Todas as sedes da Associação dos Policiais e Bombeiros Militares e seus Familiares (Aspra) na Bahia foram interditadas na madrugada desta quarta-feira (16), após determinação da Justiça baiana. Os locais são alvos de uma operação do Ministério Público estadual (MP-BA).

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), que apoia a ação por meio das Polícias Civil e Militar, o grupo é investigado por incitar movimento paredista, afrontando Constituição Federal e causando “grave risco à segurança pública e à coletividade”.

A operação acontece 20 em cidades. São elas: Salvador, Alagoinhas, Barreiras, Feira de Santana, Guanambi, Ilhéus, Irecê, Itaberaba, Itabuna, Jacobina, Jequié, Juazeiro, Paulo Afonso, Porto Seguro, Santa Maria da Vitória, Santo Antônio de Jesus, Senhor do Bonfim, Serrinha, Teixeira de Freitas e Vitória da Conquista.

Conforme a SSP, além da interdição dos imóveis e da busca e apreensão de documentos, computadores e dinheiro, também foi determinado o bloqueio das contas da entidade. Vinte promotores de Justiça participam da ação em todo o estado.

A reportagem entrou em contato com a Aspra, mas a entidade não se posicionou sobre o caso até a publicação desta reportagem.

Carro atingido por tiro

Segundo a Aspra, o carro do deputado estadual Marco Prisco, que é policial militar e presidente da Associação, foi atingido por um tiro na madrugada desta quarta-feira. O caso teria ocorrido horas antes da operação, na porta da sede da entidade em Salvador, no bairro da Saúde.

De acordo com a Associação, após o tiro, o air bag do veículo foi acionado e Prisco teve uma crise de ansiedade. Ele foi socorrido e levado para o Hospital Santa Izabel. Não há detalhes sobre o estado de saúde do deputado.

Além dele, segundo a Aspra, estavam no local um policial militar e o motorista do veículo, que foram socorridos e levados para o Hospital da Bahia. Contudo, não há informações sobre o que motivou as internações. O ataque não foi detalhado pela Associação.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que investiga a veracidade da ocorrência. De acordo com o comunicado, o veículo passa por perícia e os envolvidos no caso serão ouvidos. G1