Foto: Jefferson Borges

Uma das casas atingidas durante a explosão de gás no Vale das Pedrinhas, em Salvador, deixando três pessoas mortas, está sendo demolida nesta sexta-feira (19). O acidente completou três meses no dia 12 de julho, mas os moradores do local ainda aguardam decisão sobre os imóveis afetados.

Conforme a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), responsável pelo trabalho de demolição, a ação ocorre na Rua do Campo. A previsão é que, após o trabalho de demolição, a Codesal possa avaliar a área para, então, liberar ou não os outros imóveis para que os moradores façam a reconstrução.

O acidente ocorreu em um apartamento que ficava em um prédio de três andares. Entretanto, as casas próximas à estrutura também tiveram suas estruturas abaladas por conta da explosão.

Parte do prédio ficou de pé, e casas vizinhas foram condenadas pela Defesa Civil. Com isso, dez famílias que ocupavam sete casas do bairro tiveram que deixar os imóveis. Os moradores revelam que recebem o aluguel social, mas querem saber o que será feito com suas casas.

“A gente está aguardando a Sedur, a Codesal, quem vier fazer a demolição. A gente tem que sair do aluguel”, disse o morador Fróes Oliveira. Os moradores contam que aguardam uma decisão sobre os imóveis, pois desejam reconstruir suas vidas e casas no Vale das Pedrinhas.

“A gente quer uma resposta de quando é que eles vão vir para terminar o que começaram”, disse a moradora, Lucilene Soares. Dos quatro atingidos, três morreram: Davi de Carvalho, de um ano; Jorge Manoel de Jesus Souza, 50 anos e Edilson Pereira Nascimento, de 29 anos. Dos feridos, a única que sobreviveu foi Dêmile de Carvalho, 21 anos, mãe de Davi, o garotinho que morreu.