“O que me incomoda até hoje é que ainda sinto dores, sobretudo no maxilar. Está bastante dolorido também no braço, no ombro esquerdo. É bem incomodativo”, diz o comerciante Crispim Terral de Souza, uma semana depois de levar um ‘mata-leão’ de um policial militar dentro de uma agência bancária de Salvador depois de uma confusão com o gerente da unidade. A confusão foi registrada em vídeo, que ele postou na internet.

Crispim deu entrevista à TV Bahia nesta terça-feira (26) para falar sobre o ocorrido. Ele relata ter sido vítima de racismo tanto por parte do gerente quanto por parte do PM. O caso ocorreu na última terça-feira (19), em uma agência da Caixa Econômica Federal que fica próxima ao relógio de São Pedro, no Centro da cidade.

O comerciante conta que a confusão começou após um dos gerentes do banco o deixar por quase 5h à espera de atendimento — ele foi ao local solicitar um comprovante de uma transação bancária. Quando Crispim foi reclamar, o gerente acionou a Polícia Militar e, na abordagem, um policial deu o “mata-leão” nele.

O vídeo que mostra a cena foi gravado pela filha do comerciante, de 15 anos, que o acompanhou até o banco.

“Minha filha está transtornada. Ela é muito sábia e sou grato a Deus por isso. Ao filmar, ela contribuiu bastante para que todo mundo visse que, em pleno século 21, a gente ainda encontra pessoas desse tipo, doentes. Ela ficou sem entender na hora e, hoje, nem aguenta ver o próprio vídeo e, nos primeiros dias, nem estava conseguindo ir para escola e dormir”, destaca.

“Foi um ato racista, acredito 100% nisso, tanto do gerente quanto dos policiais”, relatou.
O cliente do banco disse que registrou boletim de ocorrência de racismo junto à Polícia Civil e à Corregedoria da PM, e que vai processar a Caixa e o Estado por conta do ocorrido segundo informações do G1.