(ARISSON MARINHO / CORREIO)

Depois de três vitórias seguidas, Léo Condé está satisfeito. Não apenas pela sequência de resultados contra Ponte Preta, ABC e Londrina, mas também pela forma como o time jogou na noite desta sexta-feira (28), diante do adversário paranaense. Para o treinador do Vitória, a atuação que resultou no placar de 2×0, comemorado com a torcida, no Barradão, foi a melhor da equipe entre as três disputadas neste começo de Série B.

“Realmente uma grande partida. Com certeza a melhor partida nossa na competição até aqui. Em todos os aspectos”, avaliou Léo Condé durante entrevista coletiva. O técnico também comentou os dois gols anotados por Wagner Leonardo e Zé Hugo, ambos na etapa inicial.

“No primeiro tempo, um jogo de transição muito forte, praticamente jogamos com quatro atacantes. Também anulamos as principais peças deles. Marcamos muito bem, fizemos boas transições. Fizemos um gol de bola parada, algo que a gente vem trabalhando bastante com esse grupo. Depois, uma boa trama e movimentação de Osvaldo para fazer o segundo com gol, de Zé Hugo”.

Léo Condé admitiu que o time caiu de rendimento na reta final do primeiro tempo. “Talvez nos dez minutos finais sofremos um pouco mais que o necessário. No intervalo fizemos os ajustes, conseguimos anular o meio de campo deles e voltamos muito melhor para o segundo tempo. Em termos de entrega, dedicação, concentração, foi um jogo muito bom coletivo”.

O comandante do Vitória apresentou uma novidade na escalação ao colocar o atacante Matheusinho com a camisa 10. Ele ficou com a vaga que é de Giovanni Augusto, apesar de na prática ter jogado mais pelas pontas, trocando de posicionamento com Osvaldo. Contundido na coxa, o meia desfalcou o time pela segunda vez. Na rodada anterior, a posição tinha sido ocupada por Thiago Lopes, que dessa vez só entrou no decorrer da partida.

“A cada jogo uma base vai ser mantida. O Londrina marcava muito por encaixe, eles fizeram isso nos dois primeiros jogos. Então, eu entendi que a gente tinha que jogar sem meia, tentar criar um caos na marcação deles. Bastante troca de posições do Osvaldo com o Matheus para criar uma confusão na defesa deles. Conseguimos fazer isso nos primeiros 25 minutos. Depois eles se ajustaram”, analisou.

O Vitória volta a campo na próxima sexta-feira, dia 5 de maio, às 21h30, quando visita o Botafogo-SP, no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, em jogo válido pela 5ª rodada, já que o duelo contra o Ceará, pela 4ª, foi adiado para o dia 10 de maio, porque o adversário está na final da Copa do Nordeste e jogará pelo regional contra o Sport no dia 3. Correio da Bahia