O ex-prefeito de Salvador e pré-candidato ao governo, ACM Neto (DEM), negou que tenha tido conversas com o vice-governador João Leão (PP), até então, na tentativa de fazê-lo pular do barco do grupo de Rui Costa (PT) e Jaques Wagner (PT) para o seu. “Não conversei com João Leão. Tenho com ele uma relação pessoal boa, sempre tive. Tenho inclusive uma amizade e carinho pelo deputado Cacá Leão (PP), filho dele. Mas objetivamente não existe, até hoje, conversa política realizada com o Progressistas na Bahia. Sou muito sincero e franco em relação a isso”, declarou.

A migração do presidente estadual do PP para a oposição é uma possibilidade ventilada diante das pressões feitas por Leão na formação da chapa governista para as eleições deste ano. Vice-governador por dois mandatos, o líder pepista não pode concorrer ao cargo novamente, nem pode, pela regra eleitoral, indicar o filho Cacá Leão. Restaria, portanto, apenas duas outras vagas na composição: a de candidato a governador e de candidato ao Senado.

Acontece que a primeira já está preenchida pelo senador e ex-governador Jaques Wagner, que só falta oficializar a pré-candidatura, enquanto a segunda é desejada pelo senador Otto Alencar (PSD), que pretende se lançar à reeleição. O desejo do PT é manter o desenho atual, com o PP de João Leão indicando um nome para a vice da chapa. Outra possibilidade dentro do xadrez, defendida por pepistas, é que o governador Rui Costa deixe o cargo antes do dia 31 de dezembro, para que o vice-governador assuma a gestão estadual até o fim do mandato. BNews