Foto: Gustavo Mansur/ Palácio Piratini

Mesmo após 80 mortes decorrentes de eventos climáticos extremos no ano de 2023 no Rio Grande do Sul, apenas três deputadas federais gaúchas – todas de esquerda – destinaram emendas para prevenir desastres naturais no estado, que atualmente enfrenta mais uma crise de cunho ambiental.

Segundo levantamento realizado pela jornalista Juliana Dal Piva, no ICL Notícias, Fernanda Melchionna (PSOL-RS) fez duas emendas, totalizando R$ 1,7 milhão, para a elaboração de projetos de prevenção à erosão costeira e para gestão socioambiental. Maria do Rosário (PT-RS) e Reginete Bispo (PT-RS), destinaram, respectivamente, R$ 500 mil e R$ 300 mil para ações de educação ambiental.

De acordo com os dados obtidos pela jornalista por meio do Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento da União (Siop), foram registrados apenas quatro repasses em emendas individuais, de bancada ou de comissão para prevenção de desastres, defesa civil, ações de cunho ambiental ou de mitigação das mudanças climáticas no orçamento de 2024.

Segundo a  coluna, dos R$ 1,6 bilhão enviados por parlamentares gaúchos – deputados e senadores – este ano, apenas R$ 2,5 milhões foram destinados para ações voltadas para evitar tragédias como a ocorrida nesta semana, que já provocou 39 mortes. Bahia.Ba