaprovam.

Esse resultado representa um empate técnico, considerando a margem de erro da pesquisa, que é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%.

O levantamento ouviu 2 mil pessoas presencialmente entre os dias 25 e 27 de fevereiro, em 120 cidades e foi encomendado pela Genial Investimentos.

O senador será julgado, a partir de 1° de abril, e pode ter seu mandato cassado. Ele responde, em duas ações que serão julgadas em conjunto, por abuso de poder econômico, caixa dois e utilização indevida de meios de comunicação social durante a pré-campanha eleitoral de 2022.

Uma das ações foi protocoladas pelo Partido Liberal (PL) e a outra pela Federação Brasil da Esperança – FÉ BRASIL (PT/PCdoB/PV).

Moro nega as irregularidades e afirma que não obteve vantagem eleitoral.

Homens e jovens são os que mais aprovam o trabalho de Moro

A maior taxa de aprovação do ex-juiz está entre o público masculino: 46% dos entrevistados disseram aprovar, contra 45% que desaprovam. Entre as mulheres, apenas 35% aprovam o trabalho de Moro, contra 44% que desaprovam.

A aprovação também varia entre as diferentes faixas etárias. De acordo com a pesquisa, os mais jovens aceitam mais o trabalho de Moro do que os mais velhos.

Entre pessoas de 16 a 34 anos:

  • 43% aprovam;
  • 5% nem aprovam nem desaprovam;
  • 38% desaprovam;
  • 15% não sabem ou não responderam.

Entre pessoas de 35 a 59 anos:

  • 42% aprovam;
  • 3% nem aprovam nem desaprovam;
  • 46% desaprovam;
  • 9% não sabem ou não responderam.

Entre pessoas de 60 anos ou mais:

  • 31% aprovam;
  • 3% nem aprovam nem desaprovam;
  • 52% desaprovam;
  • 15% não sabem ou não responderam.

Aprovação entre as rendas familiares

Também há uma diferença nos índices de aprovação ao comparar as faixas de renda dos entrevistados. As pessoas com mais dinheiro são as que mais aprovam.

Entre pessoas que recebem até dois salários mínimos:

  • 32% aprovam;
  • 3% nem aprovam nem desaprovam;
  • 48% desaprovam;
  • 16% não sabem ou não responderam.

Entre pessoas que recebem de dois a cinco salários mínimos:

  • 43% aprovam;
  • 3% nem aprovam nem desaprovam;
  • 43% desaprovam;
  • 11% não sabem ou não responderam.

Entre pessoas que recebem mais de cinco salários mínimos:

  • 47% aprovam;
  • 3% nem aprovam nem desaprovam;
  • 42% desaprovam;
  • 8% não sabem ou não responderam.

Sul é a região que mais aprova, Nordeste é a que mais desaprova

Na Região Sul, Sergio Moro obteve sua maior taxa de aprovação, seguido por Sudeste e Centro-Oeste e Norte. No Nordeste, é onde há a maior taxa de desaprovação. Veja, a seguir, como respondeu cada região.

No Sul:

  • 49% aprovam;
  • 1% nem aprovam nem desaprovam;
  • 37% desaprovam;
  • 12% não sabem ou não responderam.

No Sudeste:

  • 43% aprovam;
  • 3% nem aprovam nem desaprovam;
  • 41% desaprovam;
  • 13% não sabem ou não responderam.

No Centro-Oeste/Norte:

  • 40% aprovam;
  • 7% nem aprovam nem desaprovam;
  • 40% desaprovam;
  • 13% não sabem ou não responderam.

No Nordeste:

  • 31% aprovam;
  • 2% nem aprovam nem desaprovam;
  • 57% desaprovam;
  • 11% não sabem ou não responderam.

Eleitores do Lula são os que mais desaprovam

A pesquisa também perguntou aos entrevistados em quem eles haviam votado nas eleições de 2022. O resultado mostra que os eleitores de Lula são os que mais desaprovam a atuação de Moro, enquanto os eleitores de Bolsonaro são os que mais aprovam.

Entre os eleitores de Lula:

  • 23% aprovam;
  • 2% nem aprovam nem desaprovam;
  • 63% desaprovam;
  • 12% não sabem ou não responderam.

Entre os eleitores de Bolsonaro:

  • 65% aprovam;
  • 3% nem aprovam nem desaprovam;
  • 23% desaprovam;
  • 8% não sabem ou não responderam.

Entre as pessoas que votaram em branco ou nulo, ou que não foram votar:

  • 36% aprovam;
  • 5% nem aprovam nem desaprovam;
  • 40% desaprovam;
  • 19% não sabem ou não responderam. G1