O prefeito ACM Neto (DEM) reclamou da falta de repasse de respiradores mecânicos pelo governo federal aos municípios brasileiros. Os equipamentos são indispensáveis no tratamento de casos graves dea Covid-19. Em coletiva de imprensa concedida nesta sexta-feira (03), Neto afirmou que tem mantido conversas com o Ministério da Saúde, mas acusou a gestão de Jair Bolsonaro (sem partido) de segurar os aparelhos respiratórios em Brasília.

“Brasília está concentrando os respiradores que já estão no Brasil, e o outro problema é essa guerra internacional que está provocando um aumento absurdo nos preços”, disse, explicando que os equipamentos custavam R$ 50 mil e hoje estão valendo até R$ 130 mil. Neste ponto, o prefeito se refere ao cancelamento de uma compra feita pelo governo da Bahia com uma empresa chinesa.

A empresa tomou a atitude sem grandes explicações e os respiradores ficaram retidos em Miami, nos Estados Unidos. A suspeita é de que eles sejam destinados ao governo estadunidense. “Não adianta ter leito, ter unidade hospitalar instalada, ter equipe, se a gente não tem respirador”, reclamou o democrata. Até o momento, segundo ACM Neto, a Prefeitura já conseguiu instalar 75 leitos novos com respiradores. “O objetivo é instalar pelo menos 250 leitos de UTI com respirador”, ressaltou (BN)