foto alba

O líder da oposição na Assembleia Legislativa, Alan Sanches (União), defendeu que o próximo indicado pela Assembleia Legislativa para o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) seja um parlamentar ou ex-parlamentar da Casa. Ele afirmou que a bancada ainda não fechou questão sobre o apoio ao ex-deputado Marcelo Nilo (Republicanos), que deseja concorrer à vaga do conselheiro Fernando Vita, aposentado a partir de 21 de dezembro, e que irá conversar com o prefeito Bruno Reis (União) e com o antecessor ACM Neto (União) sobre a questão.

“Acho que, neste primeiro ano, o governador Jerônimo Rodrigues (PT) precisa estar fortalecido e tenho certeza que está com o pensamento de respeitar as instituições. Como a vaga do conselheiro Fernando Vita é de indicação nossa, creio que ele vai respeitar isso, até porque cresceu nesta Casa o sentimento de que o escolhido deve ser um deputado de mandato ou um ex-deputado. Isso ficou muito forte após a última eleição para o TCM, vencida pela ex-primeira-dama Aline Peixoto, que não foi indicada pelo Legislativo, mesmo a vaga cabendo a nós”, disse Alan.

O líder do governo na Assembleia, Rosemberg Pinto (PT), disse que já conversou com o governador sobre o desejo da Casa de indicar um deputado. Hoje, Jerônimo declarou que vai respeitar a decisão do Legislativo estadual.

Sobre o apoio a Marcelo Nilo, o líder da oposição lembrou que o ex-deputado, que foi presidente da Assembleia por dez anos, pleiteia concorrer ao TCM. Nilo chegou a se lançar para concorrer contra Aline Peixoto, mas perdeu a disputa interna na bancada da minoria para o ex-deputado estadual Tom Araújo (União).

“Temos conversado com Marcelo Nilo e vamos sentar com Bruno Reis e ACM Neto para discutir essa questão. Não vejo problema em o indicado da Casa ser um ex-deputado estadual. Acredito que esse também é o entendimento da Casa”, frisou. Política Livre