Instagram

Ex-prefeito de Salvador, ACM Neto (União Brasil) cobrou do governador Jerônimo Rodrigues (PT) medidas para enfrentar as consequências provocadas pela seca na Bahia, em especial no semiárido.

“A verdade é que o poder público, principalmente o governo do Estado, poderia estar tomando medidas e não é de hoje, porque a questão da seca vem se agravando ao longo do tempo”, afirmou ACM Neto, que é secretário geral do União Brasil.

Para o ex-prefeito da capital baiana, há demora do governo em apresentar ações para mitigar a crise. “Governador, está na hora de o senhor adotar políticas sérias que permitam aos baianos ter uma perspectiva de vida, que é o que está faltando hoje. Há milhões de pessoas que são vítimas da seca”, alega.

ACM Neto Neto disse lamentar as imagens compartilhadas nas redes sociais, como as que mostram um grupo de pessoas que se ajoelhou em Piripá, no Sudoeste da Bahia, ao redor de poça de água para fazer uma novena e pedir a Deus por chuva.

“Os relatos que nós temos ouvido de baianos de diversas regiões, todos no interior do Estado, são de tocar o coração de qualquer um. Tem gente que não aguenta mais esperar a providência do poder público e nesse momento só restou pedir a Deus que possa fazer alguma coisa e ajude a chover”, argumentou.

Neto também disse enxergar que faltam obras de barragens e que levem segurança hídrica para a população rural. Esta é a pior seca dos últimos 40 anos já atinge mais de 130 municípios e mais de 2 milhões de pessoas. Bahia.Ba