Foto: Vaner Casaes / ALBA

Com a aprovação da PEC da Reeleição, surge a possibilidade de um terceiro mandato para o atual presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), Adolfo Menezes (PSD). Se reeleito em fevereiro do próximo ano, ele se unirá a outros três deputados estaduais que também presidiram o Legislativo baiano por três ou mais mandatos. O recordista permanece sendo Marcelo Nilo (Republicanos), que teve cinco mandatos. Orlando Spínola e Pamphilo de Carvalho, cada um teve três.

O primeiro deputado estadual a conquistar três mandatos foi Pamphilo de Carvalho em 1914. Formado em Direito, presidiu a Assembleia Legislativa durante seis anos consecutivos (1914-1920). Ele era do antigo Partido Liberal e seguiu como parlamentar estadual até 1920. Pamphilo também foi deputado federal entre maio de 1921 e dezembro de 1923.

O segundo a atingir a marca de três mandatos como presidente da Alba foi Orlando Spínola. Ele, entretanto, não teve mandatos sequenciais. O primeiro biênio em que comandou a Casa foi entre 1959–1960, e chefiou o Legislativo entre os anos 1963–1965 e 1971–1973. Médico, Orlando Spínola pertenceu aos quadros da UDN e da Arena. Ele assumiu o governo estadual por alguns períodos, nas administrações de Antônio Balbino, Juracy Magalhães e Lomanto Júnior. Foi ainda conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

O campeão dos mandatos como presidente da Alba é Marcelo Nilo, que presidiu por 10 anos consecutivos. O engenheiro civil, que se formou em 1979 pela Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia (Ufba), comandou o Legislativo baianos entre 2007 e 2017.

A votação da PEC da Reeleição reintroduziu a possibilidade de um deputado estadual ter mandatos consecutivos como presidente da Alba. Em abril de 2017, 47 parlamentares votaram para proibir a recondução na mesma legislatura, ironicamente, o projeto foi apresentado por Adolfo Menezes na época. Agora, com a aprovação da nova PEC no último dia 19 de março, a Constituição estadual voltou a permitir a recondução, abrindo caminho para um possível terceiro mandato do pessedista.

Perguntado depois da aprovação da PEC da Reeleição se vai disputar um novo mandato, Adolfo Menezes se esquivou. “Todos podem pleitear a presidência, e a maioria da Casa, na hora certa, vai dizer”, declarou. Informações do Correio da Bahia