Foto : Max Haack/Secom

O ex-prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto, disse em entrevista ao jornal “A Tarde” que não descarta uma reaproximação com o ministro João Roma (Republicanos), com quem rompeu politicamente após o republicano aceitar o convite para compor o governo Bolsonaro. “Eu não trabalho com especulação. Quando o deputado João Roma foi escolhido como ministro, eu me posicionei sobre esse assunto. Não tenho mais tratado desse assunto, porque eu tenho outras prioridades, meu foco está voltado para dialogar com os baianos, dialogar com o futuro da Bahia. O que vai acontecer ou não, e articulações políticas futuras somente o tempo dirá”, disse o democrata. Neto avaliou ainda que a eleição nacional, provavelmente polarizada entre Lula e Jair Bolsonaro, não afetará a disputa na Bahia. “O eleitor baiano é independente. Ele sabe distinguir bem o que é uma eleição presidencial e uma eleição para governador. Eu, aliás, mais do que qualquer outro político de outro estado, posso dizer que vivi isso na pele. Porque em 2012, quando disputei a eleição para prefeito, o grande discurso que havia contra mim era o fato de que eu era de um partido contra o governador e contra a então presidente da República. Venci as eleições com a confiança, o crédito do povo de Salvador, e durante oito anos mostrei toda a capacidade de dialogar e governar com governadores e presidentes que não eram do meu partido”, disse.