BNews

Candidato ao governo da Bahia, ACM Neto (União Brasil) tem uma equação complicada para resolver caso queira faturar os cerca de 10% dos votos válidos na eleição para o Estado que foram conquistados pelo ex-ministro João Roma (PL), que foi derrotado no primeiro turno.

Em entrevista ao PNotícias, ACM Neto afirmou que acredita ter uma candidatura melhor preparada do que Jerônimo Rodrigues (PT) e que o eleitorado baiano deu um recado de que quer uma mudança no poder a partir de 2023.

“Começamos com todo o gás, estamos tentando dialogar com os eleitores que votaram em João Roma no primeiro turno, compreender as expectativas desses eleitores, o que podemos ajudar no plano de governo para trazê-los, gerar uma conexão”, afirmou ACM Neto. Ele acredita que ainda pode ganhar votos de quem votou em Jerônimo no segundo turno.

“Mesmo pessoas que votaram em Jerônimo no primeiro turno podem ser convencidas a mudar de voto. Temos uma candidatura mais preparada, de melhor condição para assumir o governo da Bahia. Estamos com a tropa em campo, animado, em disposição. Não parei um minuto sequer ligando para prefeitos, ex-prefeitos, vereadores”, declarou o ex-prefeito de Salvador.

ACM Neto também comentou sobre um dos seus calos na campanha: o apoio a candidatura à presidência da República. Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disputam a cadeira presidencial em segundo turno.

Jair Bolsonaro fez acenos públicos a ACM Neto na última terça-feira (4) e disse estar à disposição do ex-prefeito, que o apoiou em segundo turno na eleição de 2018.

Ex-aliado, João Roma também comentou a possibilidade de apoio a ACM Neto e a condicionou justamente a um aceno público em favor de Jair Bolsonaro no segundo turno. O que, pela fala de Neto, não deve acontecer.

“Ainda não manifestei definitivamente qual a nossa posição neste segundo turno, mas a nossa tendência é manter a mesma posição que adotamos no primeiro turno. Temos a candidatura mais preparada, mais qualificada, que vai ter condições de governar a Bahia com o presidente que o Brasil escolher”, iniciou ACM Neto.

“Eu não tenho dúvida que muitas pautas que atendem a esses eleitores são muito mais próximas da minha candidatura do que de meu adversário. Por exemplo, ser contra o aborto, que eu sou e sempre fui. Entendo que o correto é o que a legislação prevê hoje e é o caminho. A legalização do uso de drogas, eu sou contra. Não é de hoje, é de sempre. A defesa da família é uma posição minha de sempre. Nossa linha política dialoga mais com o eleitor de Roma do que a de meu adversário”, finalizou o ex-prefeito de Salvador. BNews