Foto: Mauro Nassor / Correio

A leptospirose mata 5% das pessoas com a doença na Bahia. Os dados são do Instituto Couto Maia, hospital especializado no tratamento da doença. De acordo com dados da Diretoria de Vigilância Epidemológica, órgão vinculado à Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), a Bahia já notificou 47 casos da doença nesse outono.

Deste total, 22 foram em Salvador, com duas mortes confirmadas.  A leptospirose tem seu período de alta durante o outono, quando há a combinação de chuvas com enchentes e alagamentos de ruas.

A doença é transmitida pela urina do rato, e estápresente normalmente em redes de esgoto. A doença transmitida pela urina do rato acaba se proliferando durante o outono devido à combinação de chuvas com enchentes e alagamentos de ruas.

Em caso de suspeita de contaminação, a população encontra suporte no Instituto Couto Maia, entidade especializada no tratamento a doenças infecto-contagiosas. Com 120 leitos, sendo 20 de UTI, a unidade também é um centro de referência internacional em pesquisa no campo de doenças infecciosas.